Google+ Followers

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Panda se diverte com cadeira de balanço

Um panda é flagrado no jardim zoológico de Pequim, na China, em uma brincadeira nada convencional para a espécie. Ao invés da improvisada gangorra, Ying Hua, como é conhecido, opta pela cadeira de balanço.

Veja o esforço do panda para conseguir se equilibrar na cadeira e alcançar os cocos pendurados à alguns centímetros de distância.


Fonte: http://f5.folha.uol.com.br/bichos/

Banho de ofurô e chapinha estão entre os tratamentos estéticos para cães

Só quem tem cachorro sabe, na ponta do lápis, quanto se gasta com vacinas, banhos, ração. Isso sem contar com mimos que, às vezes, nem o dono tem consigo mesmo, como massagens e ofurô.

"Ela é tratada como um bebê de verdade. A ração é a mesma de quando pequena, boa, limpo o olho todo dia com água boricada para o pelo não ficar manchado, o que é normal acontecer com poodle; ela vai e volta de táxi do petshop e por aí vai. É que nem filho, por isso nem parece que tem 10 anos", disse a gerente administrativa Ana Rocha, 56, "mãe" de Loló.

Entre os mimos, a poodle branca faz ofurô para relaxar, hidratação nos pelos, só come ração importada com peito de frango, dorme na cama e só anda no colo ou na cestinha de bicicleta.

"Acredita que eu nunca fiz ofurô?", diz a dona, rindo. "Acho que nunca vou ter no papel o que gasto com ela. Só a ração é mais cara que filé mignon. E ela toma banho toda semana, tem várias roupinhas... Nem posso falar muito senão meu marido me mata. Mas ele é louco por ela", completa.

E o itinerário de Loló não fica só entre a casa e o petshop. A cachorrinha visita a dona em seu escritório.

"Ela fica embaixo da mesa. As pessoas às vezes nem sabem que ela está aqui", diz.

Pedro Carrilho/Folhapress
A poodle Loló toma banho de ofurô

Segunda família

A empresária Renata Reich, 29, diz não ter tanta frescura com o yorkshire Magic, 5, mas revela gastar cerca de R$ 400 para cuidar do bichinho.

"Ele toma banho toda semana, faz clareamento, usa roupinha de frio, passeia, mas não fico 'neura' com isso, apenas cuido muito bem dele. Meu marido que é mais babão que eu", conta.

Já sua mãe, Liane Villarta, 55, é mais apegada à também yorkshire Paris, 3. Dona de mais três cachorros, ela contou que sai no colo com sua "bebê", deixa a pequena dormir embaixo de sua cama, enfeita seus pelos com laços, manda fazer escova, compra roupas, além de enchê-la com muito carinho.

"Só de ração gasto em média R$ 400. Tem mês que deve dar mais de R$ 1.000. É uma segunda família. Quando é bebê tem as vacinas, quando envelhece fica igual a um idoso", explica.

Úrsula Fiorenzano Marcondes, 36, dona do petshop Mon Petit Ami, no Rio, conta que as pessoas gastam mesmo com serviços. Entre os que ela oferece estão ofurô, escova de vinho, chapinha, book fotográfico e até quitutes caninos para festas.

"Já teve cliente que gastou, em um dia, R$ 4.100. Mas tem gente que, normalmente, gasta uns R$ 2.700 por mês", explica.

Sucesso entre os cães de pequeno porte, o ofurô é o que mais está fazendo a cabeça dos "pais".

"Eu uso água morna, jogo pétalas de rosas, spray tranquilizante, shampoo de limpeza profunda, faço massagem, abaixo a luz, coloco música... Tem cachorro que já até dormiu aqui de tanto que relaxa", explica Pedro Henrique Coelho, 23, há nove anos trabalhando em petshop.

Isso sim é vida de cachorro.

Pedro Carrilho/Folhapress
Yorkshire Magic faz chapinha

Fonte: http://f5.folha.uol.com.br/bichos/

Pão sírio





Ingredientes


500 gs de farinha de trigo
25 gs de açúcar
15 gs de fermento biológico
15 gs de sal
2 colheres de sopa de óleo
1 ovo
1 copo de água

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes, faça bolinhas e deixe descansar até dobrar de volume.

Abra a massa de forma circular anfarinhando bem e leve ao forno quente até dourar.

Como forma de variação, pode ser enrolado com qualquer recheio.

Fica muito bom com salsicha.
Informações adicionais

Tempo: 30min - Rend.: 25 porções

Fonte: http://www.almanaqueculinario.com.br

Plantas que curam: Abuta


Descrição : Planta da família Menispermaceae. Abuta é o nome vulgar de várias plantas desta família. Trata-se de um arbusto trepador, de caule lenhoso e folhas longo-pecioladas, coriáceas. O Fruto composto de 36 drupas elipsóides, ou ovóides, curto-pedunculadas, contendo polpa vermelha, comestível, agradável ao paladar, envolvendo uma semente sem albúmen e de sabor amargo. É uma das plantas brasileiras que têm despertado maior atenção no mundo científico e provocado importantíssimas investigações químicas e fisiológicas, desde que pela primeira vez chegou à Europa (1688) até há pouco, levadas ao melhor termo no Museu Nacional do Rio de Janeiro.

Origem : Amazonas.

Propriedades : analgésico, antibacterial, anticonvulsivo, antiinflamatório, antileucêmico, antimalária, anti-séptico, antiespasmódico, anti-tumor, aperiente, carminativa, citotóxico, diurético, emenagogo, expectorante, febrífugo, hepatoprotetor, hipotensor, insetícvaro, piscicidal, purgativo, estimulante, estomático, tônico.

Indicações : decocção da casca, uso externo: inflamação dos olhos e analgésico dental, contusões; reumatismo; orquites crônicas;
- decocção da raiz, uso interno: cólicas menstruais, contraceptiva e na gestação atrasada, febres intermitentes, cálculos renais, diurética. Cólicas que podem aparecer durante o sobreparto, menstruação difícil e supressão dos lóquios. Eficaz contra as más digestões, acompanhadas de dores de cabeça, prisão de ventre e tonturas. Sono após as refeições. Hidropisias e nos corrimentos blenorrágicos.
- infusão das folhas: diurético, carminativo, digestão difícil, menstruações difíceis, cólicas uterinas, reumatismo, fígado;
- Raiz e casca do tronco, por decocção: tônica e afrodisíaca.

Principios Ativo : amido, abutina, metilamina, dimetilamina, pirrol, pelosina; alcalóides, ácido araquídeo, beberina, berberina, bulbocapnine, cissamine, cissampareine, corytuberine, curine, 4-methylcurine, cyclanoline, cycleanine, dicentrine, dehydrodicentrine, dimethyltetrandrinium, óleo essencial, grandirubrine, hayatine, hayatinine, insularine, isochondodendrine, isomerubrine, laudanosine, ácido linoléico, magnoflorine, menismine, norimeluteine, nem-ruffscine, nuciferine, pareirine, alcalóide pareirubrine, pareitropone, quercitol, ácido esteárico, tetrandrine.

Modo de Usar :decocção da casca para uso externo;
- decocção da raiz para cataplasma e usos internos.
- infusão das folhas, uso interno.
- decocção de 10 a 15g de raiz e cascas do tronco em litro de água. Beber quatro ou cinco xícaras ao dia.
- infusão das folhas: diurético, carminativo, digestão difícil, menstruações difíceis, cólicas uterinas, reumatismo, fígado. Raiz e casca do tronco, por decocção: tônica e afrodisíaca.

Toxicologia : a pelosina reduz os batimentos cardíacos, podendo levar à morte, hoje é sucedâneo do quinina. Em dose elevada pode provocar aborto. É planta tóxica, conforme a zona do país, entra na composição do notável veneno indígena curare, hoje muito bem reputado na farmacopeia universal". A propósito da Abutua--do-Amazonas, (Cocculos Amazonum M.) elucida o mesmo autor: "É planta tóxica; o extrato da casca do caule tem por efeito a paralisação dos vasos sanguíneos, diminuindo a tensão do sistema arterial, de modo a fazer cessar o movimento rítmico e circular do sangue (Lacerda).

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Plantas que curam: Abrunheiro


Descrição : Da família das Rosáceas. Dá um pequeno arbusto, medindo 2 metros de altura; sua casca é lisa e seus ramos divaricados e armados de espinhos também pubescentes enquanto jovens, folhas oval-lanceolada serradas, com estipulas lineares pubescentes, flores brancas ou desabrocham antes mesmo das folhas, pedunculadas, solitária ou geminadas. Seu fruto é baga azul-escuro ou vermelho-azulada, globosa, muito pequena, contendo polpa esverdeada, de flores de cor lilás, de cujo estigma é extraído o açafrão propriamente dito. seus frutos serviam antigamente para o fábrico do extrato de Acácia nostra, medicamento que teve grande voga e também para falsificar o "suco de Acácia" das farmácias e até para fazer certo "vinho do Porto" de grande consumo, especialmente na Inglaterra. Depois de fermentados, produzem diversas bebidas tipo vinho que constituem recurso para os trabalhadores pobres do campo; são comestíveis para as crianças e ainda produzem tinta. A casca também produz tinta. As flores são febrífugas e o chá feito com elas é muito agradável, além de adstringente. Passa muito bem pelo Chá da índia e é a melhor forma para substituí-lo.

Origem : Europa. Em Portugal é conhecida como Ameixeira Brava. Também na Alemanha é cultivada, onde lhe dão os nomes de Schlehe e Schwardorn. Os franceses chama seus frutos de "prunelle" e os portugueses que também a cultivam com intensidade conhecem os frutos como "abrunho".

Propriedades : histeria, inflamação, regular processos sanguíneos, tireóide, problemas digestivos, prisão de ventre, veneno de cobra.


Indicações : É digestivo, aperitivo, carminativo, antiespasmódico e emenagogo. Combate a tosse causada pela bronquite crônica, ansiedade, insônia.

Principios Ativo : Princípios amargos (crocina e picrocina) e um óleo essencial. Aldeídos terpenos (safranal, 2,2,4-trimetil-ciclohexa-1,3-dieno-carbaldeído, pineno e cineol), picrocrocina, carotenóides, crocetina, gentobiose, alfa e o beta-caroteno, licopina, zeaxanteno e mucilagem.

Parte utilizada: frutos bem maduros, flores secas.

Modo de Usar :

- infusão ou decocção a 10%: dose máxima diária: 200 ml;
- extrato fluido: dose máxima diária: 25 ml;
- infusão de duas colheres de café de flores secas em uma chávena de água. Tomar uma a duas vezes por dia: diurética, laxante leve;
- frutos bem maduros e secos: afecções da bexiga e das vias urinárias e perturbações digestivas;
- frutos frescos: fabricar sumos, xaropes e vinho;
- tisana das flores: diabetes, hidropisia, obesidade, menopausa, algumas enfermidades da pele.

Toxicologia : Não usar na gravidez. em alta dosagem é tóxico, abortivo, causa hemorragias, vômitos, diarréias e vertigens. Alguns gramas de açafrão de boa qualidade é letal.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Pão de forma com azeitonas


Ingredientes

1 kg de farinha de trigo
50 g de margarina
30 g de fermento para pão
½ xícara (chá) de açucar
1 colher (sopa) de melhoramento
2 ovos
1 colher (sopa rasa) de sal
500 ml de leite morno
1 gema para pincelar
100 g de azeitonas verdes grandes e picadas
100 g de azeitonas pretas grandes e picadas
100 g de queijo ralado
1 xícara (chá) de cebolinha verde

Modo de preparo

Em um recipiente esfarele o fermento e adicione o sal. Mexa até obter um líquido. Junte o leite morno e reserve. Em um recipiente coloque a farinha (reserve um pouco) a margarina, açucar, melhoramento(opcional), ovos levemente batidos e o fermento reservado. Mexa com a colher.
Acrescente a farinha reservada. A seguir, sove sobre superfície lisa. Deixe descansar. Após descansar divida a massa em duas partes. Abra-as grosseiramente com auxílio das mãos. Empregue o recheio. Enrole. Coloque os pães em assadeira própria para pão de forma, untada e polvilhada.
Pincele com a gema. Deixe dobrar de volume. Leve ao forno pré-aquecido em 150ºC a 180ºC por 10 a 15 minutos e a seguir 180ºC a 200ºC até dourar.

Recheio: Em um recipiente misture as azeitonas verdes e pretas, cebolinha e queijo ralado.

Fonte: http://www.almanaqueculinario.com.br/

É dos carecas que elas gostam mais

Da próxima vez que você acordar e estiver em um em que nada parece resolver a rebeldia dos seus cabelos, pense nesses pets que, pela falta de pelos pelo corpo acabaram se tornando “ETs” para muitas pessoas.

Pelado: gato da raça Sphinx, desenvolvida nos anos 60 no Canadá.
Crédito: Jean-Michel Labat / Ardea / Caters News

Um homem, no entanto, o fotógrafo Jean-Michel Labar, de Paris (França), está disposto a provar que aquilo que parece feio para uns, para outros, guarda uma beleza sem tamanho.

Quem disse que roedores, cães e gatos desprovidos de pelos não poderiam ser alvo dos holofotes? Pois este francês apaixonado por animais resolveu dar uma chance a estes “esquisitinhos”, mostrando que eles também podem ser famosos.

Jean-Michel saiu pelo mundo com a missão de encontrar essas “fofuras pouco convencionais” e captar as melhores imagens para mostrar ao público. Em um clique, ele foi capaz de revelar ângulos inusitados destas criaturas lisas e engraçadas.

Cachorro, gato, porquinho-da-índia e rato clicados por Jean-Michel
Crédito: Jean-Michel Labat / Ardea / Caters News

Clicando os animais em fundo branco, o profissional de 60 anos de idade e fotógrafo há mais de 30, disse que este foi um dos trabalhos mais recompensadores de sua carreira. “Era uma coisa que sempre quis fazer, pois há tempos tenho sido estranhamente atraído por estes animais”, conta ele.

“Lembro-me da primeira vez em que vi um gato da raça Sphinx. Fui seduzido por toda a estranheza daquele animal. Foi então que tive a ideia de fotografá-los”, explica Jean-Michel. “Saí em viagem à procura destes pets e o Kenya foi o local onde encontrei a maior parte deles.”

Rato e Cão Pelado Mexicano viram astros
Crédito: Jean-Michel Labat / Ardea / Caters News

“O Sphinx é o mais comum dos carecas, mas existem outros muito incomuns por aí. A maioria está em fazendas e locais remotos”, continua o fotógrafo. “Fotografá-los é como capturá-los por um instante. Todos têm personalidades diferentes e, por isso, clicar cada um é uma experiência única”, finaliza Jean-Michel.

Fonte: PetMag

Família inglesa divide a casa com 20 guaxinins

Imagine 20 guaxinins vivendo com você e sua família dentro de casa. Imaginou? Pois uma família de Portsmouth, Inglaterra, divide a casa de três quartos com esta quantidade de animais.

Michelle e Sean Rhodes gastam o equivalente a R$ 7.800 por ano com cuidados com os guaxinins. Os peludos ainda são levados para passear com freqüência e, sempre que a família sai de férias, os 20 animais vão junto. Afinal, quem aceitaria ficar com todos eles enquanto os Rhodes viajam, não é mesmo?

Michelle e um dos seus guaxinins, Bobo.
Crédito: Barcroft Media

Michelle, de 39 anos, cuida dos guaxinins desde pequenos. Sean trabalha como consultor de negócios e os filhos de 14 anos, Jacob e Rosemarie ainda são estudantes.

Há quatro anos, a família divide a casa com os animais. O primeiro deles mudou-se para a residência dos Rhodes quando Michelle resolveu ajudar um vendedor de animais. “Ele disse que tinha um guaxinim com três dias de vida e que precisava muito de cuidados. Pesquisamos na internet sobre a manutenção deste animal e resolvemos ficar com ele”, conta ela.

Os guaxinins têm liberdade para andarem por qualquer cômodo da casa, menos a cozinha. “Outro dia, um deles decidiu copiar a maneira como costumo cortar frutas. Quando me dei conta, ele segurando uma faca com as patas!”, relembra Michelle.

Fonte: PetMag

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Plantas que curam: Abrótamo


Descrição : Planta da família das Asteraceae. Também conhecido como aurônia, losna. É uma planta que possui flores amarelas com folhas verde-cinza, pequenas e estreitas. O nome Artemisia é uma homenagem para a deusa Artemis. As plantas do gênero, juntamente com artemísia e absinto possuem uma cânfora com forte odor e foi usado historicamente como um aromatizador. Forma uma espessa vegetação arbustiva, é amplamente cultivado por jardineiros.

Plantio : Ele pode ser facilmente propagada por estacas ou por divisão de raízes.

Origem : Europa meridional e da Ásia maior.

Propriedades : anti-helmíntica, carminativa, diurética, estimulante, tônica.

Indicações : ascite, asma, dispnéia, enfermidades nervosas, estomatite, frieira, processos exsudativos, tuberculose do peritônio e do mesentério.

Modo de Usar : Infusão de uma pitada de folhas secas de abrótano em uma xícara de água fervente, sem açúcar. Deixar amornar e fazer vários bochechos durante o dia para estomatite;
- Infusão de três colheres de folhas secas em 150 ml de água fervente. Deixar repousar e coar. Fazer massagens no couro cabeludo, com as pontas dos dedos, três ou quatros vezes por semana como loção capilar;
- Infusão de doze colheres de folhas secas em 300 ml de água fervente. Adicionar à água do banho;
- Infusão de 1g de folhas secas em uma xícara de água fervente e adoçada. Tomar duas ou três xícaras ao dia para menstruação difícil e dolorosa;
- Infusão de duas colheres das de café de folhas secas em 57ml de água fervente. Deixar amornar e coar. Beber morno no uso geral.

Contra-indicações/cuidados: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html.

Empanada crioula


Ingredientes:

Massa:
1 kg de farinha de trigo
200 g de margarina
1 colher (sopa) de sal
Água morna até dar ponto na massa
1 ovo para pincelar

Recheio:
4 colheres (sopa) de óleo
1 cebola grande picada
2 tomates picados sem semente
2 colheres (sopa) de pimentão vermelho picado
2 colheres (sopa) de pimentão verde picado
2 colheres (sopa) de pimentão amarelo picado
½ xícara (chá) de azeitonas verdes
½ kg de carne cozida e desfiada
Temperos a gosto

Modo de preparo:

Recheio: Em uma panela aqueça o óleo e refogue a cebola.
Junte os tomates, os pimentões e cozinhe por alguns minutos.
Adicione a carne cozida e desfiada, e as azeitonas. Cozinhe por uns 3 minutos. Reserve.

Massa: Em um recipiente coloque a farinha, sal e a margarina.
Adicione a água morna aos poucos, sempre mexendo. A seguir, sove sobre superfície lisa e enfarinhada.
Deixe descansar por uns 15 minutos (opcional). Abra a massa sobre superfície enfarinha. Modele com cortador redondo.
Empregue o recheio e una as bordas. Modele com os dedos. Acomode em assadeira retangular untada e polvilhada.
Pincele com a gema. Leve ao forno pré-aquecido em 180ºC a 200ºC por 15 a 20 minutos.

Fonte: http://www.almanaqueculinario.com.br/

Família manda porco de estimação para aulas de adestramento

 Patrick, o porco adestrado
Crédito: North News

A família Louden queria muito um animal de estimação, mas um cão não parecia a melhor opção para eles. Decidiram fugir das escolhas tradicionais e optaram por nada menos que um porco como companheiro, na Inglaterra.

Eles até receberam alguns olhares de estranhamento durante os passeios do porco Patrick pelas ruas, mas nunca desanimaram. “Ele é um amor. Está até tendo aulas de adestramento”, conta Catherine Louden, mãe de três filhos.

“É como se tivéssemos quatro crianças em casa. Ele é brilhante e nossos filhos o adoram”, acrescenta ela. “Patrick mora conosco, mas não consegue subir as escadas, pois é muito pesado e suas pernas são muito curtas.”

Desde que começou a frequentar as aulas de adestramento, Patrick também é um porco muito mais sociável, segundo Catherine. Ele é aluno da Escola Happy Dogs, em Hurworth.

O treinador de Patrick é David Davies, um ex-adestrador de cães policiais. O profissional ficou radiante ao saber que teria um porco como aluno. “Catherine me ligou e disse que já havia falado com mais de 10 treinadores, mas nenhum havia aceitado a tarefa”, conta David.

O treinador David Davis e seus “pupilos”.
Crédito: North News

“O treinamento de Patrick foi complicado nas primeiras seis semanas, mas sempre foi uma alegria tê-lo aqui”, explica o treinador. “No começo, não havia entendido quando Catherine disse que traria um porco. Pensei que ‘porco’ fosse uma expressão para designar um cachorro mal-educado”, diverte-se David.

Catherine conta que Patrick é o xodó da família. A inspiração para escolher um porco saiu do filme “Babe”. “Levamos nossos três meninos para escolherem que animal gostariam de ter. Eles adoravam o filme ‘Babe’ e estávamos decididos a não levarmos um cão. Por isso, optamos por um porco. Patrick nunca atacou ninguém e raramente está de mau humor. É um porco muito sossegado”, finaliza ela.

Fonte: PetMag

Pássaros falantes fogem de casa e ensinam cacatuas selvagens a falar

No começo, eram só rumores de que um bando de pássaros nas copas das árvores estavam puxando papo com as pessoas que passavam pelas ruas. Parece loucura, não? Mas um naturalista do Australian Museum confirmou a história.

Tudo teve início quando pássaros de estimação fugiram de suas gaiolas e começaram a ensinar as aves selvagens a falar o que haviam aprendido com os humanos. “Estes pássaros são muito espertos e sociáveis, a comunicação e o contato são muito importantes para eles”, diz o naturalista, Martyn Robinson.

Pássaros falantes têm assustado os pedestres australianos
Crédito: Alamy

“As pessoas nos ligavam e diziam que estavam ficando loucas ou que alguém havia colocado algo na bebida delas. Tudo isso porque saíram para o quintal e ouviram os pássaros do alto das árvores dizendo: ‘who’s a pretty boy, then?’ (‘quem é um menino bonito’ – em tradução para o português)”, conta Robinson.

Normalmente, os chamados dos papagaios “selvagens” são em frequência mais alta e muito mais rápidos que a voz humana. Nem todas as espécies de papagaios imitam as outras criaturas, mas isso pode acontecer entre os selvagens. Por isso, a ideia de que um ruído estranho, como a voz humana, poderia se espalhar entre uma população de papagaios pode não ser tão inverosímil quanto se pensa.

Teorias dizem que imitando as chamadas de criaturas nas proximidades, os papagaios têm o equivalente aos dialetos humanos. Assim, as aves são capazes de distinguirem um papagaio de outra área geográfica, o que as ajuda a reconhecer seus pares quando separadas por um certo tempo.

Desta forma, grandes grupos de papagaios podem “aprender” os chamados de outros e até “difundir” os sons humanos em uma população de aves.

Australian Museum: pássaros podem ensinar outros pássaros
Crédito: Alamy

O movimento teve início quando papagaios que fugiram de casa acabaram virando “professores” do idioma aprendido com os humanos. “Os pássaros se estabeleceram e até se reproduziram nas cidades, passando para seus filhotes as frases aprendidas anteriormente”, comenta Robinson. “Só espero que ninguém tenha ensinado palavrões para os papagaios”, diverte-se ele.

A história dos “pássaros falantes” ficou tão conhecida que o radialista Jason Morrison comentou em seu programa sobre uma reportagem publicada sobre este assunto. A surpresa foi enorme quando ele se deparou com o número de pessoas que ligavam para a emissora contando já terem sido “convidadas para uma conversa” com estes pássaros quando passeavam pelas ruas.

Fonte: PetMag

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ante o sofrimento


Quando as dores nos cheguem com intensidade maior e a soma das dificuldades nos parecer insuperável, acolhamo-nos em prece.

Alcemos o pensamento a Jesus, Médico e Amigo, e roguemos novas forças a fim de que não venhamos a soçobrar, a meio do caminho.

Recordemos que, antes de nós, milhares de criaturas vivenciaram problemáticas mais ou menos dolorosas que as que nos acometem. E venceram.

Venceram as dores, venceram os problemas, agigantaram-se na vitória.

Lembremos, ao demais, que outras tantas milhares de criaturas vivem hoje dramas de maior complexidade que os nossos. E prosseguem, embora quase a desfalecer.

São os que se encontram muito abaixo da linha da pobreza, a quem falta o pão que lhes possa garantir a subsistência.

Alguns deles, pais e mães que, além da sua fome, têm a alma transpassada pelos lamentos dos filhos que lhes pedem algo com que saciar o estômago.

Mães que, ante a própria desnutrição, ouvem seus bebês chorarem pelos seios secos que lhes ofertam.

Pessoas que sofrem a perda de todos os bens materiais, levados pela força da natureza, que se rebela em terremotos, tsunamis, enchentes e deslizamentos.

Doentes terminais ante dores excruciantes que almejariam pudessem cessar e, no entanto, eis que elas não os abandonam, nem se mostram propensas a diminuírem.

Talvez pensemos que cada qual sabe de sua própria dor. E é verdade. No entanto, devemos lembrar que a ninguém é concedido fardo maior do que aquele que possa suportar.

E, ao demais, como somos ovelhas do aprisco do Celeste Pastor, Ele nos assegurou que, com Ele, todo jugo é suave e todo fardo é leve.

Por isso, a oração se faz de importância, colocando-nos em disposição de receber suas bênçãos de amor.

Assim fortalecidos, disponhamo-nos a vencer as batalhas que se nos apresentem, uma a uma.

Formulemos o propósito de dar um passo a vez, não desejando tudo resolver em uma única empreitada.

E, pensando no dia de tantas horas, idealizemos vencer a primeira hora, depois a segunda, até que o dia se complete.

E, quando nos prepararmos para o repouso físico, esgotadas as horas do trabalho profissional, das tarefas do lar, do estudo, agradeçamos ao Mestre a etapa vencida.

Amanhã, será um novo dia.

* * *

Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perda de seres amados, encontram consolação em a fé no futuro, em a confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens.

Sobre aquele que, ao contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições caem com todo o seu peso e nenhuma esperança lhe mitiga o amargor. Foi isso que levou Jesus a dizer:"Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei."

Seu jugo é a observância dessa lei. Mas, esse jugo é leve e a lei é suave, pois que apenas impõe, como dever, o amor e a caridade.
Redação do Momento Espírita com pensamentos finais do item 2, do cap. VI, do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 15.09.2011.

27 de setembro de 1937 - Morre o último espécime de Tigre de Bali.


O tigre-de-bali (Panthera tigris balica) é uma sub-espécie extinta de tigre. Este animal estava limitado à ilha de Bali, na Indonésia e desapareceu devido a caça intensiva. O último exemplar de tigre-de-bali deve ter sido morto em Sumbar Kima, oeste de Bali em 27 de setembro de 1937, e era uma fêmea adulta. Nenhum tigre balinês era mantido em cativeiro. De todas as subespécies era a menor, pesando apenas cerca de 100 kg, ou seja menos da metade dos tigres-siberianos.


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Plantas que curam: Abricó


Descrição : Planta da Família das Clusiaceae. Também conhecida como abricó-do-pará, abricó-das-antilhas, mamae, abricó-selvagem, abricoteiro, abricote, abricó-de-são-domingos eabricote. Árvore muito frondosa e grande, piramidal, chegando mesmo a ter 15 m de altura; suas folhas são oblongo-obtusas, coriáceas, verde-escuras, nernicosas, medindo até 14cm de comprimento e são pecioladas. Suas flores são brancas e perfumadas, solitárias ou em pares opostos, seu fruto é carnoso, quase redondo, muito duro, medindo 15 a 22 centímetros de diâmetro, contendo sementes, ou melhor, quase sempre uma só semente que mede até 7cm de diâmetro. É planta medicinal. Dos seus brotos amassados e fermentados extrai-se uma bebida, tipo vinho embriagante, que nos países que a fabricam recebe o nome de "Momin", ou "Toddy". Suas flores, submetidas à distilação, dão a "água-de-crioulos", ou o "creme-dos-crioulos", produtos fabricados em Cabo Verde e nas Antilhas como digestivos e refrigerantes. Em Cabo Verde é conhecida como Mamão. Seu fruto conserva indefinidamente o aroma e o sabor da polpa. Muito grande o seu consumo nos Estados Unidos da América do Norte. Também no Estado do Pará é bastante consumida, sendo que o fruto vai à mesa no estado natural, sendo que, no entanto, exige grande cuidado o seu descascamento porque tanto a casca como a massa, onde se encontra a polpa, contém uma substância fortemente amarga e acre, cujo contacto com os lábios ou a língua produz mal estar e permanece durante algumas horas. É cultivada em toda parte do Brasil, especialmente no Estado do Pará.

Plantio : Multiplicação, reproduz-se por sementes;

Cultivo: plantio por sementes ou mudas, de setembro a novembro em climas quentes e úmidos, não exige solos férteis. Espaçamento de 6m X 6m.

Colheita: colhem-se os frutos no outono.


Indicações: avitaminose Q, digestivo, febre, ferida, inseticida (bicho-do-pé, pulgões), limpeza do sangue, malária, picada de insetos, reumatismo, vermes. A resina que a casca da árvore solta, assim como as folhas e a raiz, são vulnerárias e inseticidas, principalmente contra o conhecido "bicho-de-pé", além de constituírem excelente remédio para picada de insetos . As sementes, amargas e resinosas, são antí-helmínticas. São comestíveis, sendo que sua fruta amarelo-avermelhada pesa até 4kg e é excelente para a confecção de xaropes, compotas e mesmo preparada com vinho e açúcar constitui ótimo alimento. É também ornamental.

Contra-indicações/cuidados: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Ruídos da cidade obrigam pássaros a mudarem melodias

Cientistas descobriram que os pássaros machos têm cantado em frequências mais altas para enfrentar os ruídos da vida moderna.

Mas, apesar do maior do esforço para que as canções sejam ouvidas, as fêmeas têm achado as melodias menos atraentes que as antigas.

Para se fazerem ouvir diante das cidades barulhentas, aves estão mudando a frequencia das melodias.
Crédito: Flickr

Por isso, os machos que se adaptaram a esta nova realidade correm o risco de não encontrarem uma companheira para procriação.

“Esta informação é crítica para entendermos o impacto dos ruídos na vida selvagem. Os estudos revelam que os sons de baixa freqüência estão diretamente relacionados com o sucesso reprodutivo”, diz Wouter Halfwerk, da Leiden University, na Holanda.

Estudos anteriores sugeriam que algumas espécies haviam abandonado os coros do amanhecer para cantarem à noite, quando as ruas são mais silenciosas.

No experimento conduzido pelo profissional, o comportamento de aves foi analisado no Parque Nacional da Holanda entre maio de 2009 e abril de 2010. Pesquisadores gravaram a comunicação entre machos e fêmeas, analisaram os laços familiares entre as aves e reproduziram os sons de machos com diferentes níveis de ruídos ao fundo.

Descobriu-se que pássaros que cantaram em baixas freqüências tinham menos probabilidades de serem traídos por seus companheiros. Em alguns casos, um dos pássaros destes casais “fugia” antes do nascer do sol para encontrar “pares extras”.

Quando o ambiente estava barulhento, fêmeas mostraram-se menos propensas a deixarem seus ninhos para acasalarem com machos que cantavam em baixa frequência de madrugada.

Isso começou a obrigar os pássaros urbanos a cantarem suas melodias em frequência mais elevada para confrontar as condições barulhentas do ambiente.

“Os indivíduos que tiveram de se contentar com locais barulhentos podem sofrer uma redução do número de parceiros, limitando assim o sucesso reprodutivo", finaliza Wouter.

Fonte: PetMag

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

As 10 raças de cachorros mais compradas.

Ter um cachorro é sempre maravilhoso, ele está sempre feliz e quer sempre brincar. Tem a parte ruim mais divertida que é cuidar dele, leva-lo passear, dar atenção e tudo mais , igual um bebê. Concerteza uma belezura dessas marca a vida de qualquer um e desperta amor incondicional, mais tem um porém, o preço pode chegar a R$2,000, depois de um tempo você pagaria até mais nele de tanto que vai gostar dele haha. Agora vamos com a lista dos 10 cachorros mais vendidos no Brasil.

Apesar de eu não ter achado quantos labradores ou qualquer um desses da lista são vendidos, vou deixar algumas curiosidades, que talvez até faça você comprar um desses haha..

1 – Labrador


Curiosidades:

•O Retriever do Labrador é popular na cidade e no campo. Por volta de 1800, este cão de caça auxiliava pescadores em Newfoundland (Canadá) a puxar redes para a terra, e a cada geração foi acrescentando várias facetas a sua personalidade, resultando em sua grande popularidade atual.
• È uma das raças mais inteligentes do mundo

2 – Poodle


Curiosidades:

• Acredita-se que o corte tradicional de pêlos em forma de bracelete nas pernas era usado antigamente nas caçadas na neve, onde a maioria do pêlo era tosado baixo para facilitar a natação do cão, mas as juntas, pulmões, coração e rins eram mantidas com pêlo alto para protegê-los do frio. O pompom no fim do rabo servia como uma “bandeira” para ser avistado pelos donos enquanto o Poodle mergulhava no fundo da água.
• São inteligentes, brincalhões, bons nadadores e caçadores, têm temperamento dócil com seu dono e para com as pessoas com quem estão familiarizados, além de procurarem a companhia de pessoas a quem estejam mais afeiçoados.

3 – Yorkshire


Curiosidades:

• Temperamento: companheiro, alegre, carinhoso e independente
• A apresentadora Xuxa já teve um exemplar da raça, assim como Ana Maria Braga, e a über model, Gisele Bündchen, dona da cadelinha “Vida”, que a acompanha entre um desfile e outro.

4 – Pastor Alemão


Curiosidades:

• Temperamento: autoconfiante, leal, dócil e obediente
• O Pastor Alemão aparece na terceira colocação no ranking de inteligência canina desenvolvido por Stanley Coren.

5 – Bulldog Inglês


Curiosidade:

• Esta famosa raça não só conquistou algumas das mais ilustres personagens da nobreza inglesa (a Rainha Isabel I e o Rei Jaime I, são alguns exemplos), como também foi retractada por Shakespeare, na peça teatral Henrique VI.

6 – Chow Chow


Curiosidade:

• Como vocês podem ver na foto acima, o Chow Chow é um cachorro muito lindo, que se originou da China, onde é chamado de Songshi Quan, que significa em português “cão leão-empolado”, porém seu nome foi traduzido para “Chow Chow” que sem dúvidas fez bem mais sucesso.

7 – Maltes


Curiosidades:

• Durante o inverno, alguns exemplares podem apresentar o ‘nariz de inverno’, quando o focinho fica marrom ou cor-de-rosa. Com a chegada das estações mais quentes e a exposição ao sol, o nariz torna a ficar preto.
• Temperamento: companheiro, alegre, inteligente e alerta

8 – Pug


Curiosidade:

• É uma raça de origem asiática, mais especificamente chinesa, que foi levada primeiramente à Europa através dos holandeses da chamada Companhia das Índias e lá conquistou sua popularidade entre a nobreza. Foi o mascote de influentes como Napoleão Bonaparte e Willian, the Silent, tendo esse último sua vida salva das mãos dos espanhóis devido ao latido de seu Pug. Desde então, passou a ser conhecido como cão oficial da corte.

9 – Pit Bull


Curiosidades:

• O Pit Bull pode conviver pacificamente com crianças, adultos, idosos e até mesmo com outros cães, basta ser devidamente educado e sociabilizado. Assim como qualquer outro cão pode ser muito dócil e afetuoso com todos e um comportamento contrário só será possível devido a irresponsabilidade de seu proprietário, já que o próprio padrão da raça deixa claro que em hipótese alguma o Pit Bull deve demonstrar agressividade contra humanos.
• O Pit Bull é capaz de executar 7 mordidas em apenas 5 segundos.

10 – Cocker


Curiosidades:

• Com a função de caçador em desuso, o Cocker Spaniel Inglês safou sua cauda da cirurgia estética. Quando trabalhava como levantador de aves, o vigoroso e alegre abanar de seu rabo fazia barulho e acabava por afugentar as galinhas, por isso, a necessidade de cortá-lo.
• Temperamento: inteligente, dócil, carinhoso e companheiro

Fonte: http://lolcos.com

Onde estão os anjos?


Aquela era mais uma tarde de trabalho abençoado na escola de evangelização infantil de uma Casa Espírita.

Todas as semanas, um grupo de mães e seus filhos, de idades variadas, adentravam as portas da instituição de amor e caridade.

Naqueles encontros semanais, as famílias buscavam o alimento para a alma, que lhes era ofertado através dos ensinamentos cristãos e das palavras de conforto que partiam do coração de cada trabalhador devotado.

Também lhes era ofertado o alimento para o corpo pois, depois dos estudos e de outras atividades, as mães e seus filhos desfrutavam de um lanche, preparado com muito carinho e dedicação.

Uma vez por mês, em um desses encontros, lhes era oferecido um lanche especial.

As crianças esperavam ansiosamente por esse dia, pois sabiam que receberiam um agrado diferente. A maioria vivia em condições de muita dificuldade financeira, tendo na sua rotina apenas o alimento básico para o sustento.

Foi num desses lanches que aconteceu algo inesperado. As crianças receberam guloseimas. Logo as abriram e degustaram com rapidez.

Porém, uma das crianças, de apenas quatro anos, ao receber as balinhas que foram depositadas na sua pequenina mão, fixou demoradamente o olhar nelas e, em seguida, guardou-as em seu bolso.

A pessoa que as entregou, estranhando a atitude, resolveu perguntar por que ele não iria saborear as guloseimas naquele momento.

O menininho disse que gostava muito dos docinhos mas que iria guardá-los para o irmão que havia ficado em casa. A mãe não tinha como transportá-lo por não ter uma cadeira de rodas.

* * *

Esse ato de amor de um coração infantil nos traz uma grande lição.

Evidencia o desprendimento de uma criança que, com espontaneidade, abriu mão de algo que apreciava, para ofertar ao irmão que ali não podia estar.

Ao renunciar à própria vontade em nome de fazer o outro feliz, essa doce criança mostrou-nos possuir um nobre sentimento: a abnegação.

Na sua pequenez, mostrou que o amor está em nós, que não precisa ser ensinado, que basta algo ou alguém para despertá-lo.

Mesmo sem ter disso consciência, essa criança agiu como um anjo, zelando e cuidando de um ente querido e amado, seu próprio irmão.

* * *

Que possamos ter olhos sensíveis para ver o quanto podemos aprender com a simplicidade das atitudes infantis.

Que possamos estar atentos às palavras e ações vindas desses corações inocentes.

A pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda ideia de egoísmo e de orgulho. Por isso é que Jesus toma a infância como emblema dessa pureza, do mesmo modo que a tomou como o da humildade.
Redação do Momento Espírita, com frase final do item 3, do
cap. VIII de O Evangelho segundo o Espiritismo,
de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 14.09.2011.

Plantas que curam: Abobrinha


Descrição : Pertence à família das Cucurbitáceas. As flores são pequenas, amareladas ou esbranquiçadas. O fruto tem formato ovóide, é pequeno e vermelho. Esclarece Peckolt *que o fruto ainda verde possui sabor acre, amargo e enjoativo, de aroma desagradável. Também existe a erva da mesma família, a Wilbrandia verticillata, com fruto ovóide e liso e folhas curto-pecioladas. Informa Pio Correia,** "O fruto é drástico e a raiz," tuberosa e muito amarga.

Princípios Ativos: tainiína, trianospermina, óleo gorduroso verde-escuro e resina mole.

Propriedades medicinais: Anti-diabético e muito usado pelo povo.
Indicações: Anti-sifilítica, purgativa e depurativa, empregada também nas hidropisias e erisipelas crônicas; na medicina veterinária parece ser usada com sucesso contra a cólera das galinhas


Contra-indicações/cuidados: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Labrador resgata hamster perdido e o devolve dentro de sua boca


Lisa Marsh, de 42 anos, e seus filhos Joe e Jake, de 11 e 9 anos respectivamente, estavam aflitos com o sumiço de Jeff, o hamster de estimação da família. Só uma coisa os deixou mais aflitos: saber que o ratinho havia sido encontrado pelo labrador do vizinho.

Rooney, o labrador do vizinho, encontrou o hamster Jeff perdido no jardim jardim e, todo orgulhoso, correu até a dona com o “prêmio” dentro da boca – são e salvo, é claro.
Crédito: Flickr

No entanto, o que tinha tudo para ser uma história trágica, teve um final feliz e surpreendente.

Depois de procurarem muito por Jeff, a família Marsh já considerava que o pequenino não teria conseguido resistir à dura vida fora de casa. Só restava-lhes rezar por um milagre.

Foi então que receberam uma visita de Tammy Baxendale, vizinha deles, dizendo que o labrador Rooney havia encontrado Jeff. O cão de 8 anos encontrou o roedor no jardim e gentilmente pegou-o com a boca, deixando-o ao lado dos pés de Tammy. O pequeno Jeff estava ileso.

Tammy logo tratou de secar o hamster – que estava encharcado de saliva – e correu para devolvê-lo à Lisa.

“Tammy bateu à nossa porta durante a noite e trazia Jeff nas mãos”, conta Lisa. “Ela disse ter visto Rooney farejando alguma coisa no jardim, quando, de repente, o cão foi até ela e deixou ‘um objeto’ ao seu lado. Era Jeff!”, comenta.

“Apesar de estar coberto de saliva e completamente aterrorizado, Jeff estava absolutamente bem”, explica Lisa, contente por ter seu companheiro de oito meses de idade de volta.

Fonte: PetMag

domingo, 25 de setembro de 2011

Não somos nossos problemas


Conta-se que Victor Hugo, o admirável escritor francês, quando no exílio, tinha por hábito, ao cair da tarde, chegar a uma parte em que havia uma colina próxima ao mar, e ali sentava-se, mergulhando em reflexões demoradas.

Enquanto o grande gênio da língua neolatina meditava, crianças brincavam à sua volta.

Depois de haver reflexionado suficientemente, o gigante da pena erguia-se, dobrava-se, tomava de uma pedra e a atirava ao mar.

Tornara-se-lhe tão habitual este movimento que já o fazia por automatismo.

Certo dia, porém, uma das crianças, vendo o grande escritor repetir o gesto de atirar ao mar uma pedra, perguntou, com o olhar traquinas e o sorriso infantil:

Senhor Hugo, por que o senhor, depois de meditar tanto, toma de uma pedra e a joga no mar?

E o admirável exilado respondeu, com um toque de melancolia:

É que tenho muitos problemas e resolvi, diariamente, por meditar em um problema. Após equacioná-lo, atirá-lo ao mar do esquecimento.

* * *

Não permitamos que os problemas tomem conta de nossa vida e exauram todas as nossas energias.

É necessária a compreensão de que estamos no problema, mas não somos o problema. Somos a solução para ele.

Quando analisarmos cada um deles, devemos pensar: Aqui está o meu problema. Fora de mim.

Não somos este momento de aflição. Apenas transitamos por ele temporariamente.

Encaremos cada problema como um desafio, algo que veio para fazer-nos crescer, amadurecer. E não para nos destruir.

Isso permitirá que a vida o solucione com tranquilidade, sem desgastar-nos em demasia.

Contemos com ajuda externa. Não acreditemos que tenhamos que resolver tudo sempre sozinhos.

Há tanta gente disposta a nos ajudar, no mundo material, e no mundo invisível, onde encontramos os amores do ontem e os protetores de nossa reencarnação.

Então, após resolver cada problema, atiremo-lo ao mar do esquecimento, não permitindo que ele permaneça em nossa casa mental.

Renovemo-nos diariamente, não permitindo que resquícios de crises e dores amarguem a alma, e se transformem em prisão indesejada.

Não nos assustemos com a palavra problema. Se ela nos parecer assustadora, troquemo-la por outra, como desafio ou obstáculo.

Obstáculos existem para serem observados, compreendidos e transpostos.

Saímos mais fortes de cada um deles, se desejarmos, em vez de mais fracos e abalados.

Libertemo-nos desse negativismo que, por vezes, estraga nosso dia, quando a lente do pessimismo nubla nossa vista imperceptivelmente.

Libertemo-nos do cinza, do escuro dos pensamentos que tanto nos aborrecem a alma.

Nascemos para ser livres, então, libertemo-nos.

Não somos nossos problemas. Apenas transitamos por eles temporariamente.

Pensemos nisso.

Redação do Momento Espírita com base na faixa 1, do cd Visualizações terapêuticas, de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 13.09.2011.

Plantas que curam: Abóbora


Descrição : Planta rasteira de folhas membranosas e flores amarelas com fruto de numerosas sementes. Herbácea rasteira, muito ramificada, podendo atingir 10 metrôs de comprimento. Sua folhas são pecioladas e apresentam pêlos ásperos.

Propriedades : anti-helmíntica, antiinflamatória, anti-febril, antitérmica, bactericida, diurética, emoliente, estomáquica, hepática, tenífuga, umectante, vermífuga.

Origem : América Central

Modo de conservar : A polpa do fruto e o broto devem ser utilizados frescos. As sementes podem ser secas ao ar livre ou em forno.

Plantio : Multiplicação: reproduz-se por semente; Cultivo: plantio o ano todo (na primavera de preferência). Espaçamento de 6m X 6m. Exige solos humosos, por isso faz-se covas grandes para colocar bastante esterco (húmus). É própria de clima quente. Não tolera solos muito encharcados, mas aumenta bastante a produção com irrigação; Colheita: dos brotos, folhas, frutos e semente o ano todo.

Indicações : erisipela, febre, inflamação (rins, vias urinarias, fígado, baço, próstata, ouvido, pele, generalizada), queimadura, vermes, dores de ouvido, anemia, avitaminose, infecções dos rins, náusea, vômito da gravidez, ferida de origem sifilítica, peles oleosas, limpeza da pele, acne, suavizar e amaciar a pele, máscara capilar, alisar os cabelos (submetidos a tratamento químico)

Princípios Ativo : As sementes contêm: óleo essencial (até 50%), albuminas, glicosídeo (cucurbitina), resina, minerais (principalmente) zinco.
A polpa contém açúcares, albuminas, gorduras, ácido ascórbico, ácido hidrociânico, ácido salicílico, aminoácidos, carotenóides, cucurbitacina E, cucurbitina, flavonóides, saponinas, tanino, trigonelina, vitaminas, minerais.


Modo de Usar : A decocção da polpa é indicada nos casos de diarréia e gases; o sumo da polpa para prisão de ventre. O cataplasma das folhas são indicadas em casos de queimaduras, inflamações e dores de ouvido. É um excelente vermífugo, principalmente para crianças. É tônico para o cérebro, fígado, rins e intestinos. Fruto cozido, em pedaços ou purê, com carne, carne seca ou camarão e sopas, na preparação de doces e compotas;
- Fabricação de loções para a limpeza da pele;
- polpa, retirada por decocção: diarréia e gases;
- sumo da polpa: prisão de ventre;
- suco das sementes trituradas: febre, inflamações das vias urinárias, afecções renais;
- As sementes, cruas e secas: tratamento de próstata, vermes intestinais;
- cataplasma das folhas: queimaduras, inflamações, dores de ouvido;
- folhas, cruas e frescas: anemia, avitaminose.

Para queimaduras que provocam bolhas ou não, coloque 50 a 100 gramas da polpa do fruto em 1/2 litros de água. Cozinhe em fogo brando até amolecer, coe e reserve a água. Amasse bema polpa e junte novamente a água do cozimento que foi reservada, obtendo um líquido xaroposo, espesso e amarelo, faça compressass sobre a parte afetada várias vezes ao dia. É importante manter o local afetado limpo e não rompa as bolhas.

Para corrimento vaginal faça banho de assento, de 2 a 3 vezes na semana, utilizando a mesma receita indicada para queimaduras e feridas.

Contra-indicações/cuidados: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Efeitos colaterais: Não encontrados na literatura consultada. Porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso e nenhum tratamento deve ser feito sem orientação médica.

Fonte: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/indice.html

Gansos dão show ao fugirem do frio

Esta imagem fantástica foi tirada pelo fotógrafo profissional Mike Hollingshead no parque Squaw Creek National, localizado Estado do Missouri (EUA). Durante 22 dias de estadia na reserva natural, ele registrou a partida de mais de um milhão de gansos rumo ao sul, fugindo do frio que está se aproximando do hemisfério norte. Uma cena assim não poderia passar em branco, certo?

Os gansos migram bem antes das outras aves. Logo no começo de setembro, eles saem do hemisfério norte, em busca de regiões mais quentes

A migração dos gansos acontecem anualmente. Trata-se de um verdadeiro espetáculo da natureza

Aproximadamente 1,3 milhão desses pássaros partiu na mesma hora para o sul. Para quem via a cena, eles pareciam formar uma tempestade de neve

Os observadores que presenciaram a viagem dos gansos, segundo informações da agência Grosby Group, só enxergavam a massa esbranquiçada ao seu redor

A revoada que dá início à migração para o sul acontece após o período de acasalamento dos gansos

Muitos animais também usam o parque ecolológico norte-americano Squaw Creek National de como área de descanso. Afinal, depois de voar, tanto eles merecem uma pausa

Os gansos vão parar no Golfo do México e, no ano que vem, retornarão ao centro da Canadá, onde passarão o verão do hemisfério norte

Fonte: http://entretenimento.r7.com

Macacada também tem fome de gol

O Zoo de Londres tem exatamente 22 micos-de-cheiro; espécie de macaco comum na Amazônia. Esses espertos animais poderiam se dividir em dois times e jogar uma partida de futebol, não é mesmo? Pois nesta quinta-feira (18), a turma ganhou uma bola de futebol. 
Repare na reação do grupo ao receber o presente

Os micos ganharam a bola de presente durante uma coletiva de imprensa que reuniu jornalistas e fotógrafos no parque inglês. Logo, os animais começaram a disputar a pelota

Metade dos macaquinhos do zoo londrino nasceu do mesmo macho: Bounty. Ele veio da Bolívia

Assim como muito marmanjo, os macaquinhos também ficaram como que hipnotizados pela bola de futebol
Difícil apenas saber qual é o objetivo desse jogo dos micos-de-cheiro com a redonda
Fonte: http://entretenimento.r7.com/