Google+ Followers

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Confira tudo que rolou na WWDC 2011 e conheça o iOS 5, iCloud e Lion

Em seu tradicional keynote de abertura Worldwide Developers Conference (WWDC) na segunda-feira passada (06/06), Steve Jobs apresentou todas as novidades que a Apple tinha prometido: Mac OS X Lion, o iOS 5 e o iCloud.

Steve Jobs no palco da WWDC 2011 (Foto: Reprodução: Engadget)

"Teremos uma manhã incrível juntos hoje. Muitíssimo obrigado por terem vindo", diz Jobs. "Temos coisas ótimas para falar: OS X Lion, iOS 5 e um um serviço na nuvem muito interessante"

Tudo começará com o OS X Lion, com Phill Schiller, vice-presidente de marketing de produtos da Apple, apresentando a nova versão do sistema operacional para Mac. "Temos mais de 54 milhões de usuários de Mac pelo mundo", diz Schiller.

Enquanto o mercado de PCs diminui 1% ao ano, o de Macs sobe 28%, melhorando a cada trimestre nos últimos cinco anos. As informações são da Apple. "Eles são ótimos não só por causa do hardware, mas também pelo software que eles rodam".

O Lion terá mais de 250 novas funções, e a Apple mostrará apenas dez hoje. O primeiro: gestos com multitouch em notebooks. O esquema é semelhante ao do iPhone: aproxima a tela com dois toques ou ao fazer o movimento de pinça. "Barra de rolamento? Quem precisa delas", diz Schiller.

A segunda novidade são os aplicativos rodando em tela cheia, como acontece com programas no iPad e iPhone. E, podemos notar, também parecido com o que a Microsoft propôs com o Windows 8. Há um novo controle no canto superior direito da janela para deixar os aplicativos em tela cheia.

Outra função nova é o Mission Control (ou "Controle de Missão", em português). Ele mostra todos os seus aplicativos e documentos abertos, mostrando em uma tela só pequenas janelas com miniaturas (em tempo real) de cada programa aberto.

Craig Federighi, vice-presidente de software para OS X, está no palco para mostrar um pouco do Lion em ação. Ele mostra os comandos multitouch (utilizando o trackpad do MacBook), com funcionamento bem semelhante ao do iOS. Federighi demonstra o novo Photo Booth, com alguns efeitos divertidos para utilizar com a webcam do Mac em "realidade aumentada".

Dá para acionar o comando no canto superior direito para criar um novo Espaço, podendo organizar mais janelas.

Phill Schiller está de volta para falar sobre a Mac App Store, a loja de aplicativos para o OS X. "É o melhor lugar para comprar e descobrir novos apps para Mac. Você pode pegar seu software no conforto de sua casa", diz Schiller. Segundo a Apple, a App Store para Mac é o canal "número 1" em vendas de programas para PC, na frente da Best Buy, Walmart e outras lojas. O aplicativo da App Store agora está embutido no Lion, incluindo notificações push e um modo sandboxing para melhorar a segurança.

Launchpad (Foto: Reprodução: Engadget)

Agora, outra novidade do OS X Lion: o Launchpad. Se você fizer um gesto de pinça, todos os seus aplicativos aparecem em uma grade, como no iOS.

Mais uma nova função: Resume. Com ela, não é preciso mais ficar tendo que carregar um documento em um aplicativo de novo após ter fechado. Agora, quando se abre o programa, ele volta para o ponto onde você parou. É tudo cada vez mais parecido com o iOS.

Auto-save (Foto: Reprodução: Engadget)

Outra novidade interessante é o Auto-save. Como o nome diz, ele salva automaticamente o arquivo que está sendo editado sem precisar que você fique o tempo todo se preocupando com isso. Mais uma vez, é exatamente como funciona o sistema operacional do iPhone, iPod touch e iPad.

Claro, a Apple mostra uma opção para você desligar a função ou simplesmente voltar para a versão que havia modificado antes. É possível também duplicar um documento, como o recurso de "Salvar como" no Windows. O sistema carrega apenas as modificações salvas, economizando assim espaço e a necessidade de ficar procurando por inúmeras versões de cada arquivo.

O sistema está sendo demonstrado no palco. Basicamente, com o novo recurso você jamais precisará se preocupar em ficar salvando um documento o tempo inteiro, ou mesmo a cada modificação. Dá até para copiar e colar trechos entre cada versão. O OS X está ficando cada vez mais parecido com o iOS. Será que um dia teremos a unificação dos dois sistemas?

AirDrop (Foto: Reprodução: Engadget)

Mais um recurso inédito: AirDrop. É um recurso que permite compartilhar arquivos utilizando a nuvem, em vez de ficar passando pendrives de máquina em máquina. Para compartilhar, basta arrastar o arquivo ao usuário que se deseja. Ele recebe uma notificação e já pode começar a baixar. Não há necessidade de configuração alguma, é simples de usar, segundo Schiller.

A última novidade do Mac OS X Lion demonstrada hoje na WWDC é uma nova versão do Mail. Com o novo Mail, há um modo de visualização em três colunas, sugestões na hora de buscas (com reconhecimento inteligente de assuntos ou pessoas).

Agora, há um sistema de mensagens agrupadas, como acontece com o aplicativo online do Gmail. Há também uma barra de favoritos, para organizar seus contatos e conversas. E tudo pode ser feito com o touchpad em comandos com gestos. É possível procurar por pessoas, assuntos ou por data - ou ainda combinar os três parâmetros. Os resultados escondem as respostas e mensagens repassadas que são redundantes.

Novos recursos do OS X Lion (Foto: Reprodução: Engadget)

Phil Schiller diz que são os dez melhores recursos do novo OS X, mas há muito mais, como assistente de migração a partir do Windows, FileVault 2, FaceTime embutido, servidor Lion e mais. Tudo isso agora de forma muito mais fácil: basta fazer a atualização pela App Store, não há mais a necessidade de discos de instalação. São 4GB de download, sem reinicialização e com licença para utilização em "todos os seus Macs pessoalmente autorizados". O preço disso tudo? US$ 29.99!

Agora, Scott Forstall, vice-presidente senior de software para o iOS, sobe ao palco para falar sobre o iOS 5.0, que equipa o iPhone, iPad e iPod touch. É um dos momentos mais aguardados da apresentação! Forstall apresenta estudo da Comscore colocando a Apple em primeiro, com o Android em segundo.

Ele fala um pouco sobre o iPad 2, descrevendo-o como um "produto fantástico". Foram 200 milhões de produtos iOS vendidos. Mais de 25 milhões de iPads desde o original, há 14 meses. O sistema móvel da Apple teria participação de mercado de 44%, contra 28% do Android, 19% para BlackBerrys e 9% para o restante.

Foram 15 bilhões de músicas vendidas pela iTunes Store e 130 milhões de livros pela iBookstore.Mais de 14 bilhões de aplicativos foram baixados na App Store, ao todo, que disponibiliza 90 mil apps só para iPad. Foram US$ 2,5 bilhões só para desenvolvedores, segundo a Apple. São 225 milhões de contas na App Store, todas com cartões de crédito vinculados para compras com apenas um clique.

Novo sistema de notificações (Foto: Reprodução: Engadget)

Agora, Forstall fala das novidades relacionadas ao iOS 5.0. O primeiro é, como muitos suspeitavam, um novo esquema de Notificações! Bruno: Entre as 200 novas funções, a de Notificações era uma das mais esperadas. "Fizemos algo para solucionar alguns dos problemas atuais", diz Forstall.

O sistema atual é intrusivo, interrompendo atividades importantes - ou mesmo uma partida em um game. Isso tudo agora está mudado, com o Centro de Notificações, que agrega todos os avisos e pode ser acessado ao deslizar o dedo pelo topo da tela - sim, um recurso bem parecido com o esquema atual do Android.

Se você estiver em um app e recebe uma notificação, uma animação aparece no topo da página com um resumo e logo desaparece. Não é tão chato quanto o antigo esquema e parece ser bem mais prático. Ele também aparece na tela de travamento, podendo acessar diretamente o aplicativo ao tocar na notificação. Para fechar algumas notificações, basta tocar no pequeno "X" que se encontra ao lado de cada função. Não há sinal de um recurso para fechar todas de uma só vez, aparentemente.

O novo sistema de "assinaturas" dentro de aplicativos de periódicos, como jornais e revistas se chama Newsstand. Agora, esse novo app agrupa todas as publicações em uma só estante, semelhante a do iBook. Novas edições agora são baixadas automaticamente, inclusive estando disponíveis para leitura offline.

Integração com o Twitter (Foto: Reprodução: Engadget)

Mais um rumor vai se concretizando com o anúncio da 3ª nova função: Integração com o Twitter. "Queremos fazer com que todos os nossos consumidores possam utilizar o Twitter facilmente em todos os produtos iOS", diz Forstall. Basta fazer o login dentro do sistema e você está pronto para utilizar em qualquer aplicativo que o requisitar.

Até mesmo os aplicativos de vídeos e fotos agora possuem integração com o microblog, adicionando arquivos anexos de maneira muito fácil. Dá para integrar até com os contatos, mandar links e textos a partir do Safari e localizações pelo Maps.

Outra funcionalidade: o navegador Safari. Há um novo botão para o Safari Reader, na barra de endereços. Agora você pode colocar um site em tela cheia de maneira mais fácil. Muito útil principalmente para as telas menores do iPod e do iPhone. A Reading List é uma espécie de agregador RSS para o Safari, com uma funcionalidade parecida com o Read It Later.

Mais uma novidade esperada ansiosamente por usuários: agora o navegador possui abas, deixando-o parecido com o Safari para desktop (ou os demais browsers, como o Chrome e Firefox). Forstall mostra até 20 abas simultâneas abertas. Mudando para o modo Reader, todo o conteúdo é apresentado em apenas uma visualização. E, claro, há integração com o Twitter.

Reminders (Foto: Reprodução: Engadget)

O próximo recurso é o Reminders, algo como as notinhas de papel que preenchem qualquer mesa de escritório. Com o app é possível colocar lembretes para qualquer data, até com uma localidade adicionada. O aplicativo inclusive sincroniza entre todos os aparelhos, o que é ótimo para quem tem iPhones e iPads em casa.

Nova função: melhorias no app da câmera. A popularidade do iPhone 4 é tanta que ele é o aparelho mais utilizado (entre câmeras comuns também) no Flickr. Agora, o botão da câmera está também na tela de bloqueio. Com isso, é possível tirar fotos mesmo sem desbloquear (não é sequer necessário colocar a senha, caso você utilize o recurso). E o melhor: poderá utilizar o botão de aumentar o volume para tirar fotos! Esta novidade é algo pedido há muito tempo pelos usuários e ganha muitos aplausos da platéia.

Também há agora configurações de exposição para as fotos, com recurso de pinça para aplicar zoom. É possível até fazer uma edição rápida, com corte (crop), diminuir os olhos vermelhos e mesmo um recurso de melhoria automática das imagens. Adeus, Photoshop!

Outra função revitalizada: Mail. Agora há formatação em rich-text, controle de indexação, endereços que podem ser arrastados (como o Para: CC: ou BCC), busca por mensagens completas, recurso de sinalizar mensagens, navegação segura S/MIME e dicionário embutido, que esperamos que seja melhor do que o atual corretor (alvo de reclamação de muitos brasileiros).

Novo teclado virtual (Foto: Reprodução: Engadget)

Há também um novo tipo de teclado virtual que pode ser dividido na tela de maneira ergonômica: mais uma vez, recurso quase idêntico ao mostrado pela Microsoft na semana passada na apresentação do Windows 8. De qualquer maneira, é um recurso muito bem vindo para quem digita mais com os polegares, principalmente no iPad.

PC Free (Foto: Reprodução: Engadget)

Agora uma novidade muito aguardada: PC Free. Com o iOS 5, não haverá mais necessidade de cabos para conectar e sincronizar os aparelhos iOS aos computadores a todo instante. "Sabemos que estamos vendendo [produtos] para vários lugares que não têm computadores", diz o executivo. Agora, você vai comprar um iPhone (ou qualquer outro iOS) e ele vai mostrar uma tela de "Boas vindas", em vez da irritante figura que exige a ativação do aparelho pelo iTunes.

Mais uma novidade é a atualização de sistema "pelo ar", ou seja, baixando pelo próprio aparelho. Os calendários podem ser editados, inclusive deletados. Pastas de fotos e de e-mail também. Basicamente, muito mais coisas podem ser feitas sem a necessidade de conectar o aparelho a um computador.

Mais uma novidade do novo iOS: melhorias no Game Center. A Apple diz que há 50 milhões de usuários em nove meses de implantação, enquanto a Xbox Live tem 30 milhões em oito anos. Aliás, a empresa diz que é a plataforma número 1 para videogames.

Agora, o Game Center pode mostrar placares de amigos, além de recomendações de jogos e de contatos. Aliás, dá até para baixar jogos diretamente no aplicativo. É possível também jogar games em turnos com os amigos.

Nova função: iMessage. "Acredito que já temos o melhor cliente de mensagens para o iPhone. Funciona tremendamente bem para mandar mensagens e fotos e nossos clientes adoram - mas nossos usuários de iPhone. E quanto aos que têm iPad e iPod touch?", diz Forstall. Agora, o app está disponível para essas outras plataformas também, inclusive se comunicando independente de que aparelho iOS o contato esteja usando.

Novidades do iOS 5 (Foto: Reprodução)

O usuário recebe o aviso pelo novo sistema de notificações e pode iniciar o bate papo. Há inclusive um recurso que mostra se o outro contato está digitando a mensagem no momento. É basicamente um comunicador instantâneo, como o Windows Live Messenger (popular MSN) e o Skype. Funciona tanto pelo Wi-Fi quanto na rede 3G. O app conta com o sistema push, e também é possível para anexar fotos ou vídeos ao clicar no ícone de câmera.

Estes são apenas os dez melhores novos recursos do iOS 5, um sistema que conta com mais de 200 novidades incluindo o AirPlay com duplicação de tela, que permite transmitir a tela do iPad direto na TV sem a necessidade do adaptador HDMI. Você poderá sincronizar sua biblioteca de músicas do iTunes por Wi-Fi também, como era de se esperar. Uma grande novidade já esperada há muito tempo.

Há novos gestos multitarefas para a transição entre aplicativos. O kit de desenvolvedor (SDK) estará disponível ainda nesta segunda-feira. Para os consumidores finais, o software estará disponível no outono (primavera aqui no Brasil). O iOS 5 vai rodar nos mesmos aparelhos da última versão, começando pelo iPhone 3GS, iPad original e iPod touch de terceira geração e incluindo todos os atuais aparelhos.

iCloud (Foto: Reprodução: Engadget)

Steve Jobs então volta ao palco para falar sobre o iCloud. "Estivemos trabalhando nisso por algum tempo já e estou bem empolgado", diz ele. Ele fala sobre como, há dez anos, percebeu que o computador se tornaria como um centralizador de nossas vidas, com fotos, músicas e conteúdo.

Jobs afirma que, durante esse tempo, tudo funcionou bem ao sincronizar com o Mac, mas que isso está defasado há algum tempo. "Manter os aparelhos em sincronia está nos deixando malucos", diz Jobs. É bem verdade. Agora, ele diz que está demovendo os computadores de serem apenas um aparelho enquanto migra tudo para a nuvem.

Todos os aparelhos podem lidar com a nuvem a qualquer hora. "Eu nem preciso tirar meus aparelhos do meu bolso", diz ele. "Algumas pessoas pensam que a nuvem é apenas um grande disco rígido no céu... Pensamos que é muito mais que isso".

"O iCloud armazena seu conteúdo na nuvem e leva, sem fios, tudo para seu aparelho. E automaticamente faz uploads, armazena e envia para os seus outros aparelhos"
Jobs reconhece que o serviço é parecido com o MobileMe, que "não foi um dos nossos melhores momentos". Os contatos serão sincronizados na nuvem para todos os aparelhos. Mude em um deles e a mudança estará presente nos demais. Você vai poder inclusive compartilhar calendários com outros usuários.

É possível fazer uma conta no @me.com e ter todas as mensagens de e-mail sincronizadas entre aparelhos. Tudo sem propagandas. E, enquanto o MobileMe custava US$ 99 anuais, agora o recurso iCloud está sendo oferecido grátis!

Vários aplicativos, incluindo a AppStore, terão suporte ao iCloud. Basta clicar no botão da nuvem para instalar os aplicativos no seu aparelho.

Steve apresenta um programa de backup para usuários do iCloud, que faz um backup diário via Wi-Fi, incluindo as músicas, aplicativos e livros do iBooks que você tiver comprado, além dos vídeos e fotos.

Com o iCloud você pode criar um documento no Pages e publicá-lo na nuvem, assim ele estará disponível em todos os aparelhos no qual você tenha o Pages instalado. O mesmo vale para o Numbers e o Keynote. Steve demonstra os recursos do iCloud no Keynote para iPad.

Photo Stream (Foto: Reprodução: Engadget)

Agora é a hora de um novo recurso, o Photo Stream, que fica dentro do aplicativo de fotos. Com ele, todas as fotos tiradas nos seus aparelhos com o iOS serão salvas na nuvem, e dali enviadas para os outros gadgets. As imagens ficarão salvas por 30 dias, e para guardá-las em definitivo, basta colocá-las em um álbum.

Eddy Cue, vice-presidente de serviços de Internet, sobe ao palco para fazer uma demonstração do recurso Photo Stream.

E chegou a hora do recurso iTunes in the Cloud: imagine que você comprou uma música no iPhone, mas ela não está disponível no seu iPod. A partir de agora basta clicar no botão da nuvem ao lado das músicas e discos que já tenha comprado para fazer o download para qualquer aparelho com iOS sem custo extra! Eddy Cue faz uma demonstração.

O iCloud vai ser configurado automaticamente em novos aparelhos com o iOS 5, e os clientes terão 5GB de capacidade para e-mails, o que não inclui os aplicativos, fotos, vídeos, músicas e etc.

O One more thing é o iTunes Match, um recurso que procura as suas músicas e compara com as que estão sendo vendidas na loja. Todas as que forem encontradas, ganharão um upgrade para o formato padrão da iTunes Store (256Kbps AAC, sem DRM), sem que você precise perder tempo fazendo o upload de cada música para os servidores da Apple. O iTunes Match irá custar US$ 25 por ano.

Um dos data centers do iCloud (Foto: Reprodução)

Steve mostra imagens de alguns dos data centers da Apple, que segundo ele estão "cheias de coisas caras", e prontas para receber os arquivos enviados pelos clientes através do iCloud.

Imagens: Engadget
Fonte: http://www.techtudo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário