Google+ Followers

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Um pouco sobre a saúde de minha mãe e como tudo aconteceu


Cada um tem uma forma de extravasar sua dor...
Eu tenho o costume de escrever...
A origem desse blog deu-se por causa do Cão.
Quando ele teve suas patinhas traseiras paralisadas por causa de sete hérnias de disco, pesquisei muito na Internet na época sobre o assunto.
Só encontrei artigos falando sobre a causa e o tratamento, nada pessoal, nenhum testemunho, nenhum relato... Assim, decidi abrir um blog e falar sobre minha experiência...
Sendo que é a postagem que mais tem comentários aqui no blog...
Clique aqui e veja a postagem.
Então, não preciso dizer que o objetivo maior do Blog, é tentar passar para as pessoas, ajudar de alguma forma, através de minhas experiências pessoais.
Para aliviar um pouco a dor vou escrever um pouco sobre o que estava acontecendo com a saúde de minha mãe e espero realmente que muitos leiam e vejam o que pode acontecer por causa de uma doença que muitos não se preocupam como deveriam...
Minha mãe foi diagnosticada como diabética aos 35 anos.
No começo, ela começou a fazer a dieta recomendada e tomar os medicamentos.
Mas, com o passar do tempo, ela simplesmente largou tudo...
Se achava a mulher maravilha, que nada iria acontecer com ela.
Também confesso que os problemas familiares contribuíram para que ela não pensasse em nada, além deles...
Os anos foram se passando.
Com os filhos crescidos e os problemas resolvidos, ela insistia em não ir ao médico, só pensava em trabalhar...
Eu, daqui do Japão sempre insistia para que ela fosse ao médico e sei que meu irmão, que morava com ela, também falava a mesma coisa...
Mas, minha mãe era tão teimosa como seus filhos... Tivemos a quem puxar... rs
Aos 62 anos as coisas complicaram de vez...
Para quem não sabe, a diabete é uma doença traiçoeira...
Ela dá seus sintomas, mas a pessoa geralmente vive anos achando que é um mal estar ou coisa do tipo.
Suas complicações aparecem muitos anos depois geralmente e quando chegam, chegam de uma forma que geralmente não há como consertar digamos assim.
Clique aqui e veja este artigo bem interessante que explica sobre a diabete.
A primeira complicação que ela teve, foi a paralisação dos rins, Nefropatia diabética, e ai teve que começar a fazer hemodiálise dia sim, dia não, até que mudou para outra clínica que fazia três vezes por semana.
Clique aqui e saiba mais sobre a Nefropatia diabética.
Quem conhece hemodiálise, sabe o quanto é complicada, dolorosa e algumas coisas mais...
No começo ela sofreu muito para se adaptar, mas com o passar do tempo, ela se acostumou.
Ela sempre amou muito a vida e como sabia que era necessário fazer as seções para que pudesse viver...
Mas, não é fácil, além das seções, sua vida muda completamente. Seus hábitos tanto alimentares como os do dia a dia como de todos a sua volta.
Após algum tempo, sua vista começou a ficar ruim, até que ela perdeu totalmente a visão...
Ela teve uma doença chamada Retinopatia Diabética que não tem cura, não tem jeito.
Clique aqui e saiba mais sobre essa doença.
Então, como podem ver, a diabete é uma doença que começa a destruir seu corpo aos poucos, sem você perceber...
Por isso há a necessidade de fazer o possível para evitá-la ou quando for diagnosticado com ela, cuide-se, porque o futuro pode ser triste...
Quem se cuida, pode viver uma vida normal, sem problemas.
Claro que cada caso é um caso, mas seguir as orientações médicas, é muito importante para seu próprio bem estar.
Minha mãe tinha outras doenças e a diabete acabou por complicá-las...
Quem faz hemodiálise, sabe que a máquina acaba forçando o coração, sendo que muitos pacientes acabam falecendo durante as seções, ainda ligados a máquina.
Minha mãe era hipertensa além de tudo.
E o que causou a morte de seu corpo físico, foi um AVC hemorrágico.
Disse a médica que ela teve um dos piores, foi na parte de trás do cérebro...
O sangue se espalhou por várias partes do cérebro e ela teve morte cerebral instantânea.
Clique aqui e leia sobre o AVC Hemorrágico.
Para quem não sabe, eu lutei muito para trazê-la para cá, pois não tinha condições de ir para o Brasil, nem mesmo para visitá-la.
Mas, nesses 4 anos, sempre estivemos juntos em alma.
Acompanhei suas dores, seus medos, suas tristezas e alegrias, pois sempre conversávamos por telefone e ela me contava tudo, ou quase tudo.
Tinha coisas que não me contava para que eu não me preocupasse, mas nossa ligação sempre foi tão grande, que eu não sei como, sabia que o que estava acontecendo.
Não tudo, não com certeza absoluta, mas sentia que algo estava errado e insistia até que ela falasse.
Os últimos anos dela não foram fáceis e ela não se revoltou apenas porque confiou sempre em Deus.
Mas, não estava sendo fácil.
O marido dela estava ao lado dela quando aconteceu o AVC e ele me contou que quando ela começou a não conseguir falar ela disse: "será que vou ficar sem falar também?!"...
Eu não sou nenhum santo, nenhum ser de luz, nenhum bom samaritano, mas sofro quando vejo qualquer ser vivo sofrer, imaginem como me sinto sabendo sobre a pessoa que mais amo nesse mundo?!
Por isso que decidi escrever essa postagem.
Se você tem diabete ou conhece alguém que tenha, pense bem no que deve ou não fazer...
Minha mãe se achava a mulher maravilha e olha o que aconteceu com ela...
Era uma mulher totalmente independente, por toda a vida foi e nos seus últimos anos, o que a mais a revoltava, era o fato de depender de tudo e de todos.
Ninguém reclamou, muito pelo contrário, todos ajudaram sempre com muito amor e carinho, mas é algo para se pensar...
Nessa postagem existe vários links para se ler, aprender e pensar bem sobre o que pode ou não acontecer com você ou alguém próximo.
Pense bem, porque é muito difícil e doloroso ver alguém que amamos passar por coisas assim...
Abraxos.


4 comentários:

  1. Eu sei compreendo exatamente o que você disse em sua postagem...
    Tenho duas pessoal s que desejo muito bem e que são diabeticas.
    Um está aqui no Japão e outro no Brasil.
    Ambos me preocupam por causa do estilo de vida que possuem...
    Mas o que reside no Brasil,me preocupa muito mais...
    Viver em negação é muito ruim e é com esta "sensação" de ser super herói que faz com que a diabetes ( doença trapaceira e silenciosa) conta.
    Ela ( diabetes) quer que acreditemos que ela não existe,e assim nós não cuidamos,deixando que ela nos destrua lentamente...
    Quando tomar-mos consciência,às vezes pode ser tarde e fatal...
    Meu amigo sua mãe foi uma mulher valente uma verdadeira mulher maravilha.
    Sei que você através de sua fé e do seu coração sempre estará ligado a ela.
    Pois a morte como você sempre me diz,não é uma separação final.
    Beijos meu amigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiz questão de falar sobre o que aconteceu com minha mãe Ana, justamente para poder mostrar para as pessoas o que esta doença é capaz de fazer com uma pessoa.
      O problema maior, no meu parecer, é que ficamos dependendo dos outros e para uma pessoa independente como minha mãe era, foi o que mais a estressava....

      Excluir
  2. Meu amigo Wilson, sinto tanto por sua perda, principalmente como deve estar difícil vocês estar longe fisicamente.

    Nada que disser vai resolver essa dor e essa saudade, pois apesar de já ter passado 20 poucos anos da perca da minha, se fechar os olhos parece que foi ontem. Só posso te desejar força para passar por mais esse baque.

    Sei também que muitos vão dizer que é uma separação passageira que um dia todos vamos nos encontrar, também acredito nisso, mais nesse momento de dor e saudades só posso te dizer que chorar alivia, que ter amigos próximo conforta, que nossos 'filhotes' de 4 patas nos acalenta de uma forma visceral.

    Saiba que do fundo da minha alma eu realmente queria estar ai próximo de você, e que me sinto tão impotente por você e a Ana, duas pessoas que amo tanto, estarem passando por transições tão forte e eu não poder estar ao lado de vocês.

    Beijos no coração meu amigo e conte comigo quando quiser e precisar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você é uma das pessoas que eu realmente gostaria que estivesse aqui mesmo Lua.
      Sabe disso e nem preciso afirmar...
      os últimos tempos foram tumultuados com a doença do Cão e tudo mais.
      mas, obrigado mesmo por toda amizade e força...
      sabe que és especial entre tantas pessoas...
      beijos mil

      Excluir