Google+ Followers

sábado, 18 de maio de 2013

O que você quer ser quando crescer?


Uma conceituada escola de ioga espalhou, por suas paredes, diversos cartazes, mostrando praticantes em posições consideradas difíceis ou até impossíveis para a maioria das pessoas.

Eram fotos de fazer inveja a qualquer aluno ou admirador da prática oriental. Foram tiradas de praticantes de várias partes do mundo e todos com muita experiência e anos e mais anos de exercício.

Visivelmente se percebia que todos os iogues estavam num estágio diferente de vida, de compreensão das coisas e controle do corpo.

E o mais interessante é que, abaixo de cada grande imagem, havia uma inscrição que se repetia: O que você quer ser quando crescer?

* * *

Fazer tal questionamento a adultos é levá-los a profundas reflexões íntimas, certamente.

Viver sem objetivos maiores, sem almejar ser mais do que já se é, assinala um certo tipo de morte moral, um morrer antes mesmo do fim da existência corporal.

Assim, todos precisamos vislumbrar algo maior e buscá-lo, mesmo que esse anelo esteja a vidas e vidas de distância.

É o caminhar em direção às conquistas da alma que nos faz grandes, ou, crescidos.

Ser conduzido pela vida, pelos acontecimentos, como um barco à deriva, é parar no tempo, é desistir da felicidade.

Precisamos almejar o crescimento e trabalhar por ele diariamente.

O praticante de ioga, como no exemplo trazido, ao vislumbrar as conquistas incríveis de alguns poucos no mundo, inspira-se nelas e segue em frente, pois está no caminho da iluminação, assim, já está sendo iluminado.

Compara-se consigo mesmo e analisa:

Onde eu estava, onde eu estou agora – percebendo o crescimento – e aonde eu desejo chegar – programando a mente para o futuro.

Sim, a mente precisa ser programada e, em alguns casos, reprogramada. É através da ideia construída do pensamento que conseguimos realizar as grandes obras do mundo e do Espírito.

Vale a pena repetir esse questionamento de tempos em tempos: O que eu quero ser quando crescer? Onde quero chegar nesta vida?

* * *

Pensemos nisso:

Pensemos no que desejamos alcançar, colocando sempre em primeiro plano as conquistas da alma. São as mais importantes. São as que levamos conosco.

Antes de sermos invadidos pelo desânimo, pela preguiça, imaginemo-nos lá, onde desejamos estar. Aproveitemos a sensação de plenitude e nos deixemos inundar por ela. Isso nos dará forças para não desistir.

Lembremos que muitos já conseguiram alcançar esse patamar, entendendo a lei de progresso na qual todos nós, Espíritos imortais, estamos inseridos.

Assim, ele não é impossível.

Não é impossível nos livrarmos da inveja, do egoísmo, do orgulho e do ódio. Leva tempo. Custa dedicação e disciplina, mas é totalmente possível.

Os que vieram antes, os que alcançaram graus de perfeição elevados, como Jesus, são a prova de que todos podemos chegar lá.

A perfeição é conquista da alma. Conquista de muito tempo e trabalho.

Perfeitos – é o que precisamos desejar ser quando crescermos. Construindo esse estado futuro na realidade e possibilidade de cada dia. Dia após dia.



Redação do Momento Espírita.
Em 26.4.2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário