Google+ Followers

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Crise força o retorno de 400 mil brasileiros em cinco anos





A crise econômica mundial associada a problemas específicos em alguns países, como o terremoto seguido de tsunami no Japão (em 2011), provocou o retorno de 300 mil a 400 mil brasileiros que estavam no exterior para o Brasil. Os números são do Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, e referem-se ao período de 2007 a 2012. A estimativa é que cerca de 2,5 milhões de pessoas vivem fora do país.


Os brasileiros voltaram, principalmente, do Japão, da Espanha, de Portugal, da França e dos Estados Unidos, além do Paraguai. Porém, o Itamaraty informou que os dados são baseados em estimativas, pois vários estão em situação ilegal, o que dificulta a precisão das informações.

O único país, segundo o Itamaraty, que é exceção é o Japão, pois todos os imigrantes são cadastrados pelo governo japonês. De 2007 a 2012, o número de brasileiros no país caiu de 313 mil para 193 mil. A avaliação é que a crise econômica e o terremoto seguido de tsunami no Nordeste do Japão, agravado por explosões e vazamentos nucleares, em março de 2011, tenham provocado o retorno.

De acordo com o Itamaraty, foram eliminadas ações consideradas discriminatórias em relação a brasileiros no exterior, como era o caso da Espanha até o ano passado. Negociações entre autoridades brasileiras e espanholas, segundo o ministério, acabaram com essas barreiras.

A diretora do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior, Luiza Lopes da Silva, disse hoje (27) que os problemas de impedimento fora do país, quando ocorrem, são pontuais. Em geral, segundo ela, são questões relativas à adequação de documentos. A diplomata acrescentou que a preocupação do governo é dar condições para que todos os que retornam do exterior tenham condições de se reinserir na sociedade e no mercado de trabalho.

“No momento que o imigrante volta não acaba o problema. O retorno do imigrante não é fácil porque os caminhos que ele pode percorrer [para se readaptar à vida no Brasil] não são divulgados. De uns anos para cá, estamos fazendo esforços para levar essas informações ao exterior. Estamos fazendo a divulgação desses dados”, disse Luiza Lopes.

Fonte: Alternativa Online

2 comentários:

  1. Isso é uma situação preocupante. Familias que já estavam enraizadas, empregadas e acostumadas a um ritmo de vida não é nada fácil na hora de retornarem ao Brasil, pois aqui essa reentrada para o trabalho pode demorar muito tempo. Como sempre o povo pagando pelo que os poderosos trambicam no poder. Vilson, estou viajando esta semana e se der tempo vou responder ao teu email tá? Boa semana prá ti amigo e beijinhos nos filhinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amiga...
      Sempre o povo que paga...
      Mas, tudo é aprendizado não é mesmo?!
      Mas, é difícil e triste...
      Boa viagem...
      Acho que já deve ter voltado.. rs
      Ando correndo muito estes dias...
      Beijos

      Excluir