Google+ Followers

quarta-feira, 30 de março de 2016

Uns pelos outros


A foto de um menino de quatro anos junto a um Papai Noel, ambos ajoelhados, orando, emocionou muitos,no Natal de 2015.
O instante captado pelas lentes motivou diversas ações nas mídias sociais. Foi o que chamam de viral, um vírus do bem, podemos afirmar.
O menino, o pequeno Preston Barnette, num encontro com um Papai Noel de shopping, nos Estados Unidos, ao invés de pedir brinquedos,como seria o esperado, desejou que seu presente de Natal fosse a saúde de um bebezinho doente, que nem sequer conhecia pessoalmente.
A fotografia captou o momento em que ambos, ajoelhados, oraram pela recuperação do recém-nascido, desenganado em uma UTI neonatal.
Preston ficou sabendo do estado do bebê através de sua avó, que mantém um grupo de orações numa rede social. Não teve dúvida que era isso que iria pedir ao Papai Noel quando o encontrasse: que o bebê ficasse bem.
A avó conta que ele se sensibilizou de tal forma, quando viu a foto da criança hospitalizada, que desejou fazer algo por ele. E fez.

* * * * * * * * * * * * * * *

Há tantas coisas que podemos fazer uns pelos outros...
O gérmen da bondade, do altruísmo vive dentro de cada um de nós, sem exceção.
Alguns levamos mais tempo para encontrá-lo, mas podemos dizer que a floração do bem em nossos corações é inevitável, é da Lei, é do Universo.
Quando alguém começava pensar também no outro, começa a enxergar o próximo em sua jornada, vendo-o como um igual, um irmão de caminho, começa a perceber maravilhas no mundo.
A lei de amor e de caridade não propõe o abandono de si mesmo, isto é, uma desvalorização de quem somos, de nossos desejos ou sonhos.
Não, isso é compreensão equivocada. O que o amor propõe é: considere o outro também; considere que o outro é importante, que tem direito de ser feliz da mesma forma que você.
Essas perspectivas, por si só, podem mudar totalmente nossas relações sociais e familiares.
O amor diz que precisamos fazer mais uns pelos outros, mesmo que esse fazer seja uma singela oração por alguém que sofre distante.
A oração é força, é ação positiva, não é apenas um pedido jogado no ar, como um balão que soltamos no vento sem saber que direção irá tomar.
Que possamos orar, uns pelos outros, nos momentos difíceis, de provação, de infelicidade e também de alegria.
Isso mesmo, de alegria também. Quem vive momentos bons em sua existência, frutos de conquistas, vitórias, celebrações, precisa igualmente de nossas orações.
É a oração pedindo proteção, enviando boas vibrações, que funcionam como escudo contra qualquer tipo de adversidade. Enfim, é a antítese da inveja que, em sua natureza perturbada, não suportaenxergar a felicidade no outro.

* * * * * * * * * * * * * * *

Uns pelos outros.
O que podemos fazer uns pelos outros?
Muito mais do que imaginamos.
Olhemos ao nosso redor e percebamos o quão útil podemos ser. Abracemos essa causa simples, das pequenas ações, e desfrutemos de uma felicidade sem igual no fundo de nossos corações.

Redação do Momento Espírita.
Em 29.3.2016.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Benefícios do Kefir


O KEFIR é um complemento e enriquecedor alimentar probiótico, com valores e empregos terapêuticos de relevante abrangência...

O KEFIR é um complemento e enriquecedor alimentar probiótico, com valores e empregos terapêuticos de relevante abrangência que vão além do mero uso na alimentação básica. Consiste em um conjunto de microorganismos vivos que condicionam uma cadeia de simbiose ente si e as células do organismo humano. São amigos da vida humana e grande aliados no combate de um número amplo de enfermidades e disfunções. E um iogurte poderoso e muito benefico a nossa saude. Possuem a aparência de “grãos” que variam de tamanho, aproximadamente 3 a 7 milímetros e de textura plástica, opaca, ligeiramente transparente que pode ser de coloração branca ou amarelada. Não se trata de algo desenvolvido por pesquisas de laboratório, foi por séculos um segredo étnico. Estudado por pesquisadores ocidentais no decorrer do século XX, vem se popularizando mundialmente desde 1999 com maior intensidade.

E há uma forte tendência para que ocupe papel de destaque no século XXI. Atribui-se ao uso diário do kefir a famosa longevidade e saúde dos habitantes das montanhas russas do Cáucaso que são os únicos a alcançarem a idade de até 120 anos gozando de total saúde. Trata-se de uma cultura de fácil utilização caseira, sua exploração industrial, não tem sido possível até o presente momento e as tentativas comerciais que se encontram no mercado e presentes em apenas alguns poucos países, colocam em circulação um similar com propriedades reduzidas e incompletas. É possível a sua exploração artesanal. Na Rússia 70% dos laticínios são a base de culturas de kefir. É conhecido também como um elemento da ecologia corpórea por promover um eco sistema orgânico dentro do corpo com total equilíbrio. Seu emprego diário alimentar e terapêutico varia em quantidade de acordo com a finalidade e especificação. Não possui efeitos colaterais nem desenvolve intolerância, pode ser consumido em veículo líquido, água, sucos, leite de vaca, cabra, búfala, ovelha, leite de coco, de soja, queijos e receitas culinárias. Há vinagres balsâmicos e comuns desenvolvidos a partir da cultura do kefir. Crianças com intolerância ao leite comum podem assimilar o kefir lácteo e por ser algo caseiro é inúmeras vezes mais barato do que as alternativas à venda. É chamado de matriz os grãos que formam o produto a ser consumido, o resultado da inoculação por grãos de kefir pode ser chamado de cultura mãe, também serve para obter a inoculação de leite e sucos, há uma diferença grande entre os grãos de kefir e a fermentação derivada de seu produto. Esta última não é capaz de produzir a chamada isca para um novo kefir ou produto. Kefir é uma realidade comunitária biologia em defesa da vida e da saúde, uma união agregativa e não desagregativa de forças do bem em nossas vidas, uma atitude yogui por excelência é a sua disseminação, a palavra yoga significa união, com tal conotação.

MODO DE PREPARO DO KEFIR: Kefir pode ser preparado com água ou leite. Para o uso de apoio em terapias emprega-se uma quantidade maior do que como complemento na alimentação básica e para tal a água é mais indicado. EM ÁGUA: Adicione de 2 a 4 colheres de sopa com grãos de kefir em um litro de água mineral. Coloque 3 colheres de sopa de açúcar mascavo, rapadura moída ou melado de cana de boa qualidade. Mantenha uma boa higiene no preparo. O recipiente pode ser de vidro, inox, ou plástico de boa qualidade. Tampe o recipiente para evitar a presença de impurezas, ciscos, poeira e insetos, mas deixe uma saída de ar, pois na fermentação haverá a expansão de gás carbônico e se for hermeticamente fechado poderá explodir, cubra com pano ou tuia e prenda-o com um elástico. Deixe em temperatura ambiente durante 10 a 40 horas, lembre que os dias mais quentes aceleram a cultura e os dias frios retardam. O kefir se desenvolve bem na temperatura ambiente de 20 a 30 graus centígrados. Dependendo da finalidade ou gosto o tempo de fermentação da cultura varia. Coe e armazene em recipiente igual ao anterior. Nunca utilize alumínio ou ferro em nenhuma das etapas. Os grãos se multiplicam com rapidez e devem ser reaproveitados para uma nova cultura e utilizados para a importante disseminação comunitária, lembre-se de sua preciosidade. Os grãos possuem valor individual, familiar e coletivo, são bons para nos ajudar individualmente e coletivamente. NO LEITE: O procedimento é igual ao da água, com a diferença de que o leite deve ser morno ao iniciar a cultura. Leite pasteurizado pode ser empregado. É aconselhável que se tenha sempre em mãos uma cultura na água também, pois o leite é um produto que vem sendo adulterado com substâncias químicas desde a alimentação da vaca até o seu acondicionamento e com o tempo a cultura de kefir pode sofrer alterações. Não há necessidade de se adicionar açúcar mascavo ou equivalente ao leite, ele já tem o seu açúcar próprio que conhecido pelo nome de lactose. A lactose é consumida e transformada pela cultura e torna o leite enriquecido e assimilável por aqueles que possuem intolerância à lactose, adultos e crianças até da mais tenra idade, como bebes, por exemplo. O sabor é muito palatável. 


MODO DE USO DO KEFIR: Tem uso interno e externo. O uso externo é indicado para problemas cutâneos como acne com incrível eficácia e para a manutenção e regeneração da pele. No uso contínuo e diário, com 300ml a 500ml (meio litro) já se consegue bons resultados e benefícios. Para a maioria dos empregos terapêuticos aconselha-se a ingestão de kefir feito com água na quantidade aproximada de um litro por dia e dois litros em casos graves de anemia e para uma intensa desintoxicação orgânica. É recomendada a ingestão diurna do kefir, após o por do Sol a interação química com o corpo não é das melhores e deve ser evitada. Não comemos os grãos de kefir, mas sim ingerimos a parte líquida de fermentação da cultura. Pode ser refrigerado, misturado na base de 50% nos sucos de frutas. Kefir com mel e guaraná em pó é um tônico geral maravilhoso. Os produtos lácteos do kefir podem ser adicionados a frutas, utilizados em receitas variadas, mas sempre consumido cru. O uso de chás medicinais para a fermentação desta cultura traz bons resultados. O conhecimento do uso e modo de consumo do kefir é ainda uma página nova na aventura da vida humana e espero que a sua pessoa venha dar suas contribuições em editá-la. O kefir de 12 horas de fermentação produz efeito laxativo no intestino, o de 24 horas é um pouco laxativo (ideal para quem tem o intestino normal) e o de 40 horas de fermentação prende o intestino. 

ARMAZENAMENTO: Após coado, o líquido resultante da fermentação da cultura deve ser conservado em refrigeração, mesmo quando consumido na forma de queijos. A duração de seus produtos vai até no máximo três dias, mesmo sob refrigeração. Os grãos, após lavados e secados devidamente à sombra em temperatura ambiente, podem ser mantidos refrigerados a 4°C ou liofilizados por congelamento. As formas comerciais de kefir contém apenas uma parcela de seus componentes e o mais conhecido é o kefiran. O armazenamento do kefir tem sido a maior barreira para a sua ampla comercialização. Até mesmo as matrizes vendidas por correio no exterior não são o verdadeiro kefir por serem apenas elementos parciais do kefir, assim como em yoga, a fonte de aquisição é um fator fundamental em sua eficiência e garantia. Os grãos verdadeiros são adquiridos de pessoa a pessoa, pessoalmente e com uma corrente de bons fluídos, da qual o kefir é apenas mais um componente. 

BENEFÍCIOS DIETÉTICOS E TERAPÊUTICOS: O kefir é tido como um ótimo regulador do peso. A associação simultânea de kefir com jejum é um desastre, o kefir atua como um enzimático poderoso e acentua amplamente o anabolismo, ou seja, a assimilação de nutrientes, isto faz com que seja necessária a utilização de comida normalmente. Para os que gostam de jejuar o uso nos dias de jejum pode ser suspenso. Se alimentar só de kefir é uma atitude errada e contra indicada. Um grande restaurador da vitalidade e da disposição física, mental e emocional é o nosso amigo kefir. Se diz que o kefir é uma bênção para o nosso século porque é um auxiliar vital e importante contra diversos tipos de disfunções e moléstias que são típicas de nossos dias, por exemplo: Ajuda a combater os males contraídos por irradiações, exposições a monitores de vídeo, na desintoxicação de poluentes tóxicos, etc. Combate distúrbios nervosos, a ansiedade e a insônia, reduz o colesterol e regulariza a digestão, restaura rapidamente a micro flora intestinal, ótimo para quem se submeteu a longos tratamentos com antibióticos. Na Rússia e na Alemanha o uso em hospitais psiquiátricos tem obtido nobre respeito. Promove uma absorção orgânica muito maior de sais minerais e vitaminas, principalmente a vitamina B12, ajudando nos problemas de desnutrição. Auxilia a absorção de proteínas. Tem sido usado no tratamento de pacientes que sofrem de AIDS. Aumenta a imunidade em grande escala. Tem colaborado no tratamento de herpes, câncer e síndrome de fadiga crônica. O uso regular de kefir pode ajudar a remover todo tipo de desordem do aparelho digestivo. A purificação orgânica que promove auxilia a obtenção de um eco sistema interno perfeito para a saúde e para a longevidade. Kefir pode ser usado nos seguintes casos: Desequilíbrios emocionais e de origem nervosa. Erupções cutâneas. Problemas renais e da bexiga. Anemias. Problemas respiratórios. Alergias. Disfunções hepáticas. Diarréia. Prisão de ventre. Problemas cardio-vasculares (infarto e arteriosclerose). Reumatismos. L.E.R. Tumores. Doenças do estômago, úlceras pépticas e duodenais, gastrite. Digestivo, não produz intolerância ou efeitos colaterais. Em doenças graves e prolongadas deve ser tomado abundantemente três vezes ao dia meio litro por vez. Para bebes a sua colaboração no desenvolvimento de um aparelho digestivo saudável é vital. Kefir é rico em vitamina B12, B1 e vitamina K. É uma fonte excelente de biotina, a vitamina B que aumenta a assimilação das outras vitaminas do complexo B. 

quarta-feira, 16 de março de 2016

O que é o Kefir


Para se produzir kefir é necessário conseguir primeiro os grãos de Kefir que contém uma variada flora de microorganismos benéfica ao ser humano.

Uma vez obtidos os grãos de Kefir pode-se ter kefir em casa para sempre, basta cultiva-los ou até mesmo guarda-los em condições especiais por longos períodos quando não estiverem sendo consumidos.

O Kefir para nosso consumo é o leite fermentado por algumas horas com grãos de Kefir, podemos ingerir os grãos também, mas normalmente preserva-se os grãos para a produção de mais Kefir.

Devemos ter em mente que o Kefir é diferente do iogurte, yakult, coalhadas caseiras e similares.

Pessoas tem tentado gerar os grãos de Kefir em casa e o máximo que conseguem é uma coalhada.
O Kefir foi criado na antigüidade e até hoje é desenvolvido sob condições particularmente quase impossíveis de serem repetidas na maioria das nossas residências atuais.

Para se gerar os grãos de Kefir "do nada" hoje em dia seria necessário simular um "ambiente" propício para seu surgimento, como foi feito a mais de 4.000 anos atrás, o que seria extremamente complexo e difícil para a maioria de nós, portanto será muito mais econômico e prático ganhar os grãos do que tentar fazer.

O Kefir é de difícil industrialização e atualmente no mundo existem diversos estudos para poder industrializar, veja nos links abaixo o Kefir em alguns países onde já existe a utilização, industrialização e/ou estudos:





O Kefir pode ser refrigerado para consumo, mas não pode ser colocado no congelador, freezer ou submetido a temperaturas abaixo de 0°C (zero grau centígrado) porque perderá microorganismos que perecerão.

No trato gastrointestinal de crianças recém nascidas são naturalmente encontrados diversos microorganismos contidos no Kefir, com o passar do tempo e também porque provavelmente paramos de consumir muito leite, perdemos esses microorganismos, e eles praticamente só podem ser reencontrados no Kefir.

Composição do Kefir:

O grão de Kefir é um agrupamento gelatinoso polissacarídeo que tem vários microorganismos em simbiose, e sua complexidade ainda não foi completamente decifrada pela ciência.
Basicamente o Kefir contém:
8 leveduras, 2 bactérias acéticas, cerca de 16 lactobacilos, cerca de 9 streptococci/lactococci, ácido fólico, ácido pantotênico, biotina(vitamina B), cálcio, carboidratos, fósforo, gordura, lactase, magnésio, niacina (vitamina B3), potássio, proteínas, pyridoxina (vitamina B6), triptofano, vários outros aminoácidos benéficos, vitamina B12, vitamina K.

Fonte: Kefir.com.br

sábado, 12 de março de 2016

Madonna - Ghosttown - Letra e Tradução



Ghosttown

Maybe it was all too much
Too much for a man to take
Everything's bound to break
Sooner or later, sooner or later

You're all that I can trust
Facing the darkest days
Everyone ran away
But we're gonna stay here, we're gonna stay here

Ahh, Ahh
I know you're scared tonight
Ahh, Ahh
I'll never leave your side

When it all falls, when it all falls down
I'll be your fire when the lights go out
When there's no one, no one else around
We'll be two souls in a ghost town

When the world gets cold
I'll be your cover
Let's just hold
Onto each other
When it all falls, when it all falls down
We'll be two souls in a ghost town

Tell me how we got this far
Every man for himself
Everything's gone to hell
We gotta stay strong, we're gonna hold on

This world has turned to dust
All we've got left is love
Might as well start with us
Singing a new song, something to build on

Ahh, Ahh
I know you're scared tonight
Ahh, Ahh
I'll never leave your side

When it all falls, when it all falls down
I'll be your fire when the lights go out
When there's no one, no one else around
We'll be two souls in a ghost town

When the world gets cold
I'll be your cover
Let's just hold
Onto each other
When it all falls, when it all falls down
We'll be two souls in a ghost town

I know we're alright
Cause we'll never be alone
In this mad mad, in this mad mad world
Even with no light
We're gonna shine like gold
In this mad mad, in this mad mad world

When it all falls, when it all falls down
I'll be your fire when the lights go out
When there's no one, no one else around
We'll be two souls in a ghost town

When it all falls, when it all falls down
I'll be your fire when the lights go out
When there's no one, no one else around
We'll be two souls in a ghost town

When the world gets cold
I'll be your cover
Let's just hold
Onto each other
When it all falls, when it all falls down
We'll be two souls in a ghost town
When it all falls, when it all falls down
We'll be two souls in a ghost town
Cidade Fantasma

Talvez tudo isso seja demais
Demais para um homem aguentar
Tudo está sujeito a acabar
Cedo ou tarde, cedo ou tarde

Você é tudo que eu posso confiar
Enfrentando os dias mais sombrios
Todos fugiram
Mas vamos aqui, vamos ficar aqui

Ahh, Ahh
Sei que está com medo essa noite
Ahh, Ahh
Nunca vou sair do seu lado

Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Eu vou ser a chama quando as luzes se apagarem
Quando não houver ninguém, ninguém por perto
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Quando o mundo ficar frio
Vou ser o seu cobertor
Vamos apenas nos abraçar
Um sobre o outro
Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Diga-me como chegamos até aqui
Cada um por si
Tudo foi para o inferno
Vamos permanecer fortes, vamos aguentar

Esse mundo virou pó
Tudo que nos resta é o amor
Poderia começar conosco
Cantando uma nova canção, construindo algo

Ahh, Ahh
Sei que está com medo essa noite
Ahh, Ahh
Nunca vou sair do seu lado

Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Eu vou ser a chama quando as luzes se apagarem
Quando não houver ninguém, ninguém por perto
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Quando o mundo ficar frio
Vou ser o seu cobertor
Vamos apenas nos abraçar
Um sobre o outro
Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Eu sei que vamos ficar bem
Pois nunca estaremos sozinhos
Nesse louco, louco mundo
Mesmo quando não há luz
Vamos brilhar como ouro
Nesse louco, louco mundo

Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Eu vou ser a chama quando as luzes se apagarem
Quando não houver ninguém, ninguém por perto
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Eu vou ser a chama quando as luzes se apagarem
Quando não houver ninguém, ninguém por perto
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma

Quando o mundo ficar frio
Vou ser o seu cobertor
Vamos apenas nos abraçar
Um sobre o outro
Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma
Quando tudo cair, quando tudo desmoronar
Vamos ser duas almas em uma cidade fantasma



quarta-feira, 9 de março de 2016

Maratonistas da vida




Foi em torno do ano 2.500 a.C., que os gregos idealizaram festivais esportivos, em homenagem a Zeus, no santuário de Olímpia, o que originou o termo Olimpíada.
O evento era tão importante que interrompia até as guerras em andamento.
O vencedor recebia uma coroa de louro ou de folhas de oliveira.
A primeira Olimpíada da Era Moderna aconteceu em 1896, em Atenas, com a participação de quatorze países.
As Olimpíadas, que acontecem a cada quatro anos, registram sempre algum fato marcante.
Não foi diferente no evento de 1984, em Los Angeles. Pela primeira vez, foi incluída a maratona para mulheres.
Se os jogos primaram pela organização e a cerimônia de abertura, com desfiles e música executados com perfeição por centenas de participantes, uma mulher atraiu os olhares do mundo inteiro.
É possível que poucos recordem de quem levou o ouro olímpico na maratona feminina. Contudo, inesquecível a cena da suíça Gabriele Andersen Scheiss, chegando ao estádio, cambaleando, muito tempo depois da vencedora ter sido ovacionada.
Demonstrando extremo cansaço, parecendo desnorteada, ela não corria, andava e com dificuldade. Pendia para um lado e para o outro.
Uma mulher magra, uma figura estranha naquele modo de andar, que demonstrava estar sentindo intensas dores. Estranha, mas determinada a alcançar o seu propósito.
Do lado de fora da pista, acompanhando-a passo a passo, prontos a ampará-la, caso caísse, dois juízes.
Estavam ali mas, não poderiam intervir, pois isso a desclassificaria.
O estádio ficou em silêncio, ante a cena inusitada. Depois, com palmas ritmadas, como a marcar cada passo, passou a incentivar Gabriele. Ela não desistiu.
Concluiu os derradeiros cem metros em cinco minutos e quarenta e quatro segundos e ficou em trigésimo sétimo lugar.
Contudo, a ovação que recebeu foi enorme. Ao dar o último passo, antes de tombar, foi amparada pelos monitores da prova.
Ela não conseguiu nenhuma medalha mas venceu o desafio a que se propusera: chegar ao final.

* * * * * * * * * * * * * * * * * *

Na vida, como na maratona, um propósito deve nos mover: concluir, realizar todo o percurso, com honra, mesmo que chegando estropiados, com dores no corpo e na alma.
Todos nascemos e renascemos para sermos vencedores. Ninguém vem ao mundo para ser um perdedor, para desistir da luta.
Os que alcançam essa vitória, os que passam pelas provas, que as vencem, mesmo chegando cambaleantes, são chamados completistas.
Quando, após a morte física, chegam ao mundo espiritual, são ovacionados como Gabriele o foi, naquele distante dia de 1984.
Como ela, nos metros finais, poderemos estar cansados, com cãibras na alma de tantas dores suportadas. Ao nosso lado, vibrando, insuflando-nos bom ânimo, nossos anjos de guarda, nossos amigos espirituais.
Estão ali, prontos a nos amparar, caso venhamos a sucumbir, mas sem interferir diretamente, porque o mérito da batalha vencida deve ser exclusivamente nosso.
Pensemos nisso e como Gabriele, não desistamos. Lutemos, perseveremos.
Pensemos: se as dores são muito intensas, é sinal de que o final está próximo. Muito próximo.
E a vitória nos pertencerá.
Vamos. Mais um passo. Sejamos vencedores na maratona da vida.
Nossos amores esperam isso. O Pai Celestial tem certeza disso. Prossigamos. Só mais um passo. Hoje. Agora.

Redação do Momento Espírita.
Em 8.3.2016.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Saibamos confiar






O Evangelista Mateus teve oportunidade de assinalar, em seu Evangelho, capítulo seis, versículo trinta e um: Não andeis, pois, inquietos.

Muitos andamos inquietos nestes dias. Inquietos com a economia, com a política, com a família. Inquietos em relação ao futuro; inquietos em relação ao passado; inquietos com nós mesmos.
A inquietude da criatura revela, no âmago, a falta de confiança, a falta de fé e, também a falta de conhecimento.
A recomendação de Jesus não incentiva a indiferença nem a irresponsabilidade.
O Mestre, que preconizou a oração e a vigilância, não aconselharia a despreocupação do discípulo ante o acervo do serviço a fazer.
Ele nos pede o combate ao pessimismo crônico.
Ser pessimista é estar condenado a perder a batalha antes dela mesmo começar. Ser pessimista é boicotar a si mesmo e aos outros, pois nossas palavras e pensamentos transformam o mundo à nossa volta para o bem ou para o mal.
Ainda vivemos os tempos de nos defrontar, inúmeras vezes, com pântanos e desertos, espinheiros e animais daninhos. São os tempos de transição.
Urge, porém, renovar atitudes mentais na obra a que fomos chamados, aprendendo a confiar no Divino Poder que nos dirige.
Em todos os lugares há derrotistas intransigentes.
Sentem-se nas trevas, ainda mesmo quando o sol fulgura no zênite.
Enxergam baixeza nas criaturas mais dignas.
Marcham atormentados por desconfianças atrozes. E, por suspeitarem de todos, acabam inabilitados para a colaboração produtiva em qualquer serviço nobre.
Aflitos e angustiados, desorientam-se a propósito de mínimos obstáculos, inquietam-se, com respeito a frivolidades de toda sorte e, se pudessem, pintariam o firmamento com a cor negra para que a mente do próximo lhes partilhasse a sombra interior.
Nós precisamos confiar...
Não há treva que dure para sempre. Não há coração destinado ao mal. O tempo de escuridão é passageiro, é momento de aprendizagem, de provas necessárias.
A sabedoria dos mais experientes, Espíritos de escol que aqui estiveram e que ainda nos acompanham do Mundo Maior, revela que o Universo é regido por uma Inteligência dotada de justiça e bondade.
Dessa forma, como não confiar?
Assim, ao observarmos o mal aparentemente dominante ainda, escandaloso, bulhento, não colaboremos com seu estardalhaço desproporcional.
Divulgá-lo sem propósito benéfico, propagá-lo sem fim útil, apenas para causar espanto, é dar-lhe mais forças.
O otimista não é aquele que se negaa enxergar o mal à sua frente. É simplesmente aquele que dá mais valor ao bem do que ao mal que alguém promova.
O otimista é aquele que sempre vê uma saída, que sempre vê um aprendizado em toda experiência, por mais penosa que tenha sido.
Esses levam a vida com mais leveza e, muitas vezes, confiam sem saber que estão confiando. Têm fé imensa sem saber que a têm ou sem mesmo precisar dar rótulos a ela.

Lutemos. Perseveremos. Amemos e confiemos sempre.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. Saibamos confiar, do livro Vinha de Luz, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.
Em 1.3.2016.