Google+ Followers

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Plantas que Curam: CASTANHA DO PARÁ - Bertholletia excelsa


Descrição : da família das Lecythidaceae. Também conhecida como castanha-do-brasil, juviá, touca, tucá, tocari, amendoeira-da-américa, castanheira-do-brasil, castanha, castanheira-do-pará,sapucaia, paranussbaum, para-nuss (alemão) (alemão), nuez del brasil (casteliano), castaña de pará (espanhol), brazil nut, brazilnut, brazilnut-tree, creamnut, paranut (inglês), castagna di Pará (italiano). Árvore de porte majestoso, cascas grossas, folhas méidas mais ou menos ovais, de cor castanha quando novas. Flores brancas-arroxeadas e fruto com amêndoas comestíveis, muito apreciada.
Parte utilizada: castanha, óleo extraído das sementes, ouriço, casca.
Plantio : Multiplicação: por sementes (para formação de mudas);
Cultivo: planta brasileira da região Norte. Árvore que atinge 50m de altura. Leva 25 anos para produzir os primeiros frutos. Exige solos férteis em climas quentes e úmidos. O espaçamento é de 16m entre plantas;
Colheita: os frutos quando maduros caem ao solo onde serão recolhidos, abertos e retiradas as sementes, grandes e oleaginosas.

Princípios Ativos: ácido alfa-linoléico, ácido linoléico, ácido oléico, ácido palmítico, ácido esteárico, antimônio, cálcio, cério, césio, escândio, esteróis, európio, éter estearina, excelsina, ferro, fósforo, iodo, itérbio, lantânio, lutécio, oleina, proteínas, samário, selênio, tântalo, tungstênio e vitamina B.

Propriedades medicinais: antioxidante, emoliente, energizante, hidratante, inseticida, nutritiva.

Indicações: evitar a formação de radicais livres (o selênio de uma castanha é maior que a necessidade diária do organismo), figado, anemia, hepatite, desnutrição.

Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso.

Modo de usar:
- castanhas consumidas frescas ou assadas (as proteínas de duas castanhas equivalem a de um ovo de galinha) e como ingrediente de inúmeras receitas de doces e salgados;
- óleo e o extrato de castanha-do-pará como matéria-prima na fabricação de produtos farmacêuticos, cremes de limpeza, hidratantes, batons, sabonetes finos, xampus e condicionadores;
- decocção da casca: moléstia crônica do fígado;
- a água colocada dentro do ouriço, ou a água do umbigo do ouriço: anemia, hepatite, desnutrição, energizante;
- sementes esmagadas: cauterizar feridas.

2 comentários:

  1. Sou apaixonada por castanha do pará, delícia, e ainda por cima faz tanto bem para a saúde.
    Essa eu gosto, rsrsr.
    Beijinhos de luz.
    Lua.

    ResponderExcluir
  2. Também gosto muito amiga.
    Pena que por aqui não tem... rs
    Beijos

    ResponderExcluir