Google+ Followers

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Saiba como combater as pulgas nos pets


Se você já percebeu que seu pet anda irritado, se mordendo e arrancando pêlos, cuidado! Ele pode estar com pulgas. Essas parasitas causam desconforto e lesões. Os animais mais sensíveis sofrem ainda com forte reação alérgica.

A veterinária Flávia Guiselini de Souza, 27 anos, explica que o sangue do animal é essencial para a sobrevivência das pulgas, tanto para se alimentar quanto para a maturação dos ovos. “Uma fêmea chega a colocar cerca de 30 ovos por dia e eles geralmente caem no solo do ambiente aonde o hospedeiro (animal) vive, como fendas no assoalho, tapetes e outros locais. Pode se dizer que para cada pulga encontrada no corpo do animal, existem 10 no ambiente onde ele vive”, afirma.

Higienização/ Cida Redecopa, 55 anos, tem dois cachorros infestados de pulgas. Há três meses ela tirou o Lilico das ruas, e há 20 dias apareceu a Mariquita, que ela também fez questão de cuidar. Dona Cida reparou que ambos estavam com lesões no corpo e não paravam de se coçar. Sem saber o que fazer, achou que um banho com shampoo resolveria. “Eu sempre tento deixá-los bem limpos e até veneno eu já cheguei a usar quando descobri que o problema era as pulgas”. O que a dona Cida não sabia é que no quintal também se proliferam os parasitas. Por isso, a situação piorou quando Cida iniciou uma reforma na casa. A veterinária Flávia conta que em lugares em construção há o pior foco de infestação de pulgas e carrapatos, porque os cachorros adoram subir nos montes de areia.

Para dedetizar o ambiente, recomenda-se aplicação de produtos anti-pulgas da linha veterinária. Bastam duas aplicações com intervalos de 15 dias, ou uso semanal, no ambiente. Durante a higienização do ambiente, o dono do pet também deve retirar o animal do local por 48 horas, no mínimo. Paralelo a esse processo, banhos anti-pulga semanais e aplicação de produtos anti-pulga tópicos de longa duração podem ajudar na remoção total da praga.

“Para um combate eficiente precisamos levar em conta o tipo de ciclo de vida da pulga. Como ela tem um estágio de amadurecimento no ambiente, é necessário tratarmos o ambiente e também o animal” explica. De acordo com a profissional, as formas jovens da pulga são muito pequenas, portanto mesmo que não as vejamos, é preciso tratar a casa também, principalmente nos locais onde o animal passa mais tempo.


Ciclo
A vida de uma pulga é curta. Elas vivem geralmente quatro meses, mas esse período pode se prolongar até um ano e meio dependendo da espécie, da temperatura e umidade do ambiente, e do animal que se alimenta. A temperatura também influência no desenvolvimento da pulga antes da forma adulta. Quanto mais quente, mais rápido ela evolui. O desenvolvimento completo, até se tornar adulta, gira em torno de um mês no verão. No inverno o ciclo pode levar meses.

Ataque em cães, gatos e homens
Não existe diferença das pulgas que atacam os cães das dos gatos. A espécie chamada Pulex irritans é a que preferencialmente parasita o homem, embora também possa se alimentar de outros hospedeiros.

Bicho-de-pé e de patas também!
Outra parasita que também tem como hospedeiros o homem, o cão, o gato e até o porco é chamada Tunga penetranso, mas é mais conhecida como "bicho-de-pé". Essa espécie se prolifera em solos arenosos e no homem, ela penetra principalmente pelo pé, calcanhar e no canto dos dedos (dos pés e das mãos).

COMO PREVENIR

- Banhos antipulgas frequentes (quando for possível)
- Uso de produtos anti-pulgas de longa duração em gotas para aplicar topicamente
- Tratar animais e ambiente ao mesmo tempo
- Borrifar ou aspergir periodicamente produtos antipulgas nas casinhas dos cães e no chão onde eles vivem. Camas, tapetes ou cobertores de uso dos animais devem ser lavados com sabão em pó com freqüência
- Evitar o uso do carpete em casas que têm animais. Pisos frios e bem rejuntados, sem frestas, evitam a proliferação das pulgas
- Tosar os animais nas épocas mais quentes;
- Alguns locais, como praças, canteiros e jardins, podem ter focos de pulgas, por serem freqüentados por muitos animais. Se você perceber que o cão volta se coçando dos passeios, evite esses locais.
- Corte sua grama regularmente.
- Evite que animais estranhos entrem em seu quintal.

Patrícia Lacerda
patricia.lacerda@bomdiarede.com.br

Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário