Google+ Followers

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Transformando a Terra em jardim


No mundo existem pessoas que alardeiam o que irão fazer e nem sempre o fazem. E outras que simplesmente agem, de forma silenciosa.

Essas são realmente as pessoas operosas e que são úteis à Humanidade, ao planeta.

Recordamos de um empresário bem sucedido, baiano, que adotou o Rio de Janeiro como seu segundo lar, por conta da beleza deslumbrante que o impressionou, quando de uma visita, ainda na juventude.

Por ter nascido no meio rural, convivido com a natureza, incorporou o hábito de separar sementes e mudas e plantá-las onde pudessem crescer livremente.

Tornou-se um autodidata da botânica e sua esposa, Satica, filha de imigrantes japoneses, a ele se aliou.

Em 1993, o casal iniciou o plantio de mudas próprias da mata atlântica, no costão leste do Pão de Açúcar, tendo em vista a carência de vegetação nesse local.

No entanto, não bastava plantar. Era necessária a manutenção. E o casal, então, subia e descia o morro, incansavelmente, retirando o insistente capim colonião, que brotava entre as lascas de pedra, de difícil manejo.

Também carregando água, a fim de garantir a sobrevivência das mudas, principalmente em épocas de estiagem.

Sete anos depois, foi a vez do morro Cara de Cão, um acidente geográfico incluído em área de proteção ambiental.

O senhor Nóbile Bulhões e a esposa deram início ao plantio, recuperando espaços degradados e colocando, no lugar de touceiras de capim, árvores que trariam mais alegria à natureza, flores e frutos.

Em dezenove anos, foram plantadas mais de doze mil mudas de pau-brasil, ipê, jequitibá, jatobá, pitomba.

No Pão de Açúcar já se transformaram em árvores frondosas, que trazem sombra, ar puro e paz para os animais locais.

Nóbile lembra que, ao chegar com as primeiras mudas de pau-brasil, foi interpelado por um policial que duvidava que ele e a esposa conseguissem êxito na sua empreitada.

Não cresce nada nesta pedra. Só capim, disse o policial.

Mas Nóbile rebateu: Se eu consegui plantar no sertão, consigo aqui também.

Sua tenacidade venceu.

Hoje, aos setenta e cinco anos, ao lado da esposa de setenta, ao contemplar seu trabalho de formiguinha, afirma, com voz pausada e bem educado: Somos apenas voluntários, cuja recompensa é vermos o fruto de nosso trabalho florescer.

Já pudemos presenciar várias árvores floridas e outras cheias de frutos, que alimentam pássaros. A nossa alegria é termos a certeza de que contribuímos um pouquinho para a natureza do nosso planeta.

* * *

Miremo-nos neste exemplo; um trabalho voluntário, quase anônimo, que começava antes de o dia clarear e só acabava à noite.

E continua até hoje.

Pensemos em como podemos auxiliar nosso planeta a ser um lugar melhor para hoje e para o futuro, fisicamente falando.

Um mundo sustentável, de ar puro, mata abundante, praias limpas.

Pensemos nisso e coloquemos mãos à obra.



Redação do Momento Espírita, com base em dados biográficos de
Nóbile Bulhões e no artigo Senhores do dedo verde, de Mariana
Sgarioni, de Seleções Reader´s Digest, de agosto 2012.
Em 14.2.2013.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Quando chega o momento do adeus

Para algumas culturas e religiões pode ser mais fácil entender o momento da despedida do que para outras, mas a verdade é que por mais que acreditemos que todos os seres vivos tem seu começo e seu fim, a saudade sempre bate e a tristeza no momento da partida é inconsolável.
o momento do adeus

A dor de perder um animal de estimação é como a de perder um familiar.

Com nossos animais de estimação, essa dor é ainda pior. Perder um peludinho é como se perdêssemos um familiar. E na verdade é. Um gato ou cachorro em condições normais vive em média 15 a 18 anos. Para nós, este período de vida pode representar um tempo relativamente curto, mas 15 a 18 anos convivendo com um animalzinho, dividindo seus momentos, participando de suas brincadeiras, cuidando de suas necessidade e recebendo tanto amor e carinho, é um longo tempo e nunca estamos preparados para aceitar quando é a hora da despedida.

Parece que instintivamente, nossos peludinhos sabem quando está chegando sua hora e parecem procurar se esconder e se isolarem de nós. Param de comer, ficam quietinhos, o brilho de suas vidinhas parece estar apagando e é quando nosso coração mais se aperta. Alguns animaizinhos chegam inclusive a tentar fugir quando percebem que estão perto de sua morte.

Só quem já perdeu seu pet sabe a dor que é se despedir, e em muitos casos o momento se torna ainda mais dramático quando se deparam com o cruel dilema: sacrificar, ou não?
o momento do adeus

Animais perto de seu fim podem procurar por esconderijo ou isolamento.

O ato de sacrificar o pet é chamado eutanásia e só pode e deve ser realizado por médicos veterinários com total consentimento da família e tutores do pet. Somente o veterinário, conhecendo a situação do animal e sabendo das condições de seu estado de saúde é quem pode sugerir a eutanásia.

Conhecemos casos de tutores que chegaram a levar o animal para ser sacrificando alegando que o mesmo estava velho e não o queria mais em casa. Ao ser examinado, o animal apresentava excelentes condições de saúde, podendo viver mais um ou dois anos com paciência e cuidados adequados. Qualquer tutor que procure meios como esses para “se livrar” do animal, ou qualquer profissional que aceite sacrificar um animal sem necessidade, está sendo anti-ético e não tem o menor respeito pela vida do animal. Portanto, é necessário esclarecer que a eutanásia é um recurso de última instância e só pode ser utilizado quando todas e quaisquer providências já foram tomadas na tentativa de salvar a vida do animal.
o momento do adeus

A eutanásia pode ser sugerida pelos veterinários em animais com doenças sem cura em estado terminal. Cabe apenas aos tutores optar por realizá-la ou não.

Entendendo o que é a eutanásia

A eutanásia (do grego eu= bem, bom; thánatos=morte), popularmente conhecida como sacrifício, é o ato realizado por médicos veterinários capacitados para proporcionar ao animal com doença incurável em fase terminal, uma morte sem dor e sofrimento. O processo é realizado de forma rápida (15 a 30 minutos) onde o animal é submetido a um sono profundo por meio de anestésicos e seus sinais vitais caem lentamente até a parada cardiorespiratória, sem dor ou sofrimento. O método atual é realizado via intravenosa, ou seja, o medicamento é injetado na corrente sanguínea do animal.

Na maioria dos países, a eutanásia não é permitida em humanos por ser considerada como suicídio. No Brasil, apenas animais em condições necessárias podem ser submetidos ao procedimento. Alguns dizem que não sacrificar um animal em estado terminal que está sofrendo é um ato de egoísmo. Outros afirmam que sacrificar o animal é uma forma de rejeitá-lo durante seu sofrimento. Apesar das controversas, o recurso é bem aceito e utilizado. A decisão do tutor pode levar muito em consideração os esclarecimentos dados pelo veterinário sobre o processo, e a certificação de que é uma forma indolor de o animal tão amado se livrar de seu sofrimento e agonia.

Mas, como superar a dor da despedida? Algumas pessoas optam por adquirir outro animalzinho de estimação quando percebem que o seu já está caminhando para a velhice. Pode ser uma boa ideia se o animal que já está na residência não apresenta doenças. Caso o animalzinho já esteja doente ou muito fraco, a presença de outro animal para dividir a atenção poderá piorar seu estado. Outras pessoas preferem manter apenas um e cuidar até seu fim e após a morte de um, pensar em seu sucessor. A dor é maior nesses casos, uma vez que o vazio e a solidão pela falta do animal no local são mais profundos, mas a presença de um novo animalzinho pode ser um bom consolo.

Não existem fórmulas ou segredo para tornar o momento mais tranquilo ou menos doloroso, a questão é aprendermos a lidar com as saudades e saber que demos uma vida digna e feliz ao nosso tão amado peludo. Portanto, aproveite, brinque e curta seu animalzinho de estimação, ele merece seu amor e carinho e te fará muito feliz durante seus anos de vida. Além disso, diversas pesquisas já comprovaram que animais amados vivem mais e sofrem menos no momento do adeus.
o momento do adeus

Estatísticas mostram que o tempo de vida dos animais dobrou desde os últimos 20 anos.

Eles estão vivendo mais

É comprovado que na década de 80, quando os animais não tinham tanta qualidade de vida, se alimentavam com a mesma comida dos humanos e ficavam expostos nas ruas, a expectativa de um cão era de 9 anos e de um gato de 10. Uma década depois, com o início da humanização dos animais, esses números cresceram 12 e 14 anos, respectivamente. Atualmente, graças aos investimentos na área pet, recursos mais acessíveis, esclarecimentos e aperfeiçoamento dos conhecimentos sobre animais, cães podem chegar aos 18 anos e os gatos aos 20. Um número bastante motivador para todos nós que amamos animais!

Claro que precisamos considerar que com a longevidade, vem os problemas. Doenças características da velhice, problemas nos ossos, fraqueza, necessidade de alimentação especial, consultas mais frequentes ao veterinário, menor resistência imunológica gerando contração de doenças e recuperação mais lenta, despesas com medicamentos e tratamentos, entre outros. Mas, para quem realmente ama seu pet, estes fatores não importam desde que o peludo esteja feliz, sem sofrimento e ao nosso lado.

Fonte: http://blogs.jovempan.uol.com.br

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Serviço online permite enviar arquivos de até 1TB de graça

Para usar o SoShare, é preciso fazer um cadastro prévio no site e instalar um plugin no computador

Leyberson Pedrosa/EBC

Engenheiros do grupo BitTorrent desenvolveram um novo serviço de envio de arquivos, o SoShare, lançado na última sexta-feira. Pela ferramenta online, qualquer internauta pode enviar arquivos de grande porte para outra pessoa de forma rápida e diária.

Segundo o grupo, profissionais de diferentes áreas da comunicação e outros criadores de conteúdo não possuíam um serviço rotineiro de entrega de mídias de grande porte como vídeos, áudios e outros formatos. Por isso, os desenvolvedores utilizaram no SoShare o próprio protocolo BitTorrent.

Criado por Bram Cohen em 2001, o BitTorrent permite o compartilhamento de arquivos em que os mesmos dados podem ser baixados e distribuídos por inúmeros usuários.

O SoShare promete funcionar mais fácil do que o anexo de um e-mail e com a vantagem do tamanho. Enquanto muitos serviços de mensagem limitam o envio de arquivos até 25 MB (a exemplo do Gmail), o SoShare promete enviar arquivos individuais de até 1 TB - o que equivale a aproximadamente 350 mil músicas em mp3 com tamanho de 3 MB.

Contudo, para enviar os arquivos pelo sistema, é preciso fazer um cadastro prévio no site e instalar um plugin no computador (disponível apenas para sistemas operacionais Windows e Mac).O serviço ainda está em versão beta (ou seja, em fase final de testes, mas disponível ao público) e pode ser acessado no endereço https://www.soshareit.com.

Atualmente, já existem outros serviços de distribuição de arquivos como o Dropbox ou o Google Drive, mas que não usam o mesmo protocolo de compartilhamento.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Descobrindo a Amizade


Tive um infância muito boa eu acredito.
Fui o primeiro filho, primeiro neto, primeiro sobrinho.
Minha mãe sempre achou que criança precisa se divertir, conhecer coisas novas e tal.
Lembro-me bem que ela me levava todos os dias da semana no Parque da Água Branca, pois morávamos no Bairro Perdizes.
Depois nos mudamos para o Bairro do Itaim Bibi que não tinha nenhum parque perto de casa. Sim, existe o Parque do Ibirapuera, mas não era tão perto assim.
Mas, me lembro que não havia um final de semana que ficava em casa.
Sempre estávamos indo a algum lugar quando não íamos visitar meus avós paternos.
Playcenter eu perdi as contas de quantas vezes fui. Embú das Artes, cinema, parques, circos, Holiday On Ice e etc...
Eu me divertia muuuuito mesmo rs
Só que do meu jeito, pois era uma criança tímida e quieta rs
Em casa, brincava sozinho.
No prédio que morávamos não havia crianças.
Tinha o Serginho, neto de uma senhora que morava lá e às vezes ia passar o final de semana com os Avós.
Ai brincávamos.
Na escola eu era quieto também, tímido.
Falava com outras crianças, mas geralmente ficava sozinho.
Estava acostumado a ser assim. Achava normal...
Com 8 anos meu irmão caçula nasceu, mas não mudou nada rs, a não ser é claro o fato de eu ter que sair com ele para tomar sol no carrinho... rs
Os anos passaram, fui crescendo e continuava fazendo tudo sozinho.
Acho que foi com 10 anos que um dia (não canso de escrever ou dizer isso), eu estava na portão do colégio, logo para entrar com um colega (que não faço a menor idéia de quem era) me pediu para esperar a "Claudia".
Eu não gostei da ideia, pois a única Claudia que eu conhecia que estudava lá, era uma menina que eu não gostava muito, mas para não contrariar a colega que estava ao lado, fiquei.
Para eu ficar sem graça, eis que surge uma outra garota, também chamada Claudia...
Fomos apresentados e eu estava muito sem graça.
Eu sinceramente não sei o que aconteceu, só me lembro que começamos a conversar, conversar, conversar e não paramos mais...
Depois de alguns dias, estávamos grudados e depois de algumas semanas, passávamos praticamente o dia inteiro juntos!!!
A Claudia não sabe, mas até então, eu não tinha tido nenhum amigo ou amiga.
Foi uma experiência nova. Conversar, ver que outra pessoas também passava por problemas parecidos, tinha dúvidas e tudo mais.
A Cláudia foi a minha primeira amiga de verdade (digamos assim) e tínhamos muitas coisas em comum!
Nossos pais se chamavam Wilson, morávamos no mesmo quarteirão, nossos pais estavam separados e moravam juntos... Enfim, várias coisas que só nos uniam.
Sim, hoje eu tenho consciência que foi um reencontro de almas, mas na época eu estava tão feliz com a descoberta da amizade, que não via mais nada.
Escrevendo esse post me vem na cabeça tantos momentos....
Teve uma época que eu saia de casa, passava na casa dela, acordava ela, íamos para o colégio e não nos desgrudávamos.
Ai íamos embora juntos. Cada qual almoçava na sua casa, ai eu ia na casa dela ou íamos dar uma volta, geralmente no Shopping Iguatemi que era o mais perto.
Ai cada qual ia para sua casa, era praticamente hora da janta.
Depois do jantar ou eu ligava ou ela me ligava e passávamos mais não sei quantas horas no telefone...
Kakakakakakakakakakakakakaka só rindo mesmo!!!
Tivemos nossos desentendimentos?! Sim, claro!!!
Mas, sabe o que é o mais impressionante?
Que sempre, sempre deixamos tudo de lado por causa do amor e amizade que sentimos um pelo outro!
Tantas pessoas quiseram e tentaram nos separar, mas sem sucesso!
De amigos, nos tornamos irmãos e depois de alguns anos descobrimos que estávamos ligados espiritualmente.
Disseram uma certa vez (pode ser que não seja verdade, eu não sei), que eu fui o bebê que a mãe dela perdeu antes de ela ter nascido.
Eu acredito por vários motivos.
Tenho a mãe dela como minha segunda mãe, um sentimento que surgiu dentro de mim desde que nos conhecemos.
Sei que a mãe dela perdeu um bebê alguns anos antes de eu nascer.
Sei também que pelo meu "histórico" espiritual, tive dificuldade em nascer duas vezes antes dessa reencarnação...
Mas, isso fica para outro dia, outro post... rs
O que quero escrever hoje é sobre como foi importante e é a minha amizade com a Claudia.
Foi com ela que descobri que eu tinha uma família de verdade.
Sem entrar em muitos detalhes, eu não conhecia a família de minha mãe e (me desculpem a sinceridade), me sentia um E.T. na família de meu pai.
Minha mãe era chamada de "A Japonesa" e eu de "O Filho da Japonesa".
Lembro-me muito bem quando era pequenino e ficava com minha avó e ela me levava na casa de algum parente e sem entrar em detalhes, ela dizia tipo: "Meu neto não é lindo?!" e a pessoa dizia: "Seu neto?! Ele não é seu neto! Ele não é da família! Olhe para ele, é japonês! Você é loira de olhos azuis!!!".
Talvez eu esteja errado, mas nunca senti amor vindo de nenhum deles.
Minha avó gostava de mim, eu sentia isso, mas ela dava muita importância ao que as pessoas achavam e só quando estávamos eu e ela sozinhos, que eu sentia que era diferente, tinha mais amor.
Mas, isso mudou anos depois, bem depois... rs
Meu pai era um homem muito distante, nunca saia comigo e com minha mãe nos passeios.
Sim, ele me amava, nunca duvidei disso, mas éramos opostos.
Então tinha apenas minha mãe, que era e é amiga e companheira.
Mas, naquela época (e confesso que até alguns anos atrás), era controladora, autoritária e exigente.
Eu tinha que falar direito, sentar direito, comer direito, ser perfeito!
A maior parte do tempo eu só escutava: "Não pode isso, não pode aquilo, isso não está perfeito, isso não é assim..." etc...
Vejam bem, isso não é uma crítica! Minha mãe é a melhor mãe do mundo!!!
Só estou escrevendo para que entendam... rs
Então quando a Claudia surgiu na minha vida, foi como uma Luz tão forte, um Sol que além de me iluminar, me aquecia, me dava amor, vida!!!
Minha mãe por exemplo, nunca valorizou a amizade, hoje aos 63 anos, vê o quanto estava errada. pois hoje não tem amiga ou amigo algum...
Ela implicava com minha amizade com a Claudia de uma forma doentia.
Brigamos muito e nunca, nunca deixei que ela se intrometesse nessa amizade e hoje (na verdade já fazem alguns anos) ela viu o quanto a minha amizade com a Claudia, com a mãe dela, foi importante para mim.
Em uma das conversar que ando tendo com minha mãe sobre o passado, contei a ela que era a Claudia e a Mãe dela que cuidavam de mim muitas vezes quando eu estava machucado por causa das surras que meu pai me dava. (um dia talvez conte isso aqui).
Que era com a Claudia que eu ria, me divertia enquanto que dentro de casa só haviam gritos e lágrimas.
Minha mãe hoje reconhece o quanto estava errada em relação a amizade e tem um sentimento de gratidão muito grande pela Claudia e família.
E hoje eu queria falar sobre isso.
Falar o quanto esta menina que hoje é uma mulher, mãe de duas crianças lindas, foi e é importante na minha vida.
Talvez ela não saiba, mas quando brigávamos e não nos falávamos, eu me sentia só e foi quando descobri o que era estar sozinho. Sentimento que até então eu não sentia.
Foi com ela que descobri que existe amor fora da família, que existe amor entre amigos.
Ela mora no Brasil, não nos vemos a mais de 12 anos, mas se querem saber, sei que sempre, quando for preciso, ela estará de braços abertos quando eu precisar.
E eu para ela...
E sabe por que?
Por que assim são os amigos, assim são os irmãos de alma e coração!!!
E acredito que é por causa dela que dou tanto valor aos meus amigos e amigas e que aprendi, sem vergonha alguma, amá-los como se fossem meus irmãos e irmãs e verdade.
Agora a letra de uma música que ela escreveu na primeira carta que me mandou depois que eu vim morar aqui no Japão:

Mudaram as Estações
(Legião Urbana)

Mudaram as estações, nada mudou
Mais eu sei que alguma coisa aconteceu,
Tá tudo assim, tão diferente.
Se lembra quando agente chegou um dia acreditar
Que tudo era pra sempre, sem saber,
Que o pra sempre, sempre acaba
Mais nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguem, só penso em você
E aí então, estamos bem

Mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está
Nem desistir nem tentar agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa

Mudaram as estações, nada mudou
Mais eu sei que alguma coisa aconteceu,
Tá tudo assim, tão diferente.
Se lembra quando agente chegou um dia acreditar
Que tudo era pra sempre, sem saber,
Que o pra sempre, sempre acaba
Mais nada vai conseguir mudar o que ficou
Quando penso em alguem, só penso em você
E aí então, estamos bem

Mesmo com tantos motivos pra deixar tudo como está
Nem desistir nem tentar agora tanto faz
Estamos indo de volta pra casa 
Claudinha, TE AMO!!!

Beijos pra ti e abraxos para todos!!!!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Arqueólogos encontram múmia da dinastia Ming na China

 Foto de múmia com cerca de 700 anos, pertencente ao período da Dinastia Ming, China.

Em 2011, o Museu de Taizhou apresentou ao mundo a descoberta de uma múmia em excelente estado de conservação, com quase 700 anos e que, provavelmente, viveu na época da Dinastia Ming* (governou a China entre os anos de 1368 a 1644).

Descoberta na cidade de Taizhou enquanto trabalhadores realizavam a ampliação de uma estrada, a múmia conserva boa parte de seus traços faciais, como é possível observar na foto. Ela foi encontrada muito bem lacrada dentro de um sarcófago de pedra e encontrava-se imersa em um líquido marrom.

Suas roupas, feitas de seda e algodão, encontram-se muito bem preservadas (para poder ver os detalhes, abra o link do "The Telegraph" ao fim da postagem) e a mulher, de 1,50 metros, ainda usava um anel e outros utensílios, demonstrando seu status social à época.

Por muito tempo os arqueólogos e especialistas chineses não souberam como preservar suas múmias, tanto que aquelas encontradas entre os anos de 70 e 80 acabaram se perdendo. Após as diversas descobertas arqueológicas, os museus chineses iniciaram uma ampliação dos estudos e técnicas de preservação; graças a isso, hoje as múmias recentemente descobertas tem a possibilidade de serem melhores preservadas.

*Durante o governo da Dinastia Ming, foi formado um exército com mais de um milhão de soldados e a Marinha chinesa foi solidificada. Foi durante essa época que grandes projetos como a Cidade Proibida e a Muralha da China foram pensados.

Texto de Talita Lopes Cavalcante
Administração Imagens Históricas

Mais fotos:

 

Foto: BARCROFT
Fonte: The Telegraph (http://www.telegraph.co.uk/news/picturegalleries/worldnews/8361635/Archaeologists-find-Ming-Dynasty-mummy-in-China.html?image=7)

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Santificação Maternal...



Quando percebeste as sublimes vibrações da maternidade no teu seio, foste tomada pela aflição, considerando-se a magnitude do evento para o qual não te sentias preparada.
Não desejavas um filho, nem esperavas que o incidente sexual de que participaste, resultasse na concepção...
De imediato surgiu-te a ideia infeliz do aborto criminoso como solução para o que se te apresentava como problema desafiador.
Anelavas por um futuro rico de oportunidades e de triunfos, o que então se tornaria difícil em razão da presença do filhinho não programado e que nasceria em circunstâncias desfavoráveis.
Quando comunicaste ao companheiro responsável pela tua gravidez, de maneira cruel e cínica, ele escusou-se a qualquer responsabilidade, informando que eras adulta e conhecias os métodos impeditivos da concepção, havendo-te permitido a fecundação com intenções secundárias e infamantes...
A seguir, desapareceu da tua existência, deixando-te abatida e insegura, dominada pelo medo de enfrentar a família e a sociedade que te não compreenderiam a conduta.
Felizmente, na circunstância aflitiva, resolveste buscar refúgio na oração em que leniste a alma sofrida, tomando a decisão de prosseguir corajosamente.
Aqueles eram dias de muita hipocrisia e intolerância.
Nada obstante, aceitaste o desafio, pagando o preço da atitude impensada, quando te facultaste a comunhão sexual irresponsável, e enfrentaste todos os empecilhos que se te apresentaram...
...E renasceu nos teus braços o anjo filial que santificou a tua maternidade.
Embora as dificuldades que advieram, os sacrifícios que te impuseste na condição de mãe solteira e solitária, conseguiste avançar com decisão, amparando o filhinho amado que se transformou na razão mais nobre da tua atual existência.
Transformaste as noites insones ao seu lado febril em experiências de iluminação, entregue ao desvelo e à meditação.
Acompanhaste todos os teus passos inseguros e tentativas de crescimento, oferecendo-lhe ternura, autoconfiança e amor.
O tempo transcorreu lento, mas feliz.
Hoje, quando recordas a jornada vivenciada, emocionas-te e agradeces a Deus haver-te concedido a bênção da maternidade, que soubeste santificar através do amor e da abnegação.
Nunca te arrependeste da decisão de tornar-te mãe.
Aureolada pelos júbilos do dever cumprido, sorris, jubilosamente, e, ditosa, bendizes o filhinho que se transformou em cidadão e ao teu lado está construindo o mundo novo de esperanças e realizações edificantes pelo qual todos lutamos.
Deus te abençoe, mãe abnegada e feliz!
A maternidade, em qualquer circunstância em que se apresente, é dádiva sublime do amor de Deus para todas as criaturas.
Por mais perversa apresente-se a situação em que se concebeu, jamais se permita o aborto criminoso, ceifando a vida do ser inocente que necessita experienciar a oportunidade de crescimento para Deus e para si mesmo.
Ser mãe é tornar-se cocriadora com a Divindade, em sublime oportunidade de santificação.
Viver, portanto, a maternidade em todas as suas expressões, é conquista sublime da criatura humana no seu processo antropopsicológico da evolução.

(Psicografia recebida em 04.03.2011 - Divaldo Franco/Amélia Rodrigues)

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Amizade Preciosa


Amizade é excelente presença de Deus no relacionamento das almas.

As referências à amizade se encontram desde o Antigo Testamento. É dito que quem encontrou um amigo possui um tesouro.

É Jesus que nos dá o exemplo da preciosa amizade. Compulsando os Evangelhos, nós O vemos rodeado pela multidão. Servindo. Curando. Amparando. Ensinando.

Mas, nas noites estreladas, é na casa de Simão Pedro, em Cafarnaum, que Ele distribui as lições mais íntimas.

Para o Seu colegiado, para aqueles homens que haviam deixado suas famílias, suas vidas, para viver uma nova vida, Ele oferece a Sua amizade.

Compartilha Sua vida com eles. Não prescinde dos amigos.

Quando ia a Jerusalém, por lhe ser hostil a cidade, buscava refúgio na casa dos amigos de Betânia: Lázaro, Marta e Maria.

Dedica-se aos amigos. Quando Lázaro adoece, as irmãs o mandam chamar nas distâncias da Pereia. Dois dias de viagem até Betânia. E o amigo vem.

Retira Lázaro das sombras do túmulo, pois que não estava morto. Somente em estado letárgico. Devolve-o à convivência da família pela qual Ele nutre amizade.

Quando adentra a cidade de Jericó e avista Zaqueu, o publicano, sobre a árvore, Ele o olha e diz: Desce depressa. Porque hoje tenho de hospedar-me em tua casa.

Poderia dar a lição do Reino dos Céus ali mesmo. Afinal, o homem estava à espera dEle. Contudo, o Mestre faz questão de demonstrar a importância da amizade. Tenho de hospedar-me em tua casa.

Zaqueu prepara um banquete. O melhor, para o amigo que o acabara de conquistar.

Na ceia derradeira, Ele diz aos Apóstolos reunidos: Vós sois meus amigos... Já não vos chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor. Mas chamei-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo aquilo que ouvi de meu pai.

Após a sua morte, é um amigo, José de Arimateia, que vai ter com Pilatos e requer o corpo de Jesus.

Receava que O lançassem a alguma vala comum. Como restassem apenas poucas horas antes do pôr-do-sol, ele oferece o seu próprio sepulcro novo para jazigo do corpo de Jesus.

Outro amigo de Jesus, Nicodemos, quis prestar ao Mestre um derradeiro serviço. Providenciou que se comprassem cem libras de essências odoríferas e um grande lençol de linho precioso para embalsamar-lhe o corpo.

* * *

Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida.

O amigo verdadeiro é, sempre, o emissário da ventura e da paz.

O amigo verdadeiro ampara nas horas tristes. Alegra-se com as alegrias do outro. Nada exige. Não impõe condições. Aceita o outro como ele se apresenta.

Se algo descobre de mau, desagradável, no outro, sugere, aconselha, sem imposição.

A amizade verdadeira não é cega, mas se enxerga defeitos nos corações amigos, sabe amá-los e entendê-los mesmo assim.

Nos trâmites da Terra, a amizade leal é a mais formosa modalidade de amor fraterno, que santifica os impulsos do coração nas lutas mais dolorosas e inquietantes da existência.



Redação do Momento Espírita, com base no cap. Juventude e amizades,
do livro Cântico da juventude, pelo Espírito Ivan de Albuquerque, psicografia
de José Raul Teixeira, ed. Fráter; no item 174, do livro O consolador, pelo
Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb e no
cap. 12, do livro Sinal verde, pelo Espírito André Luiz, psicografia de
Francisco Cândido Xavier, ed. Cec.
Em 9.1.2013.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Cuidado com… Expressões Redundantes


Todo cuidado é pouco na hora de formular frases ou escrever textos no que diz respeito às redundâncias, ou seja, falar ou escrever informações desnecessárias repetindo-se uma ideia já contida no termo expresso anteriormente.

Veja a seguir frases com expressões redundantes frequentemente utilizadas:

“Eu e minha irmã repartimos o chocolate em METADES IGUAIS.”
Ao dividir algo pela metade, as duas partes só podem ser “iguais”!

“O casal ENCAROU DE FRENTE todas as acusações.”
Seria possível que eles encarassem “de trás”?

“Adoro tomar CANJA DE GALINHA.”
Se é canja que você toma, só pode ser “de galinha”!

“O estado EXPORTOU PARA FORA menos calçados este ano.”
E como ele poderia fazer para exportar para “dentro”?

“Quando AMANHECEU O DIA, o sol brilhava forte.”
Você já viu amanhecer a “noite”?

“Tiradentes teve sua CABEÇA DECAPITADA.”
Alguém já viu um “pé” ser decapitado? Decapitação só existe da cabeça mesmo!

“A criança sofreu uma HEMORRAGIA DE SANGUE e foi parar no hospital.”
Todas as hemorragias são “de sangue”!

“HÁ muito tempo ATRÁS fui a Portugal.”
A forma verbal há já indica que o tempo é no passado.

“Ela é LOUCA DA CABEÇA!”
Você já viu algum louco do “pé”?

“O rapaz se INFILTROU DENTRO da festa sem ser convidado.”
O verbo infiltrar já indica “para dentro”.

“Pessoal, não vamos ADIAR PARA DEPOIS esta reunião!”
O verbo adiar já indica que é “para depois”.

“Será que tenho OUTRA ALTERNATIVA?”
A palavra alternativa significa “outra opção”. A forma correta seria: “Será que tenho alternativa?”

“Eu e meu marido CONVIVEMOS JUNTOS durante dois anos.”
O verbo conviver já expressa a ideia de “viver com”, “junto”.

“A professora ACRESCENTOU MAIS UMA ideia ao projeto.”
Será que ela poderia acrescentar “menos” uma ideia?

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Por que o Coliseu de Roma parece ter uma parte “quebrada”?


O Coliseu foi construído em meados do ano 72 d.C. pelo atual imperador de Roma Flavio Vespasiano, no mesmo local onde outrora foi a sede do palácio de Nero. Com o intuito de servir como um imenso anfiteatro para entretenimento do povo, a gigantesca obra que levou 8 anos para ser concluída, teve cem dias ininterruptos de batalhas entre gladiadores e animais selvagens.

Na estrutura inicial construída por Vespasiano só havia 3 pavimentos mas com a morte do Imperador em 81 d.C., seu irmão Domiciano acrescentou mais um andar à obra que passou a ter
um quarto piso completando 48,5 metros de altura em 189 metros de extensão.

O monumento imponente foi construído em mármore e pedra vulcânica, travertino e ladrilho, dividindo as arquibancadas em três partes com a finalidade de separar por completo as classes sociais romanas.


A Decadência e as Ruínas atuais do Coliseu

O Coliseu (antes chamado apenas de Anfiteatro Flaviano), maior cenário de entretenimento de Roma, viu seus dias de glória chegarem ao fim com a proibição dos espetáculos de crueldade
decretados pelo então Imperador Honório.

Com isso, não era mais utilizado e perdeu suas principais funções, sendo deixado ao tempo pelos governantes e pela população. Nesse meio tempo, vários terremotos abalaram a cidade e a construção foi perdendo as partes mais danificadas por rachaduras do tempo e outras intempéries. Os pedaços quebrados da construção eram saqueados por locais e dizem os historiadores que cada casa de Roma foi construída com um “pedacinho” do Coliseu.

A estrutura erguida até hoje é o principal alvo dos turistas que visitam Roma e por causa de inúmeras fissuras e rachaduras, já passou por diversas restaurações ao longo dos anos.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Os 10 Maiores Poemas Brasileiros - Parte 10


Não há quem não ouça uma poesia e fique imune às suas palavras. Poemas traduzem sentimentos profundos no ser humano à séculos e por isso têm a capacidade de alegrar ou entristecer alguém, dependendo do contexto onde é aplicado.

E é por isso que um grupo de escritores, críticos, jornalistas e professores resolveu escolher os 10 mais importantes e significativos poemas de autores brasileiros de todos os tempos.

Vou dividir esta lista em 10 partes, 10 postagens, em dias alternados.

Achei muito interessante esta lista.

Não apenas para nosso deleite, para homenagear estes poetistas e também homenagear amigas poetistas de blogs amigos.


A Máquina do Mundo 
(Carlos Drummond de Andrade)

E como eu palmilhasse vagamente uma estrada de Minas, pedregosa, e no fecho da tarde um sino rouco
se misturasse ao som de meus sapatos que era pausado e seco; e aves pairassem no céu de chumbo, e suas formas pretas
lentamente se fossem diluindo na escuridão maior, vinda dos montes e de meu próprio ser desenganado,
a máquina do mundo se entreabriu para quem de a romper já se esquivava e só de o ter pensado se carpia.
Abriu-se majestosa e circunspecta, sem emitir um som que fosse impuro nem um clarão maior que o tolerável pelas pupilas gastas na inspeção contínua e dolorosa do deserto, e pela mente exausta de mentar toda uma realidade que transcende a própria imagem sua debuxada no rosto do mistério, nos abismos.
Abriu-se em calma pura, e convidando quantos sentidos e intuições restavam a quem de os ter usado os já perdera
e nem desejaria recobrá-los, se em vão e para sempre repetimos os mesmos sem roteiro tristes périplos,
convidando-os a todos, em coorte, a se aplicarem sobre o pasto inédito da natureza mítica das coisas. (Trecho de A Máquina do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Os 10 Maiores Poemas Brasileiros - Parte 09


Não há quem não ouça uma poesia e fique imune às suas palavras. Poemas traduzem sentimentos profundos no ser humano à séculos e por isso têm a capacidade de alegrar ou entristecer alguém, dependendo do contexto onde é aplicado.

E é por isso que um grupo de escritores, críticos, jornalistas e professores resolveu escolher os 10 mais importantes e significativos poemas de autores brasileiros de todos os tempos.

Vou dividir esta lista em 10 partes, 10 postagens, em dias alternados.

Achei muito interessante esta lista.

Não apenas para nosso deleite, para homenagear estes poetistas e também homenagear amigas poetistas de blogs amigos.


Vou-me Embora pra Pasárgada 
(Manuel Bandeira)

Vou-me embora pra Pasárgada Lá sou amigo do rei Lá tenho a mulher que eu quero Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada Vou-me embora pra Pasárgada Aqui eu não sou feliz Lá a existência é uma aventura De tal modo inconseqüente Que Joana a Louca de Espanha Rainha e falsa demente Vem a ser contraparente Da nora que nunca tive
E como farei ginástica Andarei de bicicleta Montarei em burro brabo Subirei no pau-de-sebo Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado Deito na beira do rio Mando chamar a mãe-d’água Pra me contar as histórias Que no tempo de eu menino Rosa vinha me contar Vou-me embora pra Pasárgada
Em Pasárgada tem tudo É outra civilização Tem um processo seguro De impedir a concepção Tem telefone automático Tem alcaloide à vontade Tem prostitutas bonitas Para a gente namorar
E quando eu estiver mais triste Mas triste de não ter jeito Quando de noite me der Vontade de me matar — Lá sou amigo do rei — Terei a mulher que eu quero Na cama que escolherei Vou-me embora pra Pasárgada.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Os 10 Maiores Poemas Brasileiros - Parte 08


Não há quem não ouça uma poesia e fique imune às suas palavras. Poemas traduzem sentimentos profundos no ser humano à séculos e por isso têm a capacidade de alegrar ou entristecer alguém, dependendo do contexto onde é aplicado.

E é por isso que um grupo de escritores, críticos, jornalistas e professores resolveu escolher os 10 mais importantes e significativos poemas de autores brasileiros de todos os tempos.

Vou dividir esta lista em 10 partes, 10 postagens, em dias alternados.

Achei muito interessante esta lista.

Não apenas para nosso deleite, para homenagear estes poetistas e também homenagear amigas poetistas de blogs amigos.


Poema Sujo 
(Ferreira Gullar)

turvo turvo a turva mão do sopro contra o muro escuro menos menos
menos que escuro menos que mole e duro menos que fosso e muro: menos que furo escuro mais que escuro: claro como água? como pluma? claro mais que claro claro: coisa alguma e tudo (ou quase) um bicho que o universo fabrica e vem sonhando desde as entranhas azul era o gato azul era o galo azul o cavalo azul teu cu tua gengiva igual a tua bocetinha que parecia sorrir entre as folhas de banana entre os cheiros de flor e bosta de porco aberta como uma boca do corpo (não como a tua boca de palavras) como uma entrada para eu não sabia tu não sabias fazer girar a vida com seu montão de estrelas e oceano entrando-nos em ti bela bela mais que bela mas como era o nome dela? Não era Helena nem Vera nem Nara nem Gabriela nem Tereza nem Maria Seu nome seu nome era… Perdeu-se na carne fria perdeu na confusão de tanta noite e tanto dia (Trecho de Poema Sujo, de Ferreira Gullar).

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Os 10 Maiores Poemas Brasileiros - Parte 07


Não há quem não ouça uma poesia e fique imune às suas palavras. Poemas traduzem sentimentos profundos no ser humano à séculos e por isso têm a capacidade de alegrar ou entristecer alguém, dependendo do contexto onde é aplicado.

E é por isso que um grupo de escritores, críticos, jornalistas e professores resolveu escolher os 10 mais importantes e significativos poemas de autores brasileiros de todos os tempos.

Vou dividir esta lista em 10 partes, 10 postagens, em dias alternados.

Achei muito interessante esta lista.

Não apenas para nosso deleite, para homenagear estes poetistas e também homenagear amigas poetistas de blogs amigos.


Soneto da Fidelidade 
(Vinícius de Moraes)

De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento E em louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.