Google+ Followers

domingo, 22 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: BRIÔNIA - Bryonia dioica


Descrição : Família das Cucurbitáceas. É planta trepadeira de raiz tuberosa, muito grande, caules híspidos, angulosos, finos ásperos e com gavinhas espi-raladas muito compridas; folhas pecioladas, cordiformes, alternas, palmadas ou subpalmati-fendidas, com 5 lóbulos de segmentos triantulares ou oblongos, aguçados e sinuados, revestidos de pêlos ásperos nas duas páginas; flores verde-amareladas, todas dispostas em pequenos racimos axilares, fruto baga glo-bosa, vermelha, pequena, contendo 4 a 6 sementes envoltas em polpa mucilaginosa. Sua raiz tem péssimo cheiro, mas constitui um purgativo de alto valor e em alguns casos é diurética e vomitiva, sendo também empregada para a cura da hidropisia, do reumatismo, da asma úmida, da coqueluche, assim comode outras afecções, porém seu emprego deve ser muito limitado porque seu uso é muito perigoso. Essa planta contém 20% de fécula que, depois de fermentada, pode substituir a batata--inglesa, pois encerra, entre outras substâncias, a "bryoicina que é u'a matéria cristalina azotada e também^a "bryonina", glicosido formado por dois princípios amargos, porém não-azotados. A briônia irrita a pele. É originária da Europa onde tem grande cultura pelos seus dotes medicinais. Na França é conhecida como Navet du Diable e Vigne Blanche e em Portugal, onde a cultivam também chamam-se norça-branca.

Parte utilizada: raiz.

Princípios Ativos: glicosídeos (brionina), tanino, fitosterinas e resinas (briosterinas).

Propriedades medicinais: anti-reumática, laxante, diurética, vermífuga.


Indicações: usada na homeopatia para: tosse, resfriado, gripe, pneumonia, branco-pneumonia, hemoptise, dispepsia com acidez, dor de estômago, congestão hepática, diabete, apendicite, pericardite, peritonite, meningite, dor de cabeça, dor lombar, glaucoma, sarampo, inflamação dos seios, febre puerperal, diarréia, crupe, vermes, reumatismo.

Contra-indicações/cuidados: toda a planta é venenosa, por isso deve ser empregada com a máxima prudência. Usar somente sob prescrição médica.
As raízes e bagas contêm brionicina, que causa diarréia e enrijecimento tetânico; vinte bagas é uma dose mortal.

Modo de usar:
- cataplasma : aplicar 30 gramas da raiz fresca e esmagada em uma gaze. Não se fazer uso constante e prolongado desta cataplasma , pois pode provocar graves irritações na pele;
- vinho: macerar 60 gramas da raiz cortada em pedaços pequenos em um litro de vinho de boa qualidade. Deixar 24 horas, filtrar o vinho e colocá-lo em uma garrafa, tomando uma colher antes das refeições principais: diurético, reumatismo;
- infusão de 3 gramas do pó da raiz seca em meio litro de água fervente. Deixar esfriar e filtrar com um tecido e beber em duas vezes: prisão de ventre, vermes;
- unguento: cozinhar, em pouca água, 20 gramas da raiz esmagadas. Misturar com vaselina. Aplicar sobre a região afetada: reumatismo.

3 comentários: