Google+ Followers

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Plantas que curam: ACELGA - Beta vulgaris


Descrição : Da família das Chenopodiaceae. Possui duas variedades: a branca e a verde-escura de folhas largas. Ambas apresentam proteínas, carboidratos e fibras. Quando cruas são ricas em vitaminas A e C, sendo aproveitadas em saladas, cozidos, sopas e charutinhos.

Plantio : Multiplicação: reproduz-se por sementes, Cultivo: plantio em solos neutros, prefere clima ameno e irrigação constante. Plantada em canteiros; Colheita: colheita o ano todo. Geralmente planta-se na primavera e no final do verão, com duas colheitas por ano.

Indicações : anúria, ajudar a formação do esmalte dos dentes, asma, aumentar a resistência aos vasos sanguíneos, auxiliar o crescimento, auxiliar os movimentos intestinais, cálculos biliares, chagas, colecistite, cólicas hepáticas, cólicas renais, colite, conservar a pele e mucosas, contusões, dermatoses (eczema etc.), diabete melito, disúria, enfermidades do fígado, enterite; evitar problemas do aparelho digestivo, do sistema nervoso e da pele; feridas; fragilidade dos ossos e dentes; furúnculos, gastrite, gota, hemorragias intestinais, hemorroidas, infecções, nefrite, prisão-de-ventre, queimaduras, regimes de emagrecimento, reumatismo, úlceras, vista cansada, vômitos de sangue.

Modo de usar:
- "in natura" em salada ou suco;
- cozida ao vapor;
- com limão: desinflamar os nervos (neurite), vigorizar o cérebro e fortalecer o estômago;
- suco de acelga com igual parte de de agrião: cálculos biliários. Tomar um copo, por dia, em jejum;
- meio copo de suco de acelga e uma colher, das de sopa, de azeite de oliva: prisão-de-ventre;
- decocção das folhas: enemas, inflamações da bexiga, prisão de ventre, hemorróidas, enfermidades da pele, gastrite, diarréias sanguinolentas, colite catarral, tenesmo (evacuação dolorosa), enterocolite, febre tifóide;
- cozimento das folhas: inflamações viscerais, cistites, hemorróidas, doenças da pele (com comichão);
- cataplasma das folhas: adenites, hemorróidas, feridas, úlceras etc.;
-cataplasma das folhas cozidas: emoliente em abscesso, contusões, flegmões (inflamação de tecido conjutivo que fica sob a pele), furúnculos, queimaduras, feridas, úlceras, contusões, etc.;
- decocção das raízes: enfermidades do fígado. Toma-se aos goles;
- cataplasma da raiz cozida com camomila e casca de malva (triturados): estados febris (principalmente febre tifóide), enemas;
- uma colher das de sopa de sementes tostadas e moídas em uma xícara de infusão de transagem: disenteria, metrorragia, poliúria.

Principios Ativos : cálcio, ferro, fósforo, hidratos de carbono, potássio, proteínas, sódio, vitaminas A, B1, B2, B5, C e niacina.

Toxicologia : consumir moderadamente pois contem alto teor de oxalato que prejudica a absorção de cálcio.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário