Google+ Followers

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Minha árvore de amigos


Existem pessoas em nossas vidas que nos fazem felizes pela simples casualidade de haverem cruzado o nosso caminho.

Algumas permanecem ao nosso lado vendo muitas luas conosco. Já outras, vemos apenas entre um passo e outro.

A todas chamamos de amigos. Mas há muitos tipos deles.

Cada folha de uma árvore simboliza um deles. O primeiro broto que nasce é o de nossos pais, que nos mostram o que é a vida.

Depois vêm os amigos irmãos e os amigos filhos, com quem dividimos nosso espaço, para que possam florescer como nós.

Passamos então a conhecer toda a família de folhas, a quem devemos respeitar e querer bem.

Mas o destino nos apresenta a outros amigos, os quais não sabíamos que iriam cruzar nosso caminho. Muitos deles denominamos amigos de alma, de coração.

Esses são sinceros e verdadeiros. Sabem quando estamos bem, sabem o que nos deixa felizes. Às vezes, um desses amigos de alma se instala em nosso coração. Então, o chamamos de amigo namorado.

Esse dá brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios e chão aos nossos pés.

Também existem aqueles amigos só por um tempo, talvez por umas férias, ou por uns dias, por umas horas. Eles também costumam colocar muitos sorrisos em nossas faces durante o tempo em que estamos juntos.

Não podemos nos esquecer dos amigos distantes. Aqueles que estão na ponta dos ramos da árvore, que, quando o vento sopra, sempre aparecem entre uma folha e outra.

O tempo passa, o verão se vai e o outono se aproxima. Então perdemos algumas de nossas folhas. Algumas nascem em outro verão, outras permanecem por muitas estações.

Mas o que nos deixa mais felizes, são aquelas folhas que caíram e continuam à nossa volta, alimentando a nossa raiz com muita alegria, com recordações de momentos maravilhosos do tempo em que cruzaram nosso caminho.

Cada pessoa que passa em nossa vida é única, sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.

* * *

O verdadeiro amigo é aquele que sabe se alegrar com todas as conquistas. Oferece o amparo na hora da dor e da luta. Também sabe sorrir e partilhar alegrias.

O amigo se faz presente nas datas significativas e deixa seu abraço como doação de si próprio ao outro.

Incentiva sempre. Sabe calar e falar no momento oportuno.

Pode estar muito distante, mas sua presença, sempre perto.

* * *

O verdadeiro amigo é uma bênção dos céus aos seres da Terra.

Nos dias difíceis de Israel, Jesus conviveu com todos, sem deixar de ser Ele mesmo. Mostrou Sua amizade pelos discípulos e o amor pelas multidões. Aprendamos com a Sua vida a ser amigo de todos.



Redação do Momento Espírita, com base em texto de José L. Borges, que circula pela Internet e no cap. 18 do livro Alvorada cristã, pelo Espírito Neio Lúcio, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.
Em 07.04.2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário