Google+ Followers

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Conheça a origem do feijão e os tipos de cada região!





Pergunte a qualquer brasileiro que foi tentar a vida lá fora o que, do Brasil, ele sentia mais saudade. As respostas vão variar, mas com certeza você vai ouvir: "Sentia falta era do feijão". Um dos nossos principais alimentos, o feijão não pode faltar na mesa do brasileiro. Você sabe qual é a origem desse alimento tão importante para a nossa cultura?


De acordo com a Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, existem diversas hipóteses para explicar a origem do feijoeiro: "Tipos selvagens, similares a variedades crioulas simpátricas, encontrados no México, e a existência de tipos domesticados datados de cerca de 7.000 a.C., na Mesoamérica, suportam a hipótese de que o feijoeiro teria sido domesticado na Mesoamérica e disseminado, posteriormente, na América do Sul.

Por outro lado, achados arqueológicos mais antigos, cerca de 10.000 a.C., de feijões domesticados na América do Sul (sítio de Guitarrero, no Peru) são indícios de que o feijoeiro teria sido domesticado na América do Sul e transportado para a América do Norte". Além destes três locais originários, há outros locais como na Europa, na Ásia e na África.

Os feijões figuram entre os alimentos mais antigos da cultura da alimentação. Eles já eram cultivados no Egito e na Grécia. Segundo consta, os antigos romanos usavam os feijões nas suas festas. A disseminação do feijão, no entanto, deve-se ao fato de que, por ser de fácil transporte durante as guerras, os guerreiros que estavam em combate transportavam os grãos de um local para outro. Por sua vez, os exploradores foram os responsáveis por incentivar o uso e o cultivo dos grãos em diferentes partes do mundo.

No Brasil, a disseminação ocorreu de maneira semelhante. De estado para estado, dependendo da colonização, variam os tipos de feijão e também as maneiras de prepará-lo.

Propriedades Nutricionais

O feijão pertence ao grupo das leguminosas, que são os grãos produzidos em vagens. Algumas leguminosas são: feijões (preto, mulatinho, manteiga, carioca), grão de bico, ervilha, soja, lentilha, fava e tremoço. Elas fazem parte de um rico grupo alimentar composto por proteínas vegetais e apresentam em sua composição carboidratos complexos, fibras, vitaminas do complexo B, minerais como potássio, fósforo, magnésio, zinco, ferro, cálcio e pouca quantidade de colesterol e sódio.

De acordo com o site RG Nutri, o feijão é a principal fonte de proteína do brasileiro, em importância, seguido pela carne bovina e o arroz. Apenas esses três alimentos básicos contribuem com 70% da ingestão protéica, além de ser uma cultura de grande expressão sócioeconômica no Brasil (Fonte: Machado, Ferruzzi & Nielsen, 2008). A importância alimentar do feijão deve-se, especialmente, ao menor custo de sua proteína em relação aos produtos de origem animal (Mesquita et al, 2006).

Tipos de feijão mais consumidos no Brasil

Existem diferentes tipos de feijão e eles variam conforme o seu uso. Por exemplo, alguns feijões produzem caldos mais espessos, enquanto outros são mais duros e ótimos para salada. Na lista abaixo, conheça os tipos mais consumidos no Brasil e os usos culinários ideais.

Feijão de corda - Ceará

Usos: Os grãos do feijão de corda são muito saborosos, porém não produzem um caldo muito espesso. O uso recomendado é no baião de dois: feijão, charque, arroz e manteiga de garrafa.

Feijão fradinho - Bahia

O feijão fradinho é um feijão pequeno, de cor clara com mancha escura na lateral do grão. É mais consumido nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.

Usos: Prepara-se com estes grãos deliciosas saladas, sopas e pratos típicos da culinária baiana, como por exemplo, o acarajé.

Feijão preto - Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul

O feijão preto é um dos mais consumidos do Brasil e constitui a base para o prato mais famoso do país, a feijoada. O grão de feijão deve ser muito bem lavado, deixado de molho e levado ao fogo na própria água em que ficou para amolecer, assim, seus nutrientes serão aproveitados de forma mais completa.

Usos: Ao contrário do feijão de corda, o caldo do feijão preto é muito espesso e saboroso constituindo assim o clássico feijão com arroz. A partir desse caldo pode se fazer molhos com feijão, quando engrossado com farinha branca pode ser feito bolinho de feijoada, tutu de feijão e outras preparações.

Feijão branco - Santa Catarina

O feijão branco é bastante consumido no Brasil e muito apreciado pelos chefs de cozinha. O caldo é espesso, os grãos são macios e consistentes.

Usos: Há diversas maneiras de se preparar o feijão branco. O seu uso com frutos do mar ou na famosa feijoada francesa é comum. Cozinha-se o feijão com folhas de louro e acrescenta-se tomates sem pele, endro e frutos do mar diversos. Em Santa Catarina, região de colonização alemã, costuma-se servir Eisbein com feijão branco - joelho de porco cozido, servido tradicionalmente com esta variedade.

Feijão cavalo - Paraná

Muito consumido no Sul com grãos que se assemelham a favas de cor forte, marrom avermelhado. Interior macio, porém firme, serve para fazer saladas.

Usos: Os grãos do feijão são temperados com cebola, azeite e sal. Costuma-se consumi-los em churrascos. Em algumas regiões do Paraná, chama-se este tipo de "salada de Igreja" por ser bem comum em festas assim.

Feijão jalo - Minas Gerais

O feijão Jalo possui grãos longos e amarelos, quase beges. Consumido principalmente em Minas Gerais e na região Central do Brasil.

Uso: Ótimo para feijão-tropeiro.

Feijão rosinha- Centro-Oeste

Os grãos do feijão rosinha possuem coloração vermelho suave, quase rosa. Tem a casca bem fina e seu interior é macio. Produz, quando cozido, um caldo espesso e suave. Absorve os temperos muito bem.

Uso: Feijão à moda do Pantanal. Uma mistura de feijão, lombo de porco, linguiça e repolho branco.

Feijão carioca - Em todo o país

O feijão 'Carioquinha' é rico em ferro e, por isso, é uma fonte valiosa de energia. Seu caldo é espesso e saboroso. Os grãos são macios e tenros e a casca é fina.

Usos: Acompanha o tradicional arroz com feijão, mas costuma pegar bem temperos. Pode servir como base de feijoadas vegetarianas e servir para fazer bolinhos e sopas.

Fonte: http://msn.bolsademulher.com

2 comentários: