Google+ Followers

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Ichiro Nishitani: O homem que ajudou a trazer a Toyota ao Brasil.

Ele foi responsável pelas primeiras importações vindas do Japão, além de ajudar a trazer a Toyota para o Brasil

por Rafael Jubelini

Galpão de Ichiro; ele foi o primeiro e único importador dos caminhões, ônibus e Jipes do Japão

A imigração japonesa no Brasil reúne histórias exemplares de superação de dificuldades. Contos reais de pessoas que vieram ao Brasil batalhar pelo desenvolvimento da família e da nova nação onde chegaram.

Uma dessas histórias começou em 1930, quando Ichiro Nishitani, então com 16 anos, chegou a Santos a bordo do navio Kanagama Maru.

Nascido em Hiroshima, Nishitani veio jovem ao Brasil em busca de oportunidades para crescer profissionalmente. Com o passar dos anos, as chances apareceram, e ele as aproveitou da melhor forma possível. Quando não surgiram, ele mesmo as criou.

Ichiro Nishitani com sua esposa Mitsu Kodama

Tornou-se um dos maiores empreendedores do Brasil, sendo pioneiro na importação de produtos japoneses e um dos responsáveis pela vinda da Toyota ao País.

O primeiro emprego de Nishitani foi em um jornal da colônia japonesa. O trabalho fez com que o jovem viajasse por várias cidades do interior paulista. Passou a conhecer pessoas e conviver com os comerciantes do local. Com isso, observou as necessidades do setor.

EMPREENDEDORISMO

O abastecimento das mercadorias era precário, o que possibilitava uma grande oportunidade de crescimento. Para preencher essa lacuna, Nishitani criou sua primeira empresa, em 1937, com o nome inicial de “Ishiro Nishitani”.

Passou a visitar os comerciantes próximos às linhas de trem, já que haviam poucas rodovias na época, para apresentar mostruários e catálogos de vendas. Com o crescimento do negócio, o novo empresário contratou os chamados “caixeiros-viajantes”, para o serviço. Eles anotavam o pedido e levavam para a sede em São Paulo. Tornou-se um dos maiores compradores atacadistas da época.

A precariedade da comunicação e da estrutura da época dificultou o trabalho. O correio era a única forma de se comunicar a longas distâncias, mas o tempo para a correspondência chegar a seu destino era grande.

Mesmo com as dificuldades, Nishitani continou a ser um ousado empreendedor. Fundou indústrias de meias personalizadas, pescados, gráfica e até fábrica de brinquedos. Abriu uma loja próxima ao Mercado Municipal de São Paulo, após perceber o número elevado de pessoas que passavam pelo local.

Porto de Santos: importação de mais um veículo da Toyota

GRANDE SALTO

No início dos anos 50, com o alto investimento em infra-estrutura promovido pelo governo, Nishitani passou a produzir tratores e implementos agrícolas. A ousadia do empreendedor o levou ao Japão, na mesma época, para negociar a vinda de veículos da Toyota e da Hino para o Brasil. Ele foi o primeiro e único importador de caminhões, ônibus e jipes do Japão.

Para aumentar a produção e atender a crescente demanda, Nishitani constituiu a empresa Carrocerias Lay-Auto Partes, que projetou jipes e modelos encomendados. Em 1962 a Toyota se instalou no Brasil, com grande participação e ajuda do empreendedor, que exerceu o cargo de Diretor Vice-Presidente da Toyota.

Ele passou a ser revendedor autorizado da Volkswagen, General Motors, Mercedes Benz e Lambreta, com diversas concessionárias espalhadas por São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.


LUTAR ATÉ O FIM

Apesar de todo o crescimento e sucesso, Nishitani foi obrigado a fechar suas empresas e encerrar a escalada empresarial. Em 1967, foi declarado insolvente civil. Trabalhou, até o fim da vida, em 2002, para se reabilitar.

Era viúvo da senhora Mitsu Kodama, falecida em 1993, que o ajudou em todo o seu caminho. A história de Ichiro Nishitani é mais uma que enriquece a comemoração dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil.

Fonte: Made in Japan

Um comentário:

  1. Eu já havia lido sobre o sr Ichiro Nishitani. Um homem fantástico e grande empreededor. Rafael, onde o sr Nishitani viveu aqui no Brasil? Obrigado, excelente postagem. Se for possível, me responda. Abrs ( imelton.azevedo@gmail.com )

    ResponderExcluir