Google+ Followers

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Cuidados com a mediunidade


Imagem em homenagem a minha amiga Sol, do Rio de Janeiro.

A mediunidade é uma ferramenta que permite auxiliar pessoas em dificuldades. Não é dom, nem privilégio e sim uma possibilidade a mais de aprendizado e reparo dos erros do passado. É o que ensina o Espiritismo. Lamentavelmente, a mediunidade por vezes cria alguns problemas, porque tanto o médium como os que vivem à sua volta, desconhecem sua importância e responsabilidade.

Da parte do portador da faculdade, ela pode ser motivo de vaidade sempre que o médium se considerar especial e presenteado por Deus com dotes extras, o que o transformaria numa pessoa incomum. Nessas condições, não conseguirá controlar a faculdade nem selecionar o que deve ou não ser divulgado. Da parte dos amigos que o rodeiam, constata-se com freqüência os malefícios que estes lhe causam. Há médiuns que de modo inconseqüente, são usados como porta-vozes de notícias do Além e mesmo para fornecerem informações sobre o que acontecerá no futuro. Pessoas que nem conseguem viver o presente e já estão preocupadas com um tempo que talvez nem chegue.

O Centro Espírita, o local correto para a atividade mediúnica, precisa orientar os que atuam no campo da mediunidade, para que não se percam. Explicar aos medianeiros que tem pouca utilidade a mensagem repetitiva, falada ou escrita, que já consta do Evangelho e está fartamente complementada por respeitável literatura espírita e que importa naquele momento, atender aos Espíritos sofredores para libertá-los das trevas. É inadiável o trabalho de amor ao próximo.

Em despretensiosa recomendação aos médiuns, poderíamos sugerir o seguinte: Jamais repita o erro do "velho espírita" que menospreza o estudo e fica só envolvido com a prática mediúnica. Como entender-se com Espíritos quem não fala a língua deles. Participe de reuniões que visem melhorar seus conhecimentos.

Não tenha pressa em relatar a vidência envolvendo problemas dos outros. Isso irá ajudá-los pouco e é provável que você esteja vendo "errado". Vidência é mediunidade restrita à capacidade evolutiva de cada médium.

As informações que criem pânico ou possam semear discórdia jamais devem ser divulgadas. Só Espíritos de natureza inferior dão este tipo de recado.

Nunca se envaideça com elogios quanto à sua mediunidade. O mérito é dos Espíritos que usam o médium para o socorro, sob a assistência de Jesus. Elogio que chega em exagero sempre esconde segundas intenções.

Analise sempre o que diz, para que suas mensagens sejam transmitidas com equilíbrio. Não se esqueça que é dos Espíritos a autoria das palavras. Reproduza-as com a maior fidelidade possível e cuide para não denegrir a imagem daqueles que do plano invisível o assiste, evitando influenciar seus pensamentos com as próprias palavras.

Dê exemplos de educação e brandura, porque o médium, mais do que um procurador dos Espíritos, é propagandista do Espiritismo. Melhor que falar é mostrar lições por atitudes. Não exija o que você mesmo não consegue fazer porque os obsessores gostarão de testá-lo. Uma pessoa aflita, ansiosa, não pode ser médium da Luz. Controle-se! Não falte às reuniões. As programações espirituais incluem a sua presença e isso não condiz com os princípios da caridade que os médiuns propõem viver.

Evite fazer de seu lar um ponto de reunião mediúnica para atender assuntos particulares. O Centro Espírita é o local indicado, porque além da divulgação do Evangelho ali há maior auxílio dos responsáveis pela casa, encarnados e desencarnados.

O médium deve esforçar-se para ser exemplo, em casa, na rua, na escola ou no trabalho. O espírita é mais cobrado entre os religiosos porque tem mais informações e deve aplicá-las no dia-a-dia, em benefício próprio e dos semelhantes. É preciso viver o Evangelho vinte e quatro horas por dia.

O médium deve evitar o ciúme, o rancor, a inveja, a indiferença ou qualquer sentimento negativo em relação aos demais companheiros. Estes sentimentos desarmonizam a equipe e nenhuma organização da Espiritualidade encontrará o "feixe de varas" citado por Kardec, para realizar os trabalhos com segurança. Se ainda é impossível nos amarmos em plenitude, ao menos respeitemo-nos, compreendendo as limitações próprias da nossa condição evolutiva.

Médium, telefone que deve estar sempre disponível para que a chamada se complete. Andam sempre ocupados e Deus vem tendo dificuldades para falar aos seus filhos, através desses emissários. É preciso paz, vigilância e harmonia na colméia desses mensageiros do Além.

6 comentários:

  1. Amigo do coração, gostei desta sua postagem, pois possui muita informação útil para quem possui dons mediúnicos. Sabe eu ainda hoje, só não consigo concordar com a Doutrina espírita numa coisa, se quem possui dons mediúnicos, não pode auxiliar ninguém fora dos centros espíritas, e até para isso ele precisa ser qualificado para tal, pergunto: Então porque é que o espíritismo começou numa casa vulgar nas famosas sessões? como Alan Kardec se não vivenciasse ele próprio as experiências, teria conseguido fundar a sua Doutrina espiríta? Nessa altura ainda não existiam os centros espirítas, percebe o que eu quero dizer? eu não estou de todo a colocar em questão a autenticidade e veracidade dos centros espirítas, que para mim desempenham um trabalho maravilhoso, só que existem alturas em que, se quem de "verdade" possui dons mediúnicos (porque quem os tem sabe que os tem, já desde pequeno se dá para se aperceber disso) se recusar a prestar auxílio porque ´não faz parte de nenhum centro espírita ou porque está noutro sítio, aí eu penso que não é correcto, sabe porquê? porque Deus nos deu esses dons para ajudar, e se o médium acreditar e conseguir ajudar esse espiríto mesmo fora dos centros, então eu penso que foi para isso que nasceu com os dons desenvolvidos, percebe o que eu quero dizer? Concordo no entanto que da parte de quem possui estes dons, deve de existir a toda a hora um estudo intenso e aprofundado sobre esta matéria e concordo que não se deve de enaltecer a si próprio, nem muito menos divulgar informações que possam de algum modo afectar a vida de um modo negativo às pessoas envolvidas. Wilson, desculpe este meu desabafo, é que sabe de uma coisa? quando nascemos não trazemos manual de instruções, ao longo da vida procuramos e fazemos vários downloads para tentar obter o manual, mas verifico que ao fim de todo este tempo e ainda sem manual, me encontro a aprender com as mensagens que recebo e com a vida vivida no dia-a-dia, muito devagarinho e aos poucos de cada vez, mas sempre com muita esperança e Fé em Deus. Nem todos nós nos conseguimos encaixar ou ser aceites nos centros espirítas, e nessas alturas somos só nós e Deus!
    Adoro você e mais uma vez, desculpe.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Ana, minha amiga, respondendo seu comentário...
      Eu entendo muito bem o que você quis dizer em relação a só ajudar dentro de um centro espírita...
      Bom, eu vou lhe dizer duas coisas sobre isso...
      Primeiro, eu concordo descordando dessa atividade...
      Concordo, porque dentro de um centro espírita, a pessoa tem um respaldo, outras pessoas que podem lhe ajudar.
      Dentro de um centro espírita, ela pode aprender algumas coisas que sozinha pode não acontecer, não sei se entende o que eu quero dizer...
      Segunda, eu não acho que apenas dentro de um centro espírita que um médium deve ajudar...
      Vou escrever o que penso, ai você vai me entender...
      Eu mesmo, não frequento casa espírita alguma...
      Já frequentei, várias, mas não me achei em nenhuma...
      Penso eu que o espiritismo é estudo antes de mais nada.
      Já fui em casas em que as pessoas se achavam superiores aos frequentadores...
      Já fui em casa onde o que mais se via eram imagens e rituais...
      Já fui em casas onde se falava muito, mas agia-se pouco...
      Por isso, parei de ir e com a ajuda de meus mentores, fui lendo e aprendendo.
      Sempre que posso, dou uma palavra amiga a alguém, mas confesso que acho que estar dentro de uma casa espírita é muito importante.
      Mas, nunca devemos deixar de auxiliar o próximo estando ou não dentro de uma...
      Beijos...

      Excluir
  2. Entendo bem o que a postagem fala, entendi corretamente a expressão da Ana e compreendi sua resposta.
    Agora vou expressa minha opinião, rsrs

    Todo ser humano é dotado de um dom, pratica-lo e desenvolver vai caber a cada próprio individuo.
    O melhor templo para encontrar os Deuses é dentro de nós mesmo.
    O centro espíritas são importante para apoio e desenvolvimento, sim.
    Mais como tudo é feito de seres humanos, alguns bem falhos, temos que ter muito cuidado. Pois a "Vaidade" é um poderoso destruidor de pensamentos e destinos.
    Mais isso também não deve ser um motivo para não procurar um centro, pois por lá pode achar pessoas valorosas que ajudaram muito em nossa caminhada.
    Então a palavra a ser considerada é "equilíbrio", descarte o que não presta, ignore as pessoas de alma 'pobre' e aproveite o que for preciso.

    Mais todos podem ajudar em qualquer atitude, estando ou não adepto de um centro.

    Beijinhos de luz.
    Lua.

    p.S.; Maravilha de sol!!!!!!! rsrsrs
    Ler bastante sobre o assunto ajuda muito.

    ResponderExcluir
  3. Grata por tal bela homenagem,meu Amigo, o ser humano infelizmente são dotados de vaidade, avareza, ódio, dentra tantas mais que nem vale apena ser dita, porem existem pessoas do bem, desprovida desses sentimentos, eu acredito que tudo que vem deve ser compartilhado só assim de fato se faz importante,e saber ser humilde em reconhecer que nunca sabemos tudo e que tudo pode ser nada, e que quanto mas sabemos entendemos que nada sabemos.
    beijos de sua amiga carioca
    Sol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Sol.
      Fico feliz que tenha gostado da homenagem.
      Beijos

      Excluir