Google+ Followers

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: BATATA DE PURGA - Ipomoea purga


Descrição : Da família das Convolvulaceae. Também conhecida como jalapa, jalapão. jalapa do Brasil. Planta herbácea, de caule trepador, purpúreo, glabro, quadrangular, desprovido de gavinhas, atingem até 4m de comprimento. O rizoma é afilado, leitoso, com cerca de 5cm de comprimento e tuberosidades com raízes secundárias.Folhas alternas de 9cm de comprimento por 5cm de largura, pecioladas, cordiformes, lisas e muito chanfradas na base, acuminadas, ver-de-escuras na página superior e, esbranquiçadas na página inferior. As flores são solitárias, ocasionalmente 2, pedunculadas, 5 sépalas, pétalas fundidas Amarelas de 7cm de comprimento e 5 estames. O fruto é uma cápsula ovóide com 4 sementes.

Parte utilizadas : Raiz tuberosa.

Habitat: Originária.do México, aclimatada no Brasil, aparece espontaneamente em capoeiras e pastos do Centro-Sul do país..

História: Faz parte das Farmacopéias Homeopática e Chinesa.

Princípios Ativos: ácido caféico, convolvulina, jalapina, ácido jalapinólico, resina, escopoletina, amido, ácido valérico.

Propriedades medicinais: analgésica, antiinflamatória, depurativa, diurética, energético, febrífuga, laxante, purgativa.

Indicações: congestão, hemorragia (cerebral, pulmonar), hidropsia (cardíaca, renal), prisão de ventre. O uso popular abrange ainda o tratamento de edemas, inflamações, dor de cabeça e febre.

Contra-indicações/cuidados: Planta drástica, deve ser usada somente em casos que justifiquem sua toxicologia. Efeitos colaterais:
Frequentemente aparecem náusea, dores espasmódicas e gastroenteríte. Não se recomenda seu uso sem supervisão de profissional gabaritado. Em caso de ingestão excessiva deverá ser feito o esvaziamento gástrico, com sonda nasogástrica em sifonagem e tratamento sintomático.

Planta com efeitos tóxicos, é contra-indiada para crianças, gestantes e lactentes. Por seu efeito drástico, às vezes necessário, é usado na medicina popular.

Modo de usar:
- raízes (tubérculos): 2 gramas de pó em uma xícara de chá de água fria 2 vezes/dia: purgativo;
- raízes (tubérculos): 2 colheres das de sobremesa num cálice d’água de uma só vez: purgativo drástico nas As hidropisias cardíacas ou renais, as congestões, inflamação e hemorragias cerebrais ou pulmonares, que requerem uma descarga;
- raízes (tubérculos): 1 colher das de sobremess num cálice d´água de uma só vez, ao deitar: laxativo;
- folhas e flores: prisão de ventre, laxativo energético, pugativo e depurativo.
- pó da raiz:de 0,1, 0,4g/dia;
- tintura de 0,5, 2ml/dia;
- extrato fluido de 0,1, 0,4ml/dia.

Farmacologia: Devido à quantidade de glicoretinas que contém, tem efeito laxativo, especialmente no intestino delgado. Há referências a seu uso como anti-helmíntico, talvez por seu efeito no intestino delgado, mas não há estudos que referendem tal uso.

Posologia: Adultos: 5g de tubérculos (2 e 1/2 colheres de sopa) em decoccto 2 vezes ao dia como laxativa, resolutiva, hemostática e regularizadora; 10g de tubérculos (5 colheres de sopa) em decocto como purgativa drástica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/

2 comentários:

  1. onde este texto foi pesquisado? gostaria de saber o nome do livro.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, obrigado por ter me lembrado.
      Ando esquecendo de colocar a fonte do texto nas postagens.
      Vou ter trabalho, mas irei colocar em todas.
      A origem:

      http://www.plantasquecuram.com.br/

      Abraxos

      Excluir