Google+ Followers

sábado, 22 de setembro de 2012

Em busca da felicidade


Se questionarmos um grupo de pessoas acerca do que significa ser feliz, obteremos respostas as mais diversas.

Alguns dirão que ser feliz significa ter uma vida confortável, sem preocupações financeiras. Outros dirão que a presença dos familiares e amigos já é suficiente para nos trazer felicidade.

Outros, ainda, poderão dizer que ser feliz é encontrar um grande amor, alguém com quem possa dividir os momentos de alegria e os de tristeza. E outros mais dirão que uma saúde perfeita é o que basta para a felicidade.

Outras respostas poderíamos enumerar, sem podermos afirmar qual delas é a mais correta ou a menos errada, pois que não há uma resposta em definitivo.

O Evangelho segundo o Espiritismo, em seu capítulo quinto, nos apresenta a máxima A felicidade não é deste mundo.

Alguns poderiam pensar que tal ensinamento é uma barreira às esperanças que todos temos de encontrar a felicidade verdadeira. Porém, não é esse o propósito da sentença.

Essa verdade traz luz à grande diferença que há entre buscar uma felicidade, por vezes, utópica e ser feliz de verdade.

Há tantos que depositam suas esperanças de felicidade nas ilusões que o dinheiro e as posses materiais podem oferecer.

Passam a vida trabalhando para conquistar um império financeiro e mal percebem o quanto são escravos.

De repente, quando se dão conta, os filhos já cresceram, os pais já partiram, as amizades já se desfizeram e, nesse momento, nem toda a riqueza acumulada é suficiente para lhes trazer a tão sonhada felicidade.

Esquecem-se de que muitas pessoas são verdadeiramente felizes morando em casas singelas, com vidas financeiras limitadas.

A felicidade, portanto, não pode estar nos bens materiais.

Há outros que buscam a felicidade em um grande amor: Quando eu encontrar aquela pessoa especial, serei feliz, dizem eles.

Mas quantas pessoas têm um companheiro ou companheira ao lado e não são felizes? E quantos mais há que, mesmo estando solteiros, possuem sempre uma alegria nos olhos?

Assim, a felicidade não pode estar no outro.

Então, onde encontrar a felicidade? Como ser feliz?

A máxima do Evangelho nos ensina que a felicidade verdadeira é uma conquista do Espírito, pois que todos nós fomos criados para a felicidade eterna.

Tudo o que necessitamos para sermos felizes está em nossos corações.

* * *

Se hoje você se decidir por ser feliz, não há nada que possa impedi-lo, a não ser você mesmo.

Então não deixe para amanhã: brinque, sorria, valorize as coisas simples. Acompanhe o crescimento dos filhos, abrace, aperte a mão de quem lhe quer bem.

Não guarde mágoas e deixe no passado qualquer sentimento de culpa. Não se entregue à autopiedade.

Seja otimista. Vibre com as conquistas. Valorize o presente. Planeje o futuro.

Organize-se. Reserve um tempo para você. Reserve um tempo para a família. Reserve um tempo para obras sociais.

E lembre-se: Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.



Redação do Momento Espírita, com base no
item 20, do cap. V, do livro O Evangelho segundo o
Espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 24.07.2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário