Google+ Followers

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Os 10 Maiores Poemas Brasileiros - Parte 01


Não há quem não ouça uma poesia e fique imune às suas palavras. Poemas traduzem sentimentos profundos no ser humano à séculos e por isso têm a capacidade de alegrar ou entristecer alguém, dependendo do contexto onde é aplicado.

E é por isso que um grupo de escritores, críticos, jornalistas e professores resolveu escolher os 10 mais importantes e significativos poemas de autores brasileiros de todos os tempos.

Vou dividir esta lista em 10 partes, 10 postagens, em dias alternados.

Achei muito interessante esta lista.

Não apenas para nosso deleite, para homenagear estes poetistas e também homenagear amigas poetistas de blogs amigos.


Invenção de Orfeu
(Jorge de Lima)

1. Um barão assinalado sem brasão, sem gume e fama cumpre apenas o seu fado: amar, louvar sua dama, dia e noite navegar, que é de aquém e de além-mar a ilha que busca e amor que ama.
Nobre apenas de memórias, vai lembrando de seus dias, dias que são as histórias, histórias que são porfias de passados e futuros, naufrágios e outros apuros, descobertas e alegrias.
Alegrias descobertas ou mesmo achadas, lá vão a todas as naus alertas de vaia mastreação, mastros que apoiam caminhos a países de outros vinhos. Está é a ébria embarcação.
Barão ébrio, mas barão, de manchas condecorado; entre o mar, o céu e o chão fala sem ser escutado a peixes, homens e aves, bocas e bicos, com chaves, e ele sem chaves na mão.
2. A ilha ninguém achou porque todos o sabíamos. Mesmo nos olhos havia uma clara geografia.
Mesmo nesse fim de mar qualquer ilha se encontrava, mesmo sem mar e sem fim, mesmo sem terra e sem mim.
Mesmo sem naus e sem rumos, mesmo sem vagas e areias, há sempre um copo de mar para um homem navegar.
Nem achada e nem não vista nem descrita nem viagem, há aventuras de partidas porém nunca acontecidas.
Chegados nunca chegamos eu e a ilha movediça. Móvel terra, céu incerto, mundo jamais descoberto.
Indícios de canibais, sinais de céu e sargaços, aqui um mundo escondido geme num búzio perdido.
Rosa-de-ventos na testa, maré rasa, aljofre, pérolas, domingos de pascoelas. E esse veleiro sem velas!
Afinal: ilha de praias. Quereis outros achamentos além dessas ventanias tão tristes, tão alegrias? 

(Trecho de Invenção de Orfeu, de Jorge de Lima).

4 comentários:

  1. Algumas poesias são tão profundas que parece que foram escrita por nós.
    Amigo querida te desejo uma semana abençoada.
    Beijinhos de jasmim.
    Lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade...
      não deixam de ser né amiga, afinal somos todos irmãos, iguais aqui nessa Terra, compartilhando das mesmas experiências...

      beijos

      Excluir
  2. Estou desde já muito curiosa com suas indicações, não porque eu possa aparecer listada entre os 10 rsss..., mas porque existem escritores fabulosos e sempre penso que vou conhecer um que nunca o li antes!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rs

      espero que tenha algum que você não conheça!!!

      beijos

      Excluir