Google+ Followers

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Plantas que curam: Abrunheiro


Descrição : Da família das Rosáceas. Dá um pequeno arbusto, medindo 2 metros de altura; sua casca é lisa e seus ramos divaricados e armados de espinhos também pubescentes enquanto jovens, folhas oval-lanceolada serradas, com estipulas lineares pubescentes, flores brancas ou desabrocham antes mesmo das folhas, pedunculadas, solitária ou geminadas. Seu fruto é baga azul-escuro ou vermelho-azulada, globosa, muito pequena, contendo polpa esverdeada, de flores de cor lilás, de cujo estigma é extraído o açafrão propriamente dito. seus frutos serviam antigamente para o fábrico do extrato de Acácia nostra, medicamento que teve grande voga e também para falsificar o "suco de Acácia" das farmácias e até para fazer certo "vinho do Porto" de grande consumo, especialmente na Inglaterra. Depois de fermentados, produzem diversas bebidas tipo vinho que constituem recurso para os trabalhadores pobres do campo; são comestíveis para as crianças e ainda produzem tinta. A casca também produz tinta. As flores são febrífugas e o chá feito com elas é muito agradável, além de adstringente. Passa muito bem pelo Chá da índia e é a melhor forma para substituí-lo.

Origem : Europa. Em Portugal é conhecida como Ameixeira Brava. Também na Alemanha é cultivada, onde lhe dão os nomes de Schlehe e Schwardorn. Os franceses chama seus frutos de "prunelle" e os portugueses que também a cultivam com intensidade conhecem os frutos como "abrunho".

Propriedades : histeria, inflamação, regular processos sanguíneos, tireóide, problemas digestivos, prisão de ventre, veneno de cobra.


Indicações : É digestivo, aperitivo, carminativo, antiespasmódico e emenagogo. Combate a tosse causada pela bronquite crônica, ansiedade, insônia.

Principios Ativo : Princípios amargos (crocina e picrocina) e um óleo essencial. Aldeídos terpenos (safranal, 2,2,4-trimetil-ciclohexa-1,3-dieno-carbaldeído, pineno e cineol), picrocrocina, carotenóides, crocetina, gentobiose, alfa e o beta-caroteno, licopina, zeaxanteno e mucilagem.

Parte utilizada: frutos bem maduros, flores secas.

Modo de Usar :

- infusão ou decocção a 10%: dose máxima diária: 200 ml;
- extrato fluido: dose máxima diária: 25 ml;
- infusão de duas colheres de café de flores secas em uma chávena de água. Tomar uma a duas vezes por dia: diurética, laxante leve;
- frutos bem maduros e secos: afecções da bexiga e das vias urinárias e perturbações digestivas;
- frutos frescos: fabricar sumos, xaropes e vinho;
- tisana das flores: diabetes, hidropisia, obesidade, menopausa, algumas enfermidades da pele.

Toxicologia : Não usar na gravidez. em alta dosagem é tóxico, abortivo, causa hemorragias, vômitos, diarréias e vertigens. Alguns gramas de açafrão de boa qualidade é letal.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário