Google+ Followers

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CAMOMILA COMUM - Chamomilla recutita


Descrição : Da família das Asteraceae. Herbácea anual, aromática, de caule ereto, de 20 a 50 cm de altura, muiot ramificada e pouco resistente. As folhas são alternas, estreitas e divididas em segmentos numerososo. Os capítulos florais, que sào um conjunto de flores tão estreitamente agrupadas, parecem constituir uma flor, têm a tonalidadeamarela, sendo as centrais hermafroditas e as da periferia femininas, de cor branca.Fruto aquênio epqueno, esverdeado, liso e sem papilho. asce espotâneamente junto às estradas, campos desertos e zonas agrículas. Reproduz-se por semente e tem um bom desenvolvimento em clima temperado. Adapta-se a qualquer tipo de solo, mas tem preferência por solos ricos em matéria orgânica, férteis, frescos, bem drenados, leves e com boa exposição ao sol. No Brasil o cultivo pode ser feito em março e setembro, desde que receba muito água. A semeadura, de preferência, deve ocorrer no smeses de março e abril. A colheita pode ser efetuada três meses após a semeadura. O traço mais característico dessa planta é o intenso aroma que exala de todas as suas partes.
Origem : Sul da europa e ásia ocidental. Em São Paulo é cultivada como ornamental, mas já existe cultura em larga escala em algumas regiões.
Modo de Conservar : Os capítulos florais devem ser colhidos antes da sua abertura c ompleta e secos à sombra, em ambiente arejado, com calor de 40C. Os melhores são aqueles que não vêm acompanhados de folhas ou pedúnculo floral. Quando secos devem ser conservados em recipientes de vidro semi-abertos e longe da umidade.

Nomes populares: camomila-alemã, camomila-comum, camomila-da-alemanha, camomila-dos-alemães, camomila-legítima, camomilinha, camomila-vulgar, macela, margaça-das-boticas, maçanilha, manssanilha, marcela-galega, matricária.

Princípios Ativos: Camazuleno (27,2%), a-bisabolol (antiinflamatório: 11,2%), matricina, cumarina, esteróides, heterosídeos, ácidos graxos e salicílico, vitamina C; Terpenóides: antemol, azuleno, bisaboleno, b-bisaboleno, a-bisabolol, a-bisabololóxido A, a-bisabololóxido B, a-bisabololóxido C, a-bisaboloneóxido A, borneol, b-bourdeno, a-cadineno, calameno, canfeno, 3-careno, B-cariofileno, cis-cariofileno, cariofilenepóxido, camazuleno, camomilol, 1,8-cineole, a-copaeno, B-copaeno, a-cubebeno, r-cimeno, 3-deidronobilina, a-r-dimetilisterina, 3-epinobilina, 1,10-epoxinobilina, eucanabinolida, farneseno, trans-a-farneseno, trans-b-farneseno, farnesol, germacreno-D, guaiazuleno (1,4-dimetil-7-isopropiazuleno), humuleno, hidróxisonobilina, limoneno, lactona sesquiterpena linear, matricarina, matricina, a-muroleno, b-mirceno, mirtenal, mirtenol, nerulidol, nobilina, a-pineno, b-pineno, pinocamfona, a-trans-pinocarveol, a-trans-pinocarvone, sabineno, b-selineno, esfatulenol, a-terpineno, turjone, xantoxilina;
Flavonóides: apigenina, apigenina-7-(6’’-o-acetilato) glucosídeo, apigenina-7-apiosigluosídeo (apiína), apigenina-7-glucosídeo (2’’,3’’)-diacetato, apigenina-7-glucosídeo (apigetrina), apigenina-7-glucosídeo(3’’,4’’)-diacetato, axilarina, crisoeriol, crisoeriol-7-glucosídeo, crisoplenol, crisosplentina, 6,7-dimetóxiquercetina, 6-3-dimetóxiquercetina, eupaletina, eupatoletina, 6-hidróxi-luteolina-7-glucosídeo, isoarmnetina, isoarmnetina-7-glucosídeo, jaceidina, caempferol, ‘Lipophiles flavon’, luteolina, luteolina-4’-glucosídeo, luteolina-7-glucosídeo, luteolina-7-ramnoglucosídeo, 6-metóxi-caempferol, patuletina, patuletina-7-glucosídeo, quercetagetina-3,5,6,7,3’,4’hexametil, quercetagetina-3,6,7,3’4’pentametil, quercetagetina 3,6,7,3’ tetrametil, quercetina, quercetina-3-galactotosídeo (hiperina, hiperosídeo), quercetina-7-glucosídeo (quercimeritrina), quercetina-3-rutinosídeo (rutina), quercetrina, espinacetina.
Ácidos orgânicos: aminoácidos, ácido antêmico, ácido ascórbico, bornil acetato, (-)-butano- 1,3-dil-1-(|Z|-2’-metil-2’-butenoato)-3-isobutirato, n-butanol, butil angelato, ácido cáprico, ácido caprílico, carotonacetonas homólogas, tanino catequina, éster camomila I, éster camomila II, ácido clorogênico, colina, vermelho aldeído crimson, b-damascenona, éster dihidromatricana, cis-en-yn-dicicloéter, ácido 2,4-dihidroxibezóico, (ácido siríngico), 2,5-dihidroxibenzóico (ácido gentísico), ácido 2,3-D-dihidroxicinâmico(ácido antenóblico), ácido 3,4-D-dihidroxicinâmico (ácido cafêico), e-1-(2,6-dimetilfenil)-2-butano-1, epicatecol, benzoato etílico, decanoato etílico, palmitato etílico, etil fenilacetato, ácido ferúlico, frutose, furfurol, 5-(3-furil)2-metil-1-pentano-3-ol (lepalol), 5-(3-furil)2-metil-1-pentano-3 (lepalona), galactose, ácido gálico, tanino, geraniol, glicose, herniarina, hexilacetato, hexilbutirato, hidrocarbonatos, ácido benzóico 4-hidroxi-3-metoxi (ácido vanílico), ácido 3-hidroxi-4-metoxicinâmico (ácido isoferúlico), ácido 3-(2-hidroxifenil)-2-propenóico (ácido o- cumárico), ácido 3-(4-hidroxifenil)-2 propenóico (ácido-r-cumárico), ácido 3-hidróxi-2-metilideno (ácido butírico angelato), angelato isoamil (isopentil), isoamil butirato, isobutil isobutirato, isobutil isovalenianato, isobutil-2-metilbutirato, 4-isopropenil benzaldeído, 4-isopropenil tolueno, 5-isopropil-2-propil-2-ciclohexeno-1, 5-isopropil-2-propil-2-ciclohexeno-1, ácido linoléico, ácido málico, ácido metacrílico e ésteres, ácido 4-metoxibenzóico (ácido anísico), 3-metilamil angelato, 2-metilbutil butirato, a-metilbutil isobutirato, 2-metilbutil-2-metilburato, 2-metilbutil-2-metil propionato, 3-metilideno-4-oxipentil angelato, 2-metilidenopropano-1,3 dil-1-|z|-2’metil-2’-butenoato-3-isobutirato, 2-metil-2-propil angelato, 2-metilpropil butirato, 2-metilpropil 2-metil butirato, 2-metilpropil 3-metil butirato, niacina, ácido oleico, ácido palmítico, ácido péctico, ácido fenólico, álcool perílico, poliacetileno, polissacarídeos, propil angelato, ramnose, ácido salisílico, 7-glucosídeo escopoletina, escopoletol, ácido sinápico, tanino, taraxasterol, tiamina, ácido tíglico e ésteres, triacontano, umbeliferona, xilose (91), ácido dihidrocinâmico, cerótico oleico e linólico, colina, inositose, fitorina, matérias resinosas e pépticas (341) e apigenina (3 a 9%), que se desdobra, por hidrólise, em apigetina;
glicose.

Parte utilizada: Capítulos florais secos.
Propriedades medicinais: antiinflamatória tópica, antinevrálgica, antiespasmódica, analgésica, aperiente, anti-séptica, antiasmática, anti-reumática, antigripal, anti-hemorroidária, antidispéptica, antialérgica, anti-histérica, calmante, carminativa, cicatrizante, desinfetante, emenagoga, emética, emoliente, estomáquica, eupéptica, maturativa, protetora solar, vermífuga, sedativa suave, sudorífica, tônica.

Indicações: afecções de pele (pústulas e fístulas), afecções nervosas, afta, assaduras, cefalalgias, ciática, cistites, cólicas em geral, diarréia infantil, doenças do útero e do ovário, embaraços gástricos, enjôos, estomatite, enxaquecas, feridas, gengivite, gota, indigestões, inflamações oftálmicas, insônia, inapetência, lumbago, mialgias, náuseas, oftalmias, queimaduras de sol, úlceras.

Contra-indicações/cuidados: grávidas ou em lactação; compromete a eficácia de radiografia.
Pode ocorrer rinite alérgica em pessoas sensíveis à camomila.
Efeitos colaterais: Reações alergicas a camomila sao geralmente rela-tadas. As reacoes de hipersensibilidade incluem a anafilaxia, dermatite, mal-estargastrintestinal, lacrime-jacao e espirros. Em grandes quantidades, o miolo da flor seco pode ser emetogenico. A anafilaxia resultan-te de Ifquidos contendo camomila usados em enemas foi documentada, assim tambem como a conjuntivite alergica causada por colirios contendo camomila; E suposto que as manifestagoes alergicas sejam depen-dentes da rota da ingestao. A asma, a colica intestinal, a diarrgia, e o vomito sao relatives ao uso oral, através do cha, a alergia pela inalagao do oleo es-sencial manifesta-se predominantente como asma. Uma reatividade cruzada e relatada entre os pessoas alergicas a carpineira, ao genero aster, aos crisante-mos, e aos outros membros da familia do Asteraceae.
Toxicologia: A toxicidade do bisabolol foi baixa apos a administracao oral em animais, com DL50 agudo de aproximadamente 15 mUkg em ratos e camundongos. Em um estudo de 4 sema-nas de toxicidade subaguda, a administragao de bisabolol (1 a 2 ml/kg) aos ratos não causou nenhuma toxicidade. Nenhuma anomalia de desenvolvimento ou efeito teratogenico observada em ratos e coelhos apos a administragao cronica de 1 mLVkg de bisabolol.

Modo de usar:
infusão:
- 3%; 50 a 200ml/dia (uso interno); 5% (uso externo)
- 5 g do pó por litro.
- 10 a 15 g de flores em 1 litro de água fervente. Esfriar e coar. Tomar 3 a 4 xícaras de chá ao dia. Para combaterafecções bucais, fazer bochechos com o infuso.
Uma colher das de sopa de flores em 1 caneca de água quente. Abafar por 10 minutos. Tomar 3 xícaras das de chá ao dia (digestivo, sedativo e emenagogo).
Compressa ou ablução anal: para hemorróidas
Pó: 2 a 6g/dia.
Tintura: 10 a 30ml/dia.
elixir, , vinho e xarope: 40 a 120ml/dia.
Vinho: macerar por 5 dias 3 xícaras das de chá de flores em 1 litro de vinho branco, agitando 1 vez ao dia. Coar e tomar 1 cálice 3 vezes ao dia, iniciando uma semana antes da data prevista para a menstruação (emenagogo).
Loção: deixar em banho-maria durante 3 horas 1 xícara das de café de flores em 1 copo de azeite. Coar e aplicar topicamente sobre assaduras e queimaduras do sol. Pode ser também usado topicamente em dores de ouvido e nevralgia.

Outros usos: chá das flores para clarear o cabelo. Coloque 1 xícara de café de flores em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver durante 5 minutos. Em seguida, enxágue com agua corrente.
Aromaterapia : Trabalha o desapego e a independência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário