Google+ Followers

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Gato encontrado em lata de piche morre por intoxicação após 2 dias

O gato que havia sido encontrado no dia 17 na Universidade Estadual do Piauí (Uespi) dentro de uma lata contendo piche morreu por volta das 22h da última quinta-feira (19). O animal, que havia sido batizado de “Vitório” não resistiu à intoxicação e veio a óbito por complicações hepáticas.

Foto: Ascom Apipa

Segundo a médica veterinária Gisllya Medeiros, que estava tratando o filhote, seu estado piorou bastante devido à natureza do material, que estava em contato direto com a pele, e também pelo fato de o forte odor agredir de maneira violenta o organismo do animal.

“A grande quantidade de piche piorou tudo, o contato direto com a pele sensível do animal, e o próprio odor também agravou a lesão. Tratamos ele com medicamentos para amenizar a intoxicação, mas não foi o bastante devido à quantidade que material que seu corpo já havia absorvido”, completa a médica veterinária.

De acordo com os funcionários da clínica, o animal recebeu inúmeras visitas interessadas em adotá-lo, caso sobrevivesse, mas a principal interessada era Daniela Ramos, a professora que o resgatou no campus da universidade.

Passeata Nacional Crueldade Nunca Mais

A Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa) está organizando a manifestação nacional contra a crueldade com animais de Teresina, que ocorrerá simultaneamente em outras 100 cidades do país.

O evento da capital acontecerá no dia 22 de janeiro, com concentração marcada para as 16h na avenida Raul Lopes, na altura da Ponte Estaiada, e tem como metas servir de alerta aos maus tratos contra animais e exigir a reformulação da legislação quanto às penas, para que sejam mais rigorosas e efetivas aos agressores.

Fonte: http://www.cidadeverde.com

...


Talvez tenha sido melhor assim, ou melhor, Deus sabe o que faz...
Mas, é muito triste ver isso...
Como também é horrível ver crianças passando fome e/ou serem maltratadas...
Que a Deusa ou Deus, tenha piedade de nós...

Fatos históricos do dia 31 de janeiro


A Batalha de Stalingrado
Soldados da Waffen-SS patrulham Stalingrado.
Em 31 de janeiro de 1943, termina a Batalha de Stalingrado, que ocorreu durante a II Guerra Mundial de 1943, depois de 6 meses de combates, com a vitória da Rússia sobre a Alemanha. Dos 300 mil combatentes de Hitler, 90 mil morrem de frio e de fome e mais de 100 mil são fuzilados.

1736 - Morre Bruno Mauricio de Zabala, fundador de Montevideo.
1797 - Nasce Franz Peter Schubert, compositor austríaco.
1882 - Nasce Ana Pavlova, bailarina russa.
1908 - Nasce Roberto Chavero, o Atahualpa Yupanqui, cantor argentino.
1917 - Os cientistas alemães Otto Hahn e Lise Meitner descobrem o protactinio, elemento radioativo.
1918 - A Alemanha realiza um ataque aéreo a Paris, soltando 14 mil bombas sobre a cidade.
1921 - Nasce Alfredo Cocozza Lanza, conhecido como Mario Lanza, cantor e ator norte-americano.
1923 - Nasce Norman Mailer, escritor e jornalista norte-americano.
1925 - Ajmed Zogu é eleito presidente da República da Albânia.
1927 - Fim do controle militar interaliado na Alemanha.
1929 - Nasce Jean Simmons, atriz britânica.
1935 - Nasce Kenzaburo Oe, escritor japonês e Prêmio Nobel de Literatura em 1994.
1938 - Constitui-se oficialmente em Burgos o primeiro governo espanhol presidido pelo general Franco, que substitui a Junta Técnica do Estado.
1944 - Os norte-americanos desembarcam nas ilhas Marshall, no Pacífico.
1944 - Morre Jean Giraudoux, dramaturgo francês.
1949 - O Papa Pio XII anuncia, em uma audiência pública, o descobrimento da tumba de São Pedro.
1950 - O presidente dos EUA, Harry S. Truman, ordena a produção, no país da bomba de hidrogênio.
1958 - Lançamento no espaço do primeiro satélite norte-americano, o Explorer-1.
1980 - A rainha Juliana, da Holanda, abdica da coroa em favor de sua filha Beatriz.
1987 - Morre Yves Allegret, diretor francês de cinema.
1984 - Morre Ricardo García López, o "K-Ito", humorista e jornalista espanhol.
1994 - Um incêndio destrói o Grande Teatro de Liceo, de Barcelona, construído em 1847.
1996 - Um atentado suicida da guerrilha em Colombo, capital do Sri Lanka, deixa pelo menos 200 mortos e 1,4 mil feridos.

Redação Terra

Madonna: "Give Me All your Luvin'" e "MDNA".


Aqui está o comunicado de imprensa oficial por Interscope Records / Universal Music Group, que inclui um monte de informações novas e interessantes!

Madonna está lançando seu novo single "Give Me All your Luvin'", com Nicki Minaj & MIA em 03 de fevereiro, três dias antes do Superbowl. E foi oficialmente confirmado pela Interscope Records. "Give Me All Your Luvin '" é o primeiro single do álbum MDNA de Madonna , seu 12 º álbum de estúdio depois de 2008 de Hard Candy, que estreou como número 1 em 37 países. A canção foi escrita por Madonna, Martin Solveig, Nicki Minaj e MIA, composta por Martin Solveig e Tordjman Michael e produzida por Madonna e Solveig Martin.

O iTunes vai oferecer mundialemte uma pré-venda da edição 18 Deluxe Edition de MDNA, incluindo um remix exclusivo do novo álbum de Madonna. O remix bônus estará disponível a partir de sexta-feira, 3 de fevereiro até 6 de fevereiro apenas. Durante esse período, o álbum estará disponível por US $ 9,99 e os fãs também receberão o single digital "Give Me All Your Luvin" imediatamente. Este single também estará exclusivo para o iTunes durante tempo limitado. No lançamento, a oferta pode ser encontrada em www.iTunes.com / Madonna.

O vídeo de "Give Me All your Luvin'", dirigido por Megaforce, com tematica de é futebol e torcida - inspirados por sua apresentação no Superbowl. No programa American Idol uma exclusiva, Madonna fará sua première do vídeo de seu novo single "Give Me All your Luvin ", com Nicki Minaj e MIA, durante o IDOL na quinta-feira 2 de fevereiro (08:00 - 21:00 ET / PT) na FOX. O vídeo completo de "Give Me All Your Luvin" estreará no YouTube em 03 de fevereiro, às 9h EST/6am PST. www.youtube.com/Madonna

MDNA , foi gravado em Nova York e Los Angeles e reúne Madonna e William Orbit ("Ray of Light"), que co-escreveu e co-produziu vários cortes no novo álbum. Além de outros co-produtores como: Martin Solveig, a equipe de demolição, Marco "Benny" Benassi e Alessandro "Alle" Benassi, Hardy "Indiigo" Muanza, Michael Malih e Madonna.

"Masterpiece" canção do filme dirigido por Weinstein e Madonna - "WE", que estréia em fevereiro também está incluída no MDNA, bem como a trilha sonora de WE - Música da trilha sonora que está programada para ser lançada em 31 de janeiro nas lojas digitais na Interscope. A versão Compact Disc da trilha sonora está programada para ser lançado exclusivamente na Amazon.com em 14 de fevereiro. A pontuação foi composta, orquestrada e produzida por Abel Korzeniowski.

Fonte: Minsane

Plantas que Curam: CAMOMILA COMUM - Chamomilla recutita


Descrição : Da família das Asteraceae. Herbácea anual, aromática, de caule ereto, de 20 a 50 cm de altura, muiot ramificada e pouco resistente. As folhas são alternas, estreitas e divididas em segmentos numerososo. Os capítulos florais, que sào um conjunto de flores tão estreitamente agrupadas, parecem constituir uma flor, têm a tonalidadeamarela, sendo as centrais hermafroditas e as da periferia femininas, de cor branca.Fruto aquênio epqueno, esverdeado, liso e sem papilho. asce espotâneamente junto às estradas, campos desertos e zonas agrículas. Reproduz-se por semente e tem um bom desenvolvimento em clima temperado. Adapta-se a qualquer tipo de solo, mas tem preferência por solos ricos em matéria orgânica, férteis, frescos, bem drenados, leves e com boa exposição ao sol. No Brasil o cultivo pode ser feito em março e setembro, desde que receba muito água. A semeadura, de preferência, deve ocorrer no smeses de março e abril. A colheita pode ser efetuada três meses após a semeadura. O traço mais característico dessa planta é o intenso aroma que exala de todas as suas partes.
Origem : Sul da europa e ásia ocidental. Em São Paulo é cultivada como ornamental, mas já existe cultura em larga escala em algumas regiões.
Modo de Conservar : Os capítulos florais devem ser colhidos antes da sua abertura c ompleta e secos à sombra, em ambiente arejado, com calor de 40C. Os melhores são aqueles que não vêm acompanhados de folhas ou pedúnculo floral. Quando secos devem ser conservados em recipientes de vidro semi-abertos e longe da umidade.

Nomes populares: camomila-alemã, camomila-comum, camomila-da-alemanha, camomila-dos-alemães, camomila-legítima, camomilinha, camomila-vulgar, macela, margaça-das-boticas, maçanilha, manssanilha, marcela-galega, matricária.

Princípios Ativos: Camazuleno (27,2%), a-bisabolol (antiinflamatório: 11,2%), matricina, cumarina, esteróides, heterosídeos, ácidos graxos e salicílico, vitamina C; Terpenóides: antemol, azuleno, bisaboleno, b-bisaboleno, a-bisabolol, a-bisabololóxido A, a-bisabololóxido B, a-bisabololóxido C, a-bisaboloneóxido A, borneol, b-bourdeno, a-cadineno, calameno, canfeno, 3-careno, B-cariofileno, cis-cariofileno, cariofilenepóxido, camazuleno, camomilol, 1,8-cineole, a-copaeno, B-copaeno, a-cubebeno, r-cimeno, 3-deidronobilina, a-r-dimetilisterina, 3-epinobilina, 1,10-epoxinobilina, eucanabinolida, farneseno, trans-a-farneseno, trans-b-farneseno, farnesol, germacreno-D, guaiazuleno (1,4-dimetil-7-isopropiazuleno), humuleno, hidróxisonobilina, limoneno, lactona sesquiterpena linear, matricarina, matricina, a-muroleno, b-mirceno, mirtenal, mirtenol, nerulidol, nobilina, a-pineno, b-pineno, pinocamfona, a-trans-pinocarveol, a-trans-pinocarvone, sabineno, b-selineno, esfatulenol, a-terpineno, turjone, xantoxilina;
Flavonóides: apigenina, apigenina-7-(6’’-o-acetilato) glucosídeo, apigenina-7-apiosigluosídeo (apiína), apigenina-7-glucosídeo (2’’,3’’)-diacetato, apigenina-7-glucosídeo (apigetrina), apigenina-7-glucosídeo(3’’,4’’)-diacetato, axilarina, crisoeriol, crisoeriol-7-glucosídeo, crisoplenol, crisosplentina, 6,7-dimetóxiquercetina, 6-3-dimetóxiquercetina, eupaletina, eupatoletina, 6-hidróxi-luteolina-7-glucosídeo, isoarmnetina, isoarmnetina-7-glucosídeo, jaceidina, caempferol, ‘Lipophiles flavon’, luteolina, luteolina-4’-glucosídeo, luteolina-7-glucosídeo, luteolina-7-ramnoglucosídeo, 6-metóxi-caempferol, patuletina, patuletina-7-glucosídeo, quercetagetina-3,5,6,7,3’,4’hexametil, quercetagetina-3,6,7,3’4’pentametil, quercetagetina 3,6,7,3’ tetrametil, quercetina, quercetina-3-galactotosídeo (hiperina, hiperosídeo), quercetina-7-glucosídeo (quercimeritrina), quercetina-3-rutinosídeo (rutina), quercetrina, espinacetina.
Ácidos orgânicos: aminoácidos, ácido antêmico, ácido ascórbico, bornil acetato, (-)-butano- 1,3-dil-1-(|Z|-2’-metil-2’-butenoato)-3-isobutirato, n-butanol, butil angelato, ácido cáprico, ácido caprílico, carotonacetonas homólogas, tanino catequina, éster camomila I, éster camomila II, ácido clorogênico, colina, vermelho aldeído crimson, b-damascenona, éster dihidromatricana, cis-en-yn-dicicloéter, ácido 2,4-dihidroxibezóico, (ácido siríngico), 2,5-dihidroxibenzóico (ácido gentísico), ácido 2,3-D-dihidroxicinâmico(ácido antenóblico), ácido 3,4-D-dihidroxicinâmico (ácido cafêico), e-1-(2,6-dimetilfenil)-2-butano-1, epicatecol, benzoato etílico, decanoato etílico, palmitato etílico, etil fenilacetato, ácido ferúlico, frutose, furfurol, 5-(3-furil)2-metil-1-pentano-3-ol (lepalol), 5-(3-furil)2-metil-1-pentano-3 (lepalona), galactose, ácido gálico, tanino, geraniol, glicose, herniarina, hexilacetato, hexilbutirato, hidrocarbonatos, ácido benzóico 4-hidroxi-3-metoxi (ácido vanílico), ácido 3-hidroxi-4-metoxicinâmico (ácido isoferúlico), ácido 3-(2-hidroxifenil)-2-propenóico (ácido o- cumárico), ácido 3-(4-hidroxifenil)-2 propenóico (ácido-r-cumárico), ácido 3-hidróxi-2-metilideno (ácido butírico angelato), angelato isoamil (isopentil), isoamil butirato, isobutil isobutirato, isobutil isovalenianato, isobutil-2-metilbutirato, 4-isopropenil benzaldeído, 4-isopropenil tolueno, 5-isopropil-2-propil-2-ciclohexeno-1, 5-isopropil-2-propil-2-ciclohexeno-1, ácido linoléico, ácido málico, ácido metacrílico e ésteres, ácido 4-metoxibenzóico (ácido anísico), 3-metilamil angelato, 2-metilbutil butirato, a-metilbutil isobutirato, 2-metilbutil-2-metilburato, 2-metilbutil-2-metil propionato, 3-metilideno-4-oxipentil angelato, 2-metilidenopropano-1,3 dil-1-|z|-2’metil-2’-butenoato-3-isobutirato, 2-metil-2-propil angelato, 2-metilpropil butirato, 2-metilpropil 2-metil butirato, 2-metilpropil 3-metil butirato, niacina, ácido oleico, ácido palmítico, ácido péctico, ácido fenólico, álcool perílico, poliacetileno, polissacarídeos, propil angelato, ramnose, ácido salisílico, 7-glucosídeo escopoletina, escopoletol, ácido sinápico, tanino, taraxasterol, tiamina, ácido tíglico e ésteres, triacontano, umbeliferona, xilose (91), ácido dihidrocinâmico, cerótico oleico e linólico, colina, inositose, fitorina, matérias resinosas e pépticas (341) e apigenina (3 a 9%), que se desdobra, por hidrólise, em apigetina;
glicose.

Parte utilizada: Capítulos florais secos.
Propriedades medicinais: antiinflamatória tópica, antinevrálgica, antiespasmódica, analgésica, aperiente, anti-séptica, antiasmática, anti-reumática, antigripal, anti-hemorroidária, antidispéptica, antialérgica, anti-histérica, calmante, carminativa, cicatrizante, desinfetante, emenagoga, emética, emoliente, estomáquica, eupéptica, maturativa, protetora solar, vermífuga, sedativa suave, sudorífica, tônica.

Indicações: afecções de pele (pústulas e fístulas), afecções nervosas, afta, assaduras, cefalalgias, ciática, cistites, cólicas em geral, diarréia infantil, doenças do útero e do ovário, embaraços gástricos, enjôos, estomatite, enxaquecas, feridas, gengivite, gota, indigestões, inflamações oftálmicas, insônia, inapetência, lumbago, mialgias, náuseas, oftalmias, queimaduras de sol, úlceras.

Contra-indicações/cuidados: grávidas ou em lactação; compromete a eficácia de radiografia.
Pode ocorrer rinite alérgica em pessoas sensíveis à camomila.
Efeitos colaterais: Reações alergicas a camomila sao geralmente rela-tadas. As reacoes de hipersensibilidade incluem a anafilaxia, dermatite, mal-estargastrintestinal, lacrime-jacao e espirros. Em grandes quantidades, o miolo da flor seco pode ser emetogenico. A anafilaxia resultan-te de Ifquidos contendo camomila usados em enemas foi documentada, assim tambem como a conjuntivite alergica causada por colirios contendo camomila; E suposto que as manifestagoes alergicas sejam depen-dentes da rota da ingestao. A asma, a colica intestinal, a diarrgia, e o vomito sao relatives ao uso oral, através do cha, a alergia pela inalagao do oleo es-sencial manifesta-se predominantente como asma. Uma reatividade cruzada e relatada entre os pessoas alergicas a carpineira, ao genero aster, aos crisante-mos, e aos outros membros da familia do Asteraceae.
Toxicologia: A toxicidade do bisabolol foi baixa apos a administracao oral em animais, com DL50 agudo de aproximadamente 15 mUkg em ratos e camundongos. Em um estudo de 4 sema-nas de toxicidade subaguda, a administragao de bisabolol (1 a 2 ml/kg) aos ratos não causou nenhuma toxicidade. Nenhuma anomalia de desenvolvimento ou efeito teratogenico observada em ratos e coelhos apos a administragao cronica de 1 mLVkg de bisabolol.

Modo de usar:
infusão:
- 3%; 50 a 200ml/dia (uso interno); 5% (uso externo)
- 5 g do pó por litro.
- 10 a 15 g de flores em 1 litro de água fervente. Esfriar e coar. Tomar 3 a 4 xícaras de chá ao dia. Para combaterafecções bucais, fazer bochechos com o infuso.
Uma colher das de sopa de flores em 1 caneca de água quente. Abafar por 10 minutos. Tomar 3 xícaras das de chá ao dia (digestivo, sedativo e emenagogo).
Compressa ou ablução anal: para hemorróidas
Pó: 2 a 6g/dia.
Tintura: 10 a 30ml/dia.
elixir, , vinho e xarope: 40 a 120ml/dia.
Vinho: macerar por 5 dias 3 xícaras das de chá de flores em 1 litro de vinho branco, agitando 1 vez ao dia. Coar e tomar 1 cálice 3 vezes ao dia, iniciando uma semana antes da data prevista para a menstruação (emenagogo).
Loção: deixar em banho-maria durante 3 horas 1 xícara das de café de flores em 1 copo de azeite. Coar e aplicar topicamente sobre assaduras e queimaduras do sol. Pode ser também usado topicamente em dores de ouvido e nevralgia.

Outros usos: chá das flores para clarear o cabelo. Coloque 1 xícara de café de flores em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver durante 5 minutos. Em seguida, enxágue com agua corrente.
Aromaterapia : Trabalha o desapego e a independência.

Batalha pela vida


Têm crescido, em todos os quadrantes da Terra, os movimentos pela ecologia.

No Brasil, em defesa das tartarugas existe o projeto Tamar. Para a preservação dos animais, o homem se tem esmerado.

Naturalmente por descobrir que, destruindo a vida animal, está decretando problemas graves para sua própria existência sobre a Terra.

O que causa estranheza é que esse mesmo homem decrete a morte do seu semelhante, nas suas nascentes.

Estamos nos referindo aos movimentos pró-aborto, que falam da destruição de vidas humanas, como se não fossem coisa alguma.

São vozes que se unem para exigir a morte dos que, no ventre materno, têm descobertas suas deficiências na área física ou mental.

Esquecem de olhar ao seu redor tais criaturas, pois um dos cérebros mais privilegiados da atualidade é um deficiente físico que nada mais move senão a cabeça. Referimo-nos a Stephen Hawking.

Outros falam, no entanto, do abortamento dito sentimental. É quando a mãe é vítima de violência e engravida.

Fala-se em como ela poderá vir a amar o fruto daquele ato tão terrível. Diz-se que a visão do rebento sempre haverá de trazer à lembrança o ato agressivo por que ela passou.

Contou-nos um amigo da área médica que foi procurado por uma jovem que passou por essa experiência traumática. Descobrira-se grávida e desejava o abortamento.

Quis a Divindade que ela fosse ao consultório de um médico cristão, que lhe falou da bênção da vida, da sublimidade da maternidade.

Após algumas horas de uma boa conversa, ela se foi. Meses depois, ele recebeu uma correspondência. Abrindo o envelope, encontrou uma foto de um bebê lindo, saudável.

Atrás, em letra uniforme, bem desenhada, uma frase curta, mas extremamente significativa: Obrigada por você ter contribuído para que esta foto pudesse existir.

Quatro anos depois, o médico recebeu em seu consultório a mãe e a criança. Porque a foto do bebê estivesse sobre a sua mesa, em um belo porta-retratos, a mãe disse ao filho que era ele, quando bebê.

O menino pegou a foto e olhou com atenção. Depois, se aproximou do médico e perguntou: Tio, me diga onde eu estou mais bonito? Ali, naquela foto ou aqui, ao vivo?

* * *

Em torno do aborto existe uma verdadeira indústria. Atualmente ela se encontra entre as maiores indústrias do mundo.

A jornada de nove meses realizada pelo bebê no útero materno é uma experiência psicoterapêutica para o Espírito que deseja renascer.

Por isso mesmo, a não ser nos casos em que a mãe corra risco de morte, a opção deve ser sempre pela vida.

Proclamemos a vida. Lutemos pela vida.



Redação do Momento Espírita, com base em fato narrado pelo Dr. Alberto Almeida, na Conferência Brasil-Portugal, em 19 de março de 2000, em Salvador, BA.

Em 23.01.2012.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CAMBARÁ - Lantana camara


Descrição : Da família das Verbenaceae, também conhecida como cambará-de-cheiro, cambará-de-espinho, cambará-verdadeiro, camará, camará-de-chumbo, camara-vermelha, camara-miúda, erva-chumbinho, milho-de-grilo, camarajuba, camará-juba, camará-de-espinho. Arbsto de ramos quadrangulares, com pequenos acúleos, formando cerdadeiras moitas. As folhas são opostas, serradas, ásperas, muito aromáticas, com odor de melissa e com sabor amargo. As flores são numerosas e dispostas em cachos, nas cores amarelo, alaranjado e vermelho. Os frutos são agregados em forma de espigas, de cor vinho-escuroe quando maduros são comestíveis. Reproduz-se por sementes, mudas ou estacas, e é cultivada em solo mais ou menos úmido.Ocorre principalmente em pastagens onde é refugada pelo gado, por não ser palatável, em terrenos baldios, beiras de cercas, estradas e em capoeiras, onde o solo é seco e arenoso. A colheita pode ser realizada em qualquer época do ano, de preferência, na estação seca.
Parte Utilizada : Folha e Flor.
Origem : América tropical, mendrando abundantemente por todo o Brasil.
Modo de Conservar : As folhas w flores podem ser utulizadas frescas ou secas ao sol, em local ventilado e sem umidade. Armazenar em sacos de papel ou de pano.
História: Largamente usado na medicina caseira. Faz parte da farmacopeia fiomeopatica.
Habitat: Aparece em todo o pais nas pastagens, capoeiras, beiras de estrada e terrenos baldios. não e palatavel ao gado
Propriedades medicinais: balsâmico, diurético, estimulante, estomacal, expectorante, sudorífera, tônico, tônico pulmonar.
Principios Ativos : Óleo essensial, taninos, mucilagens e alcalóides.

Indicações: afecção pulmonar, asma, bronquite, dor de ouvido, espasmo, febre, peitoral, reumatismo, tosse, vias respiratórias.

Modo de Usar :
Afecções das vias respiratórias, tosses, bronquites, resfriados, catarro, rouquidão, asmas e coqueluches; estados febris - Em um pilão, coloque 2 colheres de sopa de folhas e 1 colher de sopa de flores frescas. Amasse bem. Acrescente em seguida, 1 xícara de café de água fervente. Misture bem e coe. Adicione 2 xícaras de café de açúcar cristal. Deixe dissolver bem o açúcar. Tome 1 colher de sopa, de 2 a 3 vezes ao dia. Para crianças dar somente metade da dose diária.
Reumatísmo; contusões, esfoladuras; dores nas juntas; dores muscularea - Coloque 3 colheres de sopa de folhas frescas fatiadas em 1 copo de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos e coe. Ainda morno, aplique em compressas nos locais afetados.
Dores reumáticas : Em um pilão, coloque 2 colheres de sopa de folhas e flores frescas. Amasse bem, até adquirir uma consistência pastosa. Espalhe em um pano ou gaze e aplique nos locais afetados, 2 vezes ao dia, deixando agir por 1 hora ou durante a noite toda.
Contra-indicações/cuidados: Os frutos, comestiveis quando maduros, sao considera-dos toxicos quando ainda verdes.

Efeitos colaterais: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.
Posologia: Adultos: 30 a 50ml de tintura das partes aereas divididos em 2 ou 3 doses diarias, diluidos em agua 4g de folhas frescas e 2g de flores frescas (2 colheres de sopa +1 colher de sopa) em infuso ate 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs; Extrato fluido: 15ml por dia; O infuso pode ser acrescido de 1 colher de sopa de mel nas afecgoes respiratorias; O infuso tam-bem podera ser usado em compressas como sarnicida e em contusoes e mialgias; A mesma proporgao de ervas do infuso pode ser usada maceradas a seco para cataplasmas em dores, 2 vezes ao dia deixando agir por 2h ou a noite toda; Criangas: usam 1/6, 1/3 ou '/2 dose de acordo com a idade.
Farmacologia: A atividade febrífuga e devida a lantanina. não foram encontrados estudos que confirmem as outras atividades terapeuticas.

Como resgatar um cão da rua?


Eles estão em todos os lugares: perto de lanchonetes – onde não raramente são enxotados -, pontos de ônibus, no meio de avenidas arriscando suas vidas, e parecem ser invisíveis para a maioria das pessoas.

São os cães de rua, vítimas do abandono, da guarda irresponsável, descartados como se fossem um móvel velho sem mais utilidade. De fato, é de cortar o coração de quem gosta de animais e convive com eles em seu lar.

Se você se compadece com essa situação e tem vontade – e condições – de retirar um cachorro indefeso das ruas, saiba como proceder para que haja um final feliz.

Aproximação
Alguns animais estão sempre em estado de alerta; são maltratados, às vezes, até espancados, e por isso, não veem com bons olhos a aproximação de uma pessoa, mesmo que ela tenha boas intenções. Se achar que o cachorro não está com uma cara amistosa, vá com calma e não demonstre nervosismo; cães percebem facilmente o estado de uma pessoa.

Fique a uma certa distância do cão, agachado, para ficar no mesmo nível dele, e coloque alguma ração no chão. Espere que coma, e se aproxime aos poucos para oferecer mais comida. Quando achar que já tem alguma confiança do animal, deixe que ele coma na sua mão e, em seguida, faça um carinho no peito.
Assim, gradativamente, sem assustar o cachorro, mostre a guia para ele, deixe que a cheire, e só a coloque se tiver certeza de sua receptividade.


Veterinário
Antes de levar o bichinho para sua casa, vá ao veterinário para que ele possa avaliar o estado de saúde do animal, estimar sua idade, e principalmente, esterilizá-lo, vaciná-lo e vermifugá-lo. Essas medidas são importantes tanto para a saúde do cão como para a sua e a dos seus pets, pois muitas doenças são transmitidas para o homem e, claro para os outros animais.

Lar temporário
Não deixe o cachorro junto com os outros pets, isole-o num cômodo da casa, com água, comida e caixa sanitária até que ele esteja saudável, caso seja constatada alguma enfermidade. Também é possível hospedá-lo em pet shops e hoteizinhos, onde serão cobradas diárias.
Não leve a abrigos; eles estão sempre lotados e contam com poucos recursos. Se realmente quer ajudar um bichinho, esteja ciente de que ele vai consumir parte do seu tempo e orçamento.

Divulgação
Se não puder ter mais um bichinho na casa e decidir doá-lo, divulgue na internet. Uma boa opção são as redes sociais, como facebook e twitter. Há também vários sites de adoção em todo Brasil que colocam à disposição cães e gatos vítimas do abandono.
Não se esqueça de tirar uma foto do cão informar a idade estimada, sexo e raça.


Guarda responsável
É preciso muita cautela na hora de doar o bichinho. Muitos, na ânsia de se livrarem do animal e não ter mais despesas adicionais, simplesmente o “empurram” ao primeiro interessado que aparece, sem verificar as condições do futuro dono, onde mora, se todos os moradores estão de acordo com a adoção, se já possui outros animais etc.

Por isso, tenha certeza de que o cachorro será bem-acolhido: os da raça pit bull, por exemplo, são procurados por pessoas que promovem rinhas ou empresas que os utilizam como cão de guarda. Então, não se precipite. Entregue o cão somente no endereço do adotante e deixe claro que ele pode devolver o animal, caso não haja adaptação. Isso evitará um novo abandono.

Necessidade de afeto


Morrie era um garoto de apenas oito anos. Seu pai era de origem russa e não sabia falar inglês. Por isso, quando chegou o telegrama, noticiando a morte da mãe, foi o próprio garoto quem leu.

No cemitério, ele ficou olhando jogarem terra sobre o caixão de sua mãe e acreditou que nunca mais seria feliz sobre a face da Terra.

Nos dias que se seguiram, para aliviar a saudade, ele procurava lembrar os doces momentos de ternura que tivera com a mãe.

Eram muito pobres. O pai mudou-se para os Estados Unidos fugindo do exército russo e, nem sempre conseguia emprego.

Por essa razão a família vivia mais da assistência pública do que dos próprios recursos.

Depois da morte da mãe, o pequeno núcleo familiar se transferiu para uma região de muita mata. Durante o dia o garoto e seu irmão se divertiam a correr.

Quando chegava a noite, Morrie ficava olhando para o pai, esperando que ele o acariciasse. Mas o homem rude não manifestava qualquer gesto de afeto.

Morrie se sentia muito só. Sentia grande falta do carinho da mãe. Um ano depois, com apenas nove anos de idade, já se sentia um velho. Parecia carregar o peso do mundo nos ombros.

Então, uma imigrante romena, de feições singelas, se casou com seu pai.

Foi o abraço salvador para o pequeno. Era uma mulher de muita energia. Tinha uma aura que aquecia o lar. Se o marido produzia uma atmosfera cinza, ela transformava em claridade.

Se ele fazia silêncio, ela falava. À noite, cantava para os meninos com sua voz suave, que durante o dia sabia ministrar lições. Ela cantava músicas pobres e tristes, mas os acalentava.

Eva era o seu nome e desejava boa noite aos dois com um beijo para cada um. Era um momento mágico para Morrie. Ele ficava esperando aquele beijo como um pequenino animal espera o seu prato de alimento.

A presença de Eva lhe dizia que ele tinha uma mãe de novo. Muitas vezes o único alimento que tinham era o pão.

Mesmo assim, ela o ensinou a amar o estudo e a se preocupar com os outros. Eva considerava a instrução o único antídoto contra a pobreza.

Ela aprimorava seu inglês, estudando com dedicação, à noite, enquanto os garotos, sentados à mesa da cozinha, também estudavam.

Morrie cresceu e se tornou professor. Setenta anos depois, ao recordar do telegrama noticiando a morte de sua mãe, ainda sentia doer o coração, mas a lembrança de Eva lhe trazia de volta evocações ternas e doces de um tempo em que um menino, assustado e carente de afeto, encontrou um colo de mãe para se aninhar e crescer em segurança.

* * *

Os Espíritos nos dizem que Deus permite que haja órfãos, para que lhes sirvamos de pais.

Amparar essas criaturinhas, evitando que sofram fome e frio e lhes dirigir a alma, para que não despenquem no vício, é caridade.

No entanto, o mais precioso de todos os benefícios é o do amor. Nada que possa substituir uma carícia, um sorriso amistoso, uma palavra de carinho.

Por isso, à criança que nos olha, além de pão e agasalho, ofertemos a proteção do nosso abraço e a música da nossa voz, dizendo-lhe: Gosto muito de você.



Redação do Momento Espírita, com base no cap. O professor, do livro A última grande lição, de Mitch Albom, ed. Sextante e no item 18, do cap. XVIII do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.

Em 21.01.2012.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CALÊNDULA - Calêndula officinalis


Descrição : Herbácea de clima temperado com folhas simples, flores amarelo-alaranjadas, também conhecida como malmequer, malmequer-do-mato, maravilha e verrucária. A inflorescência é em capítulos solitários e terminais, de cor amarelo-alaranjadas. elas abrem ao nascer do sol e se fecham quandoo sol se põe. O fruto é um aquênio curvo, irregular, que apresenta espinhos na face exterior.As flores e folhas apresentam sabor amargo, com odor fraco e aromatizado.malmequer, também conhecida como malmequer-do-mato, maravilha e verrucária.

Partes Utilizadas - Flores

Cultivo : Sua reprodução é por sementes em canteiros ou sementeiras, e após a germinação as mudas mais vigorosas devem ser transplantadas para local definitivo. Prefere solos férteis, profundos, frescos e permeáveis. A semeadura ocorre nos meses de julho e agosto e a colheita se inicia no verão. Dentro de apartamento ou casa pode ser cultivada, desde que fique exposta ao sol, por mais ou menos 4 horas por dia.

Origem : Países do Mediterrâneo, sendo fértil nas reiões litorâneas do Brasil

Modo de conservar : As folhas são utilizadas sempre frescas. As flores mondadas podem ser consumidas frescas ou secas. A secagem deve ser a sombra, em local ventilado e sem umidade. Guardar em sacos de papel ou pano, ou em recipiente de porcelana.

Plantio : Multiplicação: por sementes; Cultivo: planta européia de adaptação cosmopolita. Prefere solos secos, arejados e com alguma matéria orgânica. Planta-se em sementeiras e faz-se o transplantio para o local definitivo ou ainda faz-se o plantio no local definitivo. O espaçamento é de 0,5m entre plantas e fileiras de 1 m entre elas. Colheita: colhem-se as folhas e flores durante o período da floração.

Propriedades : Antiespasmódico e cicatrizante, possui efeitos antiinflamatórios. É antisséptica, analgésica, emenagoga, colagoga, antiulcerosa, antiinflamatória, antisséptica, cicatrizante, calicida, emoliente, antiviral, antiemético, vasodilatador e tônico da pele.

Indicações : O chá pode ser usado para qualquer tipo de inflamação do organismo (reumatismo, sinutite, faringite, etc). É cicatrizante, o que torna útil em casos de úlceras do estômago.

Principios Ativos : óleo essencial rico em carotenóides (caroteno, calendulina, licopina), saponinas, flavonóides, cumarinas, resinas e mucilagens. e princípios amargos.

Modo de Usar : pomada e tintura - feita com folhas e flores. Usar sobre as partes afetadas 3 a 4 vezes ao dia. A tintura , diluida com água ou fervida, pod eser aplicada diretamente em ferimentos diversos, exercendo excelente ação cicatrizante. infusão - 2 colheres de sopa de flores em 1/2 litro de água ou duas colheres de sopa , toma-se 1 xícara de chá antes da refeição principal. cataplasma - folhas e flores tenras, socadas e empastadas sobre um pano limpo.

Afecções hepáticas; menstruação dolorosa e insuficiente : em 1 xícara de chá, coloque uma colher de sobremesa de flores e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara d echá, 2 vezes ao dia, antes das principais refeições. No caso de menstruação dolorosa ou insuficiente, comece o tratamento 10 dias antes do início da menstruação.

Feridas; úlceras; acnes; inflamações purulentas :coloque 2 colheres de sopa de flores em 1 xícarade chá de álcool d ecereais a 70 %. Deixe em maceração por 5 dias. Coe em um pano, esprementdo o resíduo. Para o uso interno, ome 1 colher de chá diluído em um pouco de água, 2 vezes ao dia. Para uso externo, a tintura deve ser dilu'ída com igual, com um chumaço de lagodão, de 2 a 3 vezes ao dia.

Entupimento do canal lacrimal : em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sopa de flores e adicione água fervente. Abafe por 15 minutos, coe e espere esfriar. Faça por 15 minutos, coe e espere esfriar. Faça aplicações nos olhos, com um chumaço de algodão, de 2 a 3 vezes ao dia.

Escaras de decúbito; feridas; úlceras; pruridos; eczemas; fungos da pele : em um recipiente, coloque 1 colher de sobremesa de tintura, com 1 colher de sobremesa de óxido de zinco, 1 colher de sopa de vaselina e 1 colher de sopa de lanolina. Misture bem, até adquirir uma consistência pastosa. Aplique nos locais afetados, 2 vezes ao dia.

Reumaismo; contusões; dores musculares : em um pilão, coloque 2 colheres de sopa de folhas frescas. Amasse bem, até adquiriri uma consiustência pastosa. Espalhe emum pano ou gaze, aplique no local e cubra com um pano. Deve ser aplicada 2 vezes ao dia, durante 15 minutos, ou deixe agir a noite toda.
Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Os dons


Narra uma lenda de autor desconhecido que um homem entrou em uma loja e se aproximou do balcão.

Quem estava a atender era uma criatura maravilhosa. Tão bela que parecia uma fada, dessas saídas de um conto infantil.

O homem olhou para os lados e perguntou: O que é que você tem para vender?

Com um sorriso lindo, a jovem respondeu: Todos os dons.

O homem arregalou os olhos, manifestando interesse, e quis saber qual era o preço. Seria muito caro?

Não, foi a resposta. Aqui, nesta loja, tudo é de graça.

Ele olhou, maravilhado, jarros cheios de amor, vidros repletos de fé, pacotes de esperança e caixinhas de sabedoria.

Resolveu fazer o seu pedido: Por favor, quero muito amor, um vidro de fé, bastante felicidade para mim e toda a minha família.

Com presteza, a moça preparou tudo e lhe entregou um embrulho muito pequeno, que cabia na sua mão.

O homem se mostrou surpreso e perguntou outra vez:

Será possível? Está tudo aqui mesmo? É tão pequeno o embrulho!

Sorrindo sempre, a jovem falou: Meu querido amigo, nesta loja, onde temos todos os dons, não vendemos frutos. Concedemos apenas as sementes.

* * *

As sementes das virtudes se encontram em nós. Somos a loja dos dons. O que necessitamos é investir na semeadura.

Se desejamos que frutifique o amor, é preciso que nos disponhamos a amar. E o exercício começa quando executamos bem as tarefas que nos constituem dever. Prossegue no trato familiar, com pais, irmãos, cônjuges e se amplia no rol das amizades.

Depois, atravessa a cerca dos afetos e passa a agir entre aqueles que simplesmente encontramos na rua, no ônibus, no mercado, no banco.

A fé não é adquirida de rompante. Necessita ser pensada, estudada, reflexionada. O exercício inicia com a contemplação da natureza. Os dias frios, os dias quentes, o sol, a lua, as estrelas, as árvores que balançam ao vento e as flores multicoloridas nos jardins.

Alonga-se com a visão dos mundos, das coisas infinitamente pequenas e daquelas infinitamente grandes. A harmonia de tudo nos remete a uma confiança irrestrita, uma certeza inabalável que se chama fé.

A felicidade frutifica quando, plenos de amor e de fé, vivemos cada dia com intensidade, sem igual, saboreando cada minuto como se fosse o único, o último, o derradeiro.

* * *

Mudar é um ato de coragem. É a aceitação plena e consciente do desafio.

É trabalho árduo, para hoje. É trabalho duro, para agora.

E os frutos seguramente virão no amanhã, talvez não muito distante.

Mas, quando temos certeza de estar no rumo certo, a caminhada é tranquila.

Quando temos fé e firmeza de propósito é fácil suportar as dificuldades do dia-a-dia.

Pensemos nisso. Invistamos nas virtudes ainda hoje.



Redação do Momento Espírita, com base no cap. Dons, de autor desconhecido e no cap. É preciso sentir a mudança lá dentro, de R. Anatoli Oliynik, do livro Momentos de luz, organizado por Hiran Rocha, v. 1, ed. Kuarup.

Em 20.01.2012.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CALAMO AROMÁTICO - Acorus calamus


Descrição : Planta da família das Araceae, também conhecido como junco de cobra, cana cheirosa e cana odorífera. Cálamo aromático, ou cana cheirosa, é uma planta aquática que tem o tronco subterrâneo e raízes (tubérculos) chatas, finas. Este tronco tem gosto amargo e é bastante aromático, daí o nome da planta. É excitante e usado contra , bronquites, catarros e problemtossesas digestivos. Há outra planta chamada Cálamo aromática (Kyllinga odorata), da família Ciperácea. Como se vê, é outra planta totalmente diferente. É preciso saber qual delas interessa. Esta última é também chamada capim-de-cheiro, capim-marinho e até capim-cidreira, em determinadas regiões. Também popular, tem pequenas flores brancas, aglomeradas, usadas para afujentar traças. A planta toda é usada como diaforética e diurética, além de ajudar a eliminar gases intestinais.

Habitat: E originário da India e Africa encontrado em todo o mundo.

Historia: Faz parte das Farmacopeias Chinesa, Ayurvedica e Homeopataca.

Propriedades : diaforética e diurética, além de ajudar a eliminar gases intestinais.

Indicação : bronquites, catarros e problemtossesas digestivos.

Princípios ativos: Óleos essenciais: R-asaronio, B-asaronio, -asaronio, acoronio (amargo), B-gurjunios, ZZ-deca-4,7-dienal (odorifico); Resinas; taninos.

Modo de usar: - infusão de dez gramas de rizoma em meio litro de água fervente, por dez minutos, filtrar e adoçar. Corrigir o sabor com casca de limão e beber após as principais refeições: digestivo;
- infusão de 30 g de rizoma em um litro de água fervente. Após esfriar beber três xícaras ao dia. Usar também como colutório: hidropisia hepática;
- infusão de 40 g de rizoma em um litro de água fervente, após esfriar, beber duas ou três xícaras ao dia: clorose;
- decocção de uma colher de sobremesa de pó do rizoma por copo de água, por 5 minutos e deixar esfriar. Coar, adoçar com mel. Tomar 3 copos por dia após as refeições (digestivo);
- decocção de 20 g de rizoma por litro de água, por 10 minutos, deixar em maceração por 6 horas. Aplicar em forma de compressas quentes.
- folhas em decocção: doenças dos olhos em geral, afrodisíaco, amargo, aperitivos (As folhas têm menor quantidade de princípios ativo);
- maceração de 10 g de rizoma de ácoro em pedaços, em 50 ml de álcool a 70º por cinco dias. Espremer, filtrar e colocar em vidro munido de conta gotas. Tomar 5 gotas em água, antes das refeições: tônico;
- tintura, macerar 25 gramas de rizoma em pó, por seis dias, em 100 g de álcool a 65º. Adicionar 50 g da tintura a 950 ml de vinho tinto. Beber em calicezinho, dez minutos entes das refeições principais: anorexia;
- suco na cura de feridas e inchações;
- pó do rizoma: insetífugo, inseticida, afecções do fígado e dos rins, na icterícia e na anemia;
- banho de imersão: ferver 3 colheres das de sopa do rizoma seco em 1 litro de água, por 30 minutos. Coar e adicionar à água da banheira. Permanecer em imersão por 20 minutos, à noite, antes de deitar: relaxamento;
- máscara tonificante: ferver 2 colheres das de sopa do rizoma em pó em 200 ml de água, por 10 minutos. Deixar esfriar e adicionar arroz em pó até obter uma massa consistente. Aplicar sobre o rosto previamente limpo, deixando por 15 minutos. Retirar com água morna; - compressas como coadjuvante no tratamento de tumores ganglionares;
- máscaras de beleza: tonificar a pele;
- dentifrícios ou gargarejo de infusão: higiene bucal para promover a assepsia;
- cremes ou géis para repelir insetos.

Toxicologia : deve ser evitado na forma de banhos ou massagem corporal por gestantes. Não se deve consumir o rizoma sem ter sido desidratado. O óleo essencial não deve ser usado durante a gravidez, lactação, crianças menores de dois anos. Ele é tóxico sobre o sistema nervoso central. Também é considerado cancerígeno. Fazer tratamentos descontínuos.

Precauções: não deve ser usado por longos periodos experiencias com animals mostraram efeito cancerigeno do uso prolongado do oleo de calamo.

Farmacologia: Os oleos essenciais demosnstraram in vitro, bloqueio da agregagao de plaquetas humanas, influencia no transporte de glicose, e efeitos vermicidas e inseticidas; Em teste com animals teve efeito espasmolitico; sobre o SNC - sedagao, anti-agressividade e reducao da atividade esponanea; e redugao dos indices de ulcera; Seu uso como estomaquico e plausivel pelo seu conteudo em amaroides e o efeito espasmoli'tico do oleo essencial; Tem efeito hiperemico extemo.

Posologia: Adultos:10 a 20ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluidos em agua; 2g de erva seca (1 co-Iher de sopa para cada xícara de agua) de raizes em decocgao ate 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs; Extrato fluido: 4ml diarios; Banho: 250g de rizomas secos ou 500g de rizomas frescos em infuso para adicionar a agua do banno; Ha linimentos e ole-os para banho a base de calamo.

Aromaterapia : Usado na massagem ayurvédica.

Nosso corpo


Um elegante homem de meiaidade entrou calmamente em um café e se sentou. Antes de fazer seu pedido, ele pôde perceber que um grupo de rapazes, sentado a uma mesa próxima, estava rindo dele.

Logo deduziu que o motivo era uma pequena faixa rosa na lapela de seu terno. Incomodado com a situação, mostrou a faixa aos rapazes e perguntou:

É isto?

Todos gargalharam. Um deles disse:

Desculpe-me, mas estávamos comentando como essa pequena faixa fica bonita no seu terno azul.

O riso foi geral. O homem, tranquilamente, convidou o que falara para se sentar com ele.

Embora constrangido, ele concordou. Educadamente, o homem lhe explicou que estava usando a faixa para alertar as pessoas sobre o câncer de seio. E terminou:

Eu uso isto em honra da minha mãe.

Lamento muito, falou depressa o jovem. Ela morreu de câncer nos seios?

Não. Ela está viva e passa bem. Entretanto, seus seios alimentaram-me na infância e me confortaram quando estava assustado ou me sentia solitário. Sou muito grato pelos seios de minha mãe e por sua saúde.

O rapaz não estava entendendo e por isso só murmurou: Sei.

Mas o homem prosseguiu: E eu uso esta faixa em honra de minha esposa também.

Ela está ok? Logo questionou o jovem.

Claro, falou o homem. Ela está ótima. Ela nutriu e alimentou nossa filha há vinte e três anos. Sou agradecido por seus seios e por sua saúde.

Suponho, ousou dizer o rapaz, que você use isso em honra de sua filha também?

Não, respondeu. É muito tarde para honrar minha filha, usando isto agora. Minha filha morreu de câncer nos seios há um mês.

Ela pensou que era muito jovem para ter esta doença. Quando, acidentalmente, notou um pequeno inchaço nos seios, ela o ignorou. Pensou que estava tudo bem. Afinal, ela não sentia dores e acreditava que não tinha motivos para se preocupar.

É em memória de minha filha que uso esta faixa rosa. Por causa dela, tenho tido oportunidades de esclarecer muitas pessoas. Agora, vá para casa, converse com sua esposa, suas filhas, sua mãe e seus amigos.

Finalmente, o homem deu para o rapaz uma faixa rosa para que ele usasse. Erguendo a cabeça, lentamente, o rapaz perguntou:

Você me ajuda a colocá-la?

* * *

Você mora no seu corpo. Pense que as máquinas modernas dão ao homem muitas facilidades.

No entanto, valeriam muito pouco sem o concurso das mãos.

Os aviões podem elevar você às alturas. Contudo, no dia-a-dia, você se equilibra em seus pés.

Os grandes telescópios são maravilhas do mundo, mas não serviriam para nada sem os olhos.

A música é o cântico do Universo, entretanto, passaria despercebida sem os ouvidos.

Enfim, pense que o seu corpo é um engenho Divino que a vida empresta a você, para sua permanência na Terra.

Cuide do seu corpo com serenidade e bom senso. Pense que, embora a ciência consiga tratá-lo, e até mesmo substituir alguns dos seus órgãos, ninguém, na Terra, encontra corpo novo para comprar.



Redação do Momento Espírita, com base em artigo assinado por Heraldo Espozel e no cap. 54, do Livro da esperança, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Cec.

Em 19.01.2012.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CAJUEIRO - Anacardium occidentale


Descrição : Da família das Anacardiaceae. Também conhecida como cajú, anacardo, acaju, acajuíba, caju-manso, cajuzeiro; cashew e cashew nut (inglês); anacardo, marañom e merli (espanhol); cajou (francês); anacardio (italiano); kaju (hindú). Árvore que ode alcançar mais de 10 metros de altura, e que apresenta o troncoatarracasdo, tortuoso, esgalhado a partir da base, ramos longos e sinuosos a formar fronde, coriáceas e, quendo novas de tonalidade roxo-avermelhadas. As flores são pequenas, verdes, esbranquiçadas ou vermelhas. O verdadeiro fruto (Castanha) se prende à extremidade da flor, sendo um aquênio reniforme. Cada castanha contém uma amêndoa. O pseudofruto dsenvolve-se a partir do pendúculo floral, tem a casca fina, de cor vermelha ou amarela, de acordo com a espécie, e é crnoso e suculento. Esse pendúculo floral hipertrofiado que deniminadmos caju, varia no tamanho, na forma, na cor e no sabor.
Parte utilizada:casca do caule e ramos; casca e pedúnculo; casca da castanha; raiz; folhas, frutos, sementes, óleo.
Cultivo : No cultivo pouco exigente em relação ao solo, mas prefere climas com temperatura acima de 22 graus centígrados, com boa pluviosidade, mas necessita de um bom período de seca para produzir.
Modo de Conservar : O caju com o fruto devem ser colhidos com rede acoplada a uma vara. O Caju pode ser consumido fresco, devendo ser guardado em geladeira. A folha e casca do caule devem ser secas ao sol e armazenadas em sacos de papel ou de pano. O revestimento externo da castanha de ve ser retirado manualmente, e a semente torrada.
Origem : é uma árvore originária do norte e nordeste do Brasil.
Princípios Ativos: Principais: proteína, fibras, carboidratos, cálcio, fósforo, ferro, ácido ascórbico, vitamina A e C.
- resina: ácido 4-o-metil-glucuronic, arabinose, galactose, ácido glucuronic, rhamnose, uronic-anidrido 57,000 a 62,000 ppm, água 79,000 a 95,000 ppm;
- seiva: 4-o-methyl-glucuronic-acid, arabinose, galactose, glicose, ácido glucuronic, rhamnose;
- semente: alanine (aminoácido) 7,020 a 7,141 ppm; alfa-catechin; ácido alfa-linolêico 1,610 a 1,638 ppm; alumínio 2 ppm; ácido anacárdico; anacardol; antimônio 0.3 ppm; arginina (aminoácido) 17,410 a 17,711 ppm; arsênico 0.02 ppm; ácido ascórbico 20 a 21 ppm; cinza 26,000 a 32,000 ppm; ácido aspártico (aminoácido) 15,050 a 15,310 ppm; bário 0.1 ppm; betacaroteno 0.6 ppm; beta-sistoterol (álcool), bromo 1.2 ppm, cádmo 0.03 ppm, boro 3.2 ppm, ácido cáprico 1,320 a 1,343 ppm, ácido caprílico 1,320 a 1,343 ppm, cardonol, césio 0.1 ppm, cloro 184 ppm, cromo 0.3 ppm, cobalto 0.1 ppm, cobre 22 a 37 ppm, cystine 2,830 a 2,879 ppm, európio 0.02 ppm, flúor 1.4 ppm, ácido fólico (vitamina do grupo b) 0.7 ppm, ácido gadoleíco 1,390 a 1,414 ppm, ácido gaulês, ácido glutâmico 36,240 a 36,867 ppm, glicine (aminoácido) 8,030 a 8,169 ppm, háfnio 0.02 ppm, histidina (aminoácido) 3,990 a 4,059 ppm, iodo 0.1 ppm, isoleucina (aminoácido) 7,310 a 7,436 ppm, epicatechin, l-lantânio 0.02 ppm, ácido láurico 7,840 a 7,975 ppm, conduza 0.3 ppm, leucina (aminoácido) 12,850 a 13,072 ppm, ácido linoleíco 76,600 a 77,925 ppm, lutécio 0.01 ppm, lisina (aminoácido) 8,170 a 8,311 ppm, magnésio 260 a 2,650 ppm, manganês 8.4 ppm, mercúrio 0.01 ppm, methionine 2,740 a 2,787 ppm, molybdenum 0.1 ppm, mufa 273,170 a 286,115 ppm, myristic-ácido 3,470 a 3,530 ppm, naringenin, níquel 5 ppm, oleic-ácido 268,080 a 296,000 ppm, oxalic-ácido 3,184 ppm, palmitic-ácido 34,600 a 44,262 ppm, palmitoleic-ácido 1,690 a 3,235 ppm, pantothenic-ácido 12 a 13 ppm, phenylalanine 7,910 a 8,046 ppm, phytosterols 1,580 a 1,607 ppm, potássio 4,600 a 6,815 ppm, proline 6,900 a 7,019 ppm, prunin-6-o-p-coumarate, pufa 78,360 a 83,555 ppm, rubidium 35 ppm, samarium 0.03 ppm, scandium 0.002 ppm, selenium 0.2 ppm, serine 8,490 a 8,637 ppm, sfa 52,325 a 93,154 ppm, silicone 1,280 ppm, sódio 140 a 257 ppm, squalene, stearic-ácido 17,725 a 102,000 ppm, estrôncio 4.2 ppm, enxofre 4,800 ppm, tantalum 0.02 ppm, threonine 5,920 a 6,022 ppm, lata 0.9 ppm, titânio 2.4 ppm, tocopherol 8 ppm, tryptophan 2,370 a 2,411 ppm, tungstênio 0.1 ppm, tyrosine 4,910 a 4,995 ppm, valine 10,400 a 10,580 ppm, vanadium 0.02 ppm, vit-b6 2 a 3 ppm, 27,000 a 52,000 ppm, ytterbium 0.02 ppm, zinco 48 a 57 ppm, thorium 0.2 ppm, cálcio 240 a 823 ppm, carboidrato 294,000 a 432,000 ppm, gordura 370,000 a 482,000 ppm, fibra 7,120 a 29,000 ppm, ferro 18 a 195 ppm, kilo calorias 5,330 a 5,920 /kg, niacin 18 a 22 ppm, fósforo 3,730 a 6,255 ppm, proteína 152,000 a 188,000 ppm, riboflavin 2 a 3.3 ppm, thiamin 2 a 8.7 ppm, água 27,000 a 52,000 ppm;
- fruto: ácido ascórbico 252 a 17,500 ppm; cinza 2,000 a 28,000 ppm; benzaldeído; betacaroteno 7.6 a 53 ppm; car-3-ene, hexanal, leucocyanidin, leucopelargonidine, limoneno, nicain 3 a 21 ppm, salicylic-ácido, trans-hex-2-enal, cálcio 100 a 833 ppm, carboidrato 116,000 a 958,678 ppm, gordura1,000 a 49,000 ppm, fibra 6,000 a 42,000 ppm, ferro 2 a 77 ppm, kilo calorias 530 a 3,680 /kg, niacin 3 a 21 ppm, fósforo 100 a 3,125 ppm, proteína 2,000 a 69,000 ppm, riboflavin 2.4 a 16.7 ppm, thiamin 0.3 a 2.1 ppm, água 856,000 a 879,000 ppm;
- folhas: ácido ascórbico 890 a 2,957 ppm; cinza 12,000 a 40,000 ppm; betacaroteno 6 a 20 ppm; glicosídeo kaempferol, ácido hidrobenzóico, quercetin-glycoside, carboidrato 231,000 a 767,000 ppm, gordura 6,000 a 20,000 ppm, kilo calorias 1,000 a 3,320 /kg, niacin 14 a 46 ppm, proteína 52,000 a 173,000 ppm, riboflavin 0.1 a 0.3 ppm, thiamin 0.1 a 0.3 ppm, água 699,000 ppm;
- casca: cardol, gingkol, tanino 90,000 ppm;
- exudato: galactose; glicose, ácido glucuronic, rhamnose, uronic-anidrido 57,000 a 62,000 ppm, água 79,000 a 95,000 ppm;
- gordura: uronic-anidrido 57,000 a 62,000 ppm, água 79,000 a 95,000 ppm;
- goma: xilose (carboidrato);

Propriedades medicinais:adstringente, antidiabético, anti-hemorrágico, antiinflamatório, anti-reumático, antitérmico, antiulcerogênica, cáustico, diurético, laxante, piscicide, purgante, tônico, vermífago.
Indicação : O cajueiro é utilizado como alimento in natura ou na preparação de doces caseiros, sucos e sorvetes. O suco feito de seu pedúnculo ou pseudo-fruto, puro e adoçado (a cajuada), é um saudável tônico refrigerante. Clarificado e cozido produz a popular cajuína, bebida de cor âmbar, destanificada, refrescante e de excelente sabor. O suco é diurético e excitante. Do sumo ainda se obtém vinho, vinagre, aguardente e licor. Apenas uma pequena parte da sua grande safra, infelizmente, é utilizada pela indústria pelo processamento do caju. A goma purificada é usada pela indústria farmacêutica como agregante em comprimidos no lugar da goma-arábica produzida na África. A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC (líquido da castanha de caju). A composição do LCC é principalmente de ácido anacárdico, cardol (11,31%) e seus derivados. Dentro da castanha é que se encontra a amêndoa oleaginosa, comestível, conhecida e comercializada como castanha de caju. O LCC causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem. O LCC espesso é de cor escura, tem uso popular para verrugas, calos, edemas, manchas na pele e tecidos de neoformação. O uso em estado fresco do fruto (castanha) pode provocar lesões na pele, pois é terrivelmente cáustico. Quando as sementes são torradas perdem esta propriedade, tornado-se comestíveis, sendo um alimento saboroso, excitante e usado nos regimes de emagrecimento, tidas pela sabedoria popular como fortificante da memória. Nas práticas da medicina caseira são usados preparações de uso oral, feitos com a entrecasca, a goma, e o LCC (líquido da castanha do caju) de acordo com as tradições. O uso da casca do cajueiro ativa o metabolismo dos açúcares, principalmente das pessoas que têm o açúcar aumentado no sangue e na urina. Nas regiões de mata brasileira as cascas são usadas para hemorróidas. Fazem o chá com a casca, adicionando broto de goiaba, raspa de amor-crescido e cajá. Para uso externo o uso do cozimento da entrecasca, em bochechos e gargarejos, como anti-séptico antiinflamatório nos casos de feridas e úlcera da boca e afecções da garganta, bem como para lavagem de feridas malignas. O broto de caju é utilizado para combater dores no estômago e problemas digestivos e deve ser fervido com broto de goiaba, embora sua eficácia e segurança ainda não tenham sido comprovadas cientificamente. O sumo das folhas novas é utilizado para combater aftas. Sua raiz é purgativa. Os índios TICUNA da Amazônia usam o suco de seu pseudo-fruto como preventivo contra gripes.


Contra-indicações/cuidados:o óleo é um irritante de pele; o vapor do óleo é irritante se inalado.

Modo de usar:
-pseudofruto: diurético;
- castanhas: fonte de nutrientes, controlar a diarréia, hipoglicemia, gripe.
- decocção de 10 g da casca do caule e dos ramos em um litro de água, por 30 minutos.
Uso externo: tumores, inflamação da garganta, aftas, inflamações vaginais; adicionar água quente: banhar os pés: cansaço dos pés, frieiras; internamente: reduz os níveis de açúcar no sangue;
- decócto da casca e suco do pedúnculo: reumatismo, diabete, tônico, avitaminose C, nematicida;
- óleo da casca da castanha, uso externo: calos e verrugas, dermatoses rebeldes;
- decócto da raiz: purgativo;
- infusão ou decocção das folhas e cascas: fraqueza orgânica, debilidade muscular, glicose na urina, afecções catarrais, tosses, bronquites, escorbuto, cólicas intestinais, doenças da pele sifilíticas ou não, psoríase, dartros, eczemas, dispepsias, icterícia, adstringente, antiinflamatória, antidiabético, anti-hemorrágico.
Em gargarejos: inflamações da garganta e aftas, (na África ocidental): malária; externamente: lepra, verrugas, enfermidades da pele;
- infusão das folhas: reduz a febre; lavar feridas e úlceras, diminuir os níveis de açúcar no sangue;
Nota: na África, a infusão das folhas é utilizada para combater a malária.
- frutas: diurética, diarréia, gripe;
- extrato da casca: anticoncepcionais (nativos da amazônia).
Para diabetes : Coloque uma colher de chá do pó da casca do caule do caju vermelho, em uma xícara de chá de água em fervura. desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira, Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.
Feridas; infecção da garganta : coloque uma colher de sopa do pó da casca do caule em um copo de água em fervura desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira. Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas.
Diarréias; disenterias : coloque 3 colheres de sopa de folhas novasd e frescas, cortadas em pedaços bem pequenos em 1/2 litros de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos e coe. Tome 1 copo toda vez que forevacuar. No caso de crianças deve ser dada metade da dose.
frieiras : Coloque 1 colher de chá de casca do caule em 1 litro de água em fervura. Deixe ferver por 15 minutos e coe em uma peneira. Despeje em uma bacia e acrscente mais 2 litros de água quente. Mergulhe o local afetado por 10 minutos a 15. Repetir a palicação até a melhora.
Modo de Usar : Diabetes Coloque 1 colher (chá) do pó da casca do caule do caju vermelho em 1 xícara (chá) de água em fervura. Desligue o fogo, espere esfriar e coe em uma peneira. Tome 1 xícara (chá) 2 vezes ao dia. Feridas, infecção da garganta Coloque 1 colher (sopa) do pó da casca do caule em 1 copo de água em fervura. Desligue o fogo, deixe em repouso por 24 horas e coe em uma peneira. Use para fazer bochechos, gargarejos ou para lavar feridas infeccionadas. Diarréias, disenterias Coloque 3 colheres (sopa) de folhas novas e frescas, cortadas em pedaços bem pequenos em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos e coe. Tome 1 copo toda vez que for evacuar. No caso de crianças deve ser dada metade da dose. Baixar o colesterol e triglicerídeos do sangue Consumir em pequenas doses (5 a 6 amêndoas) diárias. Suplemento nutritivo (regime de emagrecimento) A semente torrada pode ser consumida 1 hora antes das principais refeições em pequenas quantidades.Alimento nutritivo Ingerir o pseudo-fruto ao natural, como sobremesa ou entre as refeições, e em sucos. Frieiras, cansaço dos pés Coloque 1 colher (chá) de casca do caule em 1 litro de água em fervura. Deixe ferver por 15 minutos e coe em uma peneira. Despeje em uma bacia e acrescente mais 2 litros de água quente. Mergulhe o local afetado (pés ou mãos), por 10 a 15 minutos. Repetir a aplicação até a melhora. Diabetes, eczemas, reumatismos, avitaminose C Comer os pseudofrutos ao natural, ou sob forma de suco, 1 copo de 3 a 5 vezes ao dia. Feridas e úlceras Chá por decocção das folhas, banhar os locais afetados 3 vezes ao dia. Verrugas, calosidades Uso externo sob a forma de óleo, aplicado diariamente.
Refresco de Caju
Ingredientes
• 10 cajus
• 1 litro de água gelada
• açúcar a gosto
Retirar as castanhas, furar bastante com um garfo e espremê-los. Colocar numa vasilha o caldo, a água gelada, e o açúcar. Mexer bem

Pobreza


Dia desses alguém se encontrou com um indivíduo e, olhando-o, falou: Pobre homem rico.

Estranho! Afinal, é rico ou pobre? - Perguntou alguém que passava, no momento.

A resposta veio nos seguintes termos: O pobre homem rico é aquele que é dono de várias fazendas, de bônus, ações de várias companhias e uma grande conta corrente no banco mas é avarento.

É pobre porque sua mente é a essência da pobreza. Porque sempre tem medo de gastar alguns centavos. Suspeita de todo mundo. Preocupa-se com tudo o que tem e que lhe parece pouco.

A pobreza não é carência de coisas: é um estado de ânimo. Não são ricos os que têm tudo em abundância.

Só se é rico quando o dinheiro não nos preocupa. Se temos dois reais e nos lamentamos por não ter mais, somos mais ricos do que aquele que tem dois milhões e não pode dormir porque não tem quatro.

Pobreza não é carência: é a pressão da carência. A pobreza está na mente, não no bolso.

O pobre homem rico se angustia pela conta do supermercado que é muito alta. Também porque consome eletricidade, gás e gasolina. Sempre está procurando o modo de diminuir o salário dos empregados.

Dói quando sua mulher lhe pede dinheiro. Angustia-se pelo gasto de seus filhos.

Os pedidos de aumento de salário de seus empregados lhe ardem mais do que ácido que lhe fosse colocado sobre a pele.

Enfim, ele tem os sintomas da pobreza.

Em verdade, a finalidade do dinheiro é proporcionar comodidade, afastar temores, permitir uma vida de liberdade espiritual. Se não desfrutamos dessas vantagens, não importando quanto tenhamos, somos como o pobre homem rico.

Mas, se podemos experimentar essa sensação de liberdade, essa confiança no amanhã, essa ideia de abundância que se diz que o dinheiro proporciona, seremos ricos, mesmo sendo pobres.

Se desejamos ser ricos, sejamos. É mais fácil do que se fazer rico.

O dinheiro em si mesmo não significa nada. Seu verdadeiro valor está no que com ele possamos realizar em favor dos outros e de nós mesmos. Essa é a autêntica finalidade do dinheiro.

* * *

Se pensamos muito em dinheiro, ali estará o nosso tesouro.

Se os nossos pensamentos estão no amor, ali também estará o nosso tesouro.

Se valorizamos a tônica do dinheiro, nossos valores são materiais.

Se nossos pensamentos são nobres e altruístas, se pensamos e nos ocupamos em amar, o nosso tesouro não acabará com as crises econômicas, nem com as desvalorizações. Isso porque o espiritual não acaba nunca.

Enriqueçamo-nos com as coisas imperecíveis. Seremos então ricos, fortes e nossas riquezas estarão sempre conosco.



Redação do Momento Espírita, com base no cap. Onde está o teu tesouro, de Helen Hernández e no cap. Pobreza, de Frank Crane, do livro Um presente muito especial, de Roger Patrón Lujan, ed. Aquariana.

Em 18.01.2012.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Plantas que Curam: CAJAZEIRO - Spondias mombin


Descrição : Planta da família das Anacardiaceae. Também conhecida como taperebazeiro, macucu, cajá, cajazeira, cajá-mirim, cajamanga, cajá-manga, taperebá, tamacoaré, tamaquaré-serrado, cajazeiro tapiribá, acaiamiri, acaíba, cajá-pequeno, cajá-miúdo. A Cajazeira é uma árvore grande e muito frondosa, de caule reto, até 25m de'altura, casca quase sempre brancacenta ou acinzentada, espessa e muito fendida; suas folhas são impa-rininadas, grandes, alternas e compostas de 5 a 9 pares de folío-los opostos, oblongo-elípticos, agudos ou abtusos, grandes, suas flores são perfumadas, hermafroditas, dispostas em grandes pení-culas terminais; seu fruto é drupa de 44mm de diâmetro, sua cor é amarelo-alaranjada, e sua polpa é resinosa, ácida, muito perfumada, comestível e saudável. É planta medicinal também, pois sua casca perfumada é emética e adstringente, constituindo um ótimo vomitório nos casos de febres biliosas e palustres; é também antidiarréica, antidisentérica, antiblenorrágica e antihe-morroidária, sendo que a sua raiz também é anti-hemorroidária. Suas folhas são atacadas e preferidas pelo lepdíptero Attacus aurota Cram., ou seja, um dos nossos "bichos-da-seda" e usadas interna ou externamente, conforme os casos, para febres biliosas, constipação do ventre, dores do estômago, complicações após partos, certas doenças da laringe e dos olhos, refrigerante, estomáquico e ótimo nas diarreias. Do seu fruto fazem-se compotas, geléias e vários tipos de doce. Seu suco é febrífugo, servindo também para fazer sorvetes. Faz-se também com sua polpa um vinho para a cura das uretrites e das cistites. O'decocto dos caroços é aproveitado para a menstruação das mulheres. De sua casca também fazem imagens, amuletos, boquilhas para cigarros, ornatos de capela. Há a crença de que a fumaça exalada quando queimados seus caroços cura as feridas ou úlceras. Outra crença é de que os paralíticos ficam curados se deitarem sobre grossa camada de suas folhas, previamente amassadas em água. É de rápido crescimento. Produz grande quantidade de frutos. É muito cultivada no Brasil, especialmente na Bahia. Há 3 variedades, sendo que algumas são doces e outras ácidas. Fornece madeira branca e de fácil trabalho, usada na marcenaria, carpintaria, marchetaria, canoas, cercas e sua sombra protege as demais plantas que a circundam, dado o seu tamanho imenso.

Parte utilizada: folhas, flores, raízes, frutos.

Princípios Ativos: vitaminas A e C, cálcio, ferro, fósforo, carboidratos, substância tanóide.

Propriedades medicinais: antiinflamatório, anti-hemorroidal, antiblenorrágica, antidiarréica, antileucorréica, antimicrobiana, antiviral, diurética, estomáquica, febrífuga, tônico cardíaco.

Indicações: conjuntivites, diarréia, disenteria, erisipela, hematoma, hemorróida, inflamação dos olhos, retenção de urina, tônico cardíaco, vômitos espasmódicos.

Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Modo de usar:
- casca em decocção: hematomas, emética, adstringente, vomitório (febres biliosas e palustres), diarréias, disenterias, blenorragias, hemorróidas;
- sementes contusas em decocção: retenção urinária;
- infusão das flores: inflamação dos olhos, conjuntivites, tônico cardíaco;
- decocto das flores serve para curar doenças dos olhos e da laringe;
- infusão das flores: dores de estômago, prisão de ventre, febres biliosas;
- frutos: “in natura”, sucos: auxilia no combate à hipertrifia do coração e às úlceras uterinas e vaginais, digestões difíceis, nos vômitos espasmódicos e nas cólicas;
- refrescos, sorvetes, compotas, geléias;
- licor (vinho de taperebá): benéfico nas cistites e uretrites;
- suco dos frutos: estimular o funcionamento dos rins e contra febre;
- decocção das raízes: diarréias, disenteria, hemorróidas, gonorréia (infecção sexualmente transmissível), leucorréia (corrimento vaginal);
- o chá das flores e folhas: aliviar dores de estômago, cistites, inflamações da garganta (efeito antimicrobiano do extrato obtido das folhas sobre bactérias do tipo gram positivas, tais como Staphylococcus aureus e Bacillus subtilis), relaxante do músculo liso e estimulante

Referência :
A Cura pelas Ervas e Plantas Medicinais Brasileiras - Ricardo Lainetti e Nei R. Seabra de Britto - Editora Ediouro. 1979.
Plantas que Curam - Cheiro de Mato. Sylvio Panizza - IBRASA. 1997.
CIAGRI - Banco de plantas medicinais, aromáticas e condimentares da Universidade do Estado de São Paulo.
Plantamed - Grande cadastro de plantas e ervas medicinais.

O farol


Em meio ao mar, surge a construção de pedras, solene. É um farol, destinado a orientar o rumo dos viajores, nas noites escuras.

Quem quer que viaje em alto mar se sente seguro quando, em meio à escuridão, vê surgir o farol.

Ele está lá para servir, para advertir, para salvar.

A sua luz se projeta a distâncias enormes e, espancando a escuridão, permite que os que navegam possam perceber a proximidade dos recifes, os perigos imersos na noite.

O mar investe contra ele, noite e dia. Lança sobre ele as suas ondas, com furor. Vagas enormes lambem as pedras que se erguem, majestosas.

No fluxo e refluxo das ondas, o farol continua a iluminar, imperturbável.

Seu objetivo é servir. Noite após noite, ele estende a sua luz. Não se incomoda com os continuados e perigosos golpes que o mar lhe desfere.

Se, em algumas noites, ninguém se aproxima, desejando a sua orientação, também não se perturba.

Solitário, ele lança sua luminosidade, sem se preocupar com o isolamento.

Ele continua a postos para qualquer eventualidade, quando a necessidade surja, quando alguém precise dele.

* * *

No mar das experiências em que nos encontramos, aprendamos a trabalhar e cooperar, sem desânimo.

Permaneçamos sempre a postos, prontos a estender as mãos a quem necessite. Poderá ser um amigo, um irmão ou simplesmente alguém a quem nunca vimos.

Com certeza não solucionaremos todos os problemas do mundo. No entanto, podemos contribuir para que isso aconteça.

Se não podemos impedir a guerra, temos recursos para evitar as discussões perturbadoras que nos alcançam.

Se não conseguimos alimentar a multidão esfaimada, podemos oferecer o pão generoso para alguém.

Se não dispomos de saúde para doar aos enfermos, podemos socorrer alguém que sofre dores, oferecendo a medicação devida. Talvez possamos ser o intermediário entre o doente e o hospital, facilitando-lhe o internamento.

Se não podemos resolver a questão do analfabetismo, podemos criar condições propícias para que alguém tenha acesso à escola.

Mais do que isso. Podemos nos interessar pelos filhos dos que nos servem, buscando saber se não lhes faltam cadernos e livros, para a continuidade dos estudos básicos.

Enfim, o importante é continuarmos a fazer a nossa parte, contribuindo com a claridade que possamos projetar, por mínima que seja.

Imitemos o farol em pleno mar. Aprendamos a fazer luz.

* * *

A maior glória da alma que deseja ser feliz é transformar-se em luz na estrada de alguém.

O raio de luz penetra a furna, levando claridade. Estende-se sobre o vale sombrio e desata o verdor da paisagem.

Atinge a gota d'água e a transforma em um diamante finíssimo.

Viaja pelo ar e aquece as vidas.

Como a luz, podemos desfazer sombras nos corações e drenar pântanos nas almas. Podemos refazer esperanças e projetar alegrias.

Enfim, como raios de luz espalhemos brilho e calor, beleza, harmonia e segurança.



Redação do Momento Espírita, com base nos caps. 19 e 20, do livro Rosângela, pelo Espírito homônimo, psicografia de Raul Teixeira, ed. Fráter e no cap. CLVI, do livro Vida feliz, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.

Em 18.01.2012.