Google+ Followers

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Plantas que curam: AMBAÍ - Cecropia palmata


Descrição : Planta da família das Moraceae. Também conhecida como ambaí, ambaú, ambaitinga, amabitinga, ambaíba, ambaúba, árvore-da-preguiça, caxeta, imbaúba, imbaíba, pau-de-lixa, torém, umbaúba. Ärvore de grande, entre 20 e 30 metros de altura, tronco reto, fistuloso, com cicatrizes foliares oco, ramificação radial apical. Folhas simples, longo-pecioladas, palmadas com 10 lóbulos, coriaceas, ásperas e esbranquiçadas na página inferior; As flores são unissexuadas, as inflorescencias masculinas e femininas em espigas. Os frutos comestíveis, pequenos e ovais, de cor roxa-escura, são aquenios semelhantes ao figo, de polpa macia e carnuda em torno de inúmeras sementes. Toda a planta e (muito) adstringente; Reproduz-se por sementes, com ajuda de pássaros, macacos e morcegos; preferencialmente a beira de rios, em clima quente e úmido; Seu crescimento e rápido. Ha varias espécies de Cecropia, mais de 100, ocorrendo em areas geograficas diferentes, muito semelhantes entre si, em sua bioqui'mica e usos tradicionais.
Parte utilizada: brotos, casca, folha, frutos, raízes. (folhas jovens concentram o maior poder curativo.).
Habitat: E nativa das Americas Central e do Sul e Indias Ocidentais; tfpica das matas ciliares e Umidas e de pastagens, beiras-de-estrada e poma-res. E menos comum nas areas secas do Nordeste e Centro-Sul.
História: Sua casca tern utilizagao na industria de couros e cordoaria por seus teores de taninos e fibras; O tronco e usado pelos indigenas para a confecção de uma flauta - doce - de som caracterísico. Sua copa alta e morada das formigas Azteca muelleri que protegem-na de insetos e sao muito agressivas; atraem a Lachimodiella cecropiae que se alimentam do açúcar da Embauba

Princípios Ativos: alcalóides, cumarinas, flavanóides, glicosídeos, resina, taninos.

Propriedades medicinais: adstringente, analgésica, antidiabética, anti-séptica, antitussígena, béquica, cardiotônica, cicatrizante, descongestionante, diurética, expectorante, hipotensora, mal de Parkinson, refrigerante, sedativa, vulnerária.

Indicações: asma, asma cardíaca, blenorragia, bronquite, coqueluche, diarréia, hidropsia, leucorréia, moléstias do coração, pneumonias, sedante, tosse.

Contra-indicações/cuidados: Na gravidez; Portadores de doenças cardíacas sem monitoramento médico; Paciêntes hipotensos ou hipertensos em tratamento medicamentoso não devem usá-la sem acompanhamento de profissional gabaritado e devem ter acompanhamento clínico; Hipoglicemicos

Efeitos colaterais: Em diabetes. A glicemia deverá ser mantida sob constante monitoramento.

Modo de usar:
- decocção de 30 g de folhas em um litro de água;
- suco de folhas frescas; diluir 1 colher das de sopa desse suco em 1 xícara com água, beber 1 gole de hora em hora, espaçando-se mais aos primeiros sinais de melhora;
- uma folha fresca e 2 xícaras de água. Colocar e bater no liquidificador. Tomar várias vezes ao dia;
- raízes: utiliza-se a decocção ou o suco das raízes para as mesmas finalidades e nas mesmas proporções que a decocção ou o suco das folhas;
- látex: feridas crônicas, úlceras, verrugas.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário