Google+ Followers

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

A História de Dago





Não me lembro em que ano tudo isso aconteceu....

Minha memória é cada vez pior... rs
Mas, acho que foi em 2006...
Eu trabalhava aqui perto de casa, com mais não sei quantos brasileiros.
Uma colega comprou para seu filho um cachorro, da mesma raça que os meus...
Como a maioria das pessoas, infelizmente, ela se esqueceu que ter um cachorro dentro de um apartamento é totalmente diferente do que ter um em um quintal...
Assim começou a "guerra" na casa dela...
Pelo que pude perceber, sem nenhuma experiência em lidar com cachorros, sem nenhuma paciência e boa vontade, ela e o cachorro não se entendiam.


Depois de um mês ela perguntou se eu não queria o cachorro.
Eu falei que não, pois na época, um terceiro estava fora de cogitação...
Depois de uns dois meses fiquei sabendo que ela deu o cachorro para um casa de conhecidos nosso.
Conversando com estes, me disseram que pegaram o cachorro por pena, pois estava sendo muito maltratado.
Disseram que ele apanhava muito e que nos últimos tempos vivia trancando no banheiro, dentro da banheira.
Que ele comia e bebia lá e ainda fazia suas necessidades.
Não só isso, não tiravam ele de lá para nada. Tomavam banho, molhavam o cachorro e deixam ele lá.


Algum tempo depois, este casal decidiu ir viajar para o Brasil e perguntaram se eu não podia cuidar do cachorro até ele voltarem.
Bem eu sei quanto custa um hotel por aqui, por isso eu aceitei. Temos que ajudar quem precisa!!!
Disseram que tinham educado o pequeno, mas logo que chegou em casa,, fez xixi no meio da cozinha... rs
Bom, foi um verdadeiro inferno....
O cachorro, que comecei a chamar de Dago, não fazia nem xixi nem coco no lugar certo....
Destruia tudo que via na frente... Mastigava tudo....
Mas, era totalmente traumatizado, morria de medo de tudo....
Comecei a dar carinho, beijos, abraços e tal.
Ele era tão traumatizado, que se falasse um pouco mais alto com ele, fazia xixi na hora e deitava sobre ele morrendo de medo...
Eu vou ser sincero, naquela época eu trabalhava das 8 da manhã até 10 da noite de segunda a sexta. No sábado das 8 as 8 e as vezes no domingo...
Era uma loucura conciliar trabalho, os pequenos que já tinha e o novo que só aprontava...
Quando eu acordava, tinha que pegar o Dago e correr para o banheiro deles, pois caso contrario, ele fazia xixi na cama... 


Ele era muito carente, não desgrudava de mim e continuava a não fazer nada no lugar certo...
Três meses se passaram e nisso eu fiquei sabendo que o casal não voltaria mais ao Japão, que tinham mentido....
Vocês não imaginam meu desespero....
Depois de três meses aqui em casa, ele era totalmente diferente de quando tinha chego.
Já fazia xixi e coco no banheiro deles, corria, pulava, se divertia com os outros dois.
Ele e a Belinha pareciam um casal de tão grudados que eram!!! rs
Bom, o casal que tinha deixado ele aqui em casa, acabou tendo problemas no Brasil e teve que voltar para cá.
Nem deram sinal de vida, outras pessoas que me contaram...
Eu não tinha condições de ficar com ele, trabalhava muito mesmo, não tinha tempo para nada, então mandei o pequeno de volta.


Não vou mentir, eu sentia um remorso muito grande de fazer isso, mas eu estava muito cansado.
Dago estava mudando, mas ele destruia a casa todos os dias e já faziam três meses.
Rasgava as fraldas do banheiro deles, fazia uma bagunça sem tamanho.
Eu chegava do trabalho exausto e ainda tinha que limpar tudo, para depois jantar e dormir...
Todo dia eu ia dormir as 2 da manhã para acordar as 6...
O casal não gostou nem um pouco, disseram que tinham me "dado" o pequeno e que eu tinha aceitado.... Totalmente diferente do que tinham pedido...
Enfim, o tempo passou.
O casal deu o Dago para outro casal.
Depois de tempo passado, fiquei sabendo que este casal deu para um japonês que não aguentou e mandou sacrificar o Dago.
Eu não sei se isso é verdade ou não, mas sei que minha consciência pesou muito na época...
Eu sei que não tinha condições, sei que fiz o que tinha que fazer, mas agente sempre sente um peso... Não adianta...


Aqui no Japão, se alguém não pega esses animais abandonados, ou alguma instituição, eles são executados em câmera de gás.
Tanto que no zoológico, deixam vários e se entre duas semanas ninguém os adota, a prefeitura manda para esta câmera...
Aqui, tudo é resolvido na prefeitura.
Sei que é verdade, pois já fiquei sabendo de outros casos.
Um brasileiro uma vez ia voltar para o Brasil e não ia levar seu cachorro.
Foi na prefeitura e mandou ele para a câmera...
Quando penso nisso, sinto uma dor muito grande no peito, me sinto simplesmente sem forças para poder fazer algo...
Não sei se algum dia saberei ao certo se vou saber o que aconteceu com o Dago, mas jamais vou esquecê-lo.
Abraxos. 

19 comentários:

  1. Olá!
    Essa história do Dago me deixou muito triste,mas nem sempre podemos ajudar por completo, você fes o que podia, não dá para se virar em 3.
    Tomara que o Dago esteja bem.
    Passando para te desejar uma linda noite.
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o minha amiga!
      que bom te ver por aqui!!!
      obrigado!
      confesso que fiquei muito pensativo antes de publicar esta postagem...
      mas, não só de acerto podemos comentar não é mesmo?
      apesar de saber que fiz o que podia, ainda sinto uma certa dor...
      e olha que faço de um tudo hein?
      logo vou postar algumas coisas que aconteceram aqui conosco...
      beijos e obrigado viu?

      Excluir
  2. E eu fiquei triste agora por causa do Dago :(
    A gente já teve que dar cachorro por falta de condição para cuidar, até hoje eu sinto esse peso de não saber o que aconteceu....sempre penso no melhor....
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é amiga...
      é muito triste messsmo.
      obrigado por compartilhar.
      beijos

      Excluir
  3. Wilson querido! Que triste a história do Dago! E que coisa mais linda aquela foto dele deitadinho de fraldinhas... A pose dos pezinhos.... Que coisa mais fofa! Espero que ele esteja bem, ou senão, que esteja no céu dos bichos... Já tem post novo! Bjão no coração! De todos vocês! Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois êh amiga.
      Também espero que ele esteja bem!!!!!
      Já vou lá ver!!!!
      Beijos!!!!

      Excluir
  4. Nossa, fico chocada em saber que as pessoas entregam seus bichinhos para serem sacrificados assim...

    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei na época Simone.
      Mas, hoje eu penso, será que é melhor abandonar ou mandar sacrificar?
      Eu sei, nenhuma das duas, mas se não houver escolha, ser for alguém assim, o que fazer?
      Ainda bem que hoje, pelo menos nos melhores pet shops daqui, os cães vem com chips em seu corpo.
      Casa se percam, é só ir na prefeitura e ver o endereço que ele está registrado...
      o Pingo é assim.
      Beijos

      Excluir
  5. Alô wilson
    Me emocionei com essa historia
    Pobre Dago!
    Esses bichinhos são 100% dependente de nós né!?
    ****************************
    já começou o frio por aí?
    Um forte abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Osmar, a maioria desses pequeninos dependem de nós.
      Sim, o frio já começou para a minha alegria!!!
      Amo o inverno!!!
      Abraxos

      Excluir
  6. Não sei o que dá vontade de fazer com quem machuca animais, que horror.
    Parabéns pela iniciativa, comprar filhotes é fácil, difícil é ajudar quem realmente precisa. Eu tenho o dobro aqui, tenho gatos também, todos grandões e de rua. A vida deles foi horrível.
    Eu adoro aqui! Pode deixar que volto sempre. Obrigada pelas visitinhas também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu vou te dizer, já perdi amizades por causa de abandono.
      não deixei de falar com a pessoa, porque não sou nada nem ninguém, mas aquela confiança... acabou...
      não sei o que vai ser do meu futuro, mas te digo que meus filhos eu não abandono...
      se eu morasse em casa, já teria adotado um monte... rs
      beijos

      Excluir
  7. Passando pra saber notícias de vocês e deixar um carinho...
    Um abençoado e feliz fim de semana de semana!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi amiga!
      correndo... rs
      esta semana que passou foi bem agitada e esta que vai começar também promete...rs
      sabe como é né? rs
      beijocas

      Excluir
  8. Choro só de pensar nessa tal câmara. Sei que não foi essa sua intenção, mais para mim é impossivel ler esse relato e ficar indiferente.
    Não consigo entender como um pessoa, pode derrepente acordar e dizer: não quero mais, vai morrer!!!
    É tão cruel, é tão insano, que doi meu coração.

    Tenho certeza absoluta que VOCÊ fez tudo o possível e tudo que estava ao seu alcance, e tenho certeza que se você desconfiasse que o final dele iria ser na "Tal câmara", que você iria dormir todo os dias 2 a 3 horas da manhã, mais jamais iria permitir isso.

    Mais tudo é tão triste né, como alguém disse algum dia, "QUANTO MAIS CONHEÇO OS HOMENS, MAIS AMO MEUS ANIMAIS".
    Te adoro, mais isso também já sabe, rs
    Beijocas de jasmim.
    Lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amiga, jamais imaginei que tal fato aconteceria...
      Se soubesse, ou imaginasse, teria feito tudo para que ele tivesse outro lar, afinal tantos querem ter e não tem.
      Bom, é triste, mas real está história da câmara.
      Não sei o que lhe dizer, é costume aqui...
      É mais do que cruel e nem sei o que pensar...
      Gostaria muito que existisse uma lei onde quando alguém comprar um animal, se responsabilize pela vida deste ser até sua morte...
      Como se fosse humano, um filho.
      Acho que só neste dia as coisas vão mudar...
      Beijos

      Excluir
  9. Amigo, esta história do Dago, me deixou mesmo muito comovida, mas você fez o melhor que podia na altura, eu sei, ficamos com um peso no peito para sempre e essa história da câmara de gás, deixou-me em estado de choque só de imaginar o fim horrível de tantos bichinhos.
    Não se culpe, você tem um coração de ouro e você estava no seu limite amigo, eu teria feito o mesmo, ou não, quem sabe? Só quem passa por situações destas é que sabe o que doí.
    Adoro você!
    Beijinhos de miminhos de chocolate.
    Ana Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ana minha querida amiga.
      Não me culpo de verdade, mas o peso fica querendo ou não.
      Os anos se passaram e ainda penso nele.
      Queria saber o que realmente foi da vida dele...
      Enfim, vamos deixar o tempo passar...
      Beijos

      Excluir
  10. Bom, isso é verdade.
    Se realmente eu desconfiasse que algo assim poderia ocorrer, teria arranjado outro lar para eles.
    Mas, a falta de clareza dos donos dificultou muito o processo. Se tivessem dito desde o começo que não queriam maus os cachorros, a história seria diferente.
    Por isso que procuro ser muito sincero com as pessoas quando tenho algo a dizer!!!

    ResponderExcluir