Google+ Followers

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Receita: Carne de Soja à Baiana


Rende: 3 porções
Grau de Dificuldade: fácil
Tempo de Preparo: 25 min.
Congela

Ingredientes

2 colheres de sopa de óleo de soja
2 colheres de sopa de azeite de dendê
½ xícara de cebola cortada em fatias
2 dentes de alho picados
2 tomates maduros, picados e sem sementes
4 colheres de sopa de purê de tomate
1 colher de chá de pimenta dedo-de-moça picada
3 colheres de sopa de coentro fresco picado
½ xícara de carne de soja média
Suco de 1 limão
200ml de leite de coco – 1 garrafinha
½ xícara de água
Sal a gosto
Cebolinha fresca picada para decorar

Modo de Preparo

Em uma panela média aqueça o azeite de dendê e o óleo. Adicione o alho, a cebola, o coentro e a pimenta. Antes de dourar junte os tomates picados e refogue por mais 3 minutos.
Acrescente o leite de coco e a água. Assim que ferver abaixe o fogo e junte o suco de limão e a carne de soja, que será hidratada no próprio molho. Adicione o sal.
Cozinhe com a panela semi-tampada por 15 minutos e então desligue o fogo. Se quiser o molho ainda mais grosso estenda o cozimento para 20 minutos. Sirva quente.

Sugestão de consumo: acompanhe com arroz cozido, integral ou branco, salada verde com palmito e batatas assadas.

Variação: para um aroma litorâneo, substitua a água pela mesma quantidade de caldo de alga Kombu* durante o cozimento.

* Alga Kombu. Alga de consistência rígida usada em sopas e para aromatizar molhos. Confere sabor litorâneo aos pratos. Para usar, coloque um pedaço em uma panela com água, leve a fogo alto e, após a fervura, cozinhe por 30 minutos. Utilize esse caldo na sua receita favorita.

Fonte: Livro “Carne de Soja” de Ana Maria Curcelli (www.culinariavegetariana.com)

quinta-feira, 30 de maio de 2013

PEDIDO DE AJUDA!!!


PARA QUEM CRÊ, PARA QUEM TIVER VONTADE...

NOSSA AUMIGA LOLLY QUE ESTÁ COM PROBLEMAS NA COLUNA!!!

ENTÃO, QUEM PUDER, POR FAVOR, ORE POR ELA!!!

AGRADECEMOS DESDE JÁ!!!

O Nascimento de um Mundo Novo


Era um dia de maio de 2009. Grande frenesi e agitação no ar, os animais pressentiam que algo importante estava para acontecer. No plano espiritual a movimentação era intensa, embora com ordem e disciplina. No plano físico, também intensa atividade, embora quase beirando o caos: reforma ainda por terminar, restos de material de construção espalhados pela casa, algumas janelas ainda não pintadas e cheiro de tinta fresca ainda exalando no ambiente. Os trabalhadores encarnados corriam para organizar os últimos detalhes, a ansiedade no olhar, o coração descompassado de emoção... Como definir, na alma, a profundidade daquele dia? Marcava o nascimento de uma nova era, o início da concretização de auspiciosos planos para o futuro: depositava na Terra, Francisco de Assis, o seu posto de socorro avançado para os animais sob o Evangelho de Jesus.
A casa era simples e humilde mas tocada de singela pureza espiritual, já que receberia os pequeninos de Jesus, as criancinhas espirituais do Pai, que compareceram, trazendo seus tutores. Um a um os animais adentravam a casa recebidos com imensa alegria pelos trabalhadores, representantes de Francisco. Nascia para o mundo o Centro Espírita Asseama, a obra do Cristo para os animais, a Casa de Francisco de Assis – o apóstolo da humildade – nada mais natural ser ele o responsável pelo amparo Superior aos animais, às mais humildes criaturas de Deus!
Os animais em festa, a equipe espiritual franciscana em festa. E, pela primeira vez na história, a oração que é sublime poesia do coração de Francisco de Assis, mantida como força viva de seu ideal, foi entoada por todos os trabalhadores do Centro Espírita da Associação Espírita Amigos dos Animais. Francisco, a tudo acompanhou do Portal do Sol. Com lágrimas nos olhos e coração em festa também cantou, esperando que todos se contagiassem com suas palavras de 800 anos atrás. Estava inaugurado o primeiro centro espírita totalmente voltado à espiritualidade dos animais, estava inaugurado o Centro Espírita Asseama.
E, nos dois planos, quantas lágrimas, quantos abraços emocionados, sensação de dever cumprido... Logo, a certeza de que aquele era apenas o primeiro passo, que seria necessário muito trabalho, abnegação e disciplina para a construção daquela casa de amor aos animais, de amor a Deus, de amor a Jesus e a Francisco, de amor aos homens.
Hoje, três anos já são passados e, se muito já foi conquistado, ainda há um longo caminho a percorrer. Convidamos a todos para que vislumbrem o planeta Terra que idealizou o Cristo: um mundo de paz, um mundo de amor e um mundo de fraternidade para todas as criaturas de Deus!
Que juntos possamos auxiliar Francisco de Assis para que tais planos se realizem. Para que a harmonia que vivenciamos no CE Asseama não mais seja uma exceção, e que cada cantinho do Planeta seja o mais sublime exemplo de amor, na perfeita harmonia e obediência às Leis Divinas.

Que a paz do Cristo Nosso Senhor nos envolva a todos.

Equipe Espiritual ASSEAMA (Maio/2012)

Fonte: ASSEAMA

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Onde Anda Nossa Humanidade?





Eis que adentramos a era do Espírito neste século XXI, e encontramos no Consolador Prometido as diretrizes iluminadas para a transição para Planeta de Regeneração. Mas é preciso meditar, afinal o que significa a Era do Espírito? Sem grandes delongas, é a fase em que rompemos com os limites da matéria e abrangendo com o olhar a vida do Espírito, em que saímos da vida única e entendemos a história da evolução, contada em diversas reencarnações, em que ampliamos o entendimento de Deus, de arbitrário senhor para a representação sublime do amor e elevamos o entendimento de Jesus, de profeta sacrificado na cruz para o governador do Planeta Terra.


E eis que Deus, em seu potencial de amor, cria sem cessar. E através de sua bondade nascem espíritos que se fazem as crianças espirituais no reino mineral, iniciando os passos da evolução. E galgam os diversos caminhos do reino vegetal, adentram o reino animal, rumando para a fase de humanidade, onde nos encontramos. Homens somos, conhecedores de Deus e do Evangelho. Homens somos, rumo ao Arcanjo, conhecedores da Doutrina Espírita. E humanos precisamos aprender a ser, como aqueles que viverão a Era do Espírito, entendendo como inconcebível e incompatível com o amor e com as Leis Divinas, qualquer forma de promover o sofrimento ou a dor a espíritos do Senhor.

Sejamos cristãos e deixemos de lado estas práticas primitivas e infelizes que nos igualam às épocas de selvageria da humanidade. Se outrora aplaudíamos leões comendo cristãos, hoje aplaudimos os próprios homens a sacrificar em dor e sofrimento animais em rodeios e touradas, em vaquejadas e farras do boi, criando estridentes risadas e derramando o sangue sagrado de espíritos em evolução, conscientes e inteligentes. Que absurdo há de ser esta pratica para a Era do Espírito? Onde se encaixa na Regeneração? Até quando nos ligaremos a tão primitivos e cruéis meios de diversão, utilizando nossa inteligência para subjugar e maltratar? Quem nos disse que temos o direito de dispor da vida que não criamos de forma tão cruel? Até quando repetiremos os atos praticados grosseiramente na época dos escravos e do holocausto judeu, promovendo câmaras de tortura, tráfico de almas de Deus, como fazemos até hoje vendendo e traficando animais?

Por quanto tempo teremos lojas onde damos preço em vidas e exploramos as criações de Deus, a custa dos seres que nos são confiados, sob nossa ambição?

Quem deu ao homem o direito a promover tanta dor e a impregnar a atmosfera do planeta de tanta violência e crueldade, aplaudindo os rodeios, distantes do entendimento da evolução? Apreendemos animais em circos, distantes do entendimento do amor. Justificamos os matadouros e frigoríficos distantes do que significa a nova era. Derramamos sangue e acreditamos que praticamos o amor, causando choro em nossos irmãos, gritos de horror, e acreditamos que vivemos o Evangelho. Criamos as risadas estridentes em meio a tortura e acreditamos que estamos condizentes com Jesus. Ah, mísera ilusão. Somente este raciocínio, rompendo com o egocentrismo, já seria suficiente para que imediatamente abandonássemos qualquer ato de tortura e sofrimento a qualquer espírito do Senhor, mas se ainda assim precisarmos das diretrizes do Consolador Prometido para direcionar nossa consciência, ei-las, meus irmãos:



O Consolador, Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, questão 136

“–Existem seres agindo na Terra sob determinação absoluta?

-Os animais e os homens quase selvagens nos dão uma idéia dos seres que agem no planeta sob determinação absoluta. E essas criaturas servem para estabelecer a realidade triste da mentalidade do mundo, ainda distante da fórmula do amor, com que o homem deve ser o legítimo cooperador de Deus, ordenando com a sua sabedoria paternal.

Sem saberem amar os irracionais e os irmãos mais ignorantes colocados sob a sua imediata proteção, os homens mais educados da Terra exterminam os primeiros, para sua alimentação, e escravizam os segundos para objeto de explorações grosseiras, com exceções, de modo a mobilizá-los a serviço do seu egoísmo e da sua ambição.”

O Consolador, Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, questão 129

“É um erro alimentar-se o homem com a carne dos irracionais?

-A ingestão das vísceras dos animais é um erro de enormes conseqüências, do qual derivaram numerosos vícios da nutrição humana. É de lastimar semelhante situação, mesmo porque, se o estado de materialidade da criatura exige a cooperação de determinadas vitaminas, esses valores nutritivos podem ser encontrados nos produtos de origem vegetal, sem a necessidade absoluta dos matadouros e frigoríficos.

Temos de considerar, porém, a máquina econômica do interesse e da harmonia coletiva, na qual tantos operários fabricam o seu pão cotidiano. Suas peças não podem ser destruídas de um dia para o outro, sem perigos graves. Consolemo-nos com a visão do porvir, sendo justo trabalharmos, dedicadamente, pelo advento dos tempos novos em que os homens terrestres poderão dispensar da alimentação os despojos sangrentos de seus irmãos inferiores.”

Missionários da Luz, Espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, cap. IV

“...A pretexto de buscar recursos protéicos, exterminávamos frangos e carneiros, leitões e cabritos incontáveis. Sugávamos os tecidos musculares, roíamos os ossos. Não contentes em matar os pobres seres que nos pediam roteiros de progresso e valores educativos, para melhor atenderem a Obra do Pai, dilatávamos os requintes da exploração milenária e infligíamos a muitos deles determinadas moléstias para que nos servissem ao paladar, com a máxima eficiência. O suíno comum era localizado por nós, em regime de ceva, e o pobre animal, muita vez à custa de resíduos, devia criar para nosso uso certas reservas de gordura, até que se prostrasse, de todo, ao peso de banhas doentias e abundantes. Colocávamos gansos nas engordadeiras para que hipertrofiassem o fígado, de modo a obtermos pastas substanciosas destinadas a quitutes que ficaram famosos, despreocupados das faltas cometidas com a suposta vantagem de enriquecer os valores culinários. Em nada nos doía o quadro comovente das vacas-mães, em direção ao matadouro, para que nossas panelas transpirassem agradavelmente. Encarecíamos, com toda a responsabilidade da Ciência, a necessidade de proteínas e gorduras diversas, mas esquecíamos de que a nossa inteligência, tão fértil na descoberta de comodidade e conforto, teria recursos de encontrar novos elementos e meios de incentivar os suprimentos protéicos ao organismo, sem recorrer às indústrias da morte...”

“...devemos afirmar a verdade, embora contra nós mesmos. Em todos os setores da Criação, Deus, nosso Pai, colocou os superiores e os inferiores para o trabalho de evolução, através da colaboração e do amor, da administração e da obediência. Atrever-nos-íamos a declarar, porventura, que fomos bons para os seres que nos eram inferiores? Não lhes devastávamos a vida, personificando diabólicas figuras em seus caminhos?”

“...Os seres inferiores e necessitados do Planeta não nos encaram como superiores generosos e inteligentes, mas como verdugos cruéis. Confiam na tempestade furiosa que perturba as forças da Natureza, mas fogem, desesperados, à aproximação do homem de qualquer condição, excetuando-se os animais domésticos que, por confiar em nossas palavras e atitudes, aceitam o cutelo no matadouro, quase sempre com lágrimas de aflição, incapazes de discernir com o raciocínio embrionário onde começa a nossa perversidade e onde termina a nossa compreensão...”

“...temos sido vampiros insaciáveis dos seres frágeis que nos cercam, entre as formas terrenas...”

Conduta Espírita, Espírito André Luiz, psicografia de Waldo Vieira, cap. 33, Perante os Animais

“Abster-se de perseguir e aprisionar, maltratar ou sacrificar animais domésticos ou selvagens, aves e peixes, a título de recreação, em excursões periódicas aos campos, lagos e rios, ou em competições obstinadas e sanguinolentas do desportismo.

Há divertimentos que são verdadeiros delitos sob disfarce.”

“Esquivar-se de qualquer tirania sobre a vida animal, não agindo com exigências descabidas para a satisfação de caprichos alimentares nem com requintes condenáveis em pesquisas laboratoriais, restringindo-se tão-somente às necessidades naturais da vida e aos impositivos justos do bem.

O uso edifica, o abuso destrói.”

“Opor-se ao trabalho excessivo dos animais, sem lhes administrar mais ampla assistência.

A gratidão também expressa justiça.”

“Os seres da retaguarda evolutiva alinham-se conosco em posição de necessidade perante a lei.”

Fonte: ASSEAMA

terça-feira, 28 de maio de 2013

Receitas caseiras para tirar mofo, odores e manchas de utensílios domésticos

Ninguém gosta de ter uma casa com mofo, manchas e odores nos utensílios domésticos. Quer saber como manter o verniz da sua porta ou afastar moscas da lata de lixo? Ou como eliminar cheiro de cigarro nos cômodos e também conservar como novos seus livros? O Tempo de Mulher divide com as leitoras 10 dicas úteis do livro Sebastiana Quebra Galho - Um guia prático para o dia a dia das donas de casa" (edições BestBolso, do Grupo Editorial Record), de Orminda Machado Salles, conhecida como Nenzinha. A autora dessa “bíblia da limpeza” faleceu (1921-2000), mas registrou no livro alguns dos truques que você vai aprender a seguir. Confira!
 
Lata de lixo sem odores e bichos rondando
 
Afaste bichos e insetos de latas destampadas = Sempre que lavar periodicamente e secar ao sol, salpique dentro da lata um pouco de sabão em pó. Se o lugar onde mora é infestado de moscas, repita o processo diariamente. Se o problema for só o cachorro que a fuça, apenas salpique dentro da lata um pouco de amônia.

Odores = Se o problema for mau cheiro, depois da lata limpa e forrada, coloque dentro um pouco de desinfetante ou bolinhas de naftalina. As opções também ajudam a afugentar insetos.


Evite umidade nos cômodos
 
Para absorver a umidade de um cômodo da casa basta colocar no local algumas porções de lenha seca com suas cascas. Renove as lenhas periodicamente.


Mantenha a pintura de portas envernizadas
 
Para limpar a porta com a garantia de que não saia o verniz, limpe-a com água e algumas gotinhas de amônia.
E para tirar manchas de portas envernizadas ou esmaltadas, corte 1 batata crua ao meio e esfregue-a na mancha.


Mofo no guarda-roupa
 
Para evitar mofo nos armários e gavetas, deixe dentro deles alguns pedaços de giz ou pequenos saquinhos cheios de cal.
Mas se o armário já estiver mofado e com cheiro característico, ferva 1 litro de vinagre em uma panela e, em seguida, coloque-a dentro do armário, destampada, deixando as portas do móvel fechadas. Deixe que o vapor entranhe na madeira por 2 horas pelo menos. Depois desse tempo, retire a vasilha e passe um pano molhado nessa mesma mistura por dentro e por fora do armário. Deixe as portas bem abertas por várias horas para que sequem. Só então volte a colocar as roupas no espaço.


Limpeza do micro-ondas
 
O eletrodoméstico precisa ser limpo periodicamente, certo? Aprenda três maneiras fáceis de mantê-lo conservado e sem odores:

Opção 1 – Passe um pano ou algodão umedecido em álcool.

Opção 2 – Umedeça um pano sintético para limpeza, “molhe” no bicabornato e passe em todo o forno.

Opção 3 – Para uma limpeza mais completa, coloque dentro do micro-ondas 1 copo com água e ligue o forno por 3 minutos para fazer umidade. Depois disso, passe papel ou pano também umedecidos e seque logo em seguida. Esse processo deve ser feito frequentemente para manter a limpeza.

- A limpeza só deve ser feita com o forno apagado e frio.
- Jamais use esponja de aço ou outro abrasivo para limpar.


Limpeza de tapetes e carpetes
 
Para uma simples e boa limpeza, prepare uma mistura feita com 2 xícaras (de chá) de farinha de milho e bórax. Salpique bem por todo o tapete, deixando ficar assim por 1 hora. Depois, é só passar o aspirador.
Quer lavar o tapete? Uma forma simples é umedecer um pano com vinagre e esfregar em toda a superfície. À medida que o pano ficar sujo, renove a operação até que este saia limpo. Depois, deixe secar, de preferência estendido no chão, no mesmo local, para não deformar.

Cheiro de urina = Quem tem cachorro em casa está sempre correndo o risco de ter o tapete “batizado”. Sempre que isso acontecer, lave imediatamente o local com uma solução feita de 1 colher (de sopa) de amônia pura em 1 copo d’água. Enxague com uma esponja e água limpa e, depois, seque com um secador de cabelo.


Tire o cheiro de cigarro da sua casa
 
Antes de colocar o cinzeiro para uso, ponha no fundo dele um pouco de bicarbonato. Isso ajuda a não espalhar o cheiro de cinzas que continuam queimando mesmo depois de apagado o cigarro. E quando for lavar o cinzeiro, elimine o cheiro desagradável de cinzas lavando-o primeiro com suco de limão.
Quer que o cheiro de fumo após reuniões e festas na sua casa vá embora? Conte com uma das opções:

Opção 1 – Num recipiente fundo e largo (serve uma bacia), misture um pouco de essência de pinho com água bem quente e deixe o vapor espalhar por algum tempo no ambiente fechado.

Opção 2 – Outra dica é pegar uma esponja macia e embeber em vinagre branco. Coloque a esponja em cima de um pratinho e deixe num canto qualquer da sala. Deixe agir por algum tempo. O vinagre vai absorver todo o cheiro da fumaça de charutos e cigarros.

Opção 3 – Em ambientes menores, coloque num cantinho da sala 1 maçã (fure-a um pouco com um garfo). Além de absorver o cheiro da fumaça, o aroma da fruta ficará no ar.


Retire odor de malas
 
As malas de viagem, quando abertas depois de um tempão sem serem usadas, exalam um cheiro desagradável. Para eliminar esse mau cheiro, coloque dentro dela por 24 horas (ou na véspera de viajar) uma latinha contendo pedaços de algodão umedecidos na colônia de sua preferência. Depois tampe a latinha (fure a tampa do recipiente) e feche bem. Quando for fazer as malas, vai sentir o cheirinho agradável do seu perfume preferido.
Outra dica é sempre guardar suas malas em lugar seco para evitar que a umidade mofe o couro e revestimentos da bolsa.


Conserve seus livros
 
Pelo menos 2 vezes por ano, passe uma escova de roupa na “cabeça” (parte superior) dos livros e nas páginas para retirar a poeira que ali se acumula.
Para proteger seus livros da umidade, que logo se transforma em mofo, espalhe nas estantes e prateleiras de livros pedaços de algodão embebidos em essência de terebintina, trocando-os periodicamente.

Retire os odores de garrafas e vasilhames
 
Para eliminar odores de um vidro que absorveu cheiro muito forte, lave-o com bastante sabão, enxágue, e ponha bastante mostarda em pó, deixando assim por uma hora. Depois, lave. Se o cheiro persistir, repita a operação.
Outra dica é que quando utensílios de vidro (de porcelana e barro também) ou recipientes como jarras tiverem absorvido odores desagradáveis de produtos que neles estiveram por algum tempo, você pode usar cuidadosamente a solução de 50g de ácido sulfúrico em 1 litro de água. Porém, tome a seguinte precaução: coloque primeiro a água e sobre ela o ácido, e não o contrário. Depois, enxágue muito bem o recipiente em várias águas.
As garrafas térmicas ficam limpinhas e sem aquele odor desagradável se colocar dentro delas por mais ou menos 10 minutos uma solução de água quente e sal. Depois, é só lavar com uma escovinha.

Por KARINA COSTA

Fonte: http://estilo.br.msn.com/tempodemulher/dicas/receitas-caseiras-para-tirar-mofo-odores-e-manchas-de-utens%C3%ADlios-dom%C3%A9sticos 


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Cães amputados ganham patas protéticas e voltam a andar novamente


Martin Kaufmann, fundador da clínica veterinária OrthoPets, ajudou vários animais a recuperar seus movimentos após terem alguns membros de seu corpo amputados.

Nas imagens divulgadas em fevereiro deste ano, Kaufmann foi fotografado no momento em que colocava as próteses em alguns cães.

Um deles é o Naki'o. Ele foi clicado correndo e pulando com as patas artificiais. O cãozinho havia perdido seus membros devido a queimaduras após ser abandonado no Colorado, nos Estados Unidos.

O cão Snow também ganhou uma patinha nova.

Fonte: F5







domingo, 26 de maio de 2013

Receita: Bolo Vegano de Frutas


Ingredientes

3 xícaras de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de gordura vegetal
1 ½ xícara de açúcar cristal ou demerara
1 ½ xícara de leite de soja
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 colher (sopa) de essência de baunilha (opcional)
1/2 xícara (chá) de uvas passas sem caroço
1/2 xícara (chá) de frutas cristalizadas

Modo de Preparo

Misture bem a gordura vegetal e o açúcar até formar uma farofa molhada. Acrescente a farinha de trigo, mexa bem e misture o leite de soja. Adicione as frutas cristalizadas e por último o fermento em pó. Leve para assar em forno pré-aquecido por 40 minutos.

Dica: Você pode cobrir o bolo depois de pronto, com uma mistura de 1 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro batido com suco de limão ou então, ao invés de untar a forma, caramelizar e forrar com fatias de bananas ou maçãs, na hora de colocar a massa do bolo para assar. Fica uma delícia!

Fonte: ASSEAMA

sábado, 25 de maio de 2013

Sem fome de pão


Foi num dia qualquer, de um verão tropical, na cidade de Angra. Lugar paradisíaco, que muitos estamos acostumados a ver estampado em revistas e na televisão.

O garoto aproximou-se da casa bonita, colocou a carinha entre as grades do portão alto e forte, e ficou olhando.

A dona da casa, senhora distinta, regava o jardim. Fazia a tarefa devagar, como quem distribui com as gotas d’água um tanto de carinho.

O menino dos seus nove anos, segurando com ambas as mãos as grades, de um lado e outro do rosto magro, pediu:

Ei, dona, tem pão velho?

Ela se voltou surpresa. Fechou o esguicho d’água. Desde a sua infância, aquele tipo de situação a incomodava. Da adolescência trazia uma mensagem dentro de si de que, quando alguém pedia pão velho, na verdade estava dizendo: Me dá o pão que era meu e ficou na sua casa e você esqueceu de comer, porque tem muitas outras coisas deliciosas para saborear.

Ela caminhou até o portão e perguntou:

Onde você mora?

Ele falou o bairro, bem distante.

Mas é muito longe, disse a senhora.

Pois é. Eu sei que é longe, mas eu tenho que pedir as coisas para comer.

Você está na escola?

Não, disse ele. Minha mãe não pode comprar material.

Agora, ela já estava tão próxima dele que quase o podia tocar. Ele tinha um rostinho tão delicado. Pena que estivesse um tanto sujo.

Pensou nos próprios filhos, tão bem cuidados, penteados, roupa limpa, calçados brilhantes e lancheira cheia para levar à escola.

O rostinho miúdo parecia só ter olhos. Espertos. Inteligentes e sofridos.

Seu pai mora com vocês? Arriscou a dama.

Ele sumiu, respondeu a vozinha triste.

O papo prosseguiu. Ela até se esqueceu do jardim e das flores. Ali estava uma flor muito mais importante e mais necessitada de água, adubo, terra fofinha.

Finalmente, ela se recordou da fome do menino e fazendo um gesto de quem se dirigia para dentro a fim de buscar alguma coisa, exclamou:

Espere um pouco. Vou buscar o pão. Não tenho pão velho. Serve novo?

Não precisa não, senhora. A senhora já conversou comigo. Tchau.

E desapareceu ladeira abaixo.

A resposta caiu como um raio no coração da mulher. Teve a sensação de ter absorvido toda a solidão e a falta de amor daquela criança.

Um menino de nove anos, já sem sonhos, sem brinquedos, sem comida, sem escola e tão necessitado de um papo, de uma conversa amiga.

Naquele dia, a senhora aprendeu um novo significado para o pedido de pão velho. Significa dizer: Converse comigo, dê-me a alegria de ser amado.

Por isso, ela continua dando pão novo, fresquinho, com doce, manteiga, queijo e salaminho. Mas, antes de tudo, ela compartilha o pão das pequenas conversas, um pão que nunca fica velho, porque é fabricado no coração de quem acredita nAquele que disse um dia: Eu sou o pão da vida!

* * *

O pão mata a fome do corpo. A palavra nutre o coração entristecido.

Enriquecido por esse tesouro - a palavra que vibra, sonora, em teus lábios - estende esperança em volta, donde te encontras.

Distribui calor humano a quem se faz carente e alimenta essas vidas em desfalecimento, como quem rega um jardim em ardente dia de sol.



Redação do Momento Espírita, com base em texto de Rosana Mac
Niven Junqueira (Furnas Centrais Elétricas S/A) e no verbete Palavra, do livro
Repositório de sabedoria, v. 2, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de
Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 3.5.2013.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Zoológico do Japão apresenta filhotes de tigre de bengala brancos


O zoológico Tobu em Miyashiro do Japão apresentou nesta quinta-feira (2) quatro filhotes de tigre de bengala brancos.

Eles nasceram há 46 dias e são três machos e uma fêmea.

A mãe deles é uma tigresa de 7 anos de idade.

Fonte: F5




quinta-feira, 23 de maio de 2013

Não existe sofrimento que nos impeça de ajudar


Um grupo de adolescentes, vinculado a determinada instituição religiosa, realizava, de tempos em tempos, uma campanha que chamavam Campanha do quilo.

Viviam numa cidade do interior do Estado e, em cada jornada, saíam pelas ruas, batendo de casa em casa, pedindo alimentos para, posteriormente, atenderem famílias carentes de certa região do município.

Todos se sentiam úteis e motivados, dando sua contribuição àqueles que tinham menos. Uma excelente iniciativa, que busca construir homens e mulheres com maior responsabilidade social e com senso de fraternidade.

Após se dividirem, naquele que era mais um dia de ação no bem, um grupo pequeno chegou em frente a uma casa e bateu à porta.

Demoraram para atender. Depois da segunda ou terceira tentativa, foram recebidos por uma senhora de meia idade, cabisbaixa, quase sem energias, com os olhos vermelhos – olhos de quem chorara muito.

Os jovens fizeram seu pedido, deram suas justificativas, e a moradora, sem nada questionar, pediu que esperassem um pouco.

Enquanto aguardavam, outra mulher se apresentou, mais jovem, também com o rosto marcado pelas lágrimas, mas extremamente incomodada.

Perguntou o que faziam ali, logo naquele momento! E que fossem embora – sem ouvir qualquer explicação dos meninos e meninas à porta.

Esses não souberam muito bem o que fazer, e continuaram ali, esperando.

Um deles até se atreveu a dizer: Mas aquela senhora disse que esperássemos aqui.

A mulher, enfurecida e sem paciência, respondeu: Este não é um bom momento! Precisamos de respeito! Ela acabou de perder o marido! Acabamos de voltar do enterro de meu pai, isto é, do marido dela!

Os jovens ficaram atônitos e sem jeito. Não esperavam por isso.

Quando estavam se retirando, mudos, a senhora apareceu à porta, com um grande saco de cinco quilos de açúcar.

Não havia deixado de ouvir a bronca da filha nos adolescentes, e então se pronunciou, dirigindo-se a ela:

Filha... Não existe sofrimento que nos impeça de ajudar alguém.

Todos ficaram em silêncio... O que dizer num momento desses?

Entregou a sua doação com as últimas forças que lhe restavam naquele instante, e os adolescentes se foram.

* * *

O relato é desses de deixar os olhos mareados e encher o coração de esperança.

Que desprendimento dessa boa alma... Justamente no momento em que mais precisava de ajuda, de consolo, ela ainda encontrou espaço no coração para ajudar.

O sofrer intenso não a impediu de pensar naqueles que precisavam de alimento, de amparo material.

Essa é uma das características do bem sofrer. Ele não nos fecha numa redoma de dor e egoísmo. Por saber sofrer, ele consegue inclusive considerar e entender a dor alheia com mais facilidade.

Ele não pensa que a sua dor é a única e a maior do mundo. Existem outras dores e outras almas precisando de auxílio.

Pensemos muito sobre esta lição:

Não existe sofrimento que nos impeça de ajudar alguém...

Pensemos nisso... Pensemos agora.

Redação do Momento Espírita.
Em 2.5.2013.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Blog "Emagrecendo com a Cabeça"


Não me lembro exatamente como, mas achei este blog e sinceramente achei-o mais que interessante.
Carla Presutti, a dona do Blog da dicas ótimas para seus leitores.
Bom, sinceramente eu não sei nem o que dizer direito, pois estou ainda começando a ler suas postagens, mas sinceramente estou achando tudo ótimo.
Entrem lá e vejam!!!

Olhe esta postagem:


Leiam a postagem toda em: 

terça-feira, 21 de maio de 2013

O pensamento


Toda coisa grande, majestosa e bela neste mundo nasce e se forja no interior do homem, graças a uma única ideia e a um único sentimento.

Todos os acontecimentos verdadeiros e positivos que nos legaram os séculos passados foram, antes de se realizar, uma ideia oculta na razão e na mente de um homem ou um sentimento sutil no coração de uma mulher.

As fatídicas guerras, mananciais de um caudaloso rio de sangue inocente, foram o produto de um sonho que se incubou no cérebro de um homem.

Os acontecimentos bélicos e as guerras dolorosas que destruíram tronos e derrubaram reinos surgiram de uma ideia absurda na mente de um só homem.

Os ensinamentos sublimes que transformam o curso da vida humana são inclinações românticas no espírito de um só homem que, pelo seu gênio, é considerado estranho ao seu ambiente.

Uma só ideia ergueu as pirâmides. Um sentimento fatal destruiu Tróia. Uma só palavra incendiou a biblioteca de Alexandria.

Um pensamento que se apodera de nós na quietude da noite nos conduz à glória ou à loucura.

Uma palavra pode nos converter em ricos depois da pobreza e em paupérrimos depois da opulência.

* * *

O pensamento é força criadora. Antes de se concretizar qualquer coisa no mundo, o pensamento a concebeu, idealizou e lhe deu forma, na mente de um homem.

Antes de surgirem as maravilhosas obras de engenharia, um pensamento as concebeu. Assim foi com a fabulosa muralha da China, que continua a atrair turistas do mundo inteiro.

Assim foi com a extraordinária estrada de ferro Curitiba-Paranaguá, que até hoje nos extasia, quer pela ousadia de transpor abismos, quer pela persistência de avançar através das montanhas, em meio a uma luxuriante e privilegiada vegetação.

Antes de serem concretizadas no mármore as grandes figuras de Moisés, a Pietá, o pensamento de Michelangelo as idealizou, permitindo depois que as suas mãos despissem a pedra bruta, retirando-lhe os excessos, para dela extrair a beleza que admiramos.

Antes de se transformarem em telas famosas, todos os quadros que se encontram nos museus, nos palácios ou no interior das nossas residências, nasceram no pensamento dos seus pintores, que se serviram de tintas, pincéis, técnica específica para as concretizar aos nossos olhos.

Quando observamos, nas noites enluaradas, a abóbada celestial e sentimos o coração pulsar de emoção, pela beleza das luzes que compõem a glória de Deus, na forma de estrelas piscantes;

quando focamos os telescópios na direção dos corpos celestes, e a ciência humana vai descobrindo sempre novos mundos, plenos de beleza e poesia;

quando, ante a grandeza do Universo que apenas começamos a descortinar, pensamos na pequenez do nosso globo, da nossa Terra, lar e escola, pensemos: tudo é obra do pensamento criador de Deus, nosso Pai.

Num momento de luz do Seu pensamento, surgiram as estrelas coruscantes. Num momento de paz, Ele idealizou o imenso Universo em que nos movemos. Num delicado momento de amor, Ele pensou e criou os Espíritos imortais, que somos nós.



Redação do Momento Espírita, a partir do texto
O pensamento, de Gibran Khalil Gibran, do livro
Um presente especial, de Roger Patrón Luján, ed.
Aquariana.
Em 27.4.2013.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Casal é condenado por incitar cão a atacar gato em frente de crianças


Um casal inglês foi condenado a cumprir 170 horas de serviço comunitário e a pagar uma pequena compensação, além de custos processuais, por soltar seu cachorro da coleira para atacar um gato em frente a uma escola primária em Colchester, no leste da Inglaterra, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

O incidente aconteceu em setembro do ano passado. Andrew e Katy Johnson estavam passando pela escola King’s Ford Junior com seu cachorro, da raça akita, quando avistaram o gato. O casal então soltou o cão da coleira e incitou o ataque. Dezenas de crianças que aguardavam seus pais viram o cachorro atacar e matar o gato, e ficaram horrorizadas.

Após o episódio, o casal recolheu o cachorro e deixou o local. Em audiência no tribunal de Colchester, Andrew e Katy, 28 e 27 anos, respectivamente, se declararam culpados por causar sofrimento desnecessário ao gato, incitar o ataque e por possuir um cão perigoso.

O marido foi condenado a cumprir 95 horas de serviço comunitário, enquanto sua mulher terá de trabalhar por 75 horas. O casal, que pediu desculpas, também foi ordenado a manter o cachorro com uma focinheira e sob uma coleira curta quando em público. Andrew também deverá pagar cerca de R$ 200 ao proprietário do gato, além de R$ 1250 de custos processuais.

Fonte: Terra

domingo, 19 de maio de 2013

Picolé caseiro de frutas


Ingredientes:

5 potes de iogurte natural
Frutas ligeiramente cortadas ( as frutas que mais gostarem )
adoçante ( ou mel )
palitos para picolés


Preparo:

Bater o iogurte com o adoçante ou o mel, dispor as frutas nas forminhas de picolés (se não tiver forminha por ser colocados em copos plásticos descatáveis) e colocar o iogurte já batido, levar ao congelador por +/- 12 horas

OBSERVAÇÃO: se preferir o picolé um pouco mais cremoso pode-se adicionar creme de leite ao iogurte ao bater.


**************

Duas amigas me indicaram esta receita lá no Facebook.
A Claudia Hirashima Dias do Blog "Rosa de Hirashima"e a Sandra Scarlate!!!
Resolvi publicar, porque achei que é muito boa e uma ótima dica para agora que o verão chega aqui no hemisfério Norte...

sábado, 18 de maio de 2013

O que você quer ser quando crescer?


Uma conceituada escola de ioga espalhou, por suas paredes, diversos cartazes, mostrando praticantes em posições consideradas difíceis ou até impossíveis para a maioria das pessoas.

Eram fotos de fazer inveja a qualquer aluno ou admirador da prática oriental. Foram tiradas de praticantes de várias partes do mundo e todos com muita experiência e anos e mais anos de exercício.

Visivelmente se percebia que todos os iogues estavam num estágio diferente de vida, de compreensão das coisas e controle do corpo.

E o mais interessante é que, abaixo de cada grande imagem, havia uma inscrição que se repetia: O que você quer ser quando crescer?

* * *

Fazer tal questionamento a adultos é levá-los a profundas reflexões íntimas, certamente.

Viver sem objetivos maiores, sem almejar ser mais do que já se é, assinala um certo tipo de morte moral, um morrer antes mesmo do fim da existência corporal.

Assim, todos precisamos vislumbrar algo maior e buscá-lo, mesmo que esse anelo esteja a vidas e vidas de distância.

É o caminhar em direção às conquistas da alma que nos faz grandes, ou, crescidos.

Ser conduzido pela vida, pelos acontecimentos, como um barco à deriva, é parar no tempo, é desistir da felicidade.

Precisamos almejar o crescimento e trabalhar por ele diariamente.

O praticante de ioga, como no exemplo trazido, ao vislumbrar as conquistas incríveis de alguns poucos no mundo, inspira-se nelas e segue em frente, pois está no caminho da iluminação, assim, já está sendo iluminado.

Compara-se consigo mesmo e analisa:

Onde eu estava, onde eu estou agora – percebendo o crescimento – e aonde eu desejo chegar – programando a mente para o futuro.

Sim, a mente precisa ser programada e, em alguns casos, reprogramada. É através da ideia construída do pensamento que conseguimos realizar as grandes obras do mundo e do Espírito.

Vale a pena repetir esse questionamento de tempos em tempos: O que eu quero ser quando crescer? Onde quero chegar nesta vida?

* * *

Pensemos nisso:

Pensemos no que desejamos alcançar, colocando sempre em primeiro plano as conquistas da alma. São as mais importantes. São as que levamos conosco.

Antes de sermos invadidos pelo desânimo, pela preguiça, imaginemo-nos lá, onde desejamos estar. Aproveitemos a sensação de plenitude e nos deixemos inundar por ela. Isso nos dará forças para não desistir.

Lembremos que muitos já conseguiram alcançar esse patamar, entendendo a lei de progresso na qual todos nós, Espíritos imortais, estamos inseridos.

Assim, ele não é impossível.

Não é impossível nos livrarmos da inveja, do egoísmo, do orgulho e do ódio. Leva tempo. Custa dedicação e disciplina, mas é totalmente possível.

Os que vieram antes, os que alcançaram graus de perfeição elevados, como Jesus, são a prova de que todos podemos chegar lá.

A perfeição é conquista da alma. Conquista de muito tempo e trabalho.

Perfeitos – é o que precisamos desejar ser quando crescermos. Construindo esse estado futuro na realidade e possibilidade de cada dia. Dia após dia.



Redação do Momento Espírita.
Em 26.4.2013.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Saiba como combater as pulgas nos pets


Se você já percebeu que seu pet anda irritado, se mordendo e arrancando pêlos, cuidado! Ele pode estar com pulgas. Essas parasitas causam desconforto e lesões. Os animais mais sensíveis sofrem ainda com forte reação alérgica.

A veterinária Flávia Guiselini de Souza, 27 anos, explica que o sangue do animal é essencial para a sobrevivência das pulgas, tanto para se alimentar quanto para a maturação dos ovos. “Uma fêmea chega a colocar cerca de 30 ovos por dia e eles geralmente caem no solo do ambiente aonde o hospedeiro (animal) vive, como fendas no assoalho, tapetes e outros locais. Pode se dizer que para cada pulga encontrada no corpo do animal, existem 10 no ambiente onde ele vive”, afirma.

Higienização/ Cida Redecopa, 55 anos, tem dois cachorros infestados de pulgas. Há três meses ela tirou o Lilico das ruas, e há 20 dias apareceu a Mariquita, que ela também fez questão de cuidar. Dona Cida reparou que ambos estavam com lesões no corpo e não paravam de se coçar. Sem saber o que fazer, achou que um banho com shampoo resolveria. “Eu sempre tento deixá-los bem limpos e até veneno eu já cheguei a usar quando descobri que o problema era as pulgas”. O que a dona Cida não sabia é que no quintal também se proliferam os parasitas. Por isso, a situação piorou quando Cida iniciou uma reforma na casa. A veterinária Flávia conta que em lugares em construção há o pior foco de infestação de pulgas e carrapatos, porque os cachorros adoram subir nos montes de areia.

Para dedetizar o ambiente, recomenda-se aplicação de produtos anti-pulgas da linha veterinária. Bastam duas aplicações com intervalos de 15 dias, ou uso semanal, no ambiente. Durante a higienização do ambiente, o dono do pet também deve retirar o animal do local por 48 horas, no mínimo. Paralelo a esse processo, banhos anti-pulga semanais e aplicação de produtos anti-pulga tópicos de longa duração podem ajudar na remoção total da praga.

“Para um combate eficiente precisamos levar em conta o tipo de ciclo de vida da pulga. Como ela tem um estágio de amadurecimento no ambiente, é necessário tratarmos o ambiente e também o animal” explica. De acordo com a profissional, as formas jovens da pulga são muito pequenas, portanto mesmo que não as vejamos, é preciso tratar a casa também, principalmente nos locais onde o animal passa mais tempo.


Ciclo
A vida de uma pulga é curta. Elas vivem geralmente quatro meses, mas esse período pode se prolongar até um ano e meio dependendo da espécie, da temperatura e umidade do ambiente, e do animal que se alimenta. A temperatura também influência no desenvolvimento da pulga antes da forma adulta. Quanto mais quente, mais rápido ela evolui. O desenvolvimento completo, até se tornar adulta, gira em torno de um mês no verão. No inverno o ciclo pode levar meses.

Ataque em cães, gatos e homens
Não existe diferença das pulgas que atacam os cães das dos gatos. A espécie chamada Pulex irritans é a que preferencialmente parasita o homem, embora também possa se alimentar de outros hospedeiros.

Bicho-de-pé e de patas também!
Outra parasita que também tem como hospedeiros o homem, o cão, o gato e até o porco é chamada Tunga penetranso, mas é mais conhecida como "bicho-de-pé". Essa espécie se prolifera em solos arenosos e no homem, ela penetra principalmente pelo pé, calcanhar e no canto dos dedos (dos pés e das mãos).

COMO PREVENIR

- Banhos antipulgas frequentes (quando for possível)
- Uso de produtos anti-pulgas de longa duração em gotas para aplicar topicamente
- Tratar animais e ambiente ao mesmo tempo
- Borrifar ou aspergir periodicamente produtos antipulgas nas casinhas dos cães e no chão onde eles vivem. Camas, tapetes ou cobertores de uso dos animais devem ser lavados com sabão em pó com freqüência
- Evitar o uso do carpete em casas que têm animais. Pisos frios e bem rejuntados, sem frestas, evitam a proliferação das pulgas
- Tosar os animais nas épocas mais quentes;
- Alguns locais, como praças, canteiros e jardins, podem ter focos de pulgas, por serem freqüentados por muitos animais. Se você perceber que o cão volta se coçando dos passeios, evite esses locais.
- Corte sua grama regularmente.
- Evite que animais estranhos entrem em seu quintal.

Patrícia Lacerda
patricia.lacerda@bomdiarede.com.br

Fonte: Terra

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Ração diet para Cachorros e Gatos - ヒルズ 特別療法食 犬用 r/d ou Hill's r/d


Prescription Diet®
r/d® Canino Perda de peso - De baixa caloria

Emagrecimento saudável para cães com excesso de peso.

Quase 50% dos animais de companhia estão acima do peso. Mesmo um pequeno sobrepeso pode conduzir a sérios problemas de saúde. Os quilinhos a mais podem diminuir a predisposição para brincadeiras, interferir na mobilidade e afetar a saúde geral de seu cão. A idade, a falta de exercício físico e os excessos alimentares são alguns dos fatores que contribuem para o ganho de peso.

Muitos alimentos comerciais para animais de companhia contêm quantidades excessivas de sal e gordura, nutrientes que realçam o sabor, mas que também têm efeitos drásticos sobre o peso e a saúde geral de seu cão. Além do exercício físico regular, a escolha do alimento certo para o seu cão tem um papel auxiliar muito importante na conquista do peso adequado.

Na Hill's, nutricionistas e veterinários desenvolveram uma nutrição clínica especialmente formulada para reduzir até 22% da gordura corporal em dois meses, mantendo os cães ao mesmo tempo satisfeitos.


*******************

Essa é a outra ração que uso aqui em casa para os pequenos...
Muito boa!!!
Mas, lembrando sempre que antes deve consulta um Médico Veterinário!!!

terça-feira, 14 de maio de 2013

Somos maioria


Nunca antes na Humanidade houve tantas pessoas fazendo o bem e amando o próximo como em nossos dias.

À primeira vista, a frase parece fora de contexto e mesmo alienada das coisas que vemos.

Temos a impressão de que todos estão fazendo o mal, que poucos são honestos, que ninguém respeita o próximo.

Vemos as notícias na televisão, lemos manchetes nos jornais, escutamos conversas no trabalho e na condução.

Tudo parece convergir e se dirigir para a maldade, para o prejuízo alheio, para gerar dificuldades.

Porém, o que ocorre é que escutamos meias verdades, ou às vezes um pedaço bem pequeno de verdade e, apenas com isso, concluímos ser o todo.

O que não vemos nos noticiários são os milhares de heróis anônimos que ganham sua vida no trabalho honesto e que, com responsabilidade, criam os seus filhos.

Não é notícia as mães e os pais que velam horas a fio o sono de seus filhos para terem certeza que estão bem; que acompanham seus deveres escolares e os educam com amor e carinho.

Poucos comentam a respeito da multidão de voluntários que dedicam horas e horas para minimizar dores, dificuldades e problemas do próximo que, na maioria das vezes é alguém desconhecido. E tudo isso fazem pelo prazer de ajudar.

Esquecemos que se há muitos que transgridem as leis, nunca tivemos tanta proteção legal para as crianças, os idosos, as mulheres e tantas outras minorias na sociedade.

Se ainda existem políticos que não honram seus cargos e missões públicas, há muitos funcionários públicos que trabalham além do que seus contratos preveem, pelo ideal de melhorar a vida da população.

São inúmeros os pesquisadores e cientistas, que dedicam suas vidas para solucionar problemas, encurtar distâncias, salvar vidas, oferecer conforto e bem-estar a todos.

Debruçam-se nos laboratórios, utilizando-se de sua inteligência e ciência, no ideal de conseguir algo que beneficie a Humanidade.

Esquecemos que incontáveis são os médicos, professores, ou ainda garis e pedreiros, que cumprem muito mais que sua missão e seu dever profissional.

São muitos aqueles que se doam generosamente, que oferecem o melhor que possuem, para também contribuir por um mundo melhor.

Há muito mais pessoas honestas que desonestos no mundo. Há muito mais bondade que maldade no coração da maioria de nós. Há muito mais pessoas fazendo o bem do que prejudicando.

Assim, ao olharmos nossa sociedade, lembremos que não estamos sós nem somos minoria aqueles que fazemos o bem, que somos honestos e idealistas.

Apenas somos, aparentemente, transparentes uns para os outros.

Não nos vemos, porém, estamos todos agindo para que os dias, um após o outro, tornem-se melhores e mais felizes.

Dessa forma, não devemos jamais desistir do nosso ideal.

Ao nos imaginarmos sozinhos, basta que olhemos para o lado, e logo perceberemos que somos uma grande maioria, uma multidão mesmo aqueles que semeamos o bem, a justiça e a paz nas estradas da vida.



Redação do Momento Espírita.
Em 25.4.2013.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Ração para Cachorro ou Gato emagrecer - ヒルズ メタボリックス ou Hill's Metabolic


Nos dias de hoje, o que há mais no mundo Pet, são cachorros e gatos acima do peso...
Como em nós, humanos, estar acima do peso, muitas vezes acaba prejudicando a saúde de seu cachorro ou gato, principalmente se ele está bem acima do peso...
Aqui em casa os dois meninos, Cão e Pingo são castrados, o que faz com que eles acabem engordando mais que o normal.
Como ambos não podem engordar muito, estava usando a ração r/d, mas a Médica Veterinária pediu para trocar por uma mais diet.
Se você tem problemas em relação a gordura com seu Pet, eis minha dica.
Mas, lembre-se, antes deve consultar um Médico Verinário!!!


domingo, 12 de maio de 2013

Questão de fé


Via de regra, a grande maioria das pessoas, desde a mais tenra idade, recebe algum tipo de orientação relativa à existência de Deus, à fé, à alma, à diferença entre o bem e o mal.

Em quase todos os lares, as crianças aprendem que existe um pai aqui na Terra e um Papai do céu que, da mesma forma que o primeiro, também cuida de nós e nos vela ao longo de nossas jornadas.

A partir de tal princípio, vamos cultivando os valores inestimáveis da fé.

E sobre a fé e seus valores, o Evangelista Mateus relatou as sábias palavras de Jesus, que nos disse: Se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a este monte: passa daqui para acolá, e ele há de passar, e nada vos será impossível.

Por conta de tão elevada lição do Cristo, nos questionamos:

Qual o tamanho da nossa fé? Que montes são esses que, por meio dela, podemos remover?

Nos momentos de dor, quando um ente muito querido retorna ao plano espiritual e nosso coração se enche de sofrimento e saudade, nossa fé é capaz de nos consolar a alma aflita?

Nos momentos de conflito familiar, nossa fé tem a capacidade de apaziguar nossos sentimentos que, muitas vezes, se tornam confusos?

Nossa fé nos renova as esperanças quando, cansados das ásperas lições da vida, permitimos que o coração se encha de desespero e desolação?

Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, nos exorta que a fé necessita sempre de uma base e essa base é a perfeita compreensão daquilo em que se busca crer.

Para a fé, não basta a crença. É necessário, sob pena de uma fé morta em si mesma, de compreensão.

Compreensão de que seria ilógico que todos os laços fraternos que cultivamos uns pelos outros encontrassem seu fim na morte do corpo físico.

Compreensão de que a família a que hoje pertencemos é um laboratório no qual desenvolvemos e aperfeiçoamos as nobres virtudes que deverão, a seu tempo, serem estendidas para toda a Humanidade.

Compreensão de que os sofrimentos são lições necessárias ao progresso e que, quando com eles conseguimos aprender, nosso ser interior se ilumina um pouco mais.

É essa fé, embasada no entendimento e na razão, que é capaz de nos auxiliar a remover de nossa caminhada as montanhas imensas do egoísmo e do orgulho. Da indiferença e da intolerância. Da falta de paz e do desamor.

* * *

A fé é uma conquista diária do Espírito imortal. Não a temos ainda de todo. Assim, é verdade que, muitas vezes, ela fraqueja e se amedronta.

Não nos sintamos entristecidos por conta disso.

Pelo contrário, a cada um cabe a responsabilidade de fortalecê-la através da razão e da caridade, na certeza de que ela é o meio mais eficaz de compreendermos esse infinito amor que Deus concede a cada um de nós.

Então, amaremos a Deus sabendo porque O amamos. Teremos a certeza da Sua Providência, andando mais seguros em nossa romagem terrena.

A fé desperta todos os instintos nobres que encaminham o homem para o bem. É empolgante e contagiosa. Comunica-se aos que não a possuem ou que a desejam possuir.

Pensemos nisso!



Redação do Momento Espírita, com base no cap. XIX de
O evangelho segundo o espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 24.4.2013.