Google+ Followers

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A arte dos elogios


A baixa autoestima é vista como uma espécie de carência de vitaminas emocionais para as crianças e adultos.

Preocupados com o desenvolvimento dos seus filhos e com suas conquistas, alguns pais exageram na hora dos elogios.

Criança viciada em elogios se torna problema na escola. Ela sempre ficará na dependência da aprovação verbal dos professores.

Adulada em excesso e sem motivo, a criança cresce esperando o mesmo de todas as pessoas.

Hoje, ela espera o afago verbal dos pais, dos professores. Amanhã será do chefe, da namorada ou do namorado para se sentir bem.

É que o excesso de elogios, e nem sempre verdadeiros, gera insegurança e não autoestima.

O educador, escritor e pai de cinco filhos, Paul Kropp, de Toronto, estabeleceu alguns itens que acredita importantes para aumentar a autoconfiança dos nossos filhos, sem correr o risco de sermos demasiadamente generosos em elogios, sejam eles merecidos ou não:

1. Inclua seu filho no que você estiver fazendo. E lembre-se de que nem tudo precisa ser perfeito no trabalho dele.

Deixe a criança experimentar, agir, auxiliar. Pequenas tarefas falam de responsabilidade e amadurecimento.

2. Não apresente ao seu filho obstáculos grandes demais. A dificuldade das tarefas atribuídas às crianças deve ir aumentando aos poucos.

3. Não corra para ajudar o seu filho. Dê a ele a chance de experimentar a frustração.

A frustração faz parte do mundo real e a criança deve aprender, desde cedo, a lidar com ela.

4. Certifique-se de que ele tenha desafios fora de casa: grupos de excursão, equipes de natação, aulas de música.

5. Elogie os resultados finais com sensatez. Quando descobrir nos olhos de seu filho que ele está satisfeito com algo que fez, não seja severo na crítica.

Finalmente, para ajudar a criança a desenvolver uma noção real de seu valor:

Preste atenção ao que seu filho faz ou diz - você não precisa concordar, mas tem de ouvir.

Encontre tempo suficiente para desenvolverem projetos juntos, sem perder de vistas as habilidades da criança.

Lembre-se de que não são os falsos elogios que constroem a identidade de seu filho, mas sim a atividade e o sucesso.

Os elogios, por si mesmos, não levam os filhos a crescer e buscar novos desafios. E para aquele que sabe o que quer, não serão uma ou duas críticas que o irão abater.

Por tudo isso os pais, que conhecem seus filhos, devem usar de bom senso. Elogios e críticas bem dosadas, aliadas ao tempo e esforço pessoal, possibilitam a autoconfiança e a consciência do próprio valor.

* * *

O falso elogio enche a criança de expectativas irreais. A falta deles acaba por desvalorizá-la e deprimir.

Quando a criança precisa de um elogio para elevar a sua autoestima, terá dificuldades para aprimorar o seu caráter porque estará sempre na dependência do que os outros pensam. Estará buscando aprovação e não aprimoramento.

Incentivar é permitir a possibilidade da experiência, do erro e do acerto. Eis o caminho ideal para a correta formação do caráter dos nossos filhos.



Redação do Momento Espírita, com base no artigo Seu filho é viciado em elogios?, da revista Seleções Reader's Digest, de maio de 2000.

Em 25.01.2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário