Google+ Followers

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Plantas que curam: Acaju Caatinga - Cedrus deodara


Descrição : Planta da família das Pinaceae, também conhecida como acaju-catinga ou cedro do himaláia ou simplismente odorata. É uma árvore conífera de grande porte, que chega a atingir 40 à 50 metros de altura, excepcionalmente 60 metros, com um tronco que pode medir até 3 metros de diâmetro. Tem uma copa cónica, com ramos nivelados e lançamentos pendentes. Folhas nos braquiblastos. As folhas são aciculares (com forma de agulha) geralmente com 2,5 a 5 centímetro de comprimento, por vezes atingindo os 7 centímetros, finas (1 mm de diâmetro), isoladas nos macroblastos (ramos maiores) e em tufos ou pincéis densos com 20 à 30 nos braquiblastos (ramos menores); variando do verde-brilhante ao glauco verde-azulado. Os estróbilos têm a forma de barril, com 7 à 13 centímetros de comprimento e 5 à 8 centímetros de diâmetro, desintegrando-se após a maturação (12 meses após a polinização) de forma a libertar as sementes aladas. As inflorescências masculinas medem de 4 a 6 centímetros de comprimento, libertando o pólen no outono .
O cedro é uma árvore ornamental apreciada pela elegância do seu porte, sendo frequente usada em parques e grandes jardins devido à sua folhagem pendente. É uma árvore que só se desenvolve convenientemente, contudo, onde os invernos não sejam muito rigorosos, não devendo ser submetida a temperaturas abaixo dos 25º Celsius negativos. As variantes mais tolerantes ao frio são originárias da zona setentrional da sua área de distribuição, na Caxemira e na província de Paktia, no Afeganistão. Em Portugal nem sempre se desenvolve da melhor forma já que exige um clima um pouco mais húmido.
É a árvore nacional do Paquistão . Entre os hindus, é adorado como uma árvore divina, especialmente na Caxemira, Punjab e aldeias, como o nome sugere deodar. A primeira metade da palavra significa deva palavras do divino, divindade, deus, e Zeus, o duro conota segunda parte, druida, árvore, e verdadeiro.
Várias lendas se referem a esta árvore. Em Valmiki Ramayana - khanda Kishkinda lê-se : "Nas arquibancadas do Lodhra árvores, árvores Padmaka e nos bosques de Devadaru, ou árvores Deodar, Ravana está a ser procurado aqui e ali, junto com Seetha."
Florestas cheias de árvores foram Devadaru a morada preferida ou lugar de vida dos antigos sábios indianos e suas famílias que se dedicavam a deus hindu Shiva, para os quais eles se apresentaram muito difícil tapasya (meditação) para agradá-lo.
Origem : Cedro nativo do Himalaia ocidental ao Afeganistão ocidental, Paquistão setentrional, Caxemira, noroeste da Índia, extremidade sudoeste do Tibete e Nepal ocidental, ocorrendo a altitudes entre os 1500 e 3200 metros.

Propriedades medicinais: anti-seborréica, anti-séptica, aromática, calmante, condicionante, desinfetante, desodorante, fixadora, fortalecedora dos cabelos, fungicida. O cedro-do-himalaia é uma árvore ornamental apreciada pela elegância do seu porte, sendo frequente usada em parques e grandes jardins devido à sua folhagem pendente

Contra-indicações/cuidados: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário