Google+ Followers

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Chico Xavier fala sobre a hóstia católica


DISSE CHICO XAVIER:

“Em nossa infância, e na primeira juventude, frequentava a Igreja
Católica com o mesmo respeito com que nos dirigimos hoje a uma reunião
espírita cristã, e sempre sentimos, reconhecemos, dentro da Igreja
Católica, prodígios de espiritualidade inimagináveis.

Muitas vezes, principalmente nas missas da manhã, quando era possível
a comunhão de vibrações espirituais de todos os crentes numa só faixa
de espiritualidade e de fé em Jesus, tivemos oportunidade de ver
espíritos santificados que abençoavam as hóstias, e elas se
transformavam como se fossem flores de luz, que o sacerdote oferecia
na mesa da comunhão.

Muitas vezes, principalmente no altar daquela que nós veneramos como
sendo a nossa Mãe Santíssima, vimos irradiações de luz que alcançavam
toda a assembléia, do altar consagrado a Santa Teresinha de Lisieux,
muitas vezes vi repartirem rosas trazidas por criaturas desencarnadas,
amigos e amigas católicos da cidade de Pedro Leopoldo, sem que eu
pudesse explicar o fenômeno.”

Chico conta, ainda, que as hóstias iluminadas, quando recebidas por
pessoas de fé, não se apagavam ao serem ingeridas por elas, sendo
absorvidas, de preferência, pelos órgãos que estivessem atacados por
alguma enfermidade. Por outro lado, nas pessoas que comungavam sem fé,
as hóstias se obscureciam, assim que lhes tocavam os lábios.
O mesmo acontece com o passe espírita.


A fé e o amor são os responsáveis pelos milagres...

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Expressões do amor


Quando um filho apresenta qualquer problemática, de forma natural, os pais se esmeram, não somente para lhe resolver ou atenuar a dificuldade, como também buscando a melhor forma de se adaptarem, no sentido de lhe atender as necessidades.

Assim, se o filho passa a depender de uma cadeira de rodas, logo a casa tem alterada sua estrutura interna, com a retirada de portas ou paredes. E até instalação de rampa para o mais fácil acesso do cadeirante a todos os cômodos.

Se o filho é portador de deficiência visual, tudo é feito, de igual modo, para que ele transite, de forma segura e livre.

Se a deficiência é auditiva, pais buscam aprender a linguagem dos sinais, a fim de que a comunicação se dê de forma tranquila.

Mas, e quando um dos pais apresenta uma determinada deficiência, como agem os filhos?

* * *

Uma demonstração de amor e dedicação, colhemos de um vídeo que circula pela internet.

A cena mostrada é familiar. Pai e filho estão à mesa e lancham. O pai é portador de deficiência auditiva. A mãe, que faz a filmagem, diz ao menino, de mais ou menos dois anos, que pronunciará várias palavras.

A cada uma, ele deverá mostrar como se fala por sinais. E o menino, de forma tranquila, vai demonstrando o que aprendeu. Por vezes, ele próprio aponta o objeto ou a fruta, que está próxima, logo após fazer o sinal correspondente.

E, numa cumplicidade de carinho, num certo momento em que ele não se recorda do sinal exato, o pai, ao lado, tenta lhe mostrar como é, de forma sutil, para que a mãe não perceba.

Naturalmente, tudo redunda em bons sorrisos e a observação de que papai está “passando cola”.

Imaginamos como deva se sentir esse pai.

* * *

Sim, o amor existe. E em larga escala. Em profundidade, alimentando vidas, portas adentro dos lares. Felicitando existências e ensinando, pelas suas expressões, como se ama.

Quando um filho, que ouve perfeitamente, se dispõe a aprender sinais para uma boa comunicação com seu pai, o amor está presente.

Amor de filho agradecido pela vida que recebeu. Amor de filho que diz que deseja que seu pai participe amplamente de sua vida.

Quando uma criança, em tenra idade, é convidada a utilizar sinais para se entender com seu pai, o amor está se expressando.

A lição de amor que essa mãe transmite ao filho, com certeza, o seguirá vida afora. Amor que se faz de preocupação pelo outro. Respeito de quem deseja a participação do outro em sua vida.

Bem disseram os Espíritos que quando Jesus pronunciou a divina palavra amor, os cristãos, ébrios de amor, se ofereceram em holocausto, nas arenas dos circos.

Sim, o amor tem esse condão de realizar maravilhas, de transformar o lar, de transformar vidas.

De estender pontes de inclusão, de aconchego, de proximidade. De dizer ao outro o quanto ele é importante em sua vida, como a sua presença faz a grande diferença.

Pensemos nisso e nos permitamos envolver pelas delicadas brisas do amor, felicitando-nos a alma e realizando a felicidade dos que nos rodeiam.



Redação do Momento Espírita.
Em 14.6.2013.


terça-feira, 18 de junho de 2013

Nosso Everest


Edmund Hillary foi o primeiro homem a escalar o Everest. Seu feito coincidiu com a coroação da rainha Elizabeth, a quem dedicou a conquista, e de quem recebeu o título de Cavalheiro pertencente à nobreza.
Um ano antes da conquista, Hillary já havia tentado a escalada e fracassara por completo. Mesmo assim, os ingleses reconheceram seu esforço e o convidaram para falar a uma numerosa plateia.
O alpinista começou a descrever suas dificuldades e, apesar dos aplausos, dizia sentir-se frustrado e incapaz.
Em dado momento, porém, largou o microfone, aproximou-se da enorme gravura que ilustrava seu percurso e gritou:
Monte Everest, você me venceu esta primeira vez. Mas eu irei vencê-lo no próximo ano, por uma razão muito simples: você já chegou ao máximo de sua altura, enquanto eu ainda estou crescendo!
* * *
Todos precisamos ter, em nossas vidas, os nossos próprios Everestes, isto é, objetivos a alcançar, metas a atingir.
Sem ter um alvo, um fim, torna-se bastante difícil a caminhada, pois não saberíamos para onde ir, e onde aplicar os nossos esforços.
Lemos, certa feita, um pensamento que dizia o seguinte:
Para uma nau sem direção, todo vento é sempre contra.
Se não sabemos que direção tomar, nunca buscaremos aproveitar os acontecimentos que vêm a nosso favor e as ajudas que recebemos.
Para traçar esses objetivos faz-se necessária uma análise profunda de nossos valores, do que sentimos, e se o que fazemos é realmente importante para nós, Espíritos imortais.
Dessa forma, não corremos o risco de criar metas ilusórias, como os sucessos passageiros do mundo, ou como a riqueza vazia que ainda seduz tanto nossos sentidos.
É possível almejar, sim, o crescimento financeiro, as conquistas materiais em família, o conforto, mas, não podemos esquecer de desejar também o crescimento espiritual, a possibilidade de ajudar os necessitados, a conquista da harmonia entre os familiares.
Após desejar e ter certeza de que esse desejo é nobre, é chegado o momento de correr em busca do objetivo, empregando o esforço, a persistência, sempre amparado pela amiga indispensável – a esperança.
Virão momentos de desânimo, em que seremos convidados a desistir da caminhada.
Encontraremos dificuldades diversas, que nos farão voltar à base da montanha, exaustos.
Mas nunca nos permitamos abandonar a certeza de que podemos nos superar, e que todas as adversidades nos fazem mais fortes, mais previdentes para uma próxima tentativa.
O pico da montanha estará sempre lá, estático, enquanto nossa vontade, nossas forças, jamais terão limites. Chegar ao topo é uma questão de tempo e de perseverança.
Se as conquistas importantes não fossem assim, não teríamos mérito algum em alcançá-las.
* * *
Uma técnica muito útil para alcançarmos nossos objetivos é a da visualização.
Criamos imagens, cenas em nossa mente, projetando como seria a conquista dessa meta, imaginando-nos lá, no futuro, comemorando o fim atingido.
Isso nos faz mais fortes, mais empolgados, e combate seriamente o desânimo destruidor.
Para muitos, essa técnica é conhecida apenas como sonhar.
Jamais deixemos de sonhar.

Redação do Momento Espírita, com base no livro Histórias
para pais, filhos e netos, de Paulo Coelho, ed. Globo.
Em 13.6.2013.

sábado, 15 de junho de 2013

Dias de desafios


Quem de nós não desejaria que a existência transcorresse à semelhança de um rio calmo, onde a barca de nossa vida singrasse por águas tranquilas e serenas?

Todos temos o desejo de que, na vida, os embates não surjam, as dificuldades não se apresentem, e as dores não ocupem espaço em nosso caminhar.

Contudo, viver é muito mais do que atender ao escoar dos dias, ou esperar a velhice chegar e a morte encerre a vida do corpo físico.

Temos o desafio, a cada vez que nascemos, a cada vez que nos vestimos de carne, de que novos aprendizados se façam.

Esse é o propósito da Divindade para conosco: que o corpo físico seja a possibilidade de progresso para a alma.

Assim, naturalmente haverá dias mais amargos em nossa jornada.

Ocorrerão fases em que o peso sobre nossos ombros se avolumará, e os problemas se apresentarão mais complexos.

Passaremos por dias tumultuosos, em que seremos testados em nossos valores, nossa perseverança, nossa fé.

Surgirão situações de grande monta, exigindo que desenvolvamos capacidades morais de que não dispúnhamos ou nem imaginávamos dispor.

Haverá situações nas quais a prova se mostrará mais rude, em que enfrentaremos nossos limites morais, em que bordejaremos o extremo de nossa capacidade.

Nada disso acontecerá, no entanto, sem a plena anuência da Divindade. Nenhuma sem o pleno conhecimento da Providência Divina.

Deus tem total ciência de tudo que nos sucede.

Nada que nos ocorra é inútil ou destituído de alguma razão, mesmo que de momento não consigamos entender o propósito.

Contrariando o adágio popular, podemos dizer que Deus escreve certo por linhas retas.

Nós é que somos, algumas vezes, os míopes que não conseguimos ver o amor e sabedoria de Seus desígnios.

Assim, se os dias se mostram desafiadores, ali está a bondade de Deus nos oferecendo o aprendizado.

Para alguns, o desafio é lidar com o retorno do ser amado à pátria espiritual, deixando o rastro das saudades e uma imensa ausência.

Para outros, é a dor, a doença, as deformidades, as limitações físicas que chegam inesperadamente, provocando desequilíbrio em seus dias.

Para muitos, é a família a se desarticular, pela inconstância de uns, despautério de outros, desestruturando relações de alegria e fraternidade.

* * *

Assim é nossa jornada. Feita de desafios e lições.

Quando essas nos chegam, na forma da dor ou da saudade, da doença ou de alguma carência qualquer, é sempre o convite para aprender.

Vistamo-nos de coragem e fé. Enfrentemos o que nos chegue com a serenidade daqueles que entendem os desafios como necessários ao crescimento moral.

E não nos esqueçamos de que teremos sempre Jesus, o Bom Pastor, a nos amparar a todos, cansados e aflitos, em Seu regaço amoroso.

* * *

Os desafios existenciais fazem parte da vida. Sem eles, o homem seria destruído pela paralisia da vontade, dos membros, das aspirações, que se transformariam em doentia aceitação dos níveis inferiores do estágio da evolução.

Enriquecer-se com a luz do discernimento elevado é a finalidade essencial da vida.



Redação do Momento Espírita, com pensamentos finais
do cap. 11, do livro Vida:desafios e soluções, pelo Espírito
Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed.
LEAL.
Em 7.6.2013.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cerveja Sem Calorias e Sem Álcool - 全国無料配送 サントリー オールフリー


Para quem mora no Japão, aqui vai a dica que uma cerveja sem álcool e sem calorias!!!
Já experimentei várias, mas esta é que mais gostei...
Lata com 350 ml e com de 500 ml.
Eu realmente não gosto de bebida que tenha álcool, cerveja muito menos, mas existem dias que tudo parece muito doce, que ando meio enjoado.
Ai eu bebo esta cerveja e tudo fica com gosto melhor... rs


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Perdendo a alma


Vivemos dias de urgência. Vivemos dias onde o tempo parece escasso, onde os compromissos parecem se multiplicar, onde as necessidades são inúmeras.

Nós nos arvoramos a buscar, correr, alcançar. Sempre com pressa, sempre atrasados, sempre procurando recuperar o tempo perdido.

Na ânsia e na necessidade de viver para o mundo externo, esquecemos de viver também para nosso mundo interno.

Perdemo-nos de nós mesmos nas estradas do mundo. Temos dificuldade para encontrar o endereço de nossa intimidade.

E quando não nos encontramos com nós mesmos, quando vivemos só para o externo, para as necessidades do corpo, quando nossas preocupações são somente físicas, materiais, vamos aos poucos nos embrutecendo.

Esquecidos das necessidades da alma, atrofiamos nossos sentimentos mais sutis, nossa essência mais nobre, e passamos a viver na externalidade do mundo.

A pouco e pouco, as reflexões nobres deixaram de ter espaço em nossa casa mental. Já não mais investimos tempo para apreciar um entardecer ou para reverenciar a tempestade pesada de verão a refrescar um fim de tarde.

A oração deixou de fazer parte de nossos hábitos e as leituras edificantes e enriquecedoras cederam espaço para programas de TV vulgares e superficiais.

Assim, é natural que, aos poucos, vamos nos embrutecendo, vamos perdendo nossas mais nobres capacidades humanas.

A vida passa a ser guiada pelos instintos e pouco espaço há para os sentimentos e para as reflexões mais elevadas.

Não por acaso vamos nos tornando mais violentos, mais reacionários a tudo e a todos.

Passamos a viver como se não trouxéssemos em nós a essência de Deus, como se não fôssemos dEle os filhos diletos.

Deixando-nos levar pelo roldão da vida – é bom que se diga novamente - perdemos o endereço de nós mesmos, perdemos o caminho de nossa intimidade, deixamos de nos encontrar conosco.

A breve tempo, vamos perdendo o contato com nossa essência divina. Como consequência, vamos adoecendo e nos embrutecendo.

Assim, vivemos em sociedade agredindo-nos uns aos outros.

Temos dificuldade para compreender o próximo, preferindo julgar e criticar.

Não conseguimos conviver, com tranquilidade e calma, frente aos desafios da vida, tornando-nos violentos e agressivos.

Já não temos tolerância e calma quando nos deparamos com situações limites, buscando os atalhos das discussões verbais, dos afrontamentos até às raias da agressão física ou do atentado à vida do próximo.

* * *

Cansados que estamos de nosso mundo, e sedentos por paz, é necessário que reencontremos nossa essência divina.

Urgente se faz que lembremos que somos um Espírito imortal vivenciando o mundo físico.

Importante que retomemos o hábito da oração, do contato com o Criador e Pai de todos nós.

Imprescindível que dediquemos um tempo, a cada dia, para a meditação, para a leitura nobre, para as coisas que edificam e nos propiciam harmonia íntima.

E fundamental se torna, nesses dias desafiadores, que tenhamos como referência Jesus, modelo e guia na compreensão, na tolerância e no amor ao próximo.



Redação do Momento Espírita.
Em 29.5.2013.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

USP busca cães com hérnia de disco para tratamento grátis

A gata paraplégica Clementina, que ganhou "cadeira de rodas" após ser adotada

Seu melhor amigo parou de andar por causa de uma hérnia de disco? Não é o fim da picada. Na verdade, é o começo de duas variações dela: a USP busca cães que tenham ficado paraplégicos há mais de dois meses para testar um tratamento que mistura o uso de células-tronco com acupuntura.

Por se tratar de uma pesquisa científica, as 13 semanas de tratamento serão de graça --cabe ao dono apenas levar o bicho para a USP cinco vezes por semana, duas delas para fazer fisioterapia e outras três para sessões de acupuntura.

O veterinário César Prado, 27, tratará os canídeos como parte de sua pesquisa de mestrado. "O objetivo desse trabalho é avaliar dois tratamentos para a região medular do cão", diz Prado.

Depois de operados para a retirada do disco que comprime a medula do bichinho, os pacientes serão divididos em três grupos.

O primeiro receberá apenas a injeção de células-tronco. O segundo será tratado apenas com acupuntura. O terceiro receberá uma combinação das duas técnicas.

"Se os donos dos cachorros que receberam apenas um tratamento quiserem, depois do estudo acabar eles poderão refazer o tratamento completo, com acupuntura e célula-tronco."

São 15 vagas e todas as raças estão convidadas. "Não se pode prometer que eles voltem a andar, mas costuma haver alguma melhora", diz o pesquisador, que pode ser achado por interessados no e-mail cesar.prado@usp.br.

A gata Clementina, em "cadeira de rodas" adaptada, brinca no apartamento onde mora

terça-feira, 11 de junho de 2013

Ambiente mental


Mãe e filha caminhavam pelas encostas floridas de um vale, e pelo caminho iam guardando as impressões tão belas da natureza exuberante daquelas paisagens alpinas que tanto lhes enterneciam a alma.

A vida tinha sido dura para com elas até então, pois, após a guerra, tudo havia se tornado difícil: tanto a alimentação, quanto reorganizar a vida, sozinhas, sem o apoio fraternal daqueles que tanto amavam na comunidade.

Será que um simples sobrenome poderia tê-las feito sofrer tanto assim? Essa era a pergunta que se faziam, diversas vezes, enquanto caminhavam em busca de sua antiga residência.

Nada poderia ser assim tão inexplicável para aquelas descendentes de judeus que habitavam os arredores de Zugspitze, Alemanha, por volta de 1948.

Entretanto, eram dotadas de uma força extraordinária que, mesmo sem saber para onde iam, tinham a certeza de que facilmente a vida voltaria a ser normal de novo.

Desejavam poder trabalhar, mesmo que fosse intensamente, na reconstrução da própria felicidade.

O tempo passou. Já se aproximava o pôr-do-sol quando as duas se assustaram com o quadro que aparecia à sua frente.

Entre tão bela paisagem, dois homens, aos gritos um para com o outro, transformavam aquele paraíso num lugar desarmônico, pela vibração de rancor que deles emanava.

Subitamente, ao sentirem a presença de tão doces criaturas, os ânimos foram se acalmando, foram se refazendo das atitudes de agressividade, serenando os batimentos cardíacos e os dois perceberam que o silêncio delas os atingia de modo incômodo.

Boa tarde, senhores! Será que poderíamos lhes ser úteis?

Boa tarde, responderam com desdém. Como podem vocês afirmar ser boa uma tarde em que só podemos sentir raiva e desejo de vingança?

Estão, por acaso, fora de seus juízos normais ou são portadoras de alguma virtude que para nós ainda é desconhecida?

Entre uma frase e outra, elas explicaram que, apesar de tanto sofrimento, agradeciam ao Criador pelas próprias vidas que, ao serem poupadas graças a Ele, tiveram oportunidade de reconstrução e recomeço.

Chance desejada por muitos que haviam sofrido os martírios da guerra, ficado sem condições físicas para recomeçar sozinhos.

Então, o mais velho dos homens, envergonhado, chamou o outro ao seu lado, desculpando-se pelo mau uso das palavras, da violência, enfim, de toda aquela situação de indescritível mal estar que ele, como pai, houvera criado para seu filho tão amado.

Explicou que a dor imensa que lhe deturpava os sentidos, pela perda da esposa e outros filhos, o impedia de raciocinar claramente. Com humildade, pediu ao filho que lhe desse a mão e o ajudasse a superar tão difícil etapa da vida.

Por sua vez, o filho, muito emocionado, concordou em perdoar e recomeçaram a tentativa de acerto, juntos outra vez.

Agradeceram e partiram, assim como elas também tomaram seu rumo, estrada afora.

* * *

Muitas vezes somos capazes de efetuar grandes mudanças em nosso ambiente, mesmo que possa nos parecer difícil tal atitude.

Se nos mantivermos firmes em nossas ações nobres, desejosos de mudança interna e, principalmente, contarmos com o auxílio da oração que nos fortalece, podemos modificar para melhor o ambiente que nos rodeia.

Agindo assim, a nossa vida servirá de exemplo a todos aqueles que, por falta de um modelo, permanecem impossibilitados de tomar atitudes salutares.

E a fonte para todo esse aprendizado se encontra na mensagem do Cristo, portadora de ensinamento que nos fará pessoas melhores, capazes de auxiliar a todos indistintamente.



Redação do Momento Espírita.
Em 25.5.2013.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

DVD/Bluray da MDNA Tour é antecipado e lançamento deve ser em agosto

Parece que o tão aguardado lançamento do DVD/Bluray da MDNA Tour tem finalmente uma data para lançamento.

Depois de Madonna dizer durante sua presença no Billboard Awards que o registro seria lançado em setembro, os planos foram adiantados e o lançamento será um mês antes, em 26/agosto, informa o site Madonnarama. Ainda não há confirmação oficial.

A capa oficial ainda não está pronta e poderá ser anunciada até o final do mês de junho. O show foi gravado em Miami e Paris e será lançado pela gravadora Universal Music.

A MDNA Tour terá exibição exclusiva nos Estados Unidos pelo canal Epix no dia 22/Junho. (Ainda não há planos de exibição em outros países). Confira o trailer abaixo:

domingo, 9 de junho de 2013

Desistir


Já pensamos em desistir de algo em nossa existência? Em abandonar definitivamente, em não mais tentar, em dar as costas e deixar de lado?

Pois há coisas na vida que verdadeiramente merecem isso. Coisas que deveríamos todos pensar em desistir.

Quantas vezes tentamos modificar as pessoas que estão ao nosso lado, dando conselhos, brigando, insistindo e discutindo para que elas mudem o jeito de agir, de falar ou de pensar?

Talvez melhor fosse abandonarmos essa postura e tentarmos modificar a nós mesmos.

Analisarmos o próprio comportamento e verificarmos o que poderia ser diferente, como melhorar, como nos liberarmos de atitudes desagradáveis ou nocivas.

Já pensamos em abandonar a necessidade que temos de analisar a vida alheia, julgando e ponderando o que os outros fazem?

Pesamos o comportamento de nosso próximo, emitimos juízo de valor, sentenciamos e damos o veredicto para cada ação executada pelo nosso vizinho, parente ou amigo.

Talvez melhor fosse desistirmos dessa atitude e iniciarmos o julgamento de nós mesmos.

Quanto de nosso tempo utilizamos para verificar o que fazemos, como agimos, de que maneira nos comportamos?

É verdade que, como nos lembra Jesus, é muito mais fácil ver um cisco no olho do próximo do que uma trave em nosso olho.

Mas talvez seja o momento de abandonar e deixar para trás a preocupação com a atitude do outro e analisar melhor a nossa própria.

Já pensamos na possibilidade de abandonar nossa postura crítica, sempre vendo o erro, o deslize, a falha de nosso próximo?

Esquecemos multiplicadas vezes de valorizar a dedicação das pessoas, porque nos concentramos na procura das falhas.

Assim, não temos tempo ou não conseguimos aquilatar o quanto elas se esforçaram, fizeram o seu melhor, dentro da limitação própria que possuem.

Quem sabe, ao olharmos sob esse novo ângulo, consigamos eliminar a crítica destrutiva, o olhar de reprovação, o comentário pesado.

Esses, muitas vezes, levam ao desestímulo, à desistência de muitos de tal ou qual atividade, sem proveito algum.

Quantos de nós temos perante a vida um olhar de pessimismo, desânimo, analisando tudo e todos sob uma ótica negativa.

Com certeza, melhor seria renunciar a tal posição, enchendo nosso horizonte de bom ânimo, alegria e gratidão à vida, que tanto nos oferece e oportuniza.

Assim, quando tantos desistem de coisas importantes, relevantes, quando tantos abrem mão de compromissos e responsabilidades, sejamos nós os que desistamos de outra maneira.

Desistamos daquilo que apenas nos pesa ao coração, que nos dificulta o progresso, que entrava a marcha para o Alto para, finalmente, optarmos pelo bem e pelo bom, tendo Jesus como referência em nossas atitudes e comportamento.

Jesus, Modelo e Guia para toda a Humanidade.



Redação do Momento Espírita.
Em 22.5.2013.

sábado, 8 de junho de 2013

Águia ou Galinha?

Minha amiga Liane mandou este vídeo para eu assistir e achei bem interessante...

E ai?!

Você é uma águia ou uma galinha?!

Abraxos!!!


sexta-feira, 7 de junho de 2013

Drama Íntimo


O ônibus, naquela manhã, estava superlotado. O rapaz se acostumara aos empurrões, apertões, pois aquela era sua condução de todos os dias.

Um homem alto, entroncado, foi se aproximando dele e comprimindo-o contra as demais pessoas.

Desconfortável em sua situação, o jovem tentou se acomodar melhor, quando sentiu o peso de um pé muito grande sobre o seu pé direito.

No momento, não sabia o que doía mais: se o pisão ou o fato de, naquela manhã, ele estar calçando sapatos novos. Diga-se, de passagem, ainda não pagos, pois os adquirira à prestação, na véspera.

Senhor, disse ele, seria possível tirar o seu pé de cima do meu?

O homem destilou raiva pelos olhos e, pisando mais forte, perguntou:

E daí? Quer encarar? Vai querer briga?

O jovem contraiu o cenho, mordeu os lábios e não disse mais nada. Não era uma criatura excepcional, mas já aprendera, apesar dos poucos anos vividos, que revidar não é uma boa opção.

Por estar próximo do seu destino, puxou o pé, deu o sinal e desceu do ônibus, no ponto seguinte. O sapato estava estragado, rasgado em sua parte superior. Ele ficou bastante triste.

* * *

Dias depois, no templo religioso onde se entregava ao trabalho voluntário, viu adentrar o homem do ônibus. Estava com o rosto carregado, contraído.

O que será que ele quer? Pensou o rapaz. Nem briguei com ele.

O agressor olhou ao redor e, vendo-o na recepção, se aproximou.

Moço, quem pode me ajudar? Estou desesperado.

E, como se desejasse compartilhar com outra pessoa a dor que o atormentava, foi narrando, aos atropelos, a sua tragédia.

Sua mulher, desde alguns meses, enlouquecera. Operário, ele saía cedo para o trabalho e a amarrava na cama. Em outro quarto, ele trancava os quatro filhos pequenos.

Já a internara mais de uma vez em hospital para doentes mentais.

Quando retornava, à noite, entre os gritos e agressões da esposa demente, ele precisava alimentá-la, banhá-la. Atender aos filhos. Preparar a marmita para o dia seguinte.

Estava tão desesperado, confessou, que provocava as pessoas na rua, a fim de que alguém, enfurecendo-se o matasse. Assim, ele acabaria com o seu calvário.

Então, o rapaz entendeu. Aquele homem rude era apenas um homem muito sofrido.

Ele tinha um problema tão grande, que se tornara agressivo, a fim de se ver livre da aflição.

* * *

Nunca julguemos pelas aparências. Se alguém é grosseiro para conosco, não nos ofendamos com essa atitude. Pode ser que a pessoa tenha um motivo oculto.

Assim, a reação violenta das pessoas é, muitas vezes, resultante da violência da vida, de problemas que aturdem o ser humano.

Saibamos compreender, ajudar e passar adiante. Coloquemos, tanto quanto possível, o algodão da calma nessas feridas abertas que fazem os seus portadores quase adentrarem pelos arraiais da loucura.



Redação do Momento Espírita, com base no cap. 29, do livro
Semeador de estrelas, de Suely Caldas Schubert, ed. Leal.
Em 21.5.2013.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Como emagreci 20 quilos... - Parte 2


Bom, hoje venho na verdade dar uma dica e ao mesmo mostrar como foi que consegui calcular e ainda consigo, minhas calorias...
Lembro-me que quando eu tinha uns 14 anos (faz tempo... rs), uma amiga estava fazendo uma dieta também calculando calorias e era um porre... rs
Andava com uma apostila para todo lado, e toda vez que comia algo, tinha que ver as medidas, valor calórico e tal...
Eu fui pesquisar na Internet as tabelas calóricas dos alimentos, mas sinceramente, estava desanimado... rs
Foi então que, por acaso, achei esse aplicativo para iPad ou iPhone chamado "FatSecret"




Olha, ele é ótimo!!!
Tem vários idiomas e é super fácil de utilizar!!!
O bom é que você pode usá-lo no seu iPad, no seu iPhone e ao mesmo tempo no computador de mesa... Eles se conectam via Internet e tudo fica atualizado!
Você faz o registro e pronto! É só usar!!!
Na parte de pesquisa, é só colocar o que comeu e pronto!!!
Vou adicionar várias imagens do aplicativo nesta postagem para que vocês possam ver e entender melhor...
Fica aqui minha dica!!!

Abraxos!!!


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sentir na própria pele


Uma determinada ONG alemã apresentou, de forma inusitada, um excelente exemplo de marketing social.

Em alguns cinemas da Alemanha, o público entrava para assistir aos filmes e se deparava com diversos cobertores dobrados, colocados um em cada poltrona.

Nada foi dito ou explicado e, conforme os primeiros anúncios e trailers iam passando, a sala começava a esfriar, chegando a temperaturas baixíssimas, similares às das madrugadas de inverno naquela região.

Então, subitamente, uma mensagem começava a aparecer, mostrando moradores de rua em muita dificuldade, assim como seus próprios relatos narrando os problemas causados pelo frio intenso.

Ao final da mensagem, um deles, inclusive, em tom de bom humor, dizia para que não incomodassem mais as pessoas no cinema e as deixassem assistir a seus filmes.

A campanha finalizava avisando às pessoas que, em cada cobertor que receberam, havia um código, que poderiam ler com seus celulares, e efetuar uma doação espontânea para ajudar os moradores de rua, os sem teto.

O resultado foi surpreendente. Após realizarem a experiência em diversas salas de cinema de todo o país, computaram um retorno de noventa e cinco por cento, isto é, noventa e cinco por cento das pessoas que estiveram nessas salas de cinema se comoveram e fizeram doações.

* * *

A interessante experiência revela que ainda precisamos sentir na própria pele para que desenvolvamos a verdadeira empatia para com o outro.

Colocar-se no lugar do outro é fundamental para que possamos entender a situação do nosso próximo e ajudá-lo sem ressalvas e sem medo.

Deus e Sua providência, nos processos das vidas sucessivas, nos coloca em tais situações, para que aprendamos a enxergar a vida, as pessoas, estando do outro lado.

Assim, renascemos, muitas vezes, em condições opostas às que antes tínhamos no planeta, como por exemplo, tendo que lidar com a miséria material, muitos de nós que, em existência anterior, tivemos tudo e nem sequer olhamos para os lados para encontrar o próximo necessitado.

Em países, onde ainda se vive a realidade de castas, de segregações de raças etc, aqueles que detinham o poder, que viviam privilégios, renascem por vezes entre os subjugados; tanto quanto os que antes ocupavam posições de inferioridade, retornam como ricos, como poderosos – quando necessário.

Essas variações, essas mudanças de lado se fazem necessárias para que alarguemos nossos horizontes e enxerguemos a vida de forma diferente, com menos egoísmo, com menos orgulho.

Costumamos dizer que só quem passou por esta ou aquela situação sabe como é estar lá.

Porém, podemos desenvolver em nós esse costume, essa prática saudável de nos colocarmos no lugar do outro, buscando estar em seu sentimento e, assim, compreendê-lo melhor em todas as situações.

Seremos mais indulgentes e, por consequência natural, mais caridosos com nosso próximo.

A empatia nos tira da indiferença, da estagnação, desse como que sono profundo onde ainda estamos todos nós que insistimos em enxergar apenas nosso próprio umbigo.

Pensemos no outro. Sintamo-nos como o outro. Ajudemos.



Redação do Momento Espírita.
Em 18.5.2013.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Conheça a melhor fruta para emagrecer, reduzir o colesterol e a pressão alta

Veja as melhores aliadas para tratar o diabetes, prevenir a azia, entre outros problemas.

Por Nathalie Ayre

O consumo de frutas é muito importante para uma alimentação equilibrada. Quanto maior a variedade delas, melhor para a nossa saúde, já que suas diferentes cores garantem uma quantidade maior e mais variada de fitoquímicos, elementos que fazem bem para a nossa saúde. "As frutas possuem cores diferentes, pois tem vitaminas e minerais em diferentes quantidades", explica o nutricionista Israel Adolfo. Porém, essas propriedades variadas garantem efeitos específicos em alguns casos, o que faz com que algumas frutas sejam muito importantes para o dia a dia. O ideal é consumir de três a cinco porções diárias para obter a quantidade de vitaminas, nutrientes e fibras que o organismo necessita para funcionar. Mas já que a ideia é otimizar os benefícios dessa turma para a sua saúde e para a dieta, está na hora de fazer as escolhas certas. Veja que frutas você não pode deixar de incluir no cardápio, de acordo com a necessidade:


Maçã para dar saciedade e reduzir o inchaço

A chave para o emagrecimento está em reduzir as calorias ingeridas e aumentar as gastas. Para ter sucesso na primeira empreitada, aumentar a saciedade é essencial, e as frutas em sua maioria oferecem essa característica. "Todas são muitos importantes no processo de diminuição da gordura corporal, pois são ricas em fibras e proporcional uma grande oportunidade de mastigar. Para isso, índico frutas mais duras, como a maçã", classifica o nutricionista Israel Adolfo.

Para completar o combo, a mação oferece outras vantagens, como a presença de pectina. "Esse é um tipo de fibra solúvel que se transforma em gel no estômago e arrasta a gordura para fora do organismo", ensina a nutricionista e clínica Daniela Jobst, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional no Brasil. Suas fibras insolúveis da casca ficam no estômago por mais tempo, retardando mais ainda a fome. E fechando o currículo da fruta, ela ainda tem uma boa quantidade de potássio, nutriente que elimina o sódio extra do corpo, reduzindo a retenção de líquidos e, com ele, parte do inchaço.


Abacate para reduzir o colesterol

Essa fruta é rica em gordura monoinsaturada, aquela considerada amiga do nosso organismo. "O ácido oleico, a mesma gordura do azeite de oliva, protege os vasos sanguíneos e o coração contra infartos, tromboses, entupimento das veias, doenças cardíacas e bloqueia a ação do LDL, chamado de colesterol ruim", explica a nutricionista Daniela. Por isso, o consumo regular do abacate reduz os níveis de colesterol total e eleva os de HDL, o chamado colesterol bom. Mas vale um alerta, já que a fruta tem muitas calorias. "Para apresentar apenas os benefícios, deve ser consumida na quantidade de uma colher de sopa ao dia", ressalta Israel Adolfo. E nada de consumi-lo com açúcar, prefira o cacau em pó se há necessidade de incrementar o gosto, como sugere a nutricionista clínica Nicole Trevisan.


Banana para diminuir a queimação

A banana, principalmente quando está verde, tem substâncias que protegem as paredes estomacais, favorecendo quem sofre com gastrite e azia. "Um estudo preliminar cita que a fruta possui um flavonoide conhecido como leucocianidina, que previne contra o desenvolvimento de úlceras estomacais", explica o nutricionista Israel Adolfo. Além disso, antes de amadurecer ela tem mais amido, que é digerido primeiramente na boca, o que faz com que o estômago produza menos ácido para efetuar a digestão e irrite menos as paredes estomacais, como ressalta Daniela Jobst. Com o processo de maturação, esse amido vai se convertendo em frutose. Mas é preciso cuidado com um tipo em específico. "A banana nanica é ácida, não sendo indicada para quem tem gastrite", alerta a nutricionista Nicole Trevisan.


Limão para quem tem diabetes

A maior parte dos benefícios da fruta é voltada para a saúde do coração, que não deixa de ser prejudicada quando a pessoa tem diabetes, já que a alta da glicose no sangue desgasta e prejudica as artérias e veias. "A alta concentração de ácido nicotínico no limão protege as artérias, prevenindo problemas cardiovasculares, uma tendência para quem tem a doença. O alimento também diminui a viscosidade do sangue, o que é essencial, uma vez que, junto com o diabetes, existem alterações que predispõe a um maior risco de trombose", ensina a nutricionista Daniela Jobst.

Ele também evita hemorragias, devido à presença de ácido cítrico e ácido ascórbico, o que é vantajoso ao paciente com diabetes devido a sua dificuldade de cicatrização. Por fim, a parte branca do limão e a casca também contém pectina, "quando ela é dissolvida em água, produz uma massa viscosa que auxilia no trânsito intestinal e na saciedade, retardando a absorção dos açúcares", desvenda Nicole Trevisan. Isso evita picos glicêmicos, inimigos de quem tem diabetes.


Uva para proteger o envelhecimento celular

Frutas de cores avermelhadas são ricas em antioxidantes. "Eles são compostos necessários para neutralizar os radicais livres, evitando assim que reajam com alguma célula e as destruam. Eles são naturalmente formados em nosso organismo nas reações metabólicas habituais e em situações como estresse, consumo de álcool, tabagismo, entre outros", define Israel Adolfo. Normalmente, os radicais livres são causadores de lesões nas células e tecidos, o que pode provocar diversas doenças à longo prazo. A uva é uma fruta rica em antioxidantes, principalmente na casca e na semente. "As pró-antocianidinas, presente nas cascas e sementes da fruta, são considerados super antioxidante, 20 vezes mais potente que a vitamina C e 50 vezes mais que a vitamina E", explica a nutricionista Daniela Jobst.


Acerola para aumentar a imunidade

A laranja que nos perdoe, mas não há fruta com mais vitamina C do que a acerola. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO) da Unicamp, uma laranja tem cerca de 57 mg de vitamina C, contra 104 mg, aproximadamente, de uma única acerola. E o nutriente é muito importante para o sistema imunológico, pois participa da produção das células de defesa do organismo além de modular o funcionamento da nossa proteção natural. "Encontramos vários artigos que ressaltam a importância desta vitamina no aumento e manutenção da atividade de células do sistema imunológico, como, por exemplo, os mastócitos e macrófagos", considera o nutricionista Israel Adolfo.
 

Morango para blindar o coração

Um estudo conduzido pela Harvard School of Public Health em Boston (Estados Unidos) em 2013 demonstrou que mulheres que consumiam morangos e mirtilos tinham menos chances de infartos do miocárdio. A grande responsável pelo benefício é uma substância chamada antocianina, presente em frutas de coloração vermelha e azul. "Ele também ajuda a reduzir a pressão graças à procianidina", acrescenta Daniela Jobst, nutricionista funcional a clínica.



segunda-feira, 3 de junho de 2013

Como emagreci 20 quilos...

 Atual, com 65 quilos.

Olá Amigos e Amigas,

a um tempinho atrás, postei uma foto minha no nosso perfil no facebook e o comentário foi geral sobre minha aparência... rs
Para que você que não me conhece entenda, eu durante anos estive acima do peso, bem acima do peso rs
Medindo apenas 1, 58 cm, estava pesando 85 quilos.
Não me pense que eu me sentia mal comigo mesmo, porque não me sentia mesmo!
Já não posso dizer o mesmo de muitos ao meu redor...
Durante anos, percebi que minha gordura incomodava mais quem estava ao meu redor, do que a eu mesmo!!!
Piadinhas sem o mínimo de graça sempre eram ditas e ainda mais num país onde a "magreza exagerada" é sinônimo de "beleza".
Mas, para eu, neto de uma Italiana, onde todos são "gordinhos", eu sempre me senti bem comigo mesmo, pois acho que o importante é o interior da pessoa e não seu peso ou a roupa que está vestindo...
Mas, como dizia uma amiga minha, a Mônica, "ser fora do padrão da sociedade, custa caro"!!!
E é verdade!!!
Mas, deixando isso de lado, eu realmente não me importava e não me importo, com meu peso.
Mas, diabético e com problema no fígado, os quilinhos à mais realmente não favoreciam a minha melhora...
Certa vez fiz um exame do coração, onde constatou que meu coração é ótimo, está 100%, mas a gordura que o contorna (gordura abdominal) é que não estava colaborando...
Durante três anos fiz tratamento de diabetes num grande Hospital aqui em Nagoya. Novo, bem conceituado e tal, mas meu médico era péssimo...
Só me dizia que eu precisava fazer dieta, comer menos e tal.
Mas, nunca me explicou exatamente o que precisava comer ou fazer...
Morando sozinho (digo isso em relação à humanos, pois como sabem, de "dog's" tenho a compania de três pestinhas rs), dificilmente cozinhava rs
Muito mais prático comprar um "bento"  pronto no supermercado ou na casa de conveniência (vejam algumas fotos neste post: http://nososcachorros.blogspot.jp/2012/03/bento-o-pf-do-japao-rs.html ).
Se olharam o post, onde tem várias fotos, poderão perceber que a maioria é fritura e com certeza isso quer dizer um alto valor calórico...
Apesar de comer apenas 2 vezes ao dia, eu me alimentava deste tipo de comida o que fazia um alto valor calórico todos os dias...
Meu médico novo, Doutor Mizutani, conversou comigo bastante, me explicando a necessidade de controlar as calorias diárias e também a importância de uma refeição balanceada.
Não por causa do peso, mas sim para poder controlar a diabetes.
Na época, eu andava tendo muitas dores por todo o corpo, minha cabeça então, todos os dias me "matava"!
Resumindo um pouco, depois de toda uma explicação e tal, ele me passou uma dieta. Na verdade, seria mais o consumo máximo calórico diário... 1.800 caloria por dia!!!
Eu realmente achei praticamente impossível fazer isso, pois por minha conta, percebi que consumia diariamente de 3.000 a 4.000 calorias...
Mas, no dia 3 de dezembro de 2012 comecei minha dieta... rs
Pensei muito em como ou o que ira fazer ou comer.
Pesquisei na internet vários livros, dietas, cardápios e etc...
Tudo parecia impossível ou inviável para minha vida, pois era um tal de um pedaço disso no café da manhã, um pedaço daquilo tal hora, meio não sei o que depois e assim foi...
Mas, foi assim, lendo aqui, lendo ali, que trouxe para minha vida o que eu poderia fazer!
Assim, comecei a cozinhar (coisas que raramente fazia) e a fazer saladas!!!
No começo foi terrível!!!!!
Quando ia ao supermercado ou a loja de conveniência, morria de vontade de comer tudo!!!
Doces, pães, salgados e etc!!!
Mas, fui me controlando, vendo a taxa de calorias de cada alimento.
Por exemplo, costumava comer um pão, sanduíche na verdade de atum com maionese.
Este sanduíche tem 345 calorias, enquanto que uma salada pronta na mesma loja, tem apenas 23 calorias...
Sim, não se compara uma salada a um sanduíche, mas pense bem, você pode comer quantas saladas e ainda poderá ser menos o número de calorias consumidas?
E para seu corpo, para sua saúde? O que fará melhor?
Comecei também a lembrar que cada um é cada um, cada um possui um organismo.
Alguns podem comer várias coisas e não engordam, mas não é meu caso.
E foi assim que comecei a me reeducar na alimentação!!!
Cortei o pão, cortei frituras, macarrão e até mesmo o arroz....
O arroz em todas as refeições eu digo!!! E a quantidade também!!! rs
Hoje, não vivo sem salada, fruitas, verduras, legumes, coisas que não faziam parte do meu cardápio.
Continuo comendo "bento" uma vez por dia, mas o de baixa caloria e sempre que acho, um que é balanceado, próprio para saúde.
Existem lugares aqui no Japão que vendem "bento" próprio para diabéticos, mas eu preferi cuidar eu mesmo da minha alimentação.
Como escrevi antes, comecei minha dieta no dia 3 de dezembro de 2012, estava com 85 quilos.
Após 4 meses, em abril deste ano, em uma de minhas consultas, meu peso era de 65 quilos.
Fiz esta postagem para tirar a dúvida de muitas pessoas que andam me perguntando como foi que emagreci tanto em tão pouco tempo...
Deixo claro que na verdade, eu não imaginava que isso iria acontecer.
A parte estética realmente nunca fez parte disso, eu imaginava que podeira emagrecer alguns quilos, mas que não seriam tantos e nem mesmo em tão pouco tempo...
Ainda mais, porque durante este "trajeto" comi várias coisas que não podia... rs
Bom, por hoje é só rs
Depois escrevo mais sobre isso... rs
Até!!!!!

Com 85 quilos.

domingo, 2 de junho de 2013

Um Mercedes bem discreto...

Dias desses passeando pelo AEON (Um dos mais famosos shopping do Japão), deparei-me com uma exposição da Marca de acessórios para carros D.A.D.
Olhem que Mercedes discreto... rs



Para quem gostou e quer mais informações:

sábado, 1 de junho de 2013

As caixas de Deus


Certa noite, um homem teve um sonho. Sonhou que tivera um encontro com Deus e, porque se apresentasse muito triste, Deus o presenteou com duas caixas.

Uma delas era de cor preta, envernizada e a outra de cor dourada, com um belo laço de fita.

Coloque todas as suas tristezas na caixa preta, recomendou o bom Deus. E as suas alegrias, guarde na caixa dourada.

O homem entendeu e, desde aquele dia, passou a proceder de acordo com a recomendação Divina.

Depois de algum tempo, ele se surpreendeu porque a caixa dourada ficava cada dia mais pesada e a preta continuava tão leve quanto na noite em que a ganhara de Deus.

Tomado de curiosidade, abriu a caixa preta. Queria descobrir porque estava tão leve, se quase todos os dias ele colocava ali ao menos uma pequena tristeza.

Foi então que ele viu. Na base da caixa, havia um buraco e por ele saíam todas as suas tristezas.

Pensou alto, falando com Deus:

Por que, Pai, você me deu uma caixa com um buraco e uma caixa inteira, sem nenhum vazamento?

O bom Pai respondeu de pronto: Meu filho, a caixa dourada é para você contar suas bênçãos. Por isso é fechada. A caixa preta é para você deixar ir embora todas as suas tristezas.

* * *

Diz o provérbio popular que tristezas não resgatam dívidas. É verdade. Mais do que isso, guardar tristezas é extremamente prejudicial à vida.

A tristeza é má conselheira, porque empana a percepção mental de quem lhe sofre a presença e lhe perturba o discernimento.

A presença da tristeza produz emoções de sofrimento, que devem ser vencidas a esforço de renovação, a fim de que não se transformem em amargura ou desinteresse pela existência física.

No concerto harmonioso da Criação tudo convida à alegria. Flora e fauna são um poema de maravilhosa estrutura exaltando o Criador.

Apesar da Terra ser um planeta de provas e expiações, é também uma escola de campos verdes de infinita beleza, de perfumes no ar e de cascatas que arrebentam cristais nas pedras.

Nesse conjunto, só o homem é triste porque ele pensa e a insatisfação, o orgulho, o egoísmo, a rebeldia o tornam sombrio, solitário e amargo...

Mas é o mesmo ato de pensar que ergue o homem ao esplendor dos céus e terra, águas e leveza do ar, para agradecer o presente da vida no corpo, que lhe proporciona a evolução.

* * *

A tristeza, quando se instala, espalha destruição, não merecendo, portanto, aceitação em nossas vidas.

Coloquemo-la, então, sempre na caixa preta, sem fundo, para não guardá-la de um dia para o outro, nem da manhã para a tarde ou para a noite.

Depositemos, sim, todos os dias, na caixa dourada da nossa existência, as bênçãos com que Deus nos agracia, lembrando que somente o ato de estar vivo, isto é, reencarnado, deve constituir motivo de alegria, pelas excelentes ocasiões de que dispõe o Espírito para ser plenamente feliz.



Redação do Momento Espírita, com base em lenda de autoria
ignorada e no cap. 4, do livro Perfis da vida, pelo Espírito Guaracy
Paraná Vieira, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 4.5.2013.