Google+ Followers

domingo, 24 de julho de 2011

Amy Winehouse morre aos 27 anos


Intensamente e loucamente, no espírito rock and roll. Assim pode-se definir a trajetória de Amy Winehouse. Neste sábado (23), a cantora foi encontrada morta em sua casa em Camden, na Inglaterra.

A notícia foi confirmada pela polícia local. O resultado da autópsia deve ser divulgado no domingo.

Segundo a polícia britânica, o serviço de ambulância foi chamado às 4 horas da manhã: "A unidade foi chamada após relatos de uma mulher morta. Na chegada, os oficiais encontraram o corpo de uma mulher de 27 anos de idade, que foi declarada morta no local. Ainda não foram identificadas as circunstâncias da morte. Nesta fase inicial está sendo tratada como inexplicável".

OPINIÃO: Amy, uma estrela que não aguentou seu brilho

A cantora, de 27 anos, tinha a saúde fragilizada devido aos problemas com drogas e álcool. No mês passado, ela chegou a abandonar uma turnê pela Europa após ter sido vaiada durante show na Sérvia por estar bêbada demais. Amy mal conseguia cantar e deixou o palco várias vezes no meio do concerto.


Seu último momento em um show foi na quarta-feira (20). Amy fez uma participação surpresa no concerto de Dionne Bromfield, em Londres.

Winehouse subiu ao palco com Dionne e, apesar de não cantar, dançou e pediu aplausos do público para a jovem cantora, apadrinhada por ela desde 2008.

No início do mês, amigos contaram que Amy voltou a beber exageradamente. Ela teria sofrido três desmaios por consumir vodca demais. "Seu consumo está totalmente fora de controle”, afirmou uma fonte próxima à cantora.

Amy esteve no Brasil em janeiro deste ano, para shows em São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis e Recife. Com apresentações curtas e sem empolgar, a cantora deixou a impressão de estar fora de forma, ainda mais depois de ficar mais de um ano sem turnês.

Nascida em Londres, no dia 14 de setembro de 1983, o estilo de Amy era inconfundível. Com visual anos 1960 e voz no melhor estilo R&B, lançou somente dois álbuns. Em 2003, a estreia aconteceu com "Frank". Porém, estourou mesmo com o excelente "Back to Black". Foram cinco Grammys pelo trabalho.


Por falar em R&B, foi Amy a grande responsável por recriar o estilo, até então um pouco esquecido na história. A cantora soube juntar boas letras, com grande qualidade musical e mais seu inconfundível estilo e pronto. Era questão de tempo para ganhar o sucesso.

Na mesma proporção vieram os escândalos e o uso abusivo de drogas. O relacionamento com Blake Fielder-Civil foi prato cheio para os tabloides. A família de Amy acusava o rapaz de ser o grande responsável pela decadência da cantora. Fato era que Amy era muito mais emoção do que razão, e não conseguiu enxergar o mal que Blake lhe fazia - ou não queria enxergar.

No fim de 2009 ela iniciou um longo (porém conturbado) tratamento contra as drogas e o alcoolismo. No segundo semestre de 2010, começou a trabalhar novamente em seu terceiro álbum, que acabou não lançado até o momento. Segundo a gravadora, as músicas não estavam boas o suficiente e era preciso melhorar bastante.

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com

...

Acredito que em vários sites e blogs todos encontraram esta notícia...
Eu quis postar, porque acho um história muito triste...
Uma moça bonita, inteligente, talentosa, com tudo para dar certo que infelizmente se perdeu no álcool e nas drogas...
Mais uma entre tantas outras...
Mas, não se pode olhar para trás, chorar por águas derramadas, por isso vamos ver esse exemplo e tentar de alguma maneira viver a vida e enfrentar seus problemas sem se refugiar nas drogas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário