Google+ Followers

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Maioria das crianças sofre abuso sexual do pai ou padrasto


Pesquisa realizada no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo revela que quatro a cada dez crianças vítimas de abuso sexual foram agredidas pelo próprio pai e três pelo padrasto. O tio é o terceiro agressor mais comum (15%), seguido de vizinhos (9%) e primos (6%). Pessoas desconhecidas representam apenas 3% dos casos.

Em 88% das violências sexuais infantis praticadas, o agressor faz parte do círculo de convivência da criança. A maioria dos casos ocorre com meninas (63,4%), vindas da capital com menos de dez anos de idade.


Foram analisados 205 casos de abusos com crianças e adolescentes de seis a quatorze anos, ocorridos entre 2005 e 2009. Em sua maioria, elas chegam ao hospital para serem atendidas, levadas por mães ou responsáveis legais. Também são encaminhados, em menor número, casos vindos de conselhos tutelares e abrigos. “A ocorrência de comportamentos pedofílicos ocorre em vários segmentos da sociedade, infelizmente, dentro de casa, com quem deveria proteger”, afirma o psicólogo e coordenador da pesquisa, Antonio de Pádua Serafim.

A maioria das agressões sexuais ocorre com meninas (63,4%), vindas da capital com menos de dez anos de idade. As vítimas recebem acompanhamento psicológico e tiveram o perfil analisado pelo NUFOR (Núcleo de Estudos e Pesquisas em Psiquiatria Forense) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas.


O programa está preparado para atender as vítimas e também os agressores, mas estes nunca aparecem, segundo os pesquisadores. As crianças inicialmente são avaliadas pelos psiquiatras e psicólogos, e, em seguida entram em programa de psicoterapia individual por 16 sessões, com consultas psiquiátricas paralelas.

O psicólogo alerta que é muito importante que as mães estejam sempre monitorando os seus filhos pequenos para prevenção de abusos, porque as crianças não denunciam os agressores, mas costumam apresentar sinais como: agressividade, depressão, isolamento social e medos irracionais.


O Núcleo do Hospital das Clínicas irá desenvolver mais duas linhas de pesquisas sobre o assunto: uma avaliando aspectos neuropsicológicos das crianças que sofreram agressão sexual e a outra analisando os estilos parentais nas famílias destas vítimas.

Fonte: Childhood Brasil


....

Visitando o blog da minha amiga Lua (clique aqui e acesse o blog), vi o título de sua última postagem...
Estando fora do Brasil, não estou muito ligado nas coisas que acontecem,  mas fiquei muito feliz em saber sobre esta campanha (http://www.carinhodeverdade.org.br/home) que esta movimentando artistas, cantores, jornais, TV e etc...
Falo sempre com minha mãe que mora no Brasil e ela me conta sempre mais e mais notícias sobre crianças que sofrem de algum abuso...
Agora, com essa nova lei sobre prisão, ela disse que o índice de violência só aumentou...
Bom, eu realmente nem sei ao certo o que escrever...
Venho de uma família normal, com problemas normais...
Então, fico muito triste em saber que apesar do homem ter evoluído tanto na tecnologia, continua agindo de forma tão arcaica em relação à sua própria família...
Eu realmente não acho que laços de sangue são tão importantes, por isso, não importa se é pai ou padrastro, deve amar e proteger a criança...
Espero realmente que essa campanha ajude essas crianças!!!
Abraxos.

2 comentários:

  1. Bom dia amigo!!!!Gostaria que soubesse que fico sempre muito feliz com os seus depoimentos.

    O que posso dizer, ficou ótimos os posts. Somos formiguinhas cada uma leva um pedacinho da folha e no final tudo fica verde, parabéns por abraçar a campanha.

    Beijos de borboletas (pois é o desenho da campanha, rsrs)
    Lua

    ResponderExcluir
  2. Rs
    Um ajudando o outro, tentando fazer deste mundo algo melhor...
    Beijos parceira!!!

    ResponderExcluir