Google+ Followers

domingo, 18 de setembro de 2011

Plantas que curam: Abacate


Descrição : Planta da família das Laureáceas, também conhecida como abacado e pêra de advogado. Árvore grande de até 20 metros de altura, muito elegante, de caule pouco reto, tendo a extremidade superior dos ramos e os brotos amarelo-tomerosos ou quase glabos, suas folhas são pecioladas, alternas, muito polimorfas, acuminadas, agudas ou agudo arrendodadas na base, penivervadasa, mais ou menos reticuladas; duas flores são pálidas ou branco-esverdeadas, muito pequenas, com periano quase sempre persistêntes, dispostas em corinbos cotonosos; o fruto é uma baga ovóide ou piriforme, de tamamnho variáve, medindo até 20 centímetros de comprimento, contendo polpa verde, finíssima, comestível, envolvendo a semente, que é grande e globulosa, de cotilédones canosos e hemisféricos.
Utilização: Toda a planta.
Habitat: Nativas da América Tropical, México e América Central inúmeras variedades são cultivadas pelo mundo inteiro
Plantio : Multiplicação: reproduz-se por semente (ou mudas);
Cultivo: Plantio das sementes ou mudas o ano todo. Desenvolve-se em todo Brasil. Não tem preferência por solos, desde que seja corrigido o PH. Não se adapta em solos úmidos nem rasos. Possui diversos cultivares que se adaptam em diversos climas. Necessita de pelo menos 2 plantas para efetuar a reprodução das flores;
Colheita: Colhem-se os frutos quando maduros e as folhas mais verdes o ano todo.

Indicação : Das folhas extrais-se remédio para reumatísmo, rins, bexiga e fígado. A polpa do abacate pode ser usada como uma manteiga vegetal e no preparo de vários pratos. Creme estimulante do crescimento capilar, máscara facial, amaciante para mãos e pele em geral e pomada cicatrizante de feridas. A fruta também é apontada com afrodisíaco e emenagogo. Diarréias, cefaléia, contusões, dores reumáticas. Diurético. Insuficiência hepática e retenção da bile.

Proriedades : É excitane vesicular, balsâmico, carminativo, estomáquico, vulnerário e enemagogo, anti-sifílico.

Princípios Ativos: Sacarina gordurosa e cerácea, resina cristalizada, substânci albuminóide, e da perseita cristalizada é extraído um açúcar especial, carboidratos, substâncias amargas, perseitol, óleos essenciais, óleo fixo, mucilagens, Taninos, pigmentos, carotenóides (amarelos) e clorofila (verdes); O extraído óleo da polpa posui glicerídeos de ácido oleico (ácido graxo monoinsa-turado) 61% a 95%; 10% de compostos insaponificáveis, esteróis e ácidos voláteis, vitamina D (excede a quantidade da manteiga ou ovos). As sementes do abacate possuem ácidos graxos, álcoois, compostos insaturados excepcionalmente amargos. As folhas do abacate possuem 3% de óleo essencial de estragol e anetol.

Efeitos colaterais: Reação alérgica ao abacate - isoladas à boca ou à garganta (síndrome da alergia oral: coceira na boca, garganta e língua inchada), mais raramente acompanhadas de outros sintomas como dificuldade de respirar, constrição torácica, cólica abdominal e diarreia. Sensibilidade alérgica cruzada existe entre o abacate e melão (tipo Cantaloupe), pêssego, banana, castanhas, tomate, batata e kiwi. Sensibilidade cruzada também foi observada em pacientes com alergia ao látex da borracha natural e abacates. Este tipo de sensibilidade cruzada também é chamada de síndrome látex-fruta ou alergia látex-fruta. O mechanismo inflamatório mediado pelo IgE mostrou-se similar em produzir reações alérgicas ao látex, banana e abacate.


Modo de usar : O óleo da fruta é muito usado em cosméticos. 4g de folhas frescas (1 colher de sopa para cada 1/2 xícara de água) em infuso para uso interno, como antidiarréico, após cada evacuação. Como diurético, a dosagem é 2 vezes ao dia, sendo que, a última, deve ser tomada antes das 17:00 horas. A dose não deve ser excedida sob pena de queda acentuada da pressão arterial.
30g de folhas frescas + 60g de sementes raladas na hora para 11 de álcool de cereais a 63° e após filtragem, acrescenta-se 4 pedras de cânfora. Essa tintura pode ser aplicada diretamente sobre partes doloridas e articulações com osteoartrite. A polpa com mel pode ser usada diretamente, sob ré a pele do rosto, mãos e corpo. O infuso para ativar as funções hepáticas e biliares é feito com folhas novas e tomado em jejum e 30 minu­tos antes do almoço.

Farmacologia: Um número limitado de estudos indica que o abacate reduz o colesterol e melhora o quadro lipídico. O abacate também aparenta reduzir os sintomas da osteoartrite. Derivados da semente supostamente possuem atividade anti-tumorigenica em roedores. Os abacates são frequentemente incluídos em dietas saudáveis e evidência de pesquisas sugere que o abacate é muito eficaz na modificação do perfil lipídico. O óleo do abacate foi usado extensivamente por sua suposta habilidade de acalmar e cicatrizar a pele. Este uso é baseado no índice elevado de hidrocarbonetos na polpa e no óleo, que é provavelmente benéfico à pele seca. Um flavonol condensado isolado da semente foi relatado de ter atividade anti-tumorigênica em ratos e ratos de laboratório. Diversos compostos insaturados alifáticos e oxigenados encontrados na polpa e na semente do abacate mostraram, invitro, uma atividade forte contra bactérias grampositiva, incluindo Staphytococcus aureus. Em ratos, o abacate mostrou ter um efeito protetor na mucosa gástrica e também mostrou supressão experimental de danos hepáticos. O mecanismo exato destas medidas protetoras está sendo investigado para uma potencial aplicação humana.

Interação medicamentosa: Uma diminuição no efeito do anticoagulante da warfarina foi relatada em 2 pacientes após ingestão de abacate. Os pacientes experimentaram uma queda no seu INR durante o consumo de abacate (100 e 200 g diariamente). Quando o abacate foi eliminado da dieta a anticoagulação adequada foi restaurada. Um paciente comeu abacate outra vez e experimentou uma nova diminuição no INR, que novamente aumentou quando o abacate foi eliminado da dieta.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário